24 de junho de 2015

Óleo substitui gordura saturada em biscoitos...



Pesquisadores da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) desenvolveram um processo para produção de gorduras com baixo teor de ácidos graxos saturados que pode ser aplicado para diversos fins na indústria de alimentos.

O principal diferencial deste processo é a possibilidade de obtenção de uma gordura com baixo teor de ácidos graxos saturados, mas que tem características químicas de um óleo. Ou seja, a matéria-prima se comporta como uma gordura, mesmo sendo um óleo.

A tecnologia permite a substituição parcial da gordura saturada nos alimentos industrializados e que, em função de sua textura, exige alto grau de saturação dos ácidos graxos.

Já em processo de licenciamento para a indústria, a expectativa é que a nova técnica permita a produção de recheios de bolachas, biscoitos, bolos e sorvetes, entre outros, mais saudáveis.

"Com esse know-how, é possível obter uma gordura com baixo teor saturado e a empresa licenciada pode escolher o tipo de aplicação que lhe convier", afirma a professora Lireny Aparecida Gonçalves, que desenvolveu a tecnologia juntamente com seu colega Renato Grimaldi.

Rotulagem de produtos alimentícios

O processo, que se baseia na cristalização de gordura, permite benefícios à saúde, uma vez que ele possibilita a substituição das gorduras trans - que, se consumidas em demasia, podem elevar o colesterol e levar à obesidade - pela gordura com baixo teor saturado na fabricação de alimentos industrializados.

Um dos impulsos para o desenvolvimento do novo ingrediente foi a resolução 54/12 da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que versa sobre a rotulagem de produtos alimentícios e que determinou que, desde 1º de janeiro de 2014, houvesse uma readequação dos critérios para produtos com baixos teores de gordura e que não contêm gordura trans, com o intuito de estimular a reformulação e a busca por produtos industrializados menos danosos à saúde.

Fonte: Diário da Saúde