Pular para o conteúdo principal

Deficiência de vitamina A deve ser resolvida pela alimentação...



Pesquisas sobre a deficiência de vitamina A geralmente são focadas em bebês e crianças com menos de cinco anos de idade, sendo muito associada ao desmame precoce.

Mas um novo estudo, que acompanhou quase 2.800 crianças com idades entre 5 e 12 anos, constatou que as crianças com menos vitamina A (retinol) no sangue têm maior incidência de diarreia com vômitos e tosse com febre.

"Estudos com crianças mais velhas têm incluído uma variedade de micronutrientes administrados juntos, mas nenhum estudo tinha estimado apenas o papel potencial da vitamina A neste grupo etário," disse Eduardo Villamor, da Universidade de Michigan (EUA), orientador do estudo.

A equipe também mediu os níveis de outros micronutrientes que são importantes para o
sistema imunológico, incluindo zinco, ferro, ácido fólico e vitamina B12 - mas apenas a vitamina A estava relacionada às doenças.

"A associação que encontramos com a vitamina A seguiu um padrão de dose-resposta, em que maiores concentrações de retinol no sangue estavam relacionadas com menos sintomas," disse Villamor.

Especificamente, eles calcularam que, para cada 10 microgramas por decilitro de retinol presente no sangue, as crianças experimentaram 18% menos dias com diarreia e vômitos, 10% dias com tosse e febre e 6% menos visitas ao médico.

A conclusão do estudo, publicado The Journal of Nutrition, é que a deficiência de vitamina A deixa as crianças mais propensas a ficar doentes com problemas respiratórios e gastrointestinais.

Alimentos, não suplementos

Por outro lado, os estudos têm mostrado que a prescrição de vitamina A na forma de suplementos para crianças não gera resultados consistentes.

"Os efeitos dos micronutrientes, incluindo o retinol, podem variar em diferentes configurações devido ao estado nutricional subjacente da população, aos padrões epidemiológicos dos microrganismos que causam a doença - seja viral, bacteriana ou parasitária - à idade e, possivelmente, ao sexo das crianças e a outros fatores. Definitivamente, é incerto se a suplementação seria a única solução para tudo," disse Villamor.

Assim, o que parece mais adequado é cuidar da alimentação das crianças.

Os alimentos ricos em vitamina A incluem, entre muitos outros, abacate, abóbora, brócolis, cenoura, leite, mamão, manteiga, maçã, agrião e tomate.

Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Ainda dá tempo!

Bom dia, segunda! ☀️

Mais uma oportunidade de fazermos uma semana diferente!
Mais uma chance de recomeçar!
Quem não recomeça depois do tropeço, nunca chega lá!

Não desista! O ano ainda não acabou!
Dá sim pra gerar mudanças!
Dá sim pra terminar o ano bem melhor!
Confie em você! Comece agora!

Bora?! 🌿💚🍃

Última chamada!!!! Projeto verão 2019....

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festas de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2019 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitos alimentares, seja no seu corpo.

Conte com nossos Programas Exclusivos para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.

Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso dia 15/12 e retomamos nossas atividades na segunda semana de janeiro. Então não perca tempo e não faça da melhoria de hábitos alimentares, mais uma promessa de ano novo! Aproveite para agendar sua consulta e garanta seu Plano Alimentar para finalizar bem o ano e iniciar o ano novo com o pé direito!

Alimentos x Herpes

Um questionamento que faz parte da minha consulta é: “você tem herpes?” Muitas vezes isso gera estranheza! 🤔O que isso tem a ver com a alimentação? Muita coisa!! . . Por exemplo, a arginina, é um aminoácido que estimula a replicação do vírus e aumenta a frequência das crises. Alguns alimentos fonte de arginina: castanhas 🌰 aveia, granola, gérmen de trigo 🌾 amendoim 🥜 chocolate 🍫 coco 🥥milho 🌽 uva 🍇 trigo 🌾  MAS, a noz pecã e o pistache são nuts com uma menor quantidade de arginina. Então se você, assim como eu, possui o vírus e quer deixar ele quieto, mas adora a praticidade das castanhas, elas são as melhores opções! . Logicamente, se o consumo for pontual e sem excessos, você pode se dar bem com as castanhas e elas não serem gatilhos para crises! . . A lisina, que também é um aminoácido, ajuda a conter a replicação do vírus antes da lesão se manifestar na pele. A lisina é importante porque inibe a ação da arginina, evitando a replicação do vírus da herpes.  A lisina está p…