14 de janeiro de 2015

Seis alimentos que podem sumir com o aquecimento global...


Milho

O aumento global da temperatura em apenas 1 grau Celsius já diminuiria a taxa de cultivo do milho em 7%. Em muitos países, uma grande quantidade do alimento é destinada para o gado; por isso, diminuir o abastecimento para a pecuária aumentaria o preço da carne.

Feijão

Temperaturas altas reduzem em até 25% a produção de sementes de feijão. Em regiões onde aumentará a pluviosidade, as tempestades e enchentes devem destruir os cultivos.

Chocolate

Grãos de cacau, a matéria-prima no chocolate, vão se tornar menos abundantes nas próximas décadas devido ao aumento da temperatura e à queda no abastecimento de água. Este aquecimento aumenta a "evapotranspiração" nas árvores de cacau, fazendo com que percam mais água para o ar e reduzindo o seu rendimento.

Frutos do mar

A acidificação dos oceanos, uma consequência do aumento dos níveis de CO2 nestes ecossistemas, ameaça uma gama de criaturas comestíveis, como as conchas e outros organismos calcificados. A adaptação dos peixes ao aquecimento global é lenta e pode levar ao colapso de várias espécies.

Café

O aquecimento global contribuiu para a multiplicação de espécies invasores nas plantações de café. Além disso, a grave seca no Brasil fez os preços subirem rapidamente. Na África, o número de regiões adequadas para o cultivo de café pode cair de 65% a 100%, com o aumento da temperatura global.

Cereja

Frutas com caroço, especialmente cerejas, precisam de horas de frio para dar frutos. O aquecimento global, então, prejudica o seu cultivo. Somente no estado americano do Michigan, em 2012, a produção de cereja diminuiu 90%, com as temperaturas mais altas.

Fonte: O Globo