18 de novembro de 2015

Conheça os efeitos da água com gás no seu corpo....



Você costuma beber água com gás? Pois saiba que, apesar da aparência saudável, pode causar alguns prejuízos, como danificar os dentes, inchar a barriga e potencializar o refluxo gastroesofágico. Também deixa a pessoa com mais sede! Confira detalhes listados pelo jornal Daily Mail:

Dentes

O dióxido de carbono, o gás usado para criar as bolhas na água, também cria ácido carbônico quando dissolvido em água, que é o que dá à bebida o sabor refrescante levemente ácido. “Embora a acidez de algumas águas gaseificadas possa ser equilibrada pelo seu conteúdo mineral natural, o pH da maioria pode ser baixo o suficiente para amolecer o esmalte do dente e deixá-lo vulnerável a danos, especialmente se você saboreá-las com frequência ao longo do dia”, disse a higienista dental Elaine Tilling, chefe da clínica de educação para especialista em higiene oral TePe.

Se você tem o costume de adicionar fatias de frutas ácidas, como limão e lima, a situação só piora. “A erosão gradual do esmalte protetor dos dentes por alimentos e bebidas ácidas pode eventualmente deixar a dentina (que fica abaixo do esmalte) exposta, resultando em dor e sensibilidade”, comentou Elaine.

“Para reduzir a potencial erosão ácida da água com gás, sugiro que as pessoas a bebam só na hora das refeições. Beber regularmente ao longo do dia não dá à saliva uma chance para neutralizar o ácido”, afirmou Elaine. Portanto, nada de apostar em água gaseificada ao longo da noite. Outras dicas são ingeri-la por meio de um canudo, minimizando o contato com os dentes, e escovar os dentes apenas 40 minutos depois, para permitir que a saliva faça com que o esmalte endureça novamente.

Sal

Algumas águas com gás podem conter quantidades significativas de sal (geralmente rotulado como sódio). Muito sal na dieta está ligado ao aumento da pressão arterial, o que pode contribuir para doenças cardíacas. “O sódio é encontrado em muitos alimentos e bebidas, e pequenas quantidades podem resultar em até uma quantidade significativa ao longo de um dia”, explicou a nutricionista Katherine Jenner.

O sal também deixa as pessoas mais sedentas. Assim, se consome água que tem um conteúdo significativo de sal, vai ficar com mais sede do que se bebesse a natural, bebendo mais dela e aumentando a ingestão de sal. Para manter o consumo de sal sob controle, vale a pena comparar rótulos de água com gás e escolher aquela com o menor teor de sódio ou simplesmente apostar nos benefícios da água natural.

Bolhas

A carbonatação pode criar gás extra em seu sistema digestivo, o que pode agravar arrotos, inchaço abdominal e flatulência, como informou o gastroenterologista Simon Anderson, do Hospital London Bridge, Inglaterra. “Isso pode ser particularmente desconfortável, até mesmo doloroso, para pessoas que sofrem de síndrome do intestino irritável, cujos sintomas incluem inchaço, dor abdominal, constipação e diarreia”, completou.

Embora os efeitos gasosos de beber água com gás são sempre temporários, provavelmente seja melhor ficar longe dela se quer uma barriga lisa ou sofre de síndrome do intestino irritável.

Refluxo


O refluxo gastroesofágico acontece quando o anel de músculo entre o estômago e o esôfago, conhecido como o esfíncter esofágico, permite que o conteúdo ácido do estômago vá para o esôfago, criando uma sensação dolorosa no peito e estômago. “Beber água gaseificada ou qualquer bebida com gás pode criar uma pressão extra no estômago, aumentando as chances de que ele regurgite seu conteúdo para cima se você tem uma predisposição para esse problema”, explicou o gastroenterologista Anderson. Então, se você é propenso a refluxo, é melhor apostar na água natural.

Açúcar

Algumas águas gaseificadas aromatizadas contêm quase tanto açúcar quanto um refrigerante do tipo cola. Um estudo de 2012 realizado na Universidade de Bangor, no País de Gales, mostrou que beber apenas dois copos de bebidas gasosas com açúcar por dia influencia na percepção de sabores doces das pessoas e as deixa com mais vontade de consumir açúcar. “O efeito ácido criado pelo dióxido de carbono na água aumenta as nossas respostas a outros sabores, como o açúcar. Embora o próprio açúcar possa criar o desejo, a acidez da bebida aumenta a nossa percepção do sabor”, explicou o cientista Hans-Peter Kubis.

Parece também que a bebida muda a forma como os músculos usam o alimento como combustível, treinando-os a “escolher” queimar açúcares antes de gorduras, o que pode reduzir a capacidade de queimar gorduras em longo prazo.

Fonte: Terra