31 de outubro de 2013

Anvisa diz que 36% dos alimentos têm nível insatisfatório de agrotóxicos...

 
Relatório divulgado nesta terça-feira (29) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a presença de agrotóxicos em frutas, legumes e verduras apontou em 36% das amostras analisadas em 2011 e 29% das amostras verificadas em 2012 apresentaram resultados considerados insatisfatórios pela agência.
Segundo o estudo, nestes casos os alimentos continham níveis de substâncias tóxicas superiores ao limite imposto no Brasil ou ainda compostos químicos que nunca foram registrados para uso no país. Os dados fazem parte do estudo que integra o Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para).
Segundo a Anvisa, a escolha dos produtos analisados baseou-se nos dados de consumo obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na disponibilidade destes alimentos nos supermercados dos diferentes estados e no perfil de uso de agrotóxicos nestes alimentos.
Em 2011, foram estudadas 1.628 amostras de nove alimentos (alface, arroz, cenoura, feijão, mamão, pepino, pimentão, tomate e uva).

Das 589 amostras consideradas insatisfatórias (36% do total analisado), 520 apresentaram algum tipo de agrotóxico não autorizado para a cultura; 38 estavam com produtos tóxicos com nível acima do limite imposto pela Anvisa; e 31 amostras tinham resíduos tóxicos de produtos não autorizados para aquela cultura e com níveis de agrotóxico acima do limite.

O composto carbendazim, um tipo de fungicida, foi o mais encontrado nos produtos analisados, seguido dos inseticidas metamidofos e clorpirifos.
O estudo apontou ainda a presença de ingredientes ativos tebufempirade e azaconasol em amostras de uvas analisadas. Ao encontrar tais compostos, a Anvisa sugere a ocorrência de contrabando desses agrotóxicos, que nunca tiveram registro no país.
Índice caiu em 2012
No ano seguinte a agência analisou 1.665 amostras de sete culturas coletadas (abacaxi, arroz, cenoura, laranja, maçã, morango e pepino).
O estudo verificou que 483 delas (29%) foram consideradas insatisfatórias por apresentarem resíduos de produtos não autorizados, ou autorizados, mas em concentrações acima do Limite Máximo de Resíduo.
Deste total, em 416 amostras havia a presença de agrotóxicos não autorizados para a cultura; 40 amostras tinham substâncias acima do limite permitido e não permitidas para a cultura; e em 27 amostras havia a presença de agrotóxicos acima do permitido.
O destaque foi para a substância clorpirifos, seguidos dos inseticidas acefato e dimetoato. Além disso, 152 amostras apresentaram resíduos de ingredientes ativos em processo de reavaliação toxicológica ou em etapa de venda descontinuada programada no Brasil.
Melhora na orientação
Segundo a Anvisa, os dados “reforçam a necessidade de melhoria na formação dos produtores rurais” e o acompanhamento do uso de agrotóxicos na agricultura brasileira.

A Anvisa reforça que uma difusão melhor sobre boas práticas relacionadas ao agrotóxico “podem evitar a exposição indevida aos agrotóxicos, por exemplo, quando produtores rurais utilizam agrotóxicos não autorizados para a modalidade de aplicação”.
Fonte: G1

29 de outubro de 2013

Hidratação x corrida...



Por mais que o corredor não sinta vontade, é necessário se hidratar constantemente. A hidratação é um ponto crítico e determinante da capacidade de treinamento, competição e recuperação.
 
O consumo adequado de líquidos antes, durante e depois da prática de uma atividade física é uma prática nutricional de fundamental importância para otimizar o desempenho e proteger a saúde e o bem-estar de quem está se exercitando.
 
Nosso corpo é formado basicamente de água, que corresponde a 60% do nosso peso. Quando estamos nos exercitando a temperatura do corpo aumenta rapidamente e começamos a suar para eliminar o calor. Neste processo, perdemos líquidos e sais minerais como sódio e potássio, fundamentais para o bom funcionamento do organismo e, se não houver reposição deste líquido o organismo ficará desidratado.
 
A hidratação adequada deve começar antes mesmo da prova. O American College of Sports Medice recomenda a ingestão de cerca de 500 ml de líquidos nas duas horas que antecedem o exercício para que haja tempo suficiente para a eliminação da água ingerida em excesso.
 
Durante a corrida, a ingestão de líquidos deve ser iniciada logo e em intervalos regulares de 15 minutos, com o objetivo de repor as perdas decorrentes do suor.
 
A desidratação reduz o volume do sangue. A frequência cardíaca aumenta à medida que o coração faz mais esforços para atender ao organismo que tenta manter o suprimento sanguíneo para os músculos ativos e órgãos vitais.
 
A desidratação causa fadiga precoce e um superaquecimento, por conta do suprimento inadequado de sangue. Isso explica porque a esidratação compromete o desempenho e aumenta o risco do surgimento de doenças provocadas pelo calor.
 
Até mesmo um pequeno grau de desidratação pode afetar negativamente o desempenho, ainda mais se o exercício estiver sendo realizado em condições ambientais quentes. A desidratação afeta a força muscular, aumenta o risco de cãibras e hipertermia, afeta o desempenho e a recuperação.
 
É comum que os atletas subestimem suas perdas de líquidos através do suor. Além disso, muitas vezes esperam sentir sede para ingerir água. Porém, o mecanismo da sede não é um bom indicador das necessidades de líquido, pois, quando você sente sede você já está desidratado. Isso porque, perdas pequenas de líquidos (de 1 a 2% do peso corpóreo) já causam efeitos negativos sobre a performance.
 
Hidratação pré-treino:
 
Para evitar a desidratação, garanta que está devidamente hidratado antes de começar os exercícios ingerindo aproximadamente 250-600ml de bebidas esportivas ou água, pelo menos duas horas antes do exercício.
 
Hidratação durante:
 
A hidratação feita durante a atividade deve ser de em média 150ml a 300ml a cada 15 a 20 minutos, de acordo com a capacidade gástrica de cada um. O objetivo da reidratação é repor 100% do suor perdido.
 
Hidratação pós-treino:
 
Para se estimar a quantidade de líquidos perdidos, o atleta pode se pesar antes e após a competição ou treino e então beber pouco mais de 1 litro para cada kg de peso perdido, distribuindo esse consumo por um período de várias horas após a atividade física

26 de outubro de 2013

Pasta de amendoim...

 
Ingredientes:
 
- 150g de amendoim torrado
- 20 ml de óleo de coco
 
Modo de Preparo:
 
Torre o amendoim e leve no processador até virar um creme. E isso demora! Quando vc quase estiver desistindo e achando que não vai dar certo, ele chega no ponto, fique calmo! Sem o óleo de coco também dá certo e demora do mesmo tanto.

25 de outubro de 2013

Confira os alimentos que não são indicados para o pós-treino...

 
Todo mundo que busca um corpo perfeito, com treinos exaustivos na academia, sabe que para ter os melhores resultados não basta suar a camisa: tem que apostar em uma dieta balanceada, nutritiva e saudável.
Mas se bater aquela vontade de comer uma “porcaria”, repense. O site Epyk enumerou os 7 piores alimentos para se comer depois da malhação. Entenda por que.
1. Salgadinhos em geral
Não é algo incomum sentir vontade de comer algo salgado depois da malhação, devido ao fato de que o suor elimina nutrientes, incluindo o potássio. Mas você pode optar por uma refeição saudável e repor este potássio eliminado, sem ter que apelar para os salgadinhos, que inclusive são altamente calóricos de um modo geral. Prefira comer uma banana, que é rica neste nutriente, ou outras frutas em pedaços.
2. Produtos ricos em açúcar e refrigerantes
Não existe erro maior do que matar a sede com refrigerante ou a fome com coisas doces logo depois da academia. Eles são bastante calóricos e acabam com todo o trabalho feito durante a malhação.
O açúcar é conhecido por trazer efeitos devastadores ao corpo a longo prazo e um deles é o fato de deixar o metabolismo mais lento.
O metabolismo tem um papel importante na perda de peso: quanto mais rápido ele for, mais rápido você emagrece. Por isso, sempre leia os rótulos dos produtos e evite os que têm excesso de açúcar. Lembre-se que os refrigerantes também são agressivos neste sentido, então, prefira os sucos naturais ou chás. Eles hidratam e acalmam os desejos.
3. Alimentos gordurosos
Parece óbvio dizer que se o objetivo é diminuir a gordura total do corpo, não se pode apostar nestes alimentos para matar a fome depois da malhação. Este tipo de alimento eleva o colesterol ruim e aumenta o risco de doença cardíaca a longo prazo.
4. Vegetais crus
É fato que vegetais crus não devem faltar em uma dieta saudável, mas não foque exclusivamente neles. Durante a malhação, seu corpo usa toda sua energia e queima uma quantidade grande de calorias: os vegetais crus, sozinhos, não irão ajudá-lo a repor todos os nutrientes, vitaminas e minerais perdidos. Ou seja: você precisa de algo com mais fibras e proteínas para ajudar no desenvolvimento dos músculos.​
5. Chocolate ao leite
O chocolate ao leite é conhecido por conter muitas calorias, mas, se você consumi-lo com moderação, ele de fato pode trazer benefícios. A versão amarga, além disso, tem também antioxidantes que reduzem o risco de câncer  lutam com os radicais livres que prejudicam as células.
No entanto, é recomendável consumir este tipo de alimento antes do treino, e não depois, já que ele não irá repor os nutrientes perdidos durante o treino. Comendo antes, você tem a chance de queimar as calorias extras e além disso terá uma inspiração a mais para dar o melhor de si na academia.
6. Tortas, bolos e biscoitos doces
Embora tragam uma imediata sensação de saciedade, seu corpo precisa de calorias de alta qualidade para repor o glicogênio perdido durante a malhação. Embora este tipo de alimento seja repleto de carboidrato, não são indicados na reposição de nutrientes. No lugar disso, prefira frutas secas 
7. Barrinhas de cereal
Estas barrinhas foram feitas para dar o combustível necessário para o corpo antes da malhação, e não depois. Muitas pessoas confundem isso e acabam apostando nelas depois de um treino intenso. Além disso, as barras são cheias de açúcar, que diminui o ritmo do metabolismo e estimula a produção de gordura. Vale observar também que este tipo de alimento aumenta a energia, ou seja, pode prejudicar o sono de quem malha a noite.
Fonte: Terra

24 de outubro de 2013

Projeto Verão Saudável...

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festa de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2014 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitso alimentares, seja no seu corpo.
Conte com nossos Programas Exclusivos de Emagrecimento e Ganho de Massa Muscular para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.
Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso logo após o Natal e retomamos nossas atividades 15 de janeiro, mas neste período continuaremos os agendamentos, apenas não haverá atendimento neste período. Por isso, caso queira iniciar seu Programa de Reeducação Alimentar/Emagrecimento ou de Ganho de Massa Muscular logo após as festas de final, agende sua consulta até dia 23/12/2013 para garantir seu Plano Alimentar e iniciar o ano novo com o pé direito.

23 de outubro de 2013

Atividade física e proteção antioxidante, conheça a coenzima Q10....


Vários estudos têm sido feitos em relação à suplementação de antioxidantes para praticantes de atividade física. A atenção dada a este tema é justificada, pois a prática de atividade física aumenta significativamente a produção de radicais livres.
 
Os radicais livres são formados no nosso organismo durante o processo de transformação do oxigênio em água. Estima-se que cerca de 5% do oxigênio consumido pelo corpo não seja eficientemente convertido em água, transformando-se então em radical livre. Como o consumo de oxigênio aumenta durante a atividade física, a formação de radicais livres é maior. Tendo em vista este aumento nos radicais livres, se faz necessário o aumento da ingestão de antioxidantes, que pode ocorrer pelo aumento de alimentos fonte de antioxidantes, como por suplementos.
 
Um antioxidantes que vem sendo utilizado é a coenzima Q10, que tem a capacidade captar/neutralizar os radicais livres e age como estimulante do sistema imunológico.

coenzima Q10 - HQSC 1

A coenzima Q10 melhora a produção de energia e o desempenho físico, por isso tem se mostrado importante na produção de energia (ATP) devido ao fato dela ser um componente fundamental da cadeia transportadora de elétrons, diminuindo o processo de fadiga. A sua suplementação também atenua a inflamação e o stress oxidativo provocado pelo exercício intenso.
 
Ela retarda o processo de envelhecimento, que se dá devido à capacidade de melhorar o estado de energia das células e aumentar a eficiência da utilização do oxigênio. Estudos demonstraram que o conteúdo de CoQ10 diminui com o avançar da idade. E é comum visualizarmos indivíduos que malham pesado aparentarem serem mais velhos do que realmente são e isso se deve a alta produção de radicais livres em virtude da atividade física e o baixo consumo de alimentos/suplementos antioxidantes.
 
Os praticantes de exercícios de endurance, como corredores, triatletas, ciclistas, assim como praticantes de musculação, podem se beneficiar com o seu uso.
 
O ideal é procurar um nutricionista para ajustar sua dieta, seja no consumo de antioxidantes pelos alimentos ou pela suplementação de acordo com seu treino e necessidades individuais.

**Este post foi escrito pela Dra. Cristiane Spricigo para o site Homens que se cuidam
 

22 de outubro de 2013

Niacina: uma nova fonte da juventude?

 
Quem não gostaria de viver uma vida longa e saudável?
A busca por uma fonte da juventude é um sonho antigo da humanidade.
Como não existem mais muitos "lugares exóticos" para expedições aventurescas, os cientistas modernos decidiram procurar a poção mágica da juventude em "algo" exótico: nas lombrigas.
É que os vermes são bons para experimentos desse tipo porque seu ciclo inteiro de vida pode ser estudado em meros 20 dias.
Vitamina B3
Uma equipe internacional de pesquisadores, liderados por Michael Ristow, do instituto ETH de Zurique (Suíça) acaba de retornar de sua mais recente expedição ao mundo dos vermes, e trouxe boas novas sobre a fonte da juventude.
Um suplemento alimentar livremente disponível talvez não traga a eterna juventude, mas pode ajudar muito a aumentar nossa longevidade.
A niacina, também conhecida como vitamina B3, e seu metabólito nicotinamida, quando introduzidos na dieta dos vermes, aumentou seu tempo de vida em 10% - algo como oito anos se os dados forem extrapolados para um ser humano.
Segundo os experimentos, a niacina e a nicotinamida têm esse efeito induzindo a formação dos chamados radicais livres - sim, a formação, e não a destruição dos radicais livres.
"Nas lombrigas, estas espécies reativas de oxigênio prolongam a vida," confirma Ristow.
Radicais livres versus antioxidantes
Talvez possa parecer surpreendente que os radicais livres, ou espécies reativas de oxigênio, possam fazer bem, já que geralmente eles são considerados danosos à saúde.
Contudo, esta não é a primeira vez que o "consenso científico" sobre antioxidantes e radicais livres é desafiado.
Já sabe, por exemplo, que os radicais livres são essenciais para os movimentos musculares e para o controle do apetite e que os radicais livres controlam a força das batidas do coração.
Pesquisas mais específicas, na verdade, mostraram que os radicais livres podem ter um efeito antienvelhecimento.
As espécies reativas de oxigênio são conhecidas por danificar as células somáticas, uma condição conhecida como estresse oxidativo. Substâncias específicas, os chamados antioxidantes, que podem ser encontrados em frutas, legumes e certos óleos vegetais, são capazes de neutralizar estes radicais livres.
Isto levou a que muitos cientistas concluíssem que os antioxidantes são benéficos para a saúde.
O Dr. Ristow não concorda: "Não há evidência científica para qualquer utilidade dos antioxidantes. A alegação de que a ingestão de antioxidantes, especialmente em forma de comprimidos, promova qualquer aspecto da saúde humana não tem suporte científico."
Apesar dos antioxidantes
Ristow não contesta que as frutas e os legumes sejam saudáveis. No entanto, seus benefícios podem ser oriundos de outros compostos, tais como os chamados polifenóis. "Frutas e legumes são saudáveis, apesar do fato de que eles contêm antioxidantes," diz o pesquisador.
Com base nos muitos resultados de outros estudos científicos, ele está convencido de que pequenas quantidades de espécies reativas de oxigênio e estresse oxidativo provocam um impacto benéfico sobre a saúde.
Era isso que ele estava testando com suas lombrigas. E parece ter dado certo.
"As células podem lidar bem com o estresse oxidativo e neutralizá-lo," disse Ristow.
Mais do que isso, com a indução da formação de radicais livres, os vermes viveram mais.
Em estudos anteriores em seres humanos, a equipe de Ristow já havia demonstrado que o efeito benéfico sobre a saúde de esportes de resistência é mediado por um aumento na formação de espécies reativas de oxigênio - e que os antioxidantes anulam este efeito.
Fonte: Diário da Saúde

21 de outubro de 2013

Healthy Monday....


SEGUNDA SAUDÁVEL...
 
O horário de verão começou, e isso além de trazer mais sol para sua vida, traz algumas mudanças no organismo. Normalmente os horários das refeições costumam ficar bagunçados.Procure refazer seus horários neste período.
 
Provavelmente ao meio dia você não estará com tanta fome, mas mesmo assim coma. Inicie uma nova adaptação do seu corpo ao horário das refeições. Nos primeiros dias é mais complicado, mas em uma semana já é possível iniciar uma adaptação aos novos horários. Aproveite para praticar exercícios no final do dia, aproveite o fim de tarde e curta com sua família,amigos.
 
Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

19 de outubro de 2013

Tempero caseiro...

 
 
Vamos aposentar os temperos industrializados??? Eu bato 1 pacote de alho desidratado, 1 pacote de cebola desidratada, gersal e um tiquinho de sal. Divido esta quantidade e em 1 da partes uso orégano que gosto de usar em carnes. Gosto de usar os desidratados pela durabilidade. 

18 de outubro de 2013

Você ingere vitamina K suficiente?

O déficit de vitamina K pode levar, entre outras possibilidades, a problemas de coagulação.
"O papel clássico da vitamina K está relacionado com o mecanismo de coagulação sanguínea, mas estudos epidemiológicos mostram que ela tem outros papéis no organismo, como a manutenção da saúde óssea," explica Simone Aparecida Faria, pesquisadora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.
Além disso, estudos têm indicado a falta desta vitamina em pessoas que ingerem constantemente anti-inflamatórios e anticoagulantes.
Recomendação de ingestão da vitamina K
A recomendação para a ingestão diária de vitamina K é de 90 µg/dia para mulheres e 120 µg/dia para homens
Mas a vitamina é tão desconhecida que, até agora, não havia uma tabela brasileira de sua presença nos alimentos.
Foi o que Simone e Marilene Penteado se dispuseram a fazer.
Elas mediram a quantidade de vitamina K para as principais hortaliças consumidas pelos brasileiros.
Dos valores encontrados, destacam-se o espinafre cru (404,57 microgramas (µg)/100 g), o repolho verde cru (336,05 µg/100 g) e a rúcula (319,20 µg/100 g).
Os dados indicaram também que a ingestão diária da vitamina K pelos brasileiros está abaixo do recomendado, com 88 µg/dia entre os jovens, 98 µg/dia entre os adultos e 104 µg/dia entre as pessoas com mais de 60 anos.
Vitamina K em hortaliças
As pesquisadoras também compararam as quantidades desta vitamina encontradas em hortaliças cultivadas em São Paulo e nos EUA.
Enquanto a alface americana plantada no Brasil apontou 77,79 µg/100 g de vitamina K, nos EUA ela alcança 102,30 µg/100 g. A couve cultivada aqui tem 245,52 µg/100 g e a cultivada lá, 817,00 µg/100 g.
Já a rúcula brasileira é mais rica nessa vitamina: são 259,11 µg/100 g contra 108,60 µg/100 g da norte-americana.
Isto mostra a importância do levantamento de dados referentes aos alimentos cultivados no Brasil, sobretudo para o trabalho dos nutricionistas.
A utilização apenas de dados internacionais, como é mais comum, não é adequada porque "as composições nos alimentos mudam conforme o tipo de solo do cultivo, quantidade de luz recebida, dados pluviométricos," explica Simone.
Fonte: Diário da Saúde

17 de outubro de 2013

Você sabia?


 
A sesamina, componente da semente de gergelim, neutraliza o stress oxidativo causado pela radiação solar e é rica em vitamina E. Recomendação: 1 colher (sobremesa) de sementes trituradas ou 10 ml de óleo por dia.

16 de outubro de 2013

Alimentos orgânicos fazem bem à saúde e são mais saborosos...

 
No final dos anos 70, os produtos orgânicos eram produzidos em pequena escala e bem mais caros que os produtos convencionais. Há poucos anos, eles só podiam ser encontrados em lojas de produtos naturais e feiras de pequenos agricultores. O cenário agora é outro. A procura de alimentos livres de aditivos químicos têm aumentado na mesma proporção da busca por saúde e qualidade de vida. Hoje já é possível encontrar alimentos orgânicos em supermercados convencionais.
De acordo com a maioria dos estudiosos da ciência da toxicologia, a aplicação controlada de fertilizantes e de outros produtos químicos não causa danos à saúde. No entanto, o que preocupa é o uso indevido e abusivo desses produtos por parte dos produtores.
De acordo como o Instituto Biológico de São Paulo, há casos de aplicação  de pesticida em culturas para as quais o produto não é autorizado. O Brasil foi incluído entre os países onde há exagero no uso de agrotóxicos pela FAO, órgão das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. É aconselhável a consulta no site a ANVISA¹, para reconhecer quais produtos estão mais contaminados, e se possível preferir o consumo desses produtos na versão orgânica, livre de agroquímicos. Vale ressaltar que os produtos mais contaminados variam bastante nas épocas do ano e também de ano para ano.
Nove motivos  para consumir produtos orgânicos:
1) O consumo de produtos orgânicos protege a saúde. Os resíduos dos aditivos químicos, pesticidas, hormônios de crescimento, antibióticos que permanecem nos alimentos à longo prazo podem provocar reações alérgicas, respiratórias, problemas neurológicos, distúrbios hormonais (em homens e mulheres), desenvolver determinados tipos de cânceres, diminuição da fertilidade (redução do número de espermatozoides).
2) Os alimentos orgânicos são mais nutritivos. Embora ainda exista muita discussão a respeito do assunto e nenhum consenso científico,  solos mais ricos e balanceados com adubos naturais  produzem alimentos com maiores concentrações de nutrientes, fitoquímicos antioxidantes, como polifenóis e carotenoides, que os alimentos produzidos convencionalmente.
3) Sabor e aroma mais intensos. A ausência de agrotóxicos ou produtos químicos contribui para o sabor e o aroma naturais. Além disso, frutas e vegetais orgânicos crescem mais lentamente e tendem a ser menores.
4)  O produto orgânico é certificado. Tem origem  sempre de fontes confiáveis.
5) Protege futuras gerações de contaminação química. A  intensa utilização de produtos químicos na produção de alimentos afeta o ar, o solo, a água, os animais e as pessoas. A agricultura orgânica exclui o uso de fertilizantes sintéticos, agrotóxicos ou qualquer produto químico, e tem como base de seu trabalho a preservação dos recursos naturais.
6) Evita a erosão do solo. Através de técnicas agronômicas, o solo se mantém fértil e permanece produtivo ano após ano. A erosão também pode ocorrer no sistema orgânico, mas a auditoria da certificadora exigirá que seja evitada.
7) Protege a qualidade da água. Os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d`água e poluem rios e lagos.
8) Restaura a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal. A agricultura orgânica respeita o equilíbrio da natureza, criando ecossistemas saudáveis. A vida silvestre, parte essencial do estabelecimento agrícola é preservada e áreas naturais são conservadas (nascentes de água são protegidas, as áreas desmatadas são reflorestadas, os animais e a vegetação nativa são preservados).
9) Ajuda os pequenos agricultores. Em sua maioria, a produção orgânica provém de pequenos núcleos familiares, que tem na terra a sua única forma de sustento.
A desvantagem do consumo desses alimentos ainda é o preço, geralmente é mais alto do que o de produtos convencionais. A boa notícia é que o preço pode diminuir quando a produção e o consumo aumentarem. Na impossibilidade de adquirir um alimento orgânico, lavar bem os vegetais em água corrente e remover a casca dos vegetais e frutas  ajuda a reduzir parcialmente os resíduos dos agrotóxicos.
Referências:
¹Site Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

15 de outubro de 2013

Estilo de vida altera DNA e influencia metabolismo...

Outrora visto como um registro definitivo a guiar o que acontece ou não com o corpo humano, hoje o DNA já é encarado com outros olhos por um crescente número de cientistas.
Já está bem estabelecido, por exemplo, que o estilo de vida induz alterações no DNA.
Essas alterações podem ter efeitos específicos sobre o metabolismo, sendo benéficos ou causando danos nos órgãos ou doenças, dependendo do estilo de vida.
No decurso da vida, as influências ambientais e fatores de estilo de vida - como a dieta, o tabagismo ou a ingestão de bebidas alcoólicas - ou processos como o envelhecimento, induzem alterações bioquímicas no DNA.
Frequentemente, essas alterações levam à metilação do DNA, um processo no qual grupos metílicos são adicionados a segmentos específicos do DNA, sem alterar sua sequência.
Esses processos podem influenciar a função do gene, sendo conhecidos como epigenética.
Epigenética e metabolismo
Cientistas do Centro Médico Helmholtz (Alemanha) identificaram agora 28 alterações no DNA associadas a características metabólicas.
Este é o primeiro estudo de larga escala associando o epigenoma com metabólitos e genes modificados pelo estilo de vida.
O grupo analisou mais de 457 mil locais no DNA em busca de alterações bioquímicas, e comparou-as com as concentrações de 649 metabólitos diferentes.
A análise revelou que a metilação de 28 segmentos de DNA altera uma série de processos metabólicos importantes.
"Este estudo nos dá novas informações sobre como os fatores de estilo de vida podem influenciar o metabolismo através das alterações resultantes no DNA", afirmam Melanie Waldenberger e Christian Gieger.
"Agora podemos usar estes resultados para desenvolver novas abordagens diagnósticas e terapêuticas para doenças relacionadas com o estilo de vida, tais como o diabetes," concluíraam.
Há outros grupos procurando associações mais específicas no epigenoma, procurando descobrir, por exemplo, como a epigenética altera os genes ligados ao câncer.
Fonte: Diário da Saúde

12 de outubro de 2013

No Dia das Crianças, Reavalie a Alimentação dos seus Filhos.....


Pois é, hoje é dia das crianças, provavelmente, você irá mimar seus filhos com presentes, guloseimas, com os alimentos preferidos deles no almoço e jantar. Acho que hoje é um bom dia para análise da alimentação infantil dentro da sua casa.
 
Será que estas guloseimas, pratos calóricos, frituras não são uma rotina dentro da sua casa? Será que você está oferecendo de fato alimentos saudáveis a seus filhos? Frutas, verduras, legumes tem lugar cativo na alimentação das suas crianças?
 
São perguntinhas simples e pertinentes de serem feitas, já que sabemos que a obesidade é uma epidemia e os hábitos alimentares são formados na infância, mas é claro, nunca é tarde para correr atrás do prejuízo. Ofereça a seus filhos alimentos saudáveis, incentive-os a praticar atividades físicas e seja um exemplo para eles também. De nada adianta obrigá-los a comer determinados alimentos se você mesma faz cara feia para eles.
 
Convide-os para ir com você na feira escolher as frutas, verduras e legumes, pergunte se eles querem escolher algum alimento em especial. Faça sucos para os lanches da tarde e peça sugestões de mistura de frutas. Peça ajuda para montar uma salada de frutas para a sobremesa do almoço ou jantar.Deixe eles encarregados na hora de montar a salada e abuse das cores, quanto mais colorido, mais bonito e quanto mais bonito, mais vontade de comer!
 
E que tal hoje a tarde montar uma super cesta cheia de frutas, sucos e ir ao parque mais próximo fazer um pic nic? Aposto que as crianças vão adorar! Leve um jogo que eles gostem, bola, bicicleta, tire muitas fotos e torne esta tarde inesquecível e um importante passo rumo a melhora da alimentação de toda família!
 
Então fica a dica:  tenha sempre em casa, à mão das crianças, alimentos saudáveis, e ofereça a eles sempre que tiver uma oportunidade, a chance de compartilhar das escolhas dos alimentos que vão fazer parte do cardápio da casa, desde que sejam saudáveis, é claro.
 
Que todos tenham um dia de diversão e saúde!