Pular para o conteúdo principal

Adoçantes podem enganar você, mas não seu cérebro...

 
Você não vai conseguir enganar facilmente seu cérebro trocando o açúcar por sabores doces "sem calorias".
Nosso prazer em ingerir doces deve-se em grande medida à quantidade de energia que esses alimentos nos fornecem.
Assim, haverá uma maior recompensa no cérebro atribuída aos açúcares, em comparação com os adoçantes artificiais.
Agora os cientistas identificaram um sinal fisiológico específico do cérebro que é fundamental para determinar a escolha entre os açúcares e os adoçantes.
Esse sinal regula os níveis de dopamina, uma substância química necessária para a sinalização da recompensa no cérebro.
E, mais importante, o sinal só surge quando o açúcar é dividido em uma forma usável como combustível para as células do corpo.
Meio-termo feliz
"O consumo de bebidas de alto teor calórico é um dos principais contribuintes para o ganho de peso e a obesidade, mesmo após a introdução dos adoçantes artificiais no mercado," diz o professor Ivan de Araújo, da Universidade de Yale (EUA).
Segundo ele, a descoberta é importante porque mostra como os estados fisiológicos podem ter impacto sobre as escolhas entre os açúcares e adoçantes - nos experimentos, as cobaias mudaram completamente suas preferências em direção aos açúcares, mesmo quando o adoçante artificial era muito mais doce do que a solução de açúcar.
Isso mostra que a ingestão de produtos doces de baixas calorias em um estado de fome ou exaustão pode ser seguida por uma "recaída", com a escolha de alternativas de alto teor calórico mais tarde.
"Os resultados sugerem que um 'meio-termo feliz' poderia ser uma solução, combinando adoçantes com quantidades mínimas de açúcar para que o metabolismo energético não caia, enquanto a ingestão de calorias é reduzida ao mínimo," aconselha ele.
Um bom conselho, sobretudo quando o problema pode ser mais do que simplesmente engordar: Açúcar demais pode emburrecer.
Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Protocolo de Limpeza Intestinal...

O Protocolo de Limpeza Intestinal, é um manejo nutricional para a Modulação Intestinal e seu objetivo é promover injúria bacteriana. Ou seja, morte das bactérias por falta de nutrientes. A falta de proteína durante os 3 dias iniciais gera injúria nas proteobactérias, que não conseguem se multiplicar, tratando a SIBO e disbiose.  É uma estratégia para equilibrar a microbiota intestinal criada pelo professor Murilo Pereira que colocou um propósito em cada alimento e suplemento incluído, lindo demais! Aprendemos na formação em Modulação Intestinal. Ela promove uma limpeza de intestino delgado e grosso, ao contrário do uso de laxantes por exemplo que limpa apenas o intestino grosso. O manejo nutricional dura 15 dias, sendo os 3 primeiros os mais importantes e com maior restrição. Nestes dias, além da alimentação, a suplementação para Modulação da microbiota vai variar de acordo com cada paciente, se ele tem Resistência á Insulina ou Síndrome do Ovário Policístico, Síndrome

Bom dia!

É gente, o tempo não está correndo, está voando...O FINAL DO ANO ESTÁ CHEGANDO!! Faltam 10 segundas-feiras para darmos bom dia para 2020 e mais que isso, nós vamos virar a década!! Está na hora de começar a fazer planos, revisões, reflexões, mudanças programadas pro próximo ano e por aí vai. Por que você não começa HOJE a se planejar e se preparar? E a fazer mudanças que podem acontecer ainda em 2019? Instalar pequenos hábitos saudáveis na sua rotina ou até mesmo fazer alguma mudança mais importante que estava programada desde o ano passado e ainda não saiu do papel? Então, vamos lá! Aproveite o início da semana para fazer recomeços ou novos começos!

Dia mundial do Diabetes...

O Diabetes é a mais comum das doenças não transmissíveis com elevada prevalência e incidência crescente. Atinge já cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, estima-se que em 2040 haja um aumento para 642 milhões de pessoas atingidas pela doença. O número de brasileiros diagnosticados com Diabetes cresceu 61.8% nos últimos 10 anos e atinge atualmente quase 13 milhões de brasileiros. Para conscientizar e lembrar sobre a importância da prevenção da doença, a Organização Mundial da Saúde criou o Dia Mundial da Diabetes, desde 1991. A data, 14 de novembro, foi escolhida por ser o aniversário de Frederick Banting, o médico que juntamente com o seu colega, Charles Best, conduziu as experiências que levaram à descoberta da Insulina em 1921. Hábitos saudáveis de vida e alimentação equilibrada são essenciais no tratamento e prevenção do Diabetes.  A Nutrição promove um controle não apenas glicêmico, mas restabelece o equilíbrio fisiológico, promovendo uma mel