Pular para o conteúdo principal

Colesterol bom: condicionamento físico é mais importante que peso...

 
Conforme o conhecimento médico se amplia, as coisas parecem mais complicadas do que eram anteriormente.
É o caso do "colesterol bom" e do "colesterol ruim".
Hoje já se sabe que o colesterol ruim não é tão ruim quanto se pensa e que há um lado mau do bom colesterol.
Até mesmo a relação entre colesterol bom e ataques cardíacos tem sido questionada.
Agora, acaba de ser demonstrado que os níveis adequados de HDL - o "colesterol bom" - podem não ser suficientes para proteger a saúde cardiovascular, e que, nesse quesito, a aptidão física é mais importante do que o peso corporal.
Colesterol bom com defeito
Vários estudos recentes têm mostrado que muitos casos de doença cardíaca ocorrem com níveis normais de colesterol HDL.
Consequentemente, alguns pesquisadores acreditam que, mesmo que as pessoas tenham níveis adequados de colesterol HDL, este pode não funcionar muito bem - esse HDL pode simplesmente não cumprir outras funções desta importante molécula no corpo, como reduzir a inflamação e agir como antioxidante.
Como os exercícios físicos têm o potencial para proteger contra as doenças cardíacas em uma variedade de formas, Christian Roberts e seus colegas da Universidade da Califórnia (EUA) decidiram estudar se o HDL se comporta da mesma forma em homens que se exercitam regularmente e em homens sedentários.
Eles descobriram que os homens que não se exercitam são mais propensos a ter esse "HDL disfuncional".
Possuir o HDL defeituoso foi associado a vários outros fatores de risco para doenças cardíacas, incluindo triglicérides elevados e uma maior massa gorda na cintura.
Colesterol, peso e ginástica
O resultado se manteve independentemente do peso dos homens, o que sugere que manter um peso saudável não é tão importante para a função do colesterol bom quanto exercitar-se regularmente - nem todos que se exercitam perdem peso.
"O papel da obesidade no risco das doenças cardíacas coronarianas pode de fato ser largamente explicado por diferenças na aptidão física", dizem os autores. no artigo publicado no Journal of Applied Physiology.
Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Ainda dá tempo!

Bom dia, segunda! ☀️

Mais uma oportunidade de fazermos uma semana diferente!
Mais uma chance de recomeçar!
Quem não recomeça depois do tropeço, nunca chega lá!

Não desista! O ano ainda não acabou!
Dá sim pra gerar mudanças!
Dá sim pra terminar o ano bem melhor!
Confie em você! Comece agora!

Bora?! 🌿💚🍃

Última chamada!!!! Projeto verão 2019....

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festas de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2019 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitos alimentares, seja no seu corpo.

Conte com nossos Programas Exclusivos para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.

Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso dia 15/12 e retomamos nossas atividades na segunda semana de janeiro. Então não perca tempo e não faça da melhoria de hábitos alimentares, mais uma promessa de ano novo! Aproveite para agendar sua consulta e garanta seu Plano Alimentar para finalizar bem o ano e iniciar o ano novo com o pé direito!

Alimentos x Herpes

Um questionamento que faz parte da minha consulta é: “você tem herpes?” Muitas vezes isso gera estranheza! 🤔O que isso tem a ver com a alimentação? Muita coisa!! . . Por exemplo, a arginina, é um aminoácido que estimula a replicação do vírus e aumenta a frequência das crises. Alguns alimentos fonte de arginina: castanhas 🌰 aveia, granola, gérmen de trigo 🌾 amendoim 🥜 chocolate 🍫 coco 🥥milho 🌽 uva 🍇 trigo 🌾  MAS, a noz pecã e o pistache são nuts com uma menor quantidade de arginina. Então se você, assim como eu, possui o vírus e quer deixar ele quieto, mas adora a praticidade das castanhas, elas são as melhores opções! . Logicamente, se o consumo for pontual e sem excessos, você pode se dar bem com as castanhas e elas não serem gatilhos para crises! . . A lisina, que também é um aminoácido, ajuda a conter a replicação do vírus antes da lesão se manifestar na pele. A lisina é importante porque inibe a ação da arginina, evitando a replicação do vírus da herpes.  A lisina está p…