17 de novembro de 2011

Novo estudo descreve os benefícios do consumo de castanhas...


Um estudo científico recente mostrou a relação entre o consumo de castanhas e um elevado nível de metabólitos da serotonina (um importante neurotransmissor) em pacientes com síndrome metabólica, que estão em risco elevado de doença cardiovascular.

O artigo foi publicado no Journal of Proteome Research e relatado pela American Chemical Society News Service.

O estudo relata a primeira aplicação de técnicas de metabolômica para analisar os efeitos da dieta em pacientes com síndrome metabólica. A doença, que segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde afeta 20% da população adulta, está relacionada à inflamação e estresse oxidativo e aumenta o risco de diabetes tipo 2 e doença cardiovascular. Na Catalunha, como nos Estados Unidos, a prevalência de síndrome metabólica está perto de 25% em adultos. Na Espanha como um todo, em crianças com obesidade moderada a prevalência é de 17% (em comparação com 33% para o mesmo grupo populacional no Reino Unido).

Pacientes que receberam a dieta rica em castanhas produziram um nível mais elevado de metabólitos derivados do metabolismo do triptofano e serotonina, ácidos graxos e polifenóis, dando mais peso à hipótese de que essas moléculas poderiam estar na raiz de determinados benefícios à saúde observados em outros estudos. "Se olharmos para os resultados dos dois grupos de pacientes", diz a pesquisadora Sara Tulipani "encontramos diferenças significativas nos níveis desses biomarcadores. O que nós ainda não sabemos é o percentual do nível de metabólito detectado na urina, que é estimulada endogenamente ou exógenamente pelo metabolismo dos pacientes, e se estes metabólitos têm um papel direto ou indireto nos benefícios de saúde do consumo de nozes. 

O novo artigo trouxe os primeiros resultados descrevendo os benefícios de saúde do consumo de castanhas, através da redução de substâncias associadas a processos inflamatórios e outros fatores de risco cardiovascular em pacientes com síndrome metabólica.

Fonte: Traduzido de Medical News Today