27 de janeiro de 2012

Segundo pesquisa, compostos bioativos presentes na erva-mate destruiriam células do câncer de cólon...


Cientistas descobriram que as células do câncer de cólon humano morrem quando são expostas aos compostos bioativos presentes na erva-mate.

As células morreram quando receberam os compostos em uma quantidade equivalente à presente em uma xícara de chá-mate.

"Os derivativos da cafeína no chá-mate não apenas induziram a morte das células do câncer de cólon humano, como também reduziram marcadores importantes da inflamação," conta a Dra. Elvira de Mejia, da Universidade de Illinois (EUA).

Isto é importante porque a inflamação pode disparar os mecanismos da progressão do câncer.

Morte celular programada

No estudo in vitro, Mejia e seu colega Sirima Puangpraphant isolaram e purificaram os derivados do ácido cafeoilquínico, ou cafeoleoquínico, presentes na erva-mate.

Conforme os cientistas aumentaram a concentração do ácido, as células de câncer começaram a disparar seu mecanismo de morte programada, conhecida como apoptose.

"Simplificando, as células do câncer se autodestruíram porque seu DNA foi danificado," explica a pesquisadora.

A capacidade para induzir a morte celular programada é uma tática promissora para intervenções terapêuticas para todos os tipos de câncer.

Intestino

Segundo a pesquisadora, os resultados do estudo sugerem fortemente que os derivativos da cafeína presentes no chá-mate têm potencial como agentes anti-câncer.

Esses derivativos também poderão ser usados em outras doenças associadas com a inflamação.

Mas como o intestino e sua microflora têm um papel importante na absorção e no metabolismo dos componentes derivados da cafeína, os efeitos anti-inflamatórios e anti-câncer do chá-mate deverá ser mais úteis nas doenças do cólon.

Fonte: Diário da Saúde