Pular para o conteúdo principal

Sobre as mentiras que a balança conta....




Quem nunca subiu numa balança esperando que o “peso” mostrado por ela seja o menor possível? Frequentemente nos pesamos de olho no número que vai aparecer no visor digital, embora ele esteja longe de ser um parâmetro confiável para avaliar a situação da sua saúde e o sucesso do seu treino. “Perder peso”, embora seja o que a maioria dos praticantes amadores de esporte persegue, é um termo incorreto que minimiza algo bem mais complexo do que parece.

Mesmo o Índice de Massa Corporal, o famoso IMC, obtido por uma fórmula que avalia estatura e peso, pode levar a classificações incorretas. É possível apresentar IMC baixo, por exemplo, mas com porcentagem de massa gorda considerável – e vice-versa.
O corpo é basicamente constituído por gordura (massa gorda), ossos e músculos (massa magra). Quando determina o seu peso, a balança tradicional não discrimina quanto dele é formado por massa magra e quanto se deve à massa gorda. Consequentemente, não nos informa se o ganho ou a perda de peso são preocupantes ou benéficos. Confira dois casos reais que ilustram a questão:
Caso 1 – Uma praticante de musculação vinha exagerando nos treinos e não seguia orientação nutricional. Após ser reavaliada em termos de composição corporal, percebemos que sua massa gorda aumentara 1,2kg, enquanto sua massa magra diminuíra 1,4kg. Em outras palavras, ela até perdeu peso, mas sua composição corporal piorou.
Caso 2 – Um homem mais velho que havia ficado sedentário por anos decidiu adotar um programa de atividade física. Nós o avaliamos na primeira semana de treinos e repetimos o processo após três meses . Resultado: seu peso aumentou 1,2 kg. A massa gorda, porém, havia reduzido em 900 gramas. Perplexo, este aluno perguntou: “Como posso ter ganhado peso, se estou fazendo tudo direito?” A explicação é simples: ele ganhou 2,1 kg de massa magra.
Os dois casos mostram como a balança pode “mentir” para você. No primeiro caso, se fosse o único parâmetro para acompanhar a evolução dos programas, a praticante teria sido levada a acreditar que estava no caminho certo. E não estava. Já no segundo, o aluno teria ficado desestimulado, achando que estava engordando por conta dos exercícios. O que também não era verdade.
Fica então a dica: esqueça um pouco o número registrado pela balança e faça uma análise da sua composição corporal para saber se você está perdendo peso corretamente.

Por Renato Dutra/Revista Veja

Postagens mais visitadas deste blog

Protocolo de Limpeza Intestinal...

O Protocolo de Limpeza Intestinal, é um manejo nutricional para a Modulação Intestinal e seu objetivo é promover injúria bacteriana. Ou seja, morte das bactérias por falta de nutrientes. A falta de proteína durante os 3 dias iniciais gera injúria nas proteobactérias, que não conseguem se multiplicar, tratando a SIBO e disbiose. 
É uma estratégia para equilibrar a microbiota intestinal criada pelo professor Murilo Pereira que colocou um propósito em cada alimento e suplemento incluído, lindo demais! Aprendemos na formação em Modulação Intestinal. Ela promove uma limpeza de intestino delgado e grosso, ao contrário do uso de laxantes por exemplo que limpa apenas o intestino grosso.
O manejo nutricional dura 15 dias, sendo os 3 primeiros os mais importantes e com maior restrição. Nestes dias, além da alimentação, a suplementação para Modulação da microbiota vai variar de acordo com cada paciente, se ele tem Resistência á Insulina ou Síndrome do Ovário Policístico, Síndrome do Intestino I…

Sorbet de frutas congeladas....

Esse calor de matar pede um sorvete !
Que tal fazer em casa uma versão saudável pra matar a vontade? Claro que um sorvete cheio de açúcar tem seu lugar e hora! Kkk Mas é preciso também ter estratégias para ter este prazer com mais frequência, por que não? .
Tenha sempre frutas congeladas! Este aí fiz de banana  e morango  e nada mais! Congele a banana bem madura, assim vai estar mais adocicada! Bata no liquidificador ou processador até ficar homogêneo. Aproveite!

Segundo estudo, consumo de refrigerante aumenta o risco de mortalidade...

Um estudo de coorte conduzido com 450.000 pessoas de 10 países da Europa entre janeiro de 1992 e dezembro de 2000 acabou de ser publicado no JAMA e concluiu que o consumo de 2 copos de refrigerante 🥤 diariamente com açúcar ou adoçante artificial aumenta o risco de mortalidade por várias causas!
O estudo verificou que as principais causas de morte encontradas foram por problemas circulatórios e doenças do trato digestivo.