Pular para o conteúdo principal

Iogurte protege contra metais tóxicos na gravidez...



Um iogurte probiótico reduziu a absorção de metais pesados e toxinas ambientais em até 78% em mulheres grávidas.

Esta é a primeira prova clínica de que um alimento probiótico pode ser utilizado para reduzir os riscos à saúde associados com metais pesados.

Toxinas ambientais - como o mercúrio e o arsênio - podem ser encontrados na água e nos alimentos, especialmente em peixes, com níveis particularmente elevados em áreas onde a mineração e a agricultura são predominantes.

Mesmo em níveis baixos, a exposição crônica a metais pesados tem sido associada a certos tipos de câncer e retardo no desenvolvimento neurológico e cognitivo em crianças.

Bactérias do bem

Algumas pesquisas iniciais deram indícios de que bactérias que ocorrem naturalmente no corpo podem influenciar os níveis de metais tóxicos absorvidos.

Por isso o Dr. Gregor Reid e seus colegas do Instituto de Pesquisa de Saúde Lawson (Canadá), quiseram testar o iogurte probiótico em regiões de mineração, onde os níveis de metais pesados eram elevados. Eles fizeram isto no Canadá e na Tanzânia.

Segundo o Dr. Reid, 15% das mulheres em idade reprodutiva no Canadá - umpaís com grande histórico de exploração mineral, como algumas regiões do Brasil - possuem níveis de mercúrio que apresentam um alto risco de alterações neurológicas do desenvolvimento em seus filhos.

Probiótico contra metais pesados

Para tentar minimizar o problema, o pesquisador utilizou o Lactobacillus rhamnosus GR-1, uma cepa probiótica que já é utilizada com segurança e eficácia em iogurtes, com benefícios imunológicos atestados.

Depois de consumir o iogurte suplementado com probióticos, as crianças mostraram resultados positivos, embora estatisticamente não conclusivos.

As mulheres grávidas, contudo, apresentaram resultados marcantes: o iogurte probiótico protegeu-as da absorção de mercúrio em até 36%, e do arsênio em até 78%.

"Os resultados são entusiasmantes por muitas razões," disse o Dr. Reid. "Primeiro, eles mostram que um alimento fermentado simples, facilmente feito por comunidades carentes de recursos, pode proporcionar benefícios, além de nutrição e imunidade. Segundo, os resultados são relevantes para muitas partes do mundo, incluindo o Canadá, onde a exposição a estas toxinas ocorre diariamente. Finalmente, confirmam a necessidade de dar mais atenção a estas toxinas, especialmente em crianças e mulheres grávidas."

Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Ainda dá tempo!

Bom dia, segunda! ☀️

Mais uma oportunidade de fazermos uma semana diferente!
Mais uma chance de recomeçar!
Quem não recomeça depois do tropeço, nunca chega lá!

Não desista! O ano ainda não acabou!
Dá sim pra gerar mudanças!
Dá sim pra terminar o ano bem melhor!
Confie em você! Comece agora!

Bora?! 🌿💚🍃

Última chamada!!!! Projeto verão 2019....

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festas de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2019 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitos alimentares, seja no seu corpo.

Conte com nossos Programas Exclusivos para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.

Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso dia 15/12 e retomamos nossas atividades na segunda semana de janeiro. Então não perca tempo e não faça da melhoria de hábitos alimentares, mais uma promessa de ano novo! Aproveite para agendar sua consulta e garanta seu Plano Alimentar para finalizar bem o ano e iniciar o ano novo com o pé direito!

Alimentos x Herpes

Um questionamento que faz parte da minha consulta é: “você tem herpes?” Muitas vezes isso gera estranheza! 🤔O que isso tem a ver com a alimentação? Muita coisa!! . . Por exemplo, a arginina, é um aminoácido que estimula a replicação do vírus e aumenta a frequência das crises. Alguns alimentos fonte de arginina: castanhas 🌰 aveia, granola, gérmen de trigo 🌾 amendoim 🥜 chocolate 🍫 coco 🥥milho 🌽 uva 🍇 trigo 🌾  MAS, a noz pecã e o pistache são nuts com uma menor quantidade de arginina. Então se você, assim como eu, possui o vírus e quer deixar ele quieto, mas adora a praticidade das castanhas, elas são as melhores opções! . Logicamente, se o consumo for pontual e sem excessos, você pode se dar bem com as castanhas e elas não serem gatilhos para crises! . . A lisina, que também é um aminoácido, ajuda a conter a replicação do vírus antes da lesão se manifestar na pele. A lisina é importante porque inibe a ação da arginina, evitando a replicação do vírus da herpes.  A lisina está p…