31 de julho de 2008

LANCHINHOS NO MEIO DO EXPEDIENTE....



Sem fome no trabalho: Ficar sem comer o dia todo não é uma boa estratégia para a saúde....


No trabalho, a correria da rotina pode defasar um cronograma de alimentação que inclui, além de um café da manhã e almoço equilibrados, os lanches entre estas refeições. O ideal são dois a três intervalos para matar aquela fome que sempre aparece.
Uma dica saudável é deixar sempre à mão um pacote de biscoito do tipo cream cracker ou água e sal e barrinhas de cereais. Ideal mesmo é combiná-los com uma fruta ou iogurte. Para quem não resiste a um sanduíche, vale dar preferência aos naturais, com recheios de frango, atum ou peito de peru, mas sem maionese! Eles são garantia de menos gordura.

As fibras também são uma boa alternativa para o lanche. Misture-as ao iogurte. E não custa nada reforçar a recomendação sobre a necessidade de líquidos, de preferência água, e lembrar sobre a restrição à quantidade de cafés. O consumo deve girar em torno de três a quatro xícaras pequenas.

BATATA DOCE PARA ATLETAS !!!




Doce tubérculo: A batata doce é um dos alimentos fonte de carboidratos prediletos dos atletas....


Uma das principais fontes energéticas de atletas, por ser rica em carboidratos, a bata-doce é sucesso na dieta de praticantes de atividades físicas por conter altas taxas de vitamina A, vitaminas do complexo B e alguns sais minerais, como cálcio, ferro, potássio, fósforo e um pouco de vitamina C.


E para quem não sabe, suas folhas também são bem nutritivas e podem ser preparadas como qualquer outra verdura. Quando comparada à batata inglesa, a grande diferença reside no índice glicêmico (a batata doce possui um IG muito menor). Este valor reflete o impacto promovido pelo carboidrato ingerido nos níveis sangüíneos de glicose.


É importante lembrar, no entanto, que a inclusão da batata doce na dieta do atleta em quantidades apropriadas, assim como de qualquer outro alimento, depende de alguns fatores, que só o profissional habilitado pode avaliar. Vale consultar um nutricionista antes de elaborar um cardápio adequado ao treinamento. Todos os nutrientes deste menu devem estar em equilíbrio.


NA HORA DE ESCOLHER O PÃO.....


Pão é uma tentação: Vale dar preferência aos integrais.....
Não são poucas as pessoas que não resistem a uma fatia ou pedaço de pão. O alimento fornece carboidrato (o amido, entre 50 e 75%), sais minerais (principalmente ferro e cálcio), vitaminas (sobretudo do complexo B e PP) e fibras fundamentais para a saúde.
O teor destas substâncias, no entanto, depende da farinha utilizada no preparo e de sua refinação. O pão integral é uma das melhores escolhas dentre a infinidade de tipos de pães disponíveis nos mercados. Contem mais nutrientes, geralmente fibras, que enriquecem uma alimentação saudável e ajudam a combater certas afecções do intestino, como a prisão de ventre.
É também recomendado em dietas de diabéticos ou de pessoas com níveis elevados de colesterol. A única preocupação é comer na medida certa, porque realmente, comer pão em exagero, especialmente as pessoas obesas, pode aumentar o ganho de peso. E é importante ficar atento ao que se passa no pão. Geralmente o que engorda é a manteiga, os molhos, os queijos gordos, os patês e outros alimentos usados para incrementar a fatia. Lembre-se de escolher aqueles que são feitos sem ou com pouca gordura!

30 de julho de 2008

QUINUA: PROTEÍNA EM GRÃO



Se você não sabe como colocar no prato o cereal mais festejado do momento, comece com as deliciosas receitas abaixo. Ricas em proteína, elas têm tudo a ver com a dieta de quem malha e quer músculos
De um ano para cá, ela é presença obrigatória em todo restaurante descolado e com menu saudável. Se é a primeira vez que você ouve falar da quinua, sossegue: aqui, você vai descobrir a razão do sucesso desse cereal, consumido por tribos andinas da Bolívia há mais de 500 anos.
A quinua é uma excelente fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico, que leva mais tempo para ser transformado em açúcar no sangue. Isso evita a produção em excesso de insulina, o hormônio responsável pelo estoque de gordurinhas. Ainda tem vitaminas, sais minerais e gordura boa. Mas é a proteína de alto valor biológico que faz desse grão um alimento especial. A quinua tem uma combinação de aminoácidos (componentes da proteína) semelhante à do arroz e feijão juntos. Cada grão contém 20 aminoácidos diferentes, entre eles a metionina e a lisina, responsáveis pela formação de uma proteína completa e de boa absorção – quase uma exclusividade dos alimentos de origem animal. Por isso, você pode recorrer a ele para recuperar e manter os músculos – importante para acelerar o metabolismo e, com isso, queimar mais calorias. A vantagem é ser livre da gordura saturada das carnes, que, em excesso, prejudica o coração. Ao contrário: tem ômega 3, gordura que limpa as artérias.
Ok, a quinua não tem a mesma quantidade de ferro que a carne. Porém, ganha de qualquer outro cereal também nesse quesito. Em cada 100 gramas, são 10,9 miligramas do mineral, que combate a anemia e garante pique. Essa é uma ótima notícia para quem come pouca (ou nenhuma) carne vermelha. O mix de fibras e vitaminas (C, E e especialmente as do complexo B) completa a valiosa ficha nutricional da quinua, considerado pela Food and Agriculture Organization (FAO) o melhor e mais completo alimento de origem vegetal.
Confira as receitas abaixo:


29 de julho de 2008

ESPAGUETE DE QUINUA COM TOMATE, MUSSARELA DE BÚFALA E MANJERICÃO


INGREDIENTES

MASSA
• 2 xíc. (chá) de espaguete de quinua

MOLHO
• 1 col. (sopa) de azeite de oliva
• 8 tomates sem pele e sem semente cortados em cubinhos
• Sal e pimenta-do-reino a gosto
• 2 mussarelas de búfala médias cortadas em quatro
• Folhas de majericão espaguete de quinua com tomate, mussarela de búfala e manjericão

MODO DE FAZER
Cozinhe a massa al dente e reserve. Numa frigideira antiaderente, aqueça o azeite e acrescente o tomate, o sal e a pimenta. Refogue rapidamente e coloque sobre a massa. Decore com a mussarela e o manjericão e sirva em seguida.
Tempo de preparo: 30 minutos
Rende: 4 porções
Calorias por porção: 230

PANQUECA DE QUINUA COM ESPINAFRE E QUEIJO


MASSA
• 2 ovos
• 3 col. (chá) de manteiga light
• 1 copo (200 ml) de leite desnatado
• 1/2 col. (café) de sal
• 3 col. (sopa) de farinha de trigo integral
• 1 col. (sopa) de farinha de trigo branca
• 7 col. (sopa) de quinua em flocos

RECHEIO
• 1/2 cebola ralada
• 1 maço de espinafre limpo e picado
• 1 col. (sobremesa) de azeite de oliva
• 350 g de queijo-de-minas fresco picado
• Sal a gosto

MODO DE FAZER
No liquidificador, junte os ovos, a manteiga, o leite, o sal, as farinhas e a quinua. Bata por dois minutos. Unte uma frigideira pequena antiaderente com um fio de óleo e aqueça. Coloque uma concha da massa e espalhe bem. Doure dos dois lados. Repita a operação até acabar a massa. Reserve. Para o recheio, refogue a cebola e o espinafre no azeite. Acrescente o queijo e refogue por mais dois minutos. Escorra a água que soltar do espinafre. Bata no liquidificador (ou processador) por dois minutos e tempere com o sal. Recheie as panquecas e sirva com uma salada.
Tempo de preparo: 40 minutos
Rende: 4 panquecas
Calorias por panqueca: 190

TORTA DE QUINUA COM BRÓCOLIS


INGREDIENTES

MASSA

• 1 1/2 xíc. (chá) de farinha de quinua
• 3 col. (sopa) de manteiga light gelada
• 1/2 col. (café) de sal
• 5 col. (sopa) de água gelada

RECHEIO
• 300 g de ricota fresca
• 1 ovo
• 4 xíc. (chá) de brócolis cozido al dente no vapor
• 1/2 cebola ralada
• 1/2 copo de leite desnatado
• Sal, pimenta-do-reino e orégano a gosto

MODO DE FAZER
Numa tigela funda, misture a farinha, a manteiga e o sal. Adicione a água e amasse com a ponta dos dedos até formar uma massa homogênea. Faça uma bola, envolva em filme plástico e leve à geladeira por 30 minutos. Forre o fundo e as laterais de uma fôrma redonda pequena de aro removível com a massa. Reserve. Para o recheio, bata todos os ingredientes no liquidificador. Coloque sobre a massa e leve ao forno preaquecido em temperatura média por 30 minutos.
Tempo de preparo: uma hora
Rende: 13 fatias
Calorias por fatia: 95

TABULE DE QUINUA


INGREDIENTES

• 1/2 xíc. (chá) de quinua em grão
• 1 xíc. (chá) de água
• Sal a gosto
• 1/2 xíc. (chá) de pepino japonês em cubos
• 1/2 xíc. (chá) de tomate sem pele e sem semente picado em cubinhos
• 1/2 xíc. (chá) de cebola picada em cubos
• 1 pitada de zaatar (tempero árabe)
• 1 pitada de pimenta síria
• 1 pitada de sumac (tempero árabe)
• 1 col. (chá) de hortelã picada
• 3 col. (chá) de salsinha picada
• 1 col. (café) de sal
• 3 col. (sopa) de azeite de oliva
• 1 col. (chá) de suco de limão
MODO DE FAZER

Numa panela, coloque a quinua, a água e o sal a gosto. Deixe ferver por dez minutos. Escorra e lave em água corrente para interromper o cozimento. Deixe esfriar. Coloque numa travessa funda e misture os outros ingredientes.
Tempo de preparo: 30 minutos
Rende: 6 porções
Calorias por porção: 48

AS 4 FRUTAS QUE ELIMINAM GORDURAS...SEGUNDO ESTUDOS..




PÊRA
Pesquisa do Instituto de Medicina Social da Universidade do Rio Janeiro e publicada no o Journal of Nutrition, mostrou que as mulheres que comeram três pêras por dia durante 12 semanas consumiram menos calorias e perderam mais peso do que as que não ingeriram nenhuma fruta. O estudo foi feito com 411 voluntárias entre 30 e 50 anos. A pêra tem a grande vantagem de ser bem fibrosa. Concentra, em média, 3 gramas de fibras totais por 100 gramas. Ela também é grande fonte de fibras insolúveis, que estão relacionadas à prevenção de prisão de ventre e de doenças como diverticulite e câncer de cólon.
GRAPEFRUIT E SUAS IRMÃS
Quer uma razão para reverenciar essa fruta? Ingerir metade de uma grapefruit ou tomar seu suco antes de cada refeição pode ajudar na perda de até meio quilo por semana, mesmo que você não mude absolutamente nada na sua dieta. Foi essa a conclusão a que chegaram os pesquisadores da Scripps Clinic, na Califórnia. Eles acompanharam 100 obesos por 12 semanas. Passado esse período, descobriram que componentes da fruta ajudam a regular a produção de insulina, um hormônio que está intimamente ligado ao estoque de gordura. Níveis baixos de insulina também contribuem para afastar o apetite por mais tempo – quando os índices estão elevados, o hormônio estimula o hipotálamo, região do cérebro que, entre outras funções, regula a fome. Se anda difícil encontrar grapefruit na sua cidade, aposte em duas outras variedades: a laranja-pêra e a laranja-bahia. Elas contêm os mesmos compostos e atuam da mesma forma no emagrecimento.
BANANA VERDE
Nesse estágio, ela faz a balança se render graças a um amido resistente que ainda marca presença no macarrão integral, no feijão branco, na lentilha, na cevada e no pão com grãos integrais, que têm alto poder de saciedade. Esse efeito ficou mais do que comprovado em uma pesquisa americana realizada pela Universidade do Estado de Louisiana e publicada no Journal of Obesity. De acordo com o estudo, esse amido estimula hormônios que fazem o organismo se sentir satisfeito e sinalizam que é hora de parar de comer. O amido resistente também promove um aumento do peristaltismo intestinal, que pode diminuir a absorção de nutrientes e, conseqüentemente, de calorias. Outro dado: um pequeno estudo da Universidade do Colorado revelou que a queima de gordura foi 23% maior entre os pacientes que incluíram alimentos ricos nesse amido. Dá para comer banana verde? Sim. Você encontra receitas ótimas na internet.
AMÊNDOAS
Esta também é de cair o queixo: um farto punhado de amêndoas, cheia de gorduras benéficas é capaz de reduzir o peso. E não só ele: a barriga também! Isso é o que mostra um estudo realizado no City of Hope National Medical Center in Duarte, Califórnia, nos Estados Unidos, e publicado no International Journal of Obesity. Em seis meses, os pacientes que adotaram diariamente 84 gramas da fruta oleaginosa (cerca de 70 unidades!) reduziram 18% do peso e 14% da medida na cintura. O colesterol ruim (LDL) também diminuiu 15% e os triglicérides, 29%. O grupo que se deliciou com as amêndoas perdeu também 56% a mais de gordura corporal em comparação com a turma que ingeriu o mesmo número de calorias na forma de carboidratos complexos, que estão nos cereais integrais, no arroz, nos pães, nas massas e nas batatas. Além das fibras, que afastam a fome por mais tempo, a amêndoa contém ômega-3, gordura do bem que ajuda a estimular os hormônios da saciedade.
Adaptado de Revista Saúde nº 300.

23 de julho de 2008

OS ALIMENTOS QUE AFASTAM O CÂNCER DE ESÔFAGO, O COLESTEROL E A ARTRITE



Vegetais para blindar o corpo...Esta é para você que ainda não se convenceu de que hortaliças e frutas são sinônimo de saúde:

Esta é para você que ainda não se convenceu de que hortaliças e frutas são sinônimo de saúde: pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos testaram em cobaias a atuação dos vegetais contra tumores no esôfago e constataram que, quanto maior o consumo, menor o risco. Em contrapartida, entre os animais que comeram mais carne vermelha, cresceram as chances de aparecer um câncer desse tipo.
A nutricionista Vanderlí Marchiori, da Associação Paulista de Nutrição, atribui esse efeito benéfico a substâncias de nomes pra lá de estranhos, como fitoquímicos sulfurados, monoterpenos e bioflavonóides.
O governo dos Estados Unidos sugere a ingestão de nove vegetais todos os dias. Parece muito? Mas não é...pense na saúde que você irá ganhar ao ingerir frutas e hortaliças, todos os dias...seu corpo agradece.
Fonte: Revista Saúde.

22 de julho de 2008

MAIS UMA DO ÔMEGA-3...ELE COMBATE A OSTEOPOROSE




O nutriente, famoso por seu potencial antiinflamatório, é o mais novo aliado do esqueleto no combate à osteoporose.
Na sua vasta obra em prol do organismo, essa gordura já provou benefícios ao cérebro e ao coração e consagrou-se na prevenção de um sem-número de doenças. Para a alegria dos fãs de peixes, frutos do mar, sementes de linhaça e companhia, outro mal está entrando na lista negra do ômega-3: a osteoporose.
A constatação tem um gostinho ainda mais saboroso para as mulheres, sobretudo aquelas que se aproximam ou já passaram da menopausa. São elas as principais vítimas da doença que promove o esfarelamento da massa óssea. Isso porque, nessa fase da vida, a queda da produção de estrogênio, o hormônio feminino, repercute na capacidade do esqueleto de repor as inevitáveis perdas diárias de minerais.
As mulheres que querem distância do problema ou que lutam para controlá-lo não devem se esquecer, portanto, de ingerir as fontes desse ácido graxo. O recado também vale para os homens eles estão sujeitos à osteoporose, mas a incidência é menor.
Para oferecer ao organismo e ao esqueleto a cota ideal de ômega-3, nem é preciso forçar a barra. Os peixes de água fria são as grandes reservas, e se você saboreá-los em duas refeições por semana... Já é o suficiente !!!

20 de julho de 2008

BOAS NOVAS SOBRE A MAÇÃ...CORAÇÃO PROTEGIDO




Diz o ditado americano que comer uma maçã por dia é a receita para manter-se longe das doenças e, portanto, do consultório médico.
Estudiosos da Universidade Complutense, em Madri, também apostam nessa fruta como garantia de longevidade. Eles observaram que o fruto da macieira ajuda a controlar os níveis de colesterol, triglicérides e glicose sanguínea.
A pectina (fibra solúvel, presente na polpa da maçã) está por trás dessa ação, pois seria capaz de arrastar as gorduras para fora do organismo.

OS PODERES ANTIINFLAMATÓRIOS DA ROMÃ

Cientistas da Universidade Case Western Reserve, em Ohio, nos Estados Unidos, investigaram a ação da fruta contra a artrite. O estudo, realizado com animais, mostra que substâncias como o ácido elágico combatem o problema, que afeta as cartilagens.
Segundo o pesquisador Tariq Haqqi, observou-se que esses compostos reduzem processos inflamatórios. Mais um ponto, portanto, para essa delícia, já famosa por proteger o coração. Vale apostar nos sucos ou salpicar as sementes em saladas. Outra boa pedida é abusar do fruto in natura, só é preciso um dose de paciência para separar cada grão...mas este sacrifício vale a pena !!!

QUANTO MAIS CACAU, MELHOR...




A concentração desta matéria-prima é o que torna o chocolate tão saudável.
Seus flavonóides reduzem a glicose, fator de risco para a doença cardiovascular. E, para citar apenas dois entre muitos estudos, experiências com cobaias, feitas na Universidade de Barcelona, na Espanha, mostraram que seus compostos estimulam o sistema imunológico.
Já uma pesquisa com seres humanos, realizada pela Universidade Hospital Colônia, na Alemanha, concluiu que seu consumo reduz a pressão arterial.

17 de julho de 2008

EMAGRECER SEM PERDER PESO É POSSÍVEL !!!






Emagrecer nem sempre está acompanhado ou relacionado com a perda de peso....
Emagrecer significa reduzir o volume de gordura das células adiposas do corpo. Perder peso é a redução da massa corporal (perda de peso total) verificada por meio de balança. A perda de peso relaciona-se com a perda de gordura corporal e outros tecidos. Emagrecer nem sempre está acompanhado ou relacionado com a perda de peso total, o emagrecimento verifica-se por meio de testagem com equipamentos e técnicas especiais do tipo: adipômetro.
Podemos emagrecer sem perder peso ou mesmo aumentá-lo, durante o processo de treino, principalmente por meio da musculação, a qual beneficia ganhos em massa muscular que é constituinte da massa corporal magra ou livre de gordura. Na maioria dos casos de treinamentos, exemplificado aqui pela musculação, observa-se perda de massa corporal gordurosa com pouco ou nenhuma perda de peso corporal total. O novo conceito de emagrecimento é reduzir gordura e aumentar massa magra (músculos e ossos). Por isso é comum as pessoas se sentirem magras, com medidas menores e estarem com o mesmo peso total.

CUIDADO COM AS SALADAS




Quanto mais colorida melhor: Salada que não engorda utiliza ingredientes pouco calóricos e muita variedade.
Quem disse que salada não engorda pode estar enganado. Afinal de contas, dependendo dos molhos, temperos e ingredientes utilizados, a receita pode acabar com a dieta. Por falta de informação, algumas pessoas abusam e colocam de tudo: bacon, massas, maionese, molhos prontos. Tudo muito calórico.
Certas frutas incluídas nas saladas devem ainda ser ingeridas com precaução. O abacate, por exemplo, é rico em gordura e mesmo nutritivo, é preciso ter cuidado na hora de dosar a quantidade.
A dica é principalmente se a salada for o prato principal de uma refeição, utilizar diversos grupos de alimentos para haver equilíbrio. São importantes verduras, legumes, proteínas e algum tipo de gordura, preferencialmente o azeite de oliva extra-virgem. Temperar com vinagre, sal e limão também não faz mal.

16 de julho de 2008

KIWI - UM PODEROSO ANTIOXIDANTE





Um estudo de pequena escala revelou que o kiwi está entre os mais elevados em biodisponibilidade antioxidante, em comparação com outros frutos ricos em antioxidantes e frutos vermelhos. Os investigadores do Centro de Nutrição de Crianças do Arkansas do Departamento da Agricultura norte-americano, em Little Rock, realizaram uma comparação entre o kiwi, uvas vermelhas e morangos.
O estudo, publicado na "Journal of the American College of Nutrition", descobriu que o kiwi forneceu um nível de ingestão de antioxidantes de 12,5, em comparação com as uvas, de 4,2, e os morangos, de 1,7. O kiwi resultou no aumento mais significativo no metabolismo e na absorção antioxidante.
O Dr. Ronald Prior e a equipe de investigação mediram os antioxidantes no organismo ao analisar os aumentos na capacidade antioxidante no sangue e o aumento da resistência das células aos danos oxidativos induzidos pelo peróxido de hidrogénio. Os antioxidantes incluem vitaminas e fitoquímicos, chamados flavonóides, que podem ter o poder de neutralizar moléculas instáveis, ou radicais livres, que podem ser relacionadas com doenças crônicas e envelhecimento. Os investigadores estão percebendo que os antioxidantes devem ser consumidos em todas as refeições e, regularmente se parar o consumo de antioxidantes na dieta, ao longo do tempo, o número em excesso de radicais livres produzido pode começar a danificar os componentes celulares, levando, no final, a aterosclerose e cancro.

IDADE X METABOLISMO



Com o passar dos anos, o nosso metabolismo (quanto gastamos de calorias) vai diminuindo. Existe, naturalmente, uma tendência à perda gradual de massa magra (principalmente muscular) e a composição corporal vai se modificando. Conclusão: gordurinhas extras!
Para reverter esse quadro, analise como anda o seu estilo de vida: está praticando alguma atividade física regular? Se alimentando de forma equilibrada? E como vai a sua saúde mental? Para controlar o apetite, procure comer a cada três horas e evite alimentos ricos em carboidratos refinados de alto índice glicêmico (que contenham açúcar e/ou farinha branca), cuide bem de suas emoções para não cair na “comilança emocional” e procure fazer exercícios regulares pelo menos três vezes por semana. A atividade física, além de queimar calorias, ajuda a liberar serotonina, neurotransmissor que diminui a compulsão alimentar.

15 de julho de 2008

DESCOBERTO PODER PREBIÓTICO DAS AMÊNDOAS




Amêndoas são ricas em vitamina E e outros minerais, tendo propriedades importantes como o auxílio na redução dos níveis de colesterol sanguíneos. Recentemente, o Institute of Food Research identificou potenciais efeitos prebióticos das amêndoas.
Os prebióticos são substâncias derivadas de fibras alimentares, ou seja, de carboidratos não digeríveis pelo nosso corpo, possuindo desta forma uma configuração molecular que os torna resistentes à ação de enzimas. As bactérias boas do nosso intestino utilizam estes prebióticos para sua multiplicação e crescimento protegendo ainda mais nosso organismo contra substâncias patogênicas. Além da manutenção da flora intestinal os prebióticos ainda são estímulo à motilidade intestinal, melhoram a consistência das fezes, prevenindo assim a diarréia e a constipação intestinal, e facilitam a eliminação do excesso de glicose (açúcar), colesterol e substâncias tóxicas.

14 de julho de 2008

NUTRIÇÃO FUNCIONAL




Nutrição Funcional é uma evolução natural da Ciência do corpo humano. Ela está fundamentada nas informações fisiológicas e bioquímicas do organismo, compreendendo a interação que existe entre todos os sistemas do corpo em conjunto com as características dos nutrientes. Os profissionais consideram o diagnóstico e o tratamento nutricional centrado no paciente, conforme as características genéticas, bioquímicas e metabólicas dos desequilíbrios funcionais desencadeantes dos processos patológicos, visando à promoção, manutenção e recuperação da saúde, vendo a "PESSOA" como um ser inteiro em seus aspectos fisiológicos, emocionais, sociais e de essência humana.
Somos formados por cerca de 100 trilhões de células e renovamos 50 milhões destas diariamente. Estas células são formadas exclusivamente por nutrientes e fitoquímicos e estes são fornecidos pela nossa alimentação diária. É exatamente essa matéria-prima que fornecemos para a renovação celular que irá determinar o resultado, bom ou ruim, orgânico ou funcional do novo tecido que teremos.
Os nutrientes e fitoquímicos dos mais variados alimentos sejam eles, funcionais ou não, executam funções específicas no nosso organismo e, conhecendo esses processos pode-se detectar os desequilíbrios funcionais. Esses desequilíbrios funcionais são alterações das funções normais orgânicas, causadas por carências nutricionais e sobrecarga do sistema imunológico, além da diminuição da capacidade do organismo de eliminar toxinas. Esses desequilíbrios funcionais podem desencadear distúrbios que nos afetam tanto na nossa saúde física, como mental e emocional. Dessa forma, a Nutrição Funcional possibilita tratar efetivamente as CAUSAS desses distúrbios, restabelecendo o equilíbrio orgânico e PREVENINDO novos problemas.
A Nutrição Funcional tem aplicação urgente devido a insatisfação com o modelo convencional de tratamento, o encarecimento progressivo dos tratamentos alopáticos, os efeitos colaterais dos medicamentos e principalmente pela mudança consensual da população que vem dando preferência a uma visão mais integral do processo saúde-doença.

ALIMENTOS PODEM SER ANTIINFLAMATÓRIOS NATURAIS




Medicamentos, hoje em dia, cada vez menos! Os alimentos funcionais vão além da Nutrição. São aliados na batalha contra doenças inflamatórias. A inflamação é considerada uma defesa do organismo às agressões externas e internas, no entanto, através de evidências científicas verificou-se que o excesso de inflamações pode ocasionar doenças, tais como: câncer, diabetes, doenças cardiovasculares, obesidade, Alzheimer, alergias , artrite, entre outras.
Neste sentido, entende-se porque as pessoas obesas possuem maior dificuldade na perda de peso, pois possuem maior quantidade de tecido adiposo onde encontra-se a maior concentração desses contaminantes.Dentre este conceito, verdade é que quanto maior for a ingesta do indivíduo por alimentos ricos em gorduras saturadas, açúcares refinados, pobre em frutas , legumes e integrais maior será a estimulação do processo inflamatório.

A nutrição funcional, neste contexto, tem a propriedade em afirmar que há alimentos que são antiinflamatórios e que uma dieta rica nesses alimentos pode modular prevenindo e inibindo este processo, fortalecendo o sistema imunológico e o equilíbrio de todas as funções básicas do organismo.
Alguns alimentos com poder antiinflamatório:
- Peixes de água fria (salmão, atum, arenque, etc);
- Óleo de milho ou girassol;
- Soja;
- Semente de girassol;
- Castanhas, nozes;

11 de julho de 2008

SEGREDO PARA EMAGRECER: MANTENHA UM DIÁRIO ALIMENTAR





Manter um diário alimentar pode ser uma chave para perder excesso de peso, mostrou um novo estudo. O estudo, publicado na edição de Agosto da revista científica American Journal of Preventive Medicine, incluiu 1.685 adultos obesos ou em sobrepeso a partir dos 25 anos de idade.Eles mantiveram diários alimentares por seis meses, foram encorajados a comer uma dieta saudável e tornarem-se fisicamente ativos. Eles também se encontravam semanalmente em grupos para compartilhar seus diários e trocar informações sobre como julgar o tamanho de uma porção.

Depois de seis meses os participantes perderam em média 6 kg. A maneira mais eficaz de prever a sua perda de peso era a quantidade de dias por semana que eles mantinham o diário alimentar.Aqueles que mantinham o diário por seis dias na semana, anotando tudo o que comiam e bebiam nestes dias, perderam cerca do dobro de peso do que aqueles que mantinham o diário por apenas um dia da semana ou menos.

10 de julho de 2008

CUIDADOS PARA O VEGETARIANO





Adotar alimentação vegetariana é uma opção que deve ser bem planejada. Afinal, a carência de alguns nutrientes pode acontecer...
Quem opta por uma dieta vegetariana deve estar ciente e bem orientado do cardápio a seguir. Caso contrário, a deficiência de proteínas e calorias pode levar a desnutrição, anemia e outros problemas. As vantagens nesse comportamento são visíveis no nível de colesterol no sangue, que é menor, nas baixas taxas de mortalidade por doença coronariana, nos índices reduzidos de obesidade, na baixa incidência de alcoolismo, na menor probabilidade para intestino preso, câncer de pulmão, diabetes e outras doenças.
Pessoas que adotam a dieta vegetariana só por uns tempos para desintoxicar o organismo ou aquelas que decidem abdicar às carnes de uma vez por todas devem tomar cuidado com a quantidade de proteínas necessárias para o organismo. Essas substâncias, todavia, são obtidas através de alimentos como leite, ovos e derivados. Já quem opta pela dieta com o objetivo de perda de peso deve evitar alimentos fritos, massas ou alimentos em geral com molhos coloridos, doces gordurosos como bolos, tortas, cremes, chocolates. A quantidade de carboidratos (pães, massas, risotos) também deve estar sob controle.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PROTEGE O CÉREBRO



A alimentação saudável é uma parte fundamental dos cuidados básicos que devemos ter ocm nossa saúde. Além de nos proteger contra doenças do coração, câncer, diabetes e obesidade, uma dieta balanceada também nos mantém mais longe de desordens mentais. Isto se dá porque o alimento contém compostos químicos que afetam o cérebro. A alimentação, aliada à práticas como controle do estresse, exercício moderado e sono adequado mantém nossa função mental a 1000.
Em um artigo de revisão publicado este mês na revista científica Nature Reviews Neuroscience vários nutrientes como o ômega-3 (encontrado em peixes e linhaça, principalmente) são citados como capazes de melhorar a memória e ajudar na batalha contra as desordens mentais que incluem depressão, alterações de humor, esquizofrenia e demência.Outros nutrientes como o ferro, zinco, ácido fólico, vitaminas A, B6, B12 e C, assim como aminoácidos também são fundamentais para a inteligência, memória e aprendizagem.
E, não seja egoísta! Pesquisas recentes apontam para a hipótese de que a saúde ou doença do sistema nervoso é passada para nossos descendentes. Estudos vem demonstrando que o que você come afetará as moléculas nervosas e sinapses de seus netos, aumentando neles o risco de doenças crônicas não degenerativas, como o diabetes. As bases moleculares para o fenômeno ainda estão sendo estudadas mas até o momento se sabe que calorias em excesso reduzem a flexibilidade das sinapses e aumenta a vulnerabilidade de células que, quando danificadas, aumentam a formação de radicais livres.Ao contrário, dietas ricas em gorduras trans e gorduras saturadas afetam adversamente o sistema nervoso aumentando as desordens cognitivas. Como pouquíssimas pessoas receberam como herança genes extremamente bons, a maioria de nós precisa mesmo de dieta balanceada afim de promover não só nossa saúde mas também a de nossos descendentes.

8 de julho de 2008

NUTRIGENÉTICA E NUTRIGENÔMICA


Nutrigenética refere-se ao impacto da genetica em nossas necessidades individuais de nutrientes.

Genética → Interações nutricionais

Nutrigenômica refere-se geralmente à maneira como a alimentação regula a expressão ou função dos genes.

Dieta → Expressão Gênica

O estudo desta ciência, de como os alimentos conversam com os genes, é fundamental já que cada indivíduo é diferente. É por isto que não existe uma dieta ou programa de exercício que funcione para todos. Cada indivíduo deve encontrar o programa mais eficiente para seu organismo. Quando trabalhamos a favor dos genes conseguimos perder peso, conservar o peso perdido e melhorar a saúde.

Para saber mais:

http://www.foresight.gov.uk/Obesity/Obesity_final/077-081.pdf

LICOPENO É TÃO EFICIENTE QUANTO MEDICAMENTOS PARA A SAÚDE DAS ARTÉRIAS




Suplementos de licopeno, o pigmento antioxidante encontrado em alimentos como tomate, melancia e goiaba parece ser tão eficiênte na redução da formação de placas nas artérias quanto as estatinas. Os estudos foram feitos em animais (coelhos) e publicados na revista científica Nutrition. Caso possam ser replicados em humanos, serão um grande aliado na prevenção da aterosclerose.Min-Yu Hu e colaboradores da Universidade Central South em Changsha, na China dividiram 40 ratos machos e adultos em 5 grupos que consumiram dietas padrão, rica em gordura, rica em gordura adicionada de 4 ou 12 mg/kg de licopeno, ou dieta rica em gordura com 10 mg/kg do medicamento fluvastatina. As doses de licopeno nos animais foram altas visto que os mesmos não absorvem bem o pigmento. Ao final das 8 semanas de estudo, os animais alimentados com a dieta rica em gordura tiveram um aumento nas concentrações de LDL-c, triglicerídeos, malonaldeído e interleucina-1. Contudo, animais que consumiram dietas ricas em gordura suplementadas com licopeno ou fluvastatina tiveram melhoria nestes biomarcadores sendo que a melhoria foi maior naqueles animais que consumiram licopeno.
Para saber mais:
M.-Y. Hu, Y.-L. Li, C.-H. Jiang, Z.-Q. Liu, S.-L. Qu, Y.-M. Huang "Comparison of lycopene and fluvastatin effects on atherosclerosis induced by a high-fat diet in rabbits". Nutrition. Published online ahead of print, 30 June 2008, doi: 10.1016/j.nut.2008.05.006.

CHÁ VERDE REDUZ RISCO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES


Todos os dias aparecem estudos que demonstram os benefícios do consumo do chá verde. Este mês o European Journal of Cardiovascular Prevention and Rehabilitation publicou novo estudo mostrando que o consumo de chá verde melhora rapidamente a função endotelial de células do sistema circulatório. Isto é importante visto que disfunções endoteliais estão envolvidas na progressão da aterosclerose. O chá preto também melhora a função endotelial porém apenas a longo prazo enquanto os chás verdes já melhoram a função imediatamente. Isto se dá pois os flavonóides (substâncias antioxidantes) contidos no chá verde são mais potentes já que não foram oxidados.

Para saber mais:
Alexopoulos N, Vlachopoulos C, Aznaouridis K, et al. The acute effect of green tea consumption on endothelial function in healthy individuals. European Journal of Cardiovascular Prevention and Rehabilitation 2008; 15: 300-305.

6 de julho de 2008

Nutrição Esportiva Personalizada para Atletas e Praticantes de Atividade Física....



Uma dieta adequada ajuda a otimizar o rendimento esportivo dos atletas que visam bons resultados a nível de competição. Nos níveis mais altos de competição esportiva, a intervenção nutricional pode ser a diferença entre ganhar e perder. Está claro que os processos de treinamento e competição serão afetados quando a dieta não for equilibrada.
Já para o público praticante de atividade física não competitiva, bons hábitos alimentares juntamente com a prática de atividade física melhoram a saúde e o bem-estar, evitam a obesidade, os riscos de doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer e osteoporose, além de contribuir para a promoção da saúde mental.
Possuímos a estratégia certa para você atingir seus objetivos, de forma personalizada e com uma equipe de profissionais especializada na área de Nutrição Esportiva.

ORÉGANO: ANTIINFLAMATÓRIO NATURAL


O orégano é uma erva aromática muito utilizada na culinária. O que muita gente não sabe é que além de conferir à pizza seu sabor típico, o orégano ainda atua como um antiinflamatório natural. Isto porque a erva contém uma substância biologicamente ativa denominada beta-cariofilina (E-BCP), também encontrada no manjericão, no alecrim, na canela, e na pimenta preta. Esta substância também parece ter um efeito protetor contra a osteoporose e a aterosclerose.

ESTRESSE AUMENTA O APETITE E A COMPULSÃO ALIMENTAR



De acordo com uma nova pesquisa publicada no Journal of Consumer Research, assistir aos crimes nos noticiários pode aumentar o apetite. Os autores do trabalho, Dra. Naomi Mandel (Arizona State University) e Dr. Dirk Smeesters (Erasmus University Rotterdam, the Netherlands) conduziram diversos experimentos na Europa e nos Estados Unidos. Durante o projeto os participantes relatavam por escrito seus sentimentos sobre os acontecimentos, a insegurança devido à violência das cidades e o medo de morrer. Os pesquisadores compararam as emoções relatadas com os alimentos consumidos e concluíram que os indivíduos mais estressados e preocupados com a morte comiam mais do que outros indivíduos (mesmo aqueles com problemas de saúde porem sem preocupações com a própria segurança). A pesquisa mostrou também que indivíduos com baixa auto-estima consumiam quantidades maiores de alimentos após os pensamentos de angústia com a morte. Uma das possíveis causas é que ao refletir sobre a própria e inevitável mortalidade muitas pessoas se angustiam pois acham que não fizeram muitas coisas positivas ou memoráveis. Uma forma de lhe dar com isto é aumentar a compulsão alimentar ou mesmo gastar exageradamente nas compras do shopping. O estudo também revelou que ao colocar um espelho em frente aos participantes os mesmos consumiam menos.
Para saber mais: Mandel, Naomi; Smeesters. "The Sweet Escape: Effects of Mortality Salience on Consumption Quantities for High- and Low-Esteem Consumers" Journal of Consumer Research: August 2008.

3 de julho de 2008

7 MITOS SOBRE O JEJUM






1. Fazendo exercícios em jejum, emagreço mais rápido.

FALSO. Durante a execução dos exercícios físicos, se você estiver em jejum, seu nível de glicose no sangue pode estar muito baixo (hipoglicemia). Então, seu organismo vai passar a consumir proteínas. Você perde massa magra (músculos), diminui seu metabolismo e acaba ficando mais fraco. A performance cai e o desgaste físico e emocional aumenta. Em condições normais, com alimentação equilibrada, o organismo consegue manter este equilíbrio interno. No entanto, a o jejum prolongado pode comprometer esse balanço energético.

2. Ficar muito tempo sem comer deixa o metabolismo mais lento.

VERDADE. Depois de muito tempo sem comer, o metabolismo passa a funcionar mais lentamente, como tentativa de economizar energia. Como conseqüência, na próxima refeição, a tendência é acumular mais gordura. O ideal é não ficar sem comer por mais de 4 horas, distribuindo as refeições durante o dia.

3. O jejum acelera os resultados da dieta.

FALSO. As pessoas normalmente relacionam a dieta como algo muito restritivo, acreditando erroneamente que a reeducação alimentar proibirá o consumo de certos alimentos. Embora uma boa alimentação possa ter certas limitações, não há proibições absolutas.

4. Ficar em jejum causa dor de cabeça.

VERDADE. O cérebro não tem qualquer reserva energética e por isso, independente do estado nutricional é necessário que haja um suprimento de glicose, provenientes principalmente de alimentos fontes de carboidratos para este tecido. Situações de hipoglicemia, por exemplo, onde ocorre uma redução dos níveis de glicose sanguínea, podem acarretar perturbações no funcionamento do sistema nervoso central, que vão desde cefaléia, incoordenação de fala e motora, até alterações no eletroencefalograma e coma.

5. Ficar três horas sem comer não prejudica o organismo.

VERDADE. Períodos curtos de jejum (de uma a três horas sem comer) não acarretam problemas. Esse é o tempo médio que o organismo leva para realizar a digestão e conseqüente absorção dos alimentos. Mas pessoas com tendência a hipoglicemia devem se alimentar a cada duas horas. Do contrário, podem surgir sintomas como visão turva, cefaléias, enjôos, vômitos, tremores.

6. Pular o café-da-manhã diminui a capacidade raciocínio.

VERDADE. Jejuns superiores a quatro horas podem resultar em lentidão dos movimentos, raciocínio confuso, perda de memória, dores musculares e de cabeça, tontura e até mesmo desmaios em alguns casos mais graves. Quem persiste em tornar o almoço a primeira refeição do dia, está expondo o organismo a mais de doze horas em jejum. Esse estado metabólico também pode favorecer consideravelmente o aparecimento de infecções já que o organismo está fraco devido a falta de nutrientes.

7. Ficar em jejum durante o dia causa mau hálito.

VERDADE. A presença do mau hálito, decorrente da acidose metabólica (excesso de acidez no sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de carboidratos) é decorrente a jejuns superiores a seis horas. Esta característica é bem comum em pacientes com diabetes. Os mecanismos de compensação realizados pelo organismo em situações de acidose é uma respiração mais profunda e rápida: o organismo tenta livrar o sangue do excesso de ácido reduzindo a quantidade de dióxido de carbono. Os rins tentam excretam mais ácido na urina. Quando estes dois mecanismos não conseguem estabelecer a homeostase e o corpo continua a produzir ácido em demasia, instala-se um quadro de acidose grave e, em última instância, o coma.