Pular para o conteúdo principal

Gordura corporal envia mensagens para o cérebro...



Os efeitos da atuação do cérebro sobre outras partes do corpo são bastante óbvios.

Mas parece que esta é uma via de mão dupla.

Pesquisadores descobriram que a gordura corporal envia um sinal que afeta a maneira como o cérebro lida com o estresse e o metabolismo.

Embora a natureza exata desse sinal ainda dependa de mais estudos para ser desvendada, os pesquisadores afirmam que o simples fato de saber que essa rota existe poderá ajudar a quebrar um ciclo vicioso envolvendo estresse, alimentação e obesidade.

O estresse provoca o desejo de comer mais, o que pode levar à obesidade. E muita gordura extra pode prejudicar a capacidade do corpo de enviar um sinal para o cérebro para desligar a resposta ao estresse e eliminar o desejo de comer ainda mais.

Comunicação gordura-cérebro

Os resultados revelaram uma "rede de feedback" da gordura corporal para o cérebro: um receptor glicocorticoide no tecido adiposo afeta a maneira como o cérebro controla o estresse e o metabolismo.

Como a sinalização glicocorticoide é crucial para a regulação do eixo hipotálamo-hipófise-supra-renais, o tecido adiposo pode afetar diretamente as funções do sistema nervoso central que conectam obesidade, doença metabólica e problemas relacionados ao estresse.

Regulação do estresse

A descoberta é importante porque mostra que não é simplesmente o cérebro que comanda a forma como o corpo responde ao estresse, argumenta o professor James Herman, da Universidade de Cincinnati (EUA), cuja equipe publicou os resultados na revista Psychoneuroendocrinology.

"Ela mudou a nossa compreensão do controle do estresse, incluindo outras partes do corpo. Antes disso, todos pensavam que a regulação do estresse era coisa essencialmente do cérebro. Ela não ocorre apenas no cérebro. Este estudo sugere que a regulação do estresse ocorre em uma escala muito maior, incluindo os sistemas do corpo que controlam o metabolismo, como a gordura," disse Herman.

Agora a equipe pretende desvendar a natureza exata dessa rota de sinalização, de forma a interrompê-la para quebrar o ciclo vicioso estresse-comer mais-obesidade.

Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Protocolo de Limpeza Intestinal...

O Protocolo de Limpeza Intestinal, é um manejo nutricional para a Modulação Intestinal e seu objetivo é promover injúria bacteriana. Ou seja, morte das bactérias por falta de nutrientes. A falta de proteína durante os 3 dias iniciais gera injúria nas proteobactérias, que não conseguem se multiplicar, tratando a SIBO e disbiose. 
É uma estratégia para equilibrar a microbiota intestinal criada pelo professor Murilo Pereira que colocou um propósito em cada alimento e suplemento incluído, lindo demais! Aprendemos na formação em Modulação Intestinal. Ela promove uma limpeza de intestino delgado e grosso, ao contrário do uso de laxantes por exemplo que limpa apenas o intestino grosso.
O manejo nutricional dura 15 dias, sendo os 3 primeiros os mais importantes e com maior restrição. Nestes dias, além da alimentação, a suplementação para Modulação da microbiota vai variar de acordo com cada paciente, se ele tem Resistência á Insulina ou Síndrome do Ovário Policístico, Síndrome do Intestino I…

Sorbet de frutas congeladas....

Esse calor de matar pede um sorvete !
Que tal fazer em casa uma versão saudável pra matar a vontade? Claro que um sorvete cheio de açúcar tem seu lugar e hora! Kkk Mas é preciso também ter estratégias para ter este prazer com mais frequência, por que não? .
Tenha sempre frutas congeladas! Este aí fiz de banana  e morango  e nada mais! Congele a banana bem madura, assim vai estar mais adocicada! Bata no liquidificador ou processador até ficar homogêneo. Aproveite!

Segundo estudo, consumo de refrigerante aumenta o risco de mortalidade...

Um estudo de coorte conduzido com 450.000 pessoas de 10 países da Europa entre janeiro de 1992 e dezembro de 2000 acabou de ser publicado no JAMA e concluiu que o consumo de 2 copos de refrigerante 🥤 diariamente com açúcar ou adoçante artificial aumenta o risco de mortalidade por várias causas!
O estudo verificou que as principais causas de morte encontradas foram por problemas circulatórios e doenças do trato digestivo.