Pular para o conteúdo principal

Adoçantes podem enganar você, mas não seu cérebro...

 
Você não vai conseguir enganar facilmente seu cérebro trocando o açúcar por sabores doces "sem calorias".
Nosso prazer em ingerir doces deve-se em grande medida à quantidade de energia que esses alimentos nos fornecem.
Assim, haverá uma maior recompensa no cérebro atribuída aos açúcares, em comparação com os adoçantes artificiais.
Agora os cientistas identificaram um sinal fisiológico específico do cérebro que é fundamental para determinar a escolha entre os açúcares e os adoçantes.
Esse sinal regula os níveis de dopamina, uma substância química necessária para a sinalização da recompensa no cérebro.
E, mais importante, o sinal só surge quando o açúcar é dividido em uma forma usável como combustível para as células do corpo.
Meio-termo feliz
"O consumo de bebidas de alto teor calórico é um dos principais contribuintes para o ganho de peso e a obesidade, mesmo após a introdução dos adoçantes artificiais no mercado," diz o professor Ivan de Araújo, da Universidade de Yale (EUA).
Segundo ele, a descoberta é importante porque mostra como os estados fisiológicos podem ter impacto sobre as escolhas entre os açúcares e adoçantes - nos experimentos, as cobaias mudaram completamente suas preferências em direção aos açúcares, mesmo quando o adoçante artificial era muito mais doce do que a solução de açúcar.
Isso mostra que a ingestão de produtos doces de baixas calorias em um estado de fome ou exaustão pode ser seguida por uma "recaída", com a escolha de alternativas de alto teor calórico mais tarde.
"Os resultados sugerem que um 'meio-termo feliz' poderia ser uma solução, combinando adoçantes com quantidades mínimas de açúcar para que o metabolismo energético não caia, enquanto a ingestão de calorias é reduzida ao mínimo," aconselha ele.
Um bom conselho, sobretudo quando o problema pode ser mais do que simplesmente engordar: Açúcar demais pode emburrecer.
Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Ainda dá tempo!

Bom dia, segunda! ☀️

Mais uma oportunidade de fazermos uma semana diferente!
Mais uma chance de recomeçar!
Quem não recomeça depois do tropeço, nunca chega lá!

Não desista! O ano ainda não acabou!
Dá sim pra gerar mudanças!
Dá sim pra terminar o ano bem melhor!
Confie em você! Comece agora!

Bora?! 🌿💚🍃

Última chamada!!!! Projeto verão 2019....

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festas de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2019 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitos alimentares, seja no seu corpo.

Conte com nossos Programas Exclusivos para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.

Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso dia 15/12 e retomamos nossas atividades na segunda semana de janeiro. Então não perca tempo e não faça da melhoria de hábitos alimentares, mais uma promessa de ano novo! Aproveite para agendar sua consulta e garanta seu Plano Alimentar para finalizar bem o ano e iniciar o ano novo com o pé direito!

Alimentos x Herpes

Um questionamento que faz parte da minha consulta é: “você tem herpes?” Muitas vezes isso gera estranheza! 🤔O que isso tem a ver com a alimentação? Muita coisa!! . . Por exemplo, a arginina, é um aminoácido que estimula a replicação do vírus e aumenta a frequência das crises. Alguns alimentos fonte de arginina: castanhas 🌰 aveia, granola, gérmen de trigo 🌾 amendoim 🥜 chocolate 🍫 coco 🥥milho 🌽 uva 🍇 trigo 🌾  MAS, a noz pecã e o pistache são nuts com uma menor quantidade de arginina. Então se você, assim como eu, possui o vírus e quer deixar ele quieto, mas adora a praticidade das castanhas, elas são as melhores opções! . Logicamente, se o consumo for pontual e sem excessos, você pode se dar bem com as castanhas e elas não serem gatilhos para crises! . . A lisina, que também é um aminoácido, ajuda a conter a replicação do vírus antes da lesão se manifestar na pele. A lisina é importante porque inibe a ação da arginina, evitando a replicação do vírus da herpes.  A lisina está p…