Pular para o conteúdo principal

Comer demais afeta genes ligados ao câncer...



Enquanto comer menos calorias faz viver mais, a ingestão excessiva de alimentos - cuja face mais visível é a obesidade - está ligada a uma série de problemas de saúde.

Mas ainda é necessário descobrir os mecanismos pelos quais o excesso de nutrientes causa esses problemas de saúde.

Agora, Nabil Djouder e seus colegas do Centro Nacional de Pesquisa do Câncer (Espanha) descobriram um desses mecanismos.

Danos por comer demais

O excesso de nutrientes - o resultado de comer além das necessidades calóricas do organismo - ativa uma proteína que é alterada no câncer, no diabetes e em desordens associadas com o envelhecimento.

A mTOR (sigla em inglês para "alvo da rapamicina em mamíferos") é uma proteína - ou um gene, como é comumente chamada - que é alterada em doenças humanas como o câncer e o diabetes, em processos associados com o envelhecimento, assim como em certas patologias cardiovasculares e neurodegenerativas.

O que Djouder descobriu agora é que, em resposta a um excesso de nutrientes ingeridos pela alimentação, uma outra proteína - outro gene - chamada MCRS1 age como um "interruptor" que aciona a mTOR, ativando todos os danos que podem ser conduzidos por seu intermédio.

"Embora em nosso estudo tenhamos publicado resultados obtidos a partir de amostras de câncer colorretal, também estamos estudando a relação entre esta proteína e doenças do fígado, o órgão metabólica primário," explicou Djouder.

Proteína mTOR

Sob condições normais, a mTOR regula funções celulares essenciais, tais como a síntese de proteínas e o crescimento celular.

No entanto, uma hiperestimulação da mTOR em resposta aos nutrientes e a fatores de crescimento - processos metabólicos que são cruciais na biologia dos tumores - leva a um aumento do crescimento e da proliferação celular.

O que se sabe agora é que é a proteína MCRS1 - uma proteína associada com a regulação de genes e processos de morte celular - que ativa a mTOR e, assim, estimula a proliferação das células.

A boa notícia é que o oposto também poderá ser verdadeiro, ou seja, o bloqueio desta proteína poderá vir a se tornar um tratamento eficaz para o câncer e todas as demais doenças e condições associadas com alterações da mTOR, desde que seja possível "desligar esse interruptor".

Excesso de ingestão calórica

A incidência de câncer e outras doenças relacionadas aumentou consideravelmente nas sociedades ocidentais nas últimas décadas. Isto é, em grande parte, atribuído a um aumento da ingestão calórica e um estilo de vida mais sedentário.

Assim, desvendar os processos celulares que agem em resposta a um excesso de nutrientes pode contribuir para uma melhor compreensão da biologia do câncer, além de ajudar no enfrentamento dos desafios impostos pelo sobrepeso e pela obesidade.

Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Ainda dá tempo!

Bom dia, segunda! ☀️

Mais uma oportunidade de fazermos uma semana diferente!
Mais uma chance de recomeçar!
Quem não recomeça depois do tropeço, nunca chega lá!

Não desista! O ano ainda não acabou!
Dá sim pra gerar mudanças!
Dá sim pra terminar o ano bem melhor!
Confie em você! Comece agora!

Bora?! 🌿💚🍃

Última chamada!!!! Projeto verão 2019....

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festas de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2019 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitos alimentares, seja no seu corpo.

Conte com nossos Programas Exclusivos para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.

Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso dia 15/12 e retomamos nossas atividades na segunda semana de janeiro. Então não perca tempo e não faça da melhoria de hábitos alimentares, mais uma promessa de ano novo! Aproveite para agendar sua consulta e garanta seu Plano Alimentar para finalizar bem o ano e iniciar o ano novo com o pé direito!

Alimentos x Herpes

Um questionamento que faz parte da minha consulta é: “você tem herpes?” Muitas vezes isso gera estranheza! 🤔O que isso tem a ver com a alimentação? Muita coisa!! . . Por exemplo, a arginina, é um aminoácido que estimula a replicação do vírus e aumenta a frequência das crises. Alguns alimentos fonte de arginina: castanhas 🌰 aveia, granola, gérmen de trigo 🌾 amendoim 🥜 chocolate 🍫 coco 🥥milho 🌽 uva 🍇 trigo 🌾  MAS, a noz pecã e o pistache são nuts com uma menor quantidade de arginina. Então se você, assim como eu, possui o vírus e quer deixar ele quieto, mas adora a praticidade das castanhas, elas são as melhores opções! . Logicamente, se o consumo for pontual e sem excessos, você pode se dar bem com as castanhas e elas não serem gatilhos para crises! . . A lisina, que também é um aminoácido, ajuda a conter a replicação do vírus antes da lesão se manifestar na pele. A lisina é importante porque inibe a ação da arginina, evitando a replicação do vírus da herpes.  A lisina está p…