27 de fevereiro de 2015

Refrigerantes podem causar puberdade precoce nas meninas....



Meninas que tomam muitas bebidas açucaradas - tipicamente refrigerantes - começam a menstruar mais cedo do que as meninas que consomem menos dessas bebidas.

Essa é a conclusão de um novo estudo feito por pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA) e publicado na revista Human Reproduction.

A equipe concluiu que o consumo de refrigerantes está de alguma forma ligado ao início da puberdade, embora os mecanismos de atuação ainda não estejam bem definidos - o dedo da suspeita aponta para a sacarose.

A associação entre grande ingestão de refrigerantes e menarca se manteve mesmo depois que os resultados levaram em conta o peso e a altura das meninas.

Puberdade precoce

As meninas geralmente entram na puberdade entre os 8 e 14 anos, embora algumas comecem mais cedo. Um estudo de 2010 mostrou que 10% das crianças brancas de 7 anos apresentaram o desenvolvimento das mamas consistente com o início da puberdade; o dobro do que em 1997.

A puberdade precoce pode ser psicologicamente traumática para as meninas se elas estiverem se desenvolvendo mais rápido do que suas colegas.

Há também alguns indícios preliminares associando a puberdade precoce com o aumento do risco de câncer de mama. No entanto, não há atualmente nenhuma evidência ligando o consumo de bebidas açucaradas na infância ao câncer de mama na vida adulta.

Refrigerantes e puberdade precoce

O que está levando ao início mais precoce da puberdade nas meninas ainda não é claro. Muitas das mudanças que as meninas experimentam na puberdade são impulsionadas pelo hormônio estrogênio. A exposição a xampus contendo estrogênio e outros produtos químicos que imitam os efeitos do hormônio - incluindo aqueles encontrados em alguns plásticos - têm sido responsabilizados.

Outros estudos suspeitam que o aumento das taxas de obesidade infantil seja o culpado, porque a gordura corporal pode produzir estrogênio.

O novo estudo constatou que meninas que bebem mais de 1,5 copo de bebida adocicada industrializada por dia começaram seus períodos 2,7 meses mais cedo, em média, do que as meninas que consumiram essas quantidades duas vezes por semana ou menos.

O resultado não se aplicou ao suco de frutas, que contém um açúcar chamado frutose, mantendo-se válido apenas para bebidas adoçadas com sacarose.

Fonte: Diário da Saúde

25 de fevereiro de 2015

Nozes melhoram memória, concentração e raciocínio...


Comer nozes pode melhorar seu desempenho em exames que avaliem suas funções cognitivas, incluindo testes de memória, concentração e velocidade de processamento de informações.

A conclusão entusiasmante foi anunciada pela equipe da Dra Lenore Arab, da Universidade da Califórnia (EUA), em um artigo publicado no The Journal of Nutrition, Health & Aging.

A função cognitiva, avaliada mediante uma série de seis testes, foi consistentemente maior em participantes adultos que consumiram nozes, independentemente da idade, do sexo ou da etnia.

"É emocionante ver a força da evidência a partir desta análise em toda a população dos Estados Unidos, confirmando os resultados anteriores de estudos em animais, que têm mostrado o benefício neuroprotetor de comer nozes; e é uma quantidade realista - menos de um punhado por dia (13 gramas)," disse a Dra Arab.

Benefícios das nozes

O estudo soma-se a um crescente conjunto de resultados sobre os efeitos positivos das nozes para a saúde, particularmente na redução do comprometimento cognitivo e da saúde do cérebro em geral, incluindo os efeitos benéficos de retardar ou impedir a progressão da doença de Alzheimer, também já confirmados em modelos animais e em humanos.

Há vários ingredientes ativos nas nozes que podem ser responsáveis por proteger a função cognitiva. Isto inclui o alto teor de antioxidantes, a combinação de várias vitaminas e minerais, bem como o fato de que as nozes são a única castanha que contém uma fonte significativa de ácido alfa-linolênico (ALA), um ácido graxo de base vegetal da família do ômega-3 com conhecidos benefícios à saúde do coração e do cérebro.

"Não é todo dia que as conclusões de um estudo resultam em um conselho tão simples - comer um punhado de nozes por dia, como um lanche ou como parte de uma refeição - pode ajudar a melhorar a sua saúde cognitiva," concluiu a Dr. Arab.

As nozes são consideradas as frutas oleaginosas mais saudáveis e, além dos benefícios mentais, já estão documentados seus benefícios sobre a qualidade do esperma e seus efeitos protetores contra o câncer de próstata.

Fonte: Diário da Saúde

23 de fevereiro de 2015

Healthy Monday...


SEGUNDA-SAUDÁVEL......

O ano parece que vai começar, afinal de contas o carnaval acabou, então...vamos começar a colocar em prática nossos objetivos e metas para este ano.....

O início do ano foi agitado e já que estamos recomeçando por aqui, que tal você recomeçar aí? Isso mesmo, recoloque suas metas e objetivos que foram estabelecidos no final do ano e que ainda não foram realizadas, arrume tempo e força de vontade para colocá-los em prática. 

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !!!

20 de fevereiro de 2015

Abacate reduz colesterol mais que dieta...



Acrescentar um abacate à sua dieta diária pode ajudar a diminuir o colesterol ruim, por sua vez reduzindo o risco de doenças cardíacas.

Quem garante é Penny Kris-Etherton e seus colegas da Universidade da Pensilvânia (EUA), em um artigo publicado no Journal of the American Heart Association.

Abacates Hass

Abacates são bem conhecidos como um alimento rico em nutrientes e em ácidos graxos monoinsaturados.

"Incluir um abacate por dia como parte de uma dieta com teores moderados de gordura, em comparação com a mesma dieta sem o abacate, aumenta os efeitos de redução do LDL (lipoproteínas de baixa densidade), com benefícios para os riscos de doenças cardiovasculares," resume a Dra. Penny.

Ela e seus colegas na verdade testaram três dietas diferentes, todas concebidas para reduzir o colesterol: uma dieta com baixos teores de gorduras, composta por 24% de gordura, e duas dietas com teores moderados (34%) de gordura.

As dietas mais ricas em gordura eram quase idênticas, mas uma delas incluía um abacate Hass por dia, enquanto a outra usava uma quantidade comparável de óleos com elevados teores de ácido oleico - como o azeite - equivalentes ao teor de ácidos graxos presentes no abacate.

Abacates Hass são a variedade menor, de casca mais escura e irregular. Eles têm um maior teor de nutrientes do que os abacates comuns, que são maiores, têm a casa lisa e um teor de água mais elevado.

Gorduras saudáveis

Em comparação com voluntários de controle - sem nenhuma dieta - todas as três dietas reduziram significativamente o LDL - também conhecido como colesterol ruim -, bem como o colesterol total. Todos os participantes seguiram cada uma das três dietas durante cinco semanas.

No entanto, os participantes que incluíram o abacate na dieta tiveram uma redução ainda maior nos níveis de LDL e colesterol total, em comparação com as outras duas dietas.

A dieta com o abacate Hass diminuiu o colesterol ruim em 13,5 mg/dL, a outra dieta com gordura moderada em 8,3 mg/dL e a dieta com baixos teores de gordura em 7,4 mg/dL.

"Este foi um estudo de alimentação controlado, mas isso não é o mundo real - por isso é mais uma pesquisa de prova-de-conceito," reconhece a Dra Penny. "Nós precisamos nos concentrar em fazer as pessoas comerem uma dieta saudável, que inclua abacates e outros alimentos com gorduras melhores."

Fonte: Diário da Saúde

18 de fevereiro de 2015

Dicas para uma Desintoxicação Pós-Carnaval...



A folia acabou! Não dizem por aí que o ano começa após o carnaval? Pois é, se 2015 para você começa agora após os excessos do carnaval, nada melhor que começar o ano com o pé direito e com o corpo limpinho, desintoxicado de tanta bebida alcoólica e alimentos e hábitos nada saudáveis.

Vamos às dicas para você desintoxicar seu organismo:

- Beba muita, muita, MUITA ÁGUA, principalmente se extrapolou a dose no álcool. Lembre-se a maior parte do seu organismo é constituída de água, se faltar, nada funciona como deveria.

- Tome chá verde, um excelente diurético e desintoxicante vai te auxiliar a eliminar aquele inchaço indesejado. Não gosta do sabor? Adicione fatias de limão, laranja, hortelã, capim cidreira para saborizá-lo. Outros chás com poder diurético são: alecrim, salsaparrilha e hortelã, mas o chá verde possui muitas propriedades benéficas além da desintoxicação, então seu consumo é importante.

- Nesta semana procure fazer refeições leves com ingredientes naturais para colocar seu metabolismo em dia. Aposte em sopas bem coloridas e que não sejam industrializadas. Faça saladas com uma boa variedade de legumes e verduras para repor vitaminas e minerais ao seu organismo. Carnes magras e grelhadas são uma boa pedida e nada de frituras e carnes gordurosas.

- Aposte no arroz integral, se não tem hábito de consumir os alimentos integrais é uma boa hora para iniciar seu consumo. Além de proporcionar mais saciedade por seu índice glicêmico ser menor, sendo um grande aliado no processo de emagrecimento, de brinde você leva mais nutrientes.

- Abuse das frutas! Com certeza você deve ser daqueles que come 1 fruta ao dia ou 1 por semana. Nada disso! Tente criar o hábito de consumir no mínimo 3 frutas ao dia. A dica que sempre dou ao meus clientes é fazer uma super salada de frutas, mas não aquela tradicional que só vai banana, maçã e mamão. Coloque laranja, kiwi, melão, pêra, maçã, manga, mamão, pique tudo e coloque na geladeira e vá servindo as porções nos lanches, café-da-manhã e leve com você uma porção para o trabalho, além de ser muito mais gostoso que uma fruta só você acaba ingerindo diversas vitaminas de uma vez só.

- Determine horários para as suas refeições. Eu sei que muitas vezes é difícil pela rotina de trabalho, etc, mas procure estabelecer horários para as refeições. Nosso corpo gosta de disciplina e estabelecer esta rotina alimentar evita que você fique beliscando, exagere nas refeições ou coma alimentos que não deve, como por exemplo alimentos fritos ou fast food.

- Se não consegue sozinho, procure ajuda! Tem pessoas que são bem organizadas e conseguem se disciplinar nas refeições, o que não é garantia de estar se alimentando corretamente, mas já é um começo. Acredito que é sempre interessante procurar um profissional para trocar uma ideia sobre seus hábitos alimentares. Muitas vezes as mudanças não são grandes, mas fazem toda diferença. E muitas vezes as mudanças precisam ser drásticas e por isso o suporte técnico de um profissional é importante para que você não desista no meio do caminho já que conseguimos buscar alternativas aos obstáculos.

- E por fim, mas não menos importante, é preciso enraizar o hábito do exercício físico, que além de melhorar a circulação, evitando retenção de líquidos, tem zilhões de benefícios, incluindo o emagrecimento e melhora da qualidade de vida.

Estas dicas são um incentivo para que você comece a colocar em prática suas resoluções de ano novo, e tenho certeza que melhorar seus hábitos alimentares, faz parte desta lista.

16 de fevereiro de 2015

Dicas para pular um carnaval saudável....



Carnaval é alegria, curtição e também ficar horas e horas pulando, suando, desidratando. Por isso é muito, muito importante jamais esquecer da hidratação, principalmente para aqueles que curtem as festas durante o dia ao ar livre naquele sol de rachar. Hidrate-se, tome água de coco e muita água para hidratar ainda mais se você estiver na companhia de bebidas alcoólicas, elas desidratam ainda mais, portanto, tome muita água intercalada com o álcool.

Independente do horário da sua festa, certeza é que você vai dançar, pular e não pode estar de estômago cheio, então nada de refeições pesadas antes de cair na folia. Prefira sanduíches integrais que vão te dar saciedade por um período maior, saladinha com grelhados, massas com molhos leves para dar energia para aguentar horas de folia.

De qualquer forma divirta-se, faça refeições leves, hidrate-se e não exagere nas bebidas alcoólicas!

9 de fevereiro de 2015

Chá para grávidas e bebês: pode ou não?


Há sempre muitas restrições alimentares nessas fases da vida. Será que os chás, considerados inocentes, podem ser consumidos por futuras mamães e por crianças pequenas?

Ele é conhecido como um santo remédio natural para diversos males. Todo mundo tem - ou teve - uma avó ou uma tia mais velha que sempre apelava para um chazinho milagroso quando os primeiros sintomas de um resfriado surgiam. Considerado uma verdadeira bênção pelo senso comum, capaz de proezas como acalmar nervosismo ou melhorar mal-estar digestivo, o chá pode não ser tão inofensivo assim em certas fases da vida. Durante a gravidez, é preciso cuidado na escolha da erva. Já para os bebês, o importante é respeitar o período de aleitamento materno exclusivo.

Plantinhas do bem e ervas do mal

"Muitas pessoas acreditam que tudo que é natural não faz mal, o que é um engano. Existem muitos venenos a base de plantas", diz a mestre e doutora em Ciências Biológicas e Farmacologia Ivani Manzzo, que também é especialista em qualidade de vida para gestantes e diretora da Meta & Soluções Sport Life Coaching, em São Paulo. De acordo com ela, algumas ervas são comprovadamente abortivas e, exatamente por terem essa propriedade perigosa, seus nomes não podem ser divulgados para a população, pois poderia haver uso indevido, com o objetivo de interrupção da gravidez. "O risco mais grave é de aborto, mas também podem causar alergias e tonturas. O conselho, então, é usar apenas chás tradicionais, que sabidamente fazem bem, como erva-doce, camomila e capim-limão", adverte Ivani.

Grávida, beba com moderação (e atenção)

Uma coisa é certa: quem usa o bom senso não corre nenhum perigo ao tomar seu chazinho durante a gravidez. Pelo contrário, a bebida quente é acolhedora e tomá-la é um jeito gostoso de se sentir revigorada, seja no meio do dia, seja antes de dormir. "De uma maneira geral, os chás são liberados para a gestante", garante João Leandro Matos, ginecologista e obstetra do Hospital Balbino, no Rio de Janeiro. "Porém, há as versões contraindicadas na gravidez, como a de canela, por exemplo, que pode provocar constrição sanguínea e contração dos músculos do útero", alerta o especialista.

Entre as plantas proibidas para gestantes por oferecerem riscos estão, ainda, segundo o médico, a rosa, a erva-de-bicho, a buchinha do norte e o confrei. Ervas que contêm muita cafeína ou aceleram o metabolismo devem ser evitadas. É o caso dos chás preto, verde, branco e mate. Por outro lado, plantas que comprovadamente não fazem mal, não apenas estão liberadas como podem ser bastante úteis na gravidez. "Os chás de camomila, colônia, erva-doce e valeriana podem ser usados em caso de ansiedade ou de dores leves. A camomila também é indicada contra enjoos e dores estomacais", diz Matos, que lembra que o obstetra sempre deve ser consultado se houver dúvidas ou se o incômodo for persistente.

Quando dar chá ao bebê

Quando o recém-nascido se contorce de cólicas, que mãe não pensa em acudi-lo com um chazinho de erva-doce? Antes de apelar para a chuquinha com a finalidade de acalmar o berreiro do seu pequenino, converse com o pediatra. "Quando o bebê recebe aleitamento materno exclusivo, recomendado até os 6 meses de idade, nada mais deve ser oferecido a ele. Além disso, não há qualquer comprovação de que os chás diminuem as cólicas", afirma Sylvio Renan Monteiro de Barros, pediatra de São Paulo.

Os chás, portanto, só deverão entrar em cena no momento em que o cardápio se tornar diversificado por ordem médica. "Quando o bebê recebe leite materno e outros alimentos, como frutas e sopinhas, líquidos devem ser oferecidos, principalmente nos períodos de muito calor ou de tempo seco, para se evitar desidratação", avisa o especialista. Porém, a bebida número 1 dos pequenos deve ser, simplesmente, água pura. Vez ou outra, você pode dar ao seu filho um chá em temperatura ambiente para hidratá-lo. Ofereça-o sem ser adoçado e - atenção! - servido às colheradas (use uma colherinha pequena), para evitar que ele tome gosto pela mamadeira e passe a recusar o peito. A não adição de açúcar protege contra as cáries e os gases, e impede que a criança fique viciada no sabor doce desde muito cedo.

Os tipos mais indicados

Para os bebês, vale a mesma regra das gestantes: utilizar apenas ervas reconhecidamente seguras, que não causam nenhum efeito colateral. Não dê chás feitos com plantas estimulantes ou ricos em cafeína. Chazinhos leves, como os de hortelã, camomila e erva-doce, são as melhores alternativas. Uma boa ideia, na opinião de Sylvio Barros, é cultivar uma hortinha em casa com algumas dessas ervas e preparar uma infusão mais natural do que a feita com produtos industrializados. Prefira preparar a bebida na hora do consumo, em vez de guardá-la na geladeira. Usando folhas ou sachês prontos, deixe a erva na água quente (com o fogo já apagado e a chaleira tampada), por 3 a 5 minutos. Coe, se for necessário, e deixe esfriar bem antes de dar ao filhote.

Fonte: Bebê.com

6 de fevereiro de 2015

Pode ser possível "derreter" suas gordurinhas...



Cientistas descobriram uma nova maneira de estimular a gordura marrom e, assim, queimar a energia ingerida pelos alimentos.

Pelo que se sabe hoje, o corpo humano possui vários tipos de tecidos adiposos, ou gorduras: gordura branca, que pode se acumular, levando à obesidade, a gordura marrom, ou "gordura boa", e a gordura bege.

"Nem todas as gorduras são iguais," explica o professor Alexander Pfeifer, da Universidade Bonn (Alemanha), que chefiou uma equipe envolvendo cientistas da Suécia, Dinamarca, Finlândia e cujos resultados foram publicados na revista Nature.

A adenosina natural do corpo ativa a gordura marrom, "amarronzando" a gordura branca danosa.

A gordura marrom converte o excesso de energia ingerida pela alimentação em calor, enquanto a gordura branca simplesmente se acumula no corpo.

"Se pudermos ativar as células de gordura marrom ou converter células de gordura branca em marrom, pode ser possível simplesmente derreter o excesso de gordura," relata o pesquisador.

Sobre homens e ratos

A adenosina é normalmente liberada durante eventos de estresse.

Quando a adenosina se liga a receptores nas células de gordura marrom, a queima de gordura é significativamente estimulada.

Até agora os cientistas achavam que não era possível para a adenosina ativar a gordura marrom - vários estudos com camundongos e hamsters demonstraram que a adenosina bloqueia a gordura marrom nos animais.

A equipe demonstrou que os animais reagem de forma diferente do que os seres humanos a esse respeito. Para isso, eles usaram células de gordura marrom retirados de seres humanos durante cirurgias.

Eles descobriram que um receptor da adenosina, chamado A2A, é crucial para a transmissão do sinal da molécula. As células de gordura branca normalmente não podem ser induzidas a queimar o excesso de gordura pela adenosina porque elas simplesmente não têm o receptor A2A.

Incógnitas

A equipe investigou então a possibilidade de que a adenosina transforme células de gordura branca em células de gordura marrom - um processo chamado de "escurecimento".

Assim que as células de gordura branca receberam o gene do receptor A2A, elas começaram o processo de escurecimento e de queima da energia.

Voltando aos animais de laboratório, os pesquisadores fizeram as modificações genéticas necessárias para que suas células se comportassem como as humanas e verificaram que as cobaias de fato perderam peso com a administração de compostos sintéticos similares à adenosina.

No entanto, muitas questões a este respeito ainda precisam ser investigadas, e os pesquisadores reconhecem que uma aplicação clínica para a sua descoberta - um "derretedor" de gordura - ainda está longe.

Fonte: Diário da Saúde

4 de fevereiro de 2015

Oito alimentos que têm fama de emagrecedores — mas não são...


De tempos em tempos, as prateleiras de lojas naturais e farmácias são inundadas por novos produtos com fama de emagrecedores. Alimentos e suplementos ganham popularidade, mas logo caem no ostracismo pela falta de comprovação científica e de resultados que comprovem sua eficácia. Alguns modismos recentes foram o óleo de coco, a quitosana e a spirulina. A bola da vez é o goji berry — e logo virá outra. 

O organismo humano precisa de proteína, carboidrato e gordura para desempenhar suas funções metabólicas básicas. Deixar de ingerir esses nutrientes essenciais e basear a dieta em um alimento supostamente milagroso é uma ameaça à saúde. Além disso, depositar muita confiança em um único produto causa um prejuízo psicológico ao paciente. Se a pessoa não emagrecer, pode perder a motivação para encarar um regime que faça efeito de verdade. 

Goji Berry

Fruto da planta "Lycium barbarum", o goji berry é utilizado na medicina tradicional chinesa no tratamento de doenças de fígado e rim. No Brasil, alçou fama como uma via de emagrecimento rápido. Trata-se, na realidade, de uma fruta calórica: duas colheres de sopa têm 100 calorias. O goji berry ainda não foi estudado profundamente. Pequenos estudos demonstraram que ele pode ser benéfico no controle do colesterol, mas nada foi provado sobre o emagrecimento.

Café Verde

O grão de café verde, caracterizado como aquele que não passou pelo processo de torrefação, ganhou fama de aliado do emagrecimento por ter uma dose um pouco maior de cafeína do que o café preto. A cafeína acelera o metabolismo, eleva a temperatura corporal e aumenta os batimentos cardíacos — é o que se chama de ação termogênica. Não há comprovação científica de que os produtos termogênicos emagreçam. Além disso, o alto consumo de cafeína prejudica a saúde. Ele pode agravar a gastrite, a insônia e os quadros de hipertensão.

Óleo de coco

Os adeptos do óleo de coco acreditam que ingeri-lo em forma líquida ou em pílulas diminui a fome, acelera o metabolismo e ajuda a perder barriga. Bobagem. Seu alto índice de gordura saturada pode aumentar a porção ruim do colesterol, o LDL, e ocasionar problemas de saúde, como a arteriosclerose, doença que causa depósito de gordura na artéria. O óleo de coco tem mais calorias do que a manteiga e o azeite e, como qualquer gordura, se consumido em excesso, causará aumento do peso e problemas de saúde.

Quitosana

A quitosana é uma fibra natural derivada da quitina, composto que forma o exoesqueleto de crustáceos, como o camarão. Ela é vendida em cápsulas com a promessa de prolongar a saciedade, pelo seu alto teor de fibras (uma cápsula tem cerca de 1 grama de fibra), e de absorver e eliminar gordura. É bobagem consumir quitosana. Comer gelatina antes de uma refeição promoveria a mesma sensação de saciedade. Além disso, o efeito do produto é sutil e imperceptível para várias pessoas.

Spirulina

Essa bactéria com aparência de alga é 60% composta de proteína. Ela é vendida em cápsulas com a promessa de elevar o efeito de saciedade, porque, ao ser ingerida, absorve água e aumenta de volume no estômago. O efeito não é intenso a ponto de ajudar a emagrecer. Além disso, essa propriedade não é exclusiva da spirulina — alimentos ricos em fibras fazem a mesma coisa.

Itokonnyaku (bifum)

Conhecido da culinária japonesa e chinesa, o bifum é um macarrão extraído da raiz de um tipo de batata chamada konjac. Composto basicamente de água e glucomanan, uma fibra alimentar, ele tem teor calórico perto de zero. Ao entrar em contato com a água no processo de digestão, o bifum dobra de tamanho e causa uma pequena sensação de saciedade. Uma pessoa que siga uma dieta à base de bifum não emagrecerá. Ela terá muita fome e ficará desnutrida, tornando-se candidata à obesidade no futuro.

Cúrcuma

Também conhecida como açafrão da terra, essa planta tem propriedades antioxidantes, por causa da presença do corante curcumina, e anti-inflamatórias, que ainda estão em estudo. Mas essas propriedades não têm nenhuma relação com o emagrecimento.

Linhaça

A semente do linho, planta da família das lineáceas, é rica em fibras. Por essa característica, a linhaça ajuda no bom funcionamento do intestino. Estudos demonstram que a linhaça tem ação antioxidante e auxilia no controle do colesterol e da glicose, não que emagrece.

Fonte: Veja

2 de fevereiro de 2015

Composto do café previne obesidade e doenças associadas...



Um composto químico presente no café pode ajudar a evitar alguns dos efeitos prejudiciais da obesidade.

O ácido clorogênico, ou ACG, reduziu significativamente a resistência à insulina e a acumulação de gordura no fígado de animais de laboratório que foram alimentados com uma dieta rica em gordura para induzir-lhes à obesidade.

"Estudos anteriores demonstraram que o consumo de café pode reduzir o risco de doenças crônicas como diabetes tipo 2 e doença cardiovascular," disse Yongjie Ma, da Universidade da Geórgia (EUA).

"Nosso estudo expande esta pesquisa analisando os benefícios associados a este composto específico, que é encontrado em grande abundância no café, mas também em outras frutas e vegetais como maçãs, peras, tomates e mirtilos," acrescenta Ma.

Efeitos terapêuticos

Além do ganho de peso, a obesidade tem como efeitos colaterais comuns o aumento da resistência à insulina e a acumulação de gordura no fígado. Sem tratamento, estes distúrbios podem levar à diabetes e à deterioração da função hepática.

Para testar os efeitos terapêuticos do ácido clorogênico, os pesquisadores alimentaram um grupo de cobaias com uma dieta rica em gordura durante 15 semanas, além de injetar-lhes uma solução de ácido clorogênico duas vezes por semana.

Eles descobriram que o ACG não só foi eficaz na prevenção do ganho de peso, mas também ajudou a manter os níveis de açúcar no sangue normais e a composição do fígado saudável, sem acúmulo de gordura.

Dose elevada

Mas a equipe é rápida em apontar que o ácido clorogênico não é uma panaceia. Uma dieta adequada e exercícios físicos regulares ainda são os melhores métodos para reduzir os riscos associados à obesidade.

Além disso, os camundongos receberam uma dose elevada de ACG, muito maior do que um ser humano poderia absorver através do consumo regular de café ou uma dieta rica em frutas e legumes.

No entanto, os pesquisadores acreditam que o ácido clorogênico pode se tornar a base de um tratamento para aqueles que precisam de uma ajuda extra. Eles planejam realizar mais pesquisas para desenvolver uma formulação otimizada especificamente para o consumo humano.

Fonte: Diário da Saúde