31 de maio de 2013

Consumidor com fome tende a comprar alimentos calóricos, diz estudo...



Evite ir ao supermercado quando estiver com fome, pois você estará mais propenso a comer coisas pouco saudáveis, como batatas fritas e doces.

É essa a mensagem de pesquisadores americanos que averiguaram se longos períodos sem comer afetam as escolhas de alimentos.

A pesquisa, da Cornell University, indicou que pessoas que passam cinco horas sem comer antes de irem às comprar tendiam a comprar mais alimentos ricos em calorias do que quando já estão alimentados.

No experimento, 68 participantes pagos receberam instruções de não comer por cinco horas e de em seguida fazer compras de alimentos on-line no site simulado de um supermercado.

Cada produto calórico (entre eles doces, batatas fritas e carnes vermelhas) foi exibido ao lado de itens pouco calóricos (como frutas, vegetais e peito de frango), mas os preços não foram mostrados.

A cada sessão, os participantes recebiam um prato de biscoitos para comer até que não sentissem mais fome.

COM OU SEM FOME

Os resultados dos estudos mostram que pessoas com fome tendem a escolher um número elevado de alimentos com alto valor calórico, e que há uma pequena diferença no número de produtos adquiridos por aqueles que estão com fome e por pessoas já devidamente alimentadas.Em um segundo estudo, consumidores foram monitorados enquanto iam a um supermercado ou depois do almoço, quando já estavam fartos, ou antes do jantar, quando tinham fome.


Em outras palavras, pessoas que fazem compras de alimentos quando estão com fome adquirem menos produtos escassos em calorias, mas não compram mais comida.

O estudo, afirmam dois de seus autores, Brian Walsink e Aner Tal, tem implicações de saúde pública.

Eles dizem, na revista especializada "Journal of American Internal Medicine", que "até mesmo se privar de comida por pouco tempo --como no caso de pessoas que jejuam para perder peso, por razões religiosas ou devido a estilos de vida atribulados - pode induzir a mudanças de escolhas capazes de levar pessoas a escolher alimentos de baixas calorias ou altas calorias".

Para Wansink, os consumidores deveriam evitar fazer compras de estômago vazio e deveriam fazer compras depois do almoço em vez de antes do jantar, por exemplo.

"Uma única decisão de ir às compras com fome já pode ser suficiente para prejudicar a alimentação pelo resto da semana", diz ele.

"Se você for fazer compras, coma uma maçã no caminho."

Fonte: Folha de São Paulo

30 de maio de 2013

Obesidade já mata mais gente do que fome...



Um trabalho gigantesco, produzido por 500 cientistas de 300 instituições - que analisaram 187 países ao longo das últimas quatro décadas. É o Global Burden of Disease ("Peso Global das Doenças"), que acaba de ser publicado e é o maior estudo já realizado sobre a saúde da humanidade. Ele traz duas grandes conclusões. A boa é que a expectativa de vida aumentou em praticamente todo o mundo, e as mortes relacionadas à subnutrição caíram de 3,4 milhões, em 1990, para 1,4 milhão em 2010, último ano analisado pelo estudo. Em 1990, a subnutrição era a doença com maior "peso", ou seja, aquela que mais tirava anos de vida saudável da humanidade. Agora, ela despencou para oitavo lugar. Mas a obesidade, eis a má notícia, subiu de décimo para sexto - e a má alimentação, com uma dieta pobre em nutrientes, aparece em quinto (os quatro maiores fatores de risco são pressão alta, tabagismo, uso de álcool e poluição). "As dietas pobres em frutas, verduras e grãos integrais têm impacto surpreendente", escrevem os autores do estudo.


A pesquisa constatou que, entre 1990 e 2010, a expectativa de vida global dos homens subiu de 62,8 para 67,5 anos, e a das mulheres subiu de 68,1 para 73,3. Ou seja: as mulheres ampliaram em seis meses a vantagem que levam sobre os homens.

Fonte: Revista Superinteressante

29 de maio de 2013

Suco salada de frutas....



Bom dia! Adoro este suco porque é muito prático.Eu faço uma salada de frutas para consumir entre os lanches e aproveito para fazer os sucos. Para a salada de frutas eu uso: melão, manga, pêssego, pêra, maçã e mamão. 

Para fazer o suco eu adicionei 1 concha de salada de frutas + 1/2 cenoura, 2 gelinhos de hortelã, 1/2 folha de couve, água de coco para dar a consistência desejada e 1 col.(sopa) de semente de chia. 

Delícia!!

28 de maio de 2013

Alimentos Integrais: O que São?


Escrevi este post para o site Homens que se cuidam espero que gostem!

Os alimentos integrais são boas fontes de fibra alimentar, que todos devemos ingerir pelos seus inúmeros benefícios à nossa saúde, isso não é nenhuma novidade, certo? Mas você sabe realmente o que significa um alimento ser integral?
Eles são alimentos que não passaram pelo processo de refinamento, ou seja, são grãos são completos, ricos em nutrientes: vitaminas, minerais e fibras.
Quanto ingerir: A ingestão recomendada de fibras, segundo o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, é de 30 gramas por dia.
As fibras podem ser solúveis e insolúveis. As fibras alimentares solúveis são facilmente quebradas ou fermentadas no intestino, gerando produtos ou gases bioativos. As fibras alimentares insolúveis, são metabolicamente inertes, absorvem água conforme passam pelo sistema digestivo, dando suporte ao funcionamento dos músculos dos intestinos e facilitando a saída dos restos alimentares, fazendo o intestino funcionar melhor.
Os alimentos integrais promovem uma maior saciedade, pois absorvem água e formam um gel, que permanece mais tempo no estômago, o que retarda a fome, auxiliando no emagrecimento.

Mas o fato de postergarem a fome não significa que esses alimentos estão liberados para ser consumidos á vontade, pois possuem grande quantidade de calorias. Eles devem estar inseridos de forma harmônica em sua alimentação.
Estudos afirmam que as fibras ajudam a reduzir a taxa de LDL (o mau colesterol), colaboram na prevenção do câncer de cólon e reto, além disso, promovem uma liberação mais lenta e constante de glicose, ajudando a regular os níveis de açúcar no sangue.
Então a dica é: troque tudo que é refinado por integral! Inclua na sua rotina o pão integral no lugar do francês, troque o cereal matinal pela granola ou aveia, em resumo trocar e não apenas incluir, ok?
Também aumente seu consumo de frutas (não de suco!), verduras e legumes, dê preferência mais aos crus que cozidos, inclua em suas vitaminas grãos como chia e linhaça.
A alimentação saudável é um estilo de vida! Cuide-se!

27 de maio de 2013

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL...

Mais uma semana se inicia e eu te pergunto: está fazendo alguma dieta restritiva em carboidratos? E como anda seu humor? Péssimo? Rs Isso é compreensível, já que cortar carboidratos pode interferir na química cerebral provocando a queda da taxa de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

O ideal é seguir uma dieta equilibrada, assim além de exterminar uns quilinhos, você vive melhor e mais feliz!

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

25 de maio de 2013

Noz, pistache e castanha: conheça 8 benefícios das oleaginosas...



Noz, amêndoa, pistache, castanha de caju, castanha-do-pará. As frutas oleaginosas são uma tentação e tanto, mas muitas pessoas cortam seu consumo pelo elevado valor calórico e de gordura. Porém, de acordo com uma revisão de estudos divulgada na publicação American Journal of Clinical Nutrition, não é preciso limitar o consumo. É que quem come as iguarias pode perder mais peso e reduzir o tamanho da cintura.

Sabendo disso, nada melhor do que conferir outros benefícios das oleaginosas e saboreá-las. Confira abaixo oito deles, listados pelo jornal Huffington Post:  
1 - Redução de estresse
Os nutrientes encontrados em vários tipos de frutas oleaginosas podem ajudar a proteger o corpo contra os efeitos nocivos do estresse. Um estudo constatou que iguarias ricas em ácido alfa-linolênico, como nozes, protegem o coração durante períodos de estresse agudo, conhecidos por causar tensão cardiovascular. E amêndoas, graças ao alto teor de vitamina E, vitamina B e magnésio, podem amparar o sistema imunológico quando a pessoa está estressada.
2 - Saúde do coração
Oleaginosas, como amêndoas, avelãs, amendoim, castanha-do-pará, nozes e castanha de caju, podem desempenhar um papel na redução do risco de doença cardíaca, de acordo com uma revisão da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Isso porque ajudam a reduzir o colesterol e ainda incorporam doses de gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, saudáveis para o coração, e fibra, que tem um efeito protetor do órgão. Também são ricas em arginina, um aminoácido que se converte em óxido nítrico no corpo e ajuda os vasos sanguíneos a relaxarem.
3 - Câncer de pulmão
Uma dieta rica em pistaches pode fornecer proteção contra o câncer de pulmão, de acordo com pesquisa preliminar apresentado pela Associação Americana de Pesquisa de Câncer. Os cientistas teorizam que o alto teor de gamma-tocopherol, um tipo de vitamina E, pode ser a chave para a proteção contra o câncer, embora mais estudos sejam necessários.
4 - Manutenção do peso
Muitos estudos descobriram que as oleaginosas podem desempenhar um papel na manutenção do peso. Isso porque saciam, já que são lentamente metabolizadas pelo organismo graças à alta contagem de fibras. Sendo assim, as pessoas se sentem mais satisfeitas depois de comer as iguarias do que após a ingestão de alimentos de valor calórico semelhante, mas de menor densidade de nutrientes.
5 – Diminui o colesterol
Uma noz por dia pode manter o colesterol ruim baixo, de acordo com um estudo de 2010 publicado na revista Archives of Internal Medicine, que encontrou uma redução de 7,4% no colesterol ruim (LDL) e de 8,3% na proporção de LDL e HDL (colesterol bom). Além disso, as concentrações de triglicérides diminuíram mais de 10%.
6 – Protege contra câncer de próstata
Castanha-do-pará, que tem alta concentração do mineral selênio, pode fornecer proteção contra o câncer de próstata avançado, de acordo com pesquisa preliminar apresentada pela Associação Americana de Pesquisa do Câncer. Os cientistas descobriram que os homens com altos níveis de selênio tinham 60% menos chances de desenvolver câncer de próstata avançado em 17 anos.
7 – Ajuda na saúde do cérebro
Graças à boa dose de vitamina E que as oleaginosas oferecem, são consideradas alimentos para o cérebro, ajudando a diminuir o declínio cognitivo com a idade. Além de proteger contra problemas associadas à idade, o British Journal of Nutrition publicou um estudo que diz que nozes podem melhorar a memória de trabalho (memória de curto prazo), resolução de problemas e função motora. Os testes foram realizados em ratos.
8 – Melhora saúde reprodutiva masculina
Comer dois punhados de nozes pode melhorar a qualidade do esperma, segundo estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Além disso, pistache pode desempenhar um papel na luta contra a redução da disfunção erétil, informou um estudo publicado em Journal of Impotence Research.
 Fonte: Terra

24 de maio de 2013

Benefícios do óleo de abacate...



O óleo de abacate possui altas concentrações de vitamina E, que oferece ação antioxidante e anti-inflamatória ao organismo. A vitamina E oferece proteção contra os efeitos nocivos dos radicais livres, contra aterosclerose, inflamações das articulações e complicações provocadas pelo diabetes.

Os ácidos graxos monoinsaturados e poli-insaturados agem diminuindo os níveis de  triglicérides e colesterol ruim, sem alterar os níveis de colesterol bom e ajuda a prevenir o desenvolvimento de lesões das artérias, outro fator de proteção para doenças cardiovasculares.

O óleo de abacate contém uma substância chamada beta-sitosterol, que inibe a enzima esteroide 5-alfa-redutase, que está relacionada à redução na produção de testosterona. Inibindo a ação dessa enzima, o organismo produz mais testosterona e evita um desequilíbrio hormonal, prevenindo o aumento progressivo da próstata e, consequentemente, do câncer de próstata.

As gorduras insaturadas e o beta-sitosterol presentes no óleo promovem a aceleração dos processos metabólicos nas células, que produzem mais energia de forma eficaz. Com a respiração acelerada, a utilização de glicose é aumentada e isso contribui para o controle da insulina e do açúcar presente no sangue. Essa ação é benéfica principalmente para quem tem intolerância ao açúcar, resistência à insulina e diabetes.


O beta-sisterol e as gorduras insaturadas  controlam os níveis do hormônio cortisol que, em excesso, pode diminuir o gasto de energia e aumentar o apetite, a retenção de líquidos e a absorção de gorduras e açúcares. O cortisol controlado evita o acúmulo de gordura abdominal e favorece o aumento de massa magra.
Devido à presença abundante de antioxidantes como a luteína, vitamina E e glutationa, o óleo de abacate age na prevenção de doenças oftalmológicas. 

As vitaminas A, D e E presentes no óleo de abacate possuem um alo poder antioxidantes e participam da produção de colágeno, formando um time campeão na luta contras as rugas. 

Adaptado do site Minha Vida

23 de maio de 2013

Você sabia?



Um estudo publicado pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, comprovou que beber 1 copo (300 ml) de leite desnatado ou semidesnatado com achocolatado após exercícios físicos pesados pode aumentar a energia para os músculos crescerem, pois contém a proporção ideal de carboidratos e proteínas.

Mas isso só vale se você malha pesado e esta mistura deve estar inclusa dentro do seu Plano Alimentar, ok? Nada de sair por aí acrescentando isso no seu pós-treino sem orientação.

22 de maio de 2013

Glúten e emagrecimento....


Hoje em dia se observa muito as dietas com restrição ao glúten para emagrecimento e isso gera muitas dúvidas. Devo cortar ou não para emagrecer? Isso não é uma regra! Esta restrição funciona para quem tem hipersensibilidade ou alergia ao glúten (proteína do trigo, centeio, cevada, aveia). Os sintomas são barriga estufada e desconforto abdominal logo após o consumo de alimentos que contém glúten em sua composição.

Nestes indivíduos o glúten promove alterações no intestino, o que compromete a perda de peso. Por isso, elas apresentam bons resultados ao cortar esse item da dieta, mesmo que seja por algum tempo.

Se você não é intolerante ou alérgico ao glúten, basta reduzir a quantidade de alimentos que contém glúten, que normalmente agregam mais calorias. 

21 de maio de 2013

Suplemento alimentar promete efeito contra mal de Alzheimer...



Um complemento alimentar que promete melhorar a memória de pacientes em estágio leve de alzheimer entrou discretamente no mercado brasileiro em setembro de 2012 e já é usado por mais de 2.000 pessoas no país.
Apresentado oficialmente para o público ontem, o produto, porém, divide especialistas. Para alguns, faltam pesquisas que comprovem os benefícios do composto.



Eles ajudariam na formação da membrana dos neurônios, melhorando, assim, as sinapses --a comunicação química dessas células.O suplemento é uma mistura de nutrientes incluindo óleo de peixe, ômega 3, selênio e vitaminas-- que têm o objetivo de "turbinar" o cérebro.

Por enquanto, os efeitos do Souvenaid, fabricado pela Danone, só estão documentados em um cenário: pacientes em estágio muito leve da doença e que ainda não fazem uso de remédios que inibem a beta-amiloide, proteína apontada como a culpada pelo mal de Alzheimer.

Em dois estudos patrocinados pela Danone com pessoas nessas condições, quem usou o composto teve melhora na memória em relação ao grupo que recebeu placebo.

Mas, em outro teste, com pacientes em um estágio moderado da doença e que tomavam remédios, a bebida não fez diferença.

EFEITO PREVENTIVO

Especialistas ouvidos pela Folha disseram que, com base nos estudos já apresentados, ainda é precipitado falar em uso preventivo contra o mal de Alzheimer.

"Ainda não há resultados sobre o uso [do suplemento] por pessoas saudáveis ou por pacientes leves que já usem medicação", afirma a neurocientista Luísa Lopes, pesquisadora do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa.

"Não podemos afirmar que existe efeito protetor, mas os dados permitem inferir que isso é possível", disse Marcelo Borges, presidente da Divisão de Nutrição Especializada da Danone.

"De qualquer maneira, o objetivo não é substituir a medicação. É algo complementar ao tratamento", diz Cláudio Sturion, diretor médico da divisão, destacando que o Souvenaid não interfere no uso do remédio e não tem efeitos adversos sérios.

A combinação do suplemento alimentar e da medicação, porém, dobraria os gastos dos pacientes, já que os dois têm preços similares.

O neurologista Ivan Okamoto, coordenador do Instituto da Memória da Unifesp, disse já ter apresentado a bebida para alguns de seus pacientes, mas diz que, por causa do preço --R$ 10 cada potinho, que deve ser tomado diariamente--, muitos preferem usar só a medicação.

Também à venda na Bélgica, Alemanha, Holanda, Itália, Irlanda e no Reino Unido, o composto deve ser lançado em mais dez países até o fim de 2013 e nos EUA em 2014, dependendo da aprovação das agências reguladoras.

Fonte: Folha de São Paulo

20 de maio de 2013

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL...

Segunda-feira é aquela preguiça, metabolismo lento pelo eventuais excessos do final de semana. Uma dica para você acelerar seu corpo, seu dia e sua semana é usar gengibre na salada, água, sucos, para temperar carnes etc. Segundo estudos, o chá de gengibre, três veze ao dia auxilia na redução do apetite.

Uma semana turbinada para todos nós!

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !


18 de maio de 2013

Consumo de carboidrato à noite pode ajudar na dieta; entenda...



Comer carboidrato à noite sempre foi apontado como um hábito a ser mudado na hora de emagrecer. Os pães e massas foram visto como vilões por tanto tempo que a proibição do consumo desse tipo de alimento após as 18h se tornou base de algumas dietas famosas. Isso porque durante o sono nosso metabolismo desacelera, exigindo menos energia. No entanto, uma pesquisa realizada na Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, decidiu investigar essa máxima da dieta. A conclusão é que isso é um mito e que o consumo desse nutriente à noite pode até diminuir a fome durante o dia, ajudando na perda de peso.
Segundo Tereza Cibella, nutricionista da Equilibrium e consultora de nutrição da Adria, acreditava-se que as calorias dos carboidratos não seriam consumidas pelo corpo durante a noite, sendo acumuladas na forma de gordura, porém, essa energia é usada para o funcionamento cerebral e dos órgãos. “O que o estudo aponta é que o ganho de peso não está relacionado ao carboidrato consumido à noite e sim à qualidade da alimentação no restante do dia, ao sedentarismo e ao exagero na quantidade de alimentos consumidos”, defendeu.
Para o estudo os pesquisadores acompanharam 78 voluntários, que seguiram uma dieta de 1.500 calorias diárias. A dieta era composta de 20% de proteína, 30% a 35% de gorduras e de 45% a 50% de carboidratos. Os participantes foram divididos em dois grupos, o primeiro deveria consumir a cota de carboidrato apenas durante o dia, enquanto o segundo comia esse tipo de alimento no período da noite. Após seis meses, todos os participantes perderam 10 kg.
A principal diferença encontrada entre os dois grupos foi a taxa de leptina, hormônio que ajuda a controlar o apetite. Os participantes que consumiram carboidrato à noite apresentaram quantidades maiores dessa substância, sentindo menos fome durante o dia.
Além da leptina, houve alteração em outros dois hormônios: a grelina e a adipectina. “A primeira promove o apetite, sua concentração costuma ser alta durante o jejum ou períodos que antecedem as refeições, caindo logo após nos alimentarmos. Já a adipectina possui propriedades antiaterogênicas, que evita o depósito de gordura nas artérias, e anti-inflamatórias. Além disso, ela ajuda na ação da insulina, reduzindo o risco de diabetes”, explicou Tereza.
A ideia principal do consumo de carboidrato à noite como caminho para o emagrecimento é que se a pessoa perder peso sem grandes proibições e sentindo menos vontade de comer irá ter mais chances de seguir na dieta. Porém, para manter-se saudável e de bem com a balança a nutricionista recomenda distribuir o carboidrato entre todas as refeições. “A ingestão de carboidrato deve ser de 50% a 60% do valor calórico total diário de uma alimentação não restritiva”, afirma. A especialista afirma ainda que, neste caso, não haveria diferença no resultado caso o consumo fosse de produtos integrais.
Apesar da “liberação” do carboidrato, é importante lembrar que o equilíbrio alimentar é o caminho para a perda de peso. E nada de alimentos pesados à noite para não prejudicar o sono. “O ideal é combinar a massa com legumes e verduras, carnes magras e fibras, como aveia linhaça e sementes. Lembrando também que a quantidade a ser consumida deve ser um prato raso ou até dois pegadores de massa”, explica Tereza. A prática de atividades físicas também ajuda a manter a forma e estimulam a liberação de hormônios que oferecem a sensação de bem estar e prazer. 
Fonte: Terra

17 de maio de 2013

Temperinho antigordura...


Por muito tempo a pimenta-do-reino ficou na berlinda como um tempero pouco saudável. Estudos recentes, têm demonstrado que que ela não só combate os radicais livres como diminui o risco de ganho de peso. A responsável por estes benefícios é a piperina, mesmo componente que dá o sabor "ardido" da pimenta.

Uma pesquisa publicada na revista científica Journal of Agricultural and Food Chemistry, a piperina inibe a formação de novos depósitos e gordura, especialmente na região abdominal. Ainda não há uma dose certa para a obtenção deste efeito, até lá não exagere nas pitadas. Indivíduos com gastrite devem evitar a pimenta-do-reino!

16 de maio de 2013

Gelinhos de hortelã...


Hortelã é bom demais, mas perde muito fácil. Que tal congelar as folhinhas com água de coco? Além de prático vai deixar seus sucos com um toque especial. Eu uso em todos os sucos. Experimente! Aliás, esta técnica serve para alecrim, manjericão etc e ao invés da água de coco, você pode usar azeite. 

15 de maio de 2013

Você sabia?


A acerola é a campeã em vitamina C, essencial na formação dos neurotransmissores dopamina e noradrenalina.

A ausência desta vitamina no organismo pode provocar ansiedade. Outras boas fontes de vitamina C são kiwi, goiaba e laranja.

14 de maio de 2013

Café reduz pela metade recorrência do câncer de mama...



Tomar café pode cortar pela metade o risco da recorrência do câncer de mama.
A conclusão é de um estudo realizado por cientistas da Universidade de Lund (Suécia) e publicado na revista Cancer Causes Control.
A equipe acompanhou mais de 600 pacientes com câncer de mama por cerca de cinco anos. Aproximadamente metade delas tomava o medicamento Tamoxifeno.
As pacientes que tomavam este medicamento e que consumiam duas ou mais xícaras de café por dia apresentaram uma taxa de recorrência do câncer de mama mais de 50% inferior em comparação com as pacientes que tomavam Tamoxifeno mas que não tomavam café.
A droga, uma terapia hormonal comum depois da cirurgia do câncer da mama, diminui o risco de novos tumores bloqueando os receptores de estrogênio.
Café contra o câncer
Como o café interage com o tratamento, no entanto, ainda é algo desconhecido.
"Uma teoria na qual estamos trabalhando é que o café 'ativa' o Tamoxifeno, tornando-o mais eficaz," disse Maria Simonsson, principal autora do estudo.
Os pesquisadores da mesma Universidade já haviam descoberto uma associação entre o consumo de café e um risco menor de desenvolver certos tipos de câncer de mama, enquanto cientistas norte-americanos descobriram que o café reduz o risco do câncer de próstata e o câncer oral.
Outros estudos têm demonstrado que a cafeína impede o crescimento de células cancerosas.
Este estudo observacional mais recente, envolvendo o papel do café na prevenção e tratamento do câncer, ressalta a necessidade de mais pesquisas na área, sobretudo em busca dos mecanismos fisiológicos de atuação da cafeína.
"Nós pretendemos avançar nossos estudos para saber mais sobre como o estilo de vida pode interagir com o tratamento do câncer de mama," diz Helena Jernstrom, professora de oncologia da Universidade de Lund.
Fonte: Diário da Saúde

13 de maio de 2013

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL....

Como foi o Dia das Mães? Levou sua mãe para almoçar num restaurante bacana ou fez aquele almoço caprichado, com direito a  sobremesa e tudo mais? Acho que hoje você está precisando desintoxicar. Aproveite o dia de hoje e tome muita água, tome chá verde entre as refeições, escolha um prato leve para o almoço, coma frutas ricas em água e fibras como melão e melancia e arremate o dia jantando uma sopa bem colorida, recheada de  legumes bem nutritivos.

Comece sua semana com o pé direito, cuide da sua alimentação, mude seus hábitos alimentares para você ter mais saúde! Se não conseguir sozinha procure um Nutricionista que irá auxiliá-la na organização e melhoria de seus hábitos alimentares.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

12 de maio de 2013

Feliz Dia das Mães!



Para todas as mães que sempre procuram cuidar da alimentação da família, dos filhos de forma a torná-los adultos mais saudáveis, parabéns!

Desejo a todas as mães que são disseminadoras de bons hábitos alimentares e saúde um excelente dia!

10 de maio de 2013

Iogurte enriquecido com maracujá é rico em fibras...


Pesquisadores do Centro de Energia Nuclear na Agricultura da USP, em Piracicaba (SP), desenvolveram um iogurte enriquecido com fibras incorporadas pela adição de farinha de maracujá.
O iogurte com farinha de maracujá apresentou características nutricionais superiores às do iogurte comercial, destacando-se um elevado teor de fibras alimentares.
"As fibras presentes nos subprodutos do maracujá possuem muitos benefícios à saúde e devem ser consumidas diariamente", disse Nataly Maria Viva de Toledo, que desenvolveu o novo produto.
A literatura científica inclui entre os benefícios das fibras alimentares a redução do colesterol no sangue, o controle de glicemia e do peso corporal, e a prevenção de problemas gastrointestinais.
Outro benefício da pesquisa consiste no aproveitamento dos resíduos do maracujá, que hoje são descartados.
Iogurte com maracujá
A farinha de maracujá é feita a partir das cascas e sementes da fruta, gerando uma alternativa para agregar valor aos subprodutos resultantes do processamento industrial da fruta.
A casca do maracujá é rica em fibras, vitaminas e minerais. Já as sementes apresentam grande quantidade de óleo com alto teor de ácidos graxos insaturados.
"A casca do maracujá corresponde a mais da metade da composição mássica da fruta e não pode mais ser considerada como resíduo industrial uma vez que estudos relatam características funcionais e tecnológicas interessantes para o desenvolvimento de novos produtos", afirma Nataly.
Os testes indicaram que o melhor sabor do iogurte é obtido com o acréscimo de 2% da farinha de maracujá.
A pesquisa também destaca que o iogurte é um produto amplamente recomendado devido suas características sensoriais, probióticas e nutricionais uma vez que além de ser elaborado com leite contendo alto teor de sólidos, cultura lática e açúcar, pode ainda ser enriquecido com leite em pó, proteínas, vitaminas e minerais.
"Os produtos lácteos são importantes fontes de cálcio, proteínas e outros nutrientes em uma dieta balanceada. Atualmente, as indústrias e pesquisadores têm apresentado crescente interesse no desenvolvimento de produtos lácteos com teores reduzidos de gordura, com pouco ou sem açúcar, ou enriquecidos com fibras", afirma Nataly.
Fonte: Diário da Saúde

9 de maio de 2013

Água da torneira pode ser mais limpa que água mineral em garrafão...



Pesquisadores da UNESP de Araraquara (SP) avaliaram a qualidade de três "modelos" de água mineral e detectaram níveis preocupantes de contaminação em galões de 20 litros.
Todos os garrafões analisados estavam dentro do período de validade.
Nunca se vendeu tanta água mineral no mundo, o que em parte é resultado de uma bem-sucedida promoção do produto engarrafado como alternativa mais limpa, mais pura e mais segura àquela que nos chega pelas torneiras.
Mas o estudo realizado por Maria Fernanda Falcone Dias e seus colegas, e publicado na revista Food Control, sugere que não é bem assim.
Na verdade, em alguns casos, pode ser o contrário.
1.000 vezes pior
Em várias amostras analisadas foram encontrados níveis preocupantes de bactérias nos garrafões de água mineral antes do vencimento do prazo de validade indicado no rótulo das garrafas.
Em alguns casos, isso ocorreu já nos primeiros dias após o envase.
Em dois terços dos 60 galões a contagem de microrganismos ficou acima do limite aceitável para a água da torneira.
Em certos casos, o valor obtido era 1.000 vezes maior que esse padrão. Uma bactéria oportunista foi encontrada em pelo menos duas amostras.
Proveniente de fontes naturais, a água mineral não passa por nenhum tipo de tratamento. Ela deve ser livre de contaminação na origem e preservar suas características originais, o que inclui a presença de diversos sais e de uma fauna microbiana considerada benéfica à saúde humana.
Geralmente em posse da iniciativa privada, as fontes de água mineral devem ter sua qualidade certificada pelo Departamento Nacional de Pesquisa Mineral (DNPM).
Já a água de abastecimento público (vulgarmente conhecida como "torneiral"), além de passar por tratamento químico e físico, tem sua qualidade obrigatoriamente verificada por análises microbiológicas antes de ser distribuída nas cidades.
A principal análise é chamada CHP, sigla para Contagem de [microrganismos] Heteretróficos em Placa. Embora esse teste seja feito também na água engarrafada, antes do envase, a legislação só estabelece um valor máximo aceitável - de 500 UFC/ml (unidades formadoras de colônia por mililitro de água) - para o líquido que vai para as torneiras.
"Esse é o padrão internacional, que é seguido pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]", explica Maria Fernanda.
Mas já existe uma tendência mundial de adotar o mesmo limite máximo também para a água de garrafa, acrescenta ela.
Contaminação na água mineral
Maria Fernanda analisou o conteúdo de garrafas de meio litro e de 1,5 litro em 11 ocasiões ao longo de um ano, que é o prazo recomendado para seu consumo. Já os garrafões de 20 litros passaram por cinco testes, realizados ao longo dos 60 dias de validade do produto. Ao todo foram 324 amostras de seis marcas diferentes.
Além da CHP, outras análises procuraram detectar a presença de coliformes fecais e totais e de bactérias como a Escherichia coli e a Pseudomonas aeruginosa, que podem causar diarreia e infecções, principalmente em crianças, gestantes e idosos.
Os resultados mostraram que, dos três tipos de garrafa d'água, o garrafão de 20 litros foi o que apresentou mais problemas de contaminação.
Em dois terços dos 60 garrafões analisados foi encontrada contagem superior a 500 UFC/ml - às vezes chegando a incríveis 560.000 UFC/ml, mais de mil vezes acima do padrão aceitável para a água de abastecimento.
Fonte: Diário da Saúde

8 de maio de 2013

Mais tempero, menos mordidas....


Um estudo publicado na revista Flavour, realizado pela Universidade de Wageningen, na Holanda, aromas marcantes ajudam você a comer de 5 a 10% menos durante a refeição.

Segundo os pesquisadores, as pessoas podem, inconscientemente, dar mordidas menores na tentativa de regular a quantidade de sabor que irão provar.

A dica é abusar de ervas aromáticas e temperos como alecrim, hortelã, canela, gengibre, orégano.

7 de maio de 2013

Chiclete "turbinado" com cafeína faz agência monitorar substância...




A FDA (agência que regula alimentos e remédios nos EUA) afirmou que vai monitorar atentamente produtos alimentícios com adição de cafeína.

O anúncio foi feito pouco depois do lançamento do chiclete Alert Gum, que é "turbinado" com a substância e tem, por unidade, a mesma quantidade de cafeína de meia xícara de café. O produto promete dar uma dose extra de energia.

A princípio, a FDA vai avaliar a segurança e os possíveis impactos na saúde da adição de cafeína em produtos alimentícios, sobretudo em relação a crianças e adolescentes.

A agência já está investigando o uso da substância em bebidas energéticas.

Representantes do órgão estão se reunindo com as principais fabricantes de alimentos dos Estados Unidos para discutir o assunto.

Fonte: Folha de São Paulo

6 de maio de 2013

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL...

Começando mais uma semana com tudo! E eu te pergunto: como anda seu sono? Se você malha, esta pergunta faz toda diferença, pois tem relação direta com seu músculo.

É durante o sono profundo que a hipófise, glândula localizada no cérebro, produz o hormônio do crescimento, GH. Ele é o principal responsável pelo ganho e regeneração das fibras musculares e pela regeneração dos osso e cartilagens.

O GH também diminui a concentração de gordura em regões como adbômen e tronco, além de atuar em funções cognitivas como memória, reflexos, raciocínio e concentração. O ideal é dormir de 7 a 8 horas, sem interrupções , para ter uma boa recuperação muscular e render o esperado no dia seguinte. Ou seja, dormir bem, faz toda diferença no processo de ganho de massa muscular e emagrecimento.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !!!!!

3 de maio de 2013

Receita para diabetes: um refrigerante por dia...



Beber uma ou mais latas de refrigerantes por dia aumenta o risco de diabetes na vida adulta.
De acordo com dos pesquisadores do Imperial College de Londres, quem bebe uma lata de refrigerante por dia tem um risco de desenvolver diabetes 20% maior do que quem consome uma lata ou menos por mês.
"E para cada lata de refrigerante que um indivíduo bebe por dia, o risco de diabetes aumenta mais", disse a pesquisadora Dora Romaguera, do Imperial College London.
A pesquisa foi realizada a partir de dados coletados no Reino Unido, Alemanha, Dinamarca, Itália, Espanha, Suécia, França e Holanda. Nela, cerca de 350.000 pessoas foram questionadas sobre sua dieta.
"Dado o aumento do consumo dessas bebidas na Europa, concluímos que é preciso dar à população informações claras sobre os seus efeitos sobre a saúde", diz a pesquisadora.
O consumo de suco de frutas não tem o mesmo efeito negativo dos refrigerantes com açúcar.
O pesquisador Patrick Wolfe enfatiza que os refrigerantes açucarados são apenas um entre muitos outros fatores de risco para a diabetes tipo 2.
"Mas já que esse é um risco que podemos facilmente eliminar - trocando os refrigerantes com açúcar por refrigerantes diet ou, melhor ainda, cortando os refrigerantes de nossa dieta, faz sentido fazer isso," opina.
Fonte: Diário da saúde

2 de maio de 2013

Aroma do azeite traz sensação de saciedade...



Por que o azeite de oliva, o ingrediente mais precioso da dieta mediterrânea, faz tão bem à saúde?

Nutricionistas apontam para a abundância de antioxidantes e de ácido oleico, uma gordura monoinsaturada que protege o coração. Mas uma nova pesquisa sugere que alguns dos benefícios do azeite podem estar contidos em seu aroma.

A pesquisa constatou que, comparado a outros óleos e gorduras, o azeite de oliva extravirgem tem maior probabilidade de elevar a sensação de saciedade de quem o consumiu numa refeição. Mas outra fase do estudo mostrou que o acréscimo do aroma de azeite de oliva a um alimento (pela adição de um extrato aromático) reduziu as calorias consumidas pelas pessoas no estudo e melhorou sua resposta de açúcar no sangue.

Os sentidos do olfato e do paladar estão fortemente interligados. Pesquisas anteriores já demonstraram que a manipulação do aroma de determinados alimentos pode influenciar o quanto as pessoas optam por comer.

O objetivo do novo estudo foi analisar os fatores que levam alguns alimentos a produzir mais saciedade que outros.

Muitos produtos nos supermercados atraem os consumidores com rótulos de "baixo teor de gordura", mas o consumo de alimentos desse tipo pode levar as pessoas a comerem demais mais tarde, disse Malte Rubach, nutrólogo que realizou a pesquisa com colegas do Centro Alemão de Pesquisas sobre a Química dos Alimentos, que publicou o artigo.

"Queríamos verificar se existe uma maneira de reduzir o teor de gordura dos alimentos sem que eles percam seu sabor ou aroma."

Os pesquisadores começaram por comparar os efeitos de quatro gorduras sobre a sensação de saciedade: a banha de porco, a manteiga, o azeite de oliva e o óleo de canola. O óleo de canola possui menos gordura monoinsaturada e saturada que o azeite. Como o azeite, ele é frequentemente recomendado como alternativa saudável a outros óleos.

Os pesquisadores recrutaram 120 pessoas e as dividiram em cinco grupos. Os participantes foram instruídos a consumir 500 gramas de iogurte diariamente, por três meses. Em quatro dos grupos, o iogurte foi enriquecido com uma das quatro gorduras. O quinto grupo, que atuou como grupo de controle, consumiu iogurte natural, com teor zero de gordura.

Os participantes fizeram exames de sangue regulares. O grupo que comeu iogurte enriquecido com azeite apresentou o maior aumento nos níveis de serotonina, hormônio associado à saciedade.

Os participantes desse grupo também reduziram sua ingestão calórica na maior parte dos dias. O mesmo padrão foi observado no grupo que consumiu manteiga e no grupo de controle.

Já os grupos que consumiram óleo de canola e banha de porco ganharam peso durante o período do estudo, apenas acrescentando o iogurte à sua dieta normal.

"Aqueles que se sentiram saciados reduziram sua ingestão calórica total", comentou Rubach.

Os cientistas se surpreenderam ao constatar aumentos de peso e gordura corporal no grupo que recebeu óleo de canola, apesar de as propriedades do óleo serem semelhantes às do azeite de oliva.

Assim, na fase seguinte do estudo, eles procuraram descobrir se algum outro fator, que não fosse os nutrientes presentes nos dois óleos, seria responsável por seus impactos diferentes.

Dessa vez, os participantes foram divididos em dois grupos. Ambos receberam iogurte com teor zero de gordura. Em um dos grupos, foi misturado ao iogurte um extrato aromático com cheiro de azeite de oliva, sem o acréscimo de qualquer gordura.

Os participantes que consumiram o iogurte natural apresentaram queda nos níveis de serotonina e relataram menos saciedade. A ingestão calórica deles também aumentou, numa média de 176 calorias por dia.

Enquanto isso, o grupo que consumiu o iogurte com aroma de azeite ingeriu menos calorias de outras origens e apresentou resultados melhores nos exames de tolerância de glicose, que medem o controle do açúcar no sangue. As oscilações abruptas no açúcar no sangue são responsáveis parciais pela fome e pela saciedade.

Os cientistas atribuíram o impacto do aroma de azeite a dois compostos especialmente abundantes nos  azeites italianos.

Um deles é o hexanal, cujo cheiro seria semelhante ao de grama recém-cortada.
Para Rubach, as conclusões sugerem que o consumidor deve ter consciência de que o impacto fisiológico de uma refeição não se limita ao que ele vê em seu prato.

Fonte: Folha de São Paulo

1 de maio de 2013

Cardápios deveriam trocar calorias por exercícios...



As pessoas tendem a optar por refeições menos calóricas quando frequentam restaurantes que trazem em seus cardápios a quantidade de exercício necessário para queimar as calorias de cada um dos alimentos oferecidos.
Segundo os cientistas responsáveis pelo estudo, para estimular pessoas a controlarem melhor seu peso, seria mais eficiente informar a elas o que deverão fazer para queimar as calorias de um sanduíche, por exemplo, do que simplesmente informá-las quantas calorias o sanduíche contém.
A pesquisa, conduzida por uma equipe da Universidade Cristã do Texas, dividiu 300 voluntários com idade entre 18 e 30 anos em três grupos aleatórios.
Um recebeu um menu sem as informações calóricas; o segundo recebeu cardápios que continham o número de calorias de cada alimento, e o terceiro foi informado tanto sobre as calorias do alimento quanto sobre a quantidade de exercício necessário (em tempo de caminhada rápida) para queimar suas calorias.
No final, as pessoas do grupo que recebeu os menus com as informações sobre exercícios físicos pediram refeições menores e comeram menos, consumindo em média cem calorias a menos do que as outras.
Andar é fácil
As pesquisadoras Meena Shah e Ashlei James explicam que todos os menus continham a mesma seleção de alimentos e bebidas, que incluía hambúrgueres, sanduíches, salada, batata frita, refrigerantes e água. Nenhum dos voluntários estava ciente dos objetivos da pesquisa.
"Este é o primeiro estudo que reflete acerca dos efeitos de mostrar quantos minutos de caminhada rápida são necessários para queimar as calorias contidas nos alimentos consumidos. A pesquisa sugere que há benefícios," disse Meena Shah.
Os cientistas destacam o fato de que a caminhada rápida é um tipo de exercício que tem um grande apelo, já que é de fácil execução.
Shah, porém, ressalta que não é possível extrapolar as conclusões para a população com mais de 30 anos. Por isso, mais pesquisas, envolvendo pessoas mais velhas, ainda são necessárias.
Calorias
Outros estudos já demonstraram que as pessoas que fazem dietas são enganadas pelo nome dos alimentos e que nomes atrativos aumentam consumo de vegetais por crianças. Além disso, restaurantes com luz e música suaves ajudam a emagrecer.
E o próprio sistema de cálculo de calorias tem sido intensamente criticado por pesquisadores.
Fonte: Diário da Saúde