2 de abril de 2008

O PESO DA INFORMAÇÃO







Você já imaginou degustar um delicioso tablete de chocolate e ver estampado na embalagem que aquele prazer pode “engordar”, “causar cáries” ou, ainda pior, “matar”? Nada animador, hein! A obrigatoriedade de informar sobre os efeitos danosos ao organismo já aconteceu com a indústria do cigarro e especula-se que o mesmo pode ocorrer para os produtos alimentícios.


Segundo a Organização Mundial de Saúde, são quatro as substâncias que não fazem bem e que necessitam de maior controle: gordura trans, gordura saturada, açúcar e sódio. Os cientistas são unânimes em afirmar que causam doenças crônicas, como as cardiovasculares. Existem alimentos que irão sempre cumprir o papel de nos dar prazer e de tornar a nossa vida social mais divertida, sem proporcionar benefícios nutricionais. Mas calma, você não precisa cortá-los de vez da sua lista de supermercado.


O ponto-chave é a freqüência e a quantidade em que você irá consumi-los. Assim como em todos os aspectos da vida, na alimentação não é diferente, há também limite e hora para nossos prazeres e obrigações. É só ficar atenta ao rótulo, pois um pote de balinhas pode enganosamente ser devorado com menos culpa quando vier estampado “rico em fibras”. Mas a mesma sensação não vai durar quando souber que apesar das fibras, você colocou para dentro uma quantidade enorme de açúcar. Portanto, fique esperta e leia cuidadosamente as embalagens para se proteger de informações “maquiadas”.
Fonte: Revista Boa Forma