30 de novembro de 2012

Retenção de líquidos? Invista nos alimentos diuréticos!



Difícil encontrar ou atender alguma mulher que não se queixe de retenção de líquidos. Seja, por um intestino preguiçoso, por falta de água, excesso de sal na alimentação etc. Para amenizar este problema procure consumir com mais frequência os alimentos listados:

- Fibras insolúveis associadas a uma ingestão adequada de líquidos permitem que o intestino funcione de forma regular (são eles: farelo de trigo não processado ou farelo de arroz, cereais integrais, pão integral);
  
- Ervilha, abóbora, beterraba, repolho, tomate, broto de feijão, pepino, vagem, alcachofra, berinjela e nozes;

 - Raízes, incluindo batata e cenoura;

 - Verduras como o espinafre, escarola, agrião, salsinha, alface;
  
- Frutas como a maçã, laranja, morango, melancia, melão, limão, abacaxi, maracujá;
  
- Consuma mais chás, principalmente de hortelã e erva-doce, suco de limão;
  
- Ingerir no mínimo 2 litros de água por dia.

Ah, e cuidado com o excesso de drenagem linfática, ela pode promover perda de vitaminas hidrossolúveis. Informe seu Nutricionista se estiver realizando este tipo de procedimento para que ele ajuste seu Plano Alimentar.

29 de novembro de 2012

Menopausa não provoca aumento de peso, mas sim de gordura abdominal...


Ao contrário do que muitos acreditam, a menopausa não causa um aumento de peso, mas sim da gordura acumulada em torno da cintura, concluiu um estudo feito por especialistas da Sociedade Internacional da Menopausa (IMS, sigla em inglês). De acordo com a pesquisa, as alterações hormonais que ocorrem com a menopausa, ou seja, a queda dos níveis de estrogênio, alteram a forma como o corpo armazena gordura nos quadris e na cintura.

O estudo foi publicado nesta semana no periódico Climacteric em ocasião da proximidade com o Dia Internacional da Menopausa, que ocorre em 18 de outubro. Os resultados do trabalho sugerem que a crença de que a menopausa necessariamente provoca o ganho de peso é falsa.
"Na realidade, isso é apenas uma consequência dos fatores ambientais e do envelhecimento. Mas não há dúvida de que o aumento da massa abdominal do qual muitas mulheres se queixam na menopausa é real", diz Susan Davis, professora da Universidade de Monash, na Austrália, e uma das autoras da pesquisa.
As conclusões da pesquisa são baseadas em uma revisão de estudos sobre o tema realizados entre 1966 e 2012. Segundo esses trabalhos, as mulheres ganham, em média, 0,5 quilo por ano a partir dos 50 anos, mas apresentam um rápido aumento da gordura abdominal no terceiro ano depois da menopausa. As mesmas mudanças são observadas entre as mulheres de diferentes regiões do mundo.
O acúmulo de gordura abdominal, porém, também representa riscos à saúde, como o aumento do risco de diabetes e especialmente de doenças cardiovasculares, principal causa de morte entre as mulheres na pós-menopausa. "As mulheres devem controlar seu peso antes que ele se converta num problema, e se não se preocuparem com isso antes da menopausa, devem fazê-lo quando esse período chegar, ou seja, cuidando da alimentação e praticando atividade física", recomendou o presidente da IMS, Tobie de Villiers.
Fonte: Revista VEJA

28 de novembro de 2012

Conheça os principais suplementos...



Energéticos: podem ser usados antes, durante ou após treinos e provas, dependendo das características do indivíduo e do esporte. Fornecem basicamente energia, vinda sobretudo de carboidratos, e são encontrados em pó ou gel.  São exemplos: maltodextrina, dextrose. 

Proteicos: indicados para completar a ingestão proteica da dieta. O horário de consumo depende de uma série de fatores, mas muitas vezes são indicados para após o treino. Podem ser encontrados em pó, gel ou barra.  Fazem parte do grupo a Whey Protein, a Albumina, a Caseína e o Isolado Proteico de soja. 

Compensadores: contém carboidratos, proteínas e lipídios, além de vitaminas e minerais. Encontrados em pó ou líquido. Indicados para desnutridos ou para atletas com necessidades aumentadas devido ao estado fisiológico, limitações na dieta ou tipo de exercício. 

Repositores: São bebidas esportivas com o objetivo de repor água, eletrólitos e carboidratos de forma mais rápida, evitando a desidratação de uma atividade intensa/longa. Indicado para corredores, ciclistas. 

Aminoácidos: fazem parte deste grupo os aminoácidos, indicados para aumento da massa muscular. Como exemplo temos os BCAA’s, nome dado aos aminoácidos da cadeia ramificada, Leucina, Isoleucina e Valina. Os BCAA’s, são indicados para recuperação muscular e para exercícios de longa duração.

OBS: a necessidade ou aplicabilidade de cada suplemento deve ser analisada de forma personalizada de acordo com a sua necessidade. Procure um Nutricionista!

27 de novembro de 2012

Hospital das Clínicas de São Paulo lança programa para ajudar pessoas a montar um prato saudável...



O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP), junto ao Instituto do Coração (Incor), lançou nesta quarta-feira um programa para incentivar os brasileiros a fazer escolhas mais saudáveis na hora das refeições. O Meu prato saudável, como foi chamada a iniciativa, é um guia alimentar que fornece informações como sobre qual deve ser a quantidade de cada tipo de alimento no prato e quais são as melhores opções de ingredientes em cada refeição do dia.
A campanha reforça que, nas principais refeições do dia, metade do prato deve ser composta por vegetais, folhas e legumes; um quarto, de carboidratos; e um quarto seja dividido entre proteína animal e vegetal. E para beber, preferencialmente água ou suco de fruta fresca. Para auxiliar as pessoas a montarem um prato seguindo essas recomendações e da forma mais saudável possível, há informação tanto no site da campanha quanto nos aplicativos para celulares e páginas nas redes sociais. Nessas páginas, os alimentos que compõem a pirâmide alimentar e o espaço que devem ocupar no prato são mostrados de forma visual com fotos dos mais diversos alimentos que são comuns à culinária brasileira. 
Junto com o programa, também foi lançado o Meu Pratinho Saudável, destinado às crianças menores de que 12 anos e que deve ser adaptado pelas escolas da Secretaria Estadual da Educação.
O Meu Prato Saudável lembra o programa americano My Plate, lançado em 2011 pelo governo dos Estados Unidos. Porém, ao contrário do programa brasileiro, que faz uso de fotos de alimentos comuns da culinária do país nos gráficos, o programa se baseia em cores que representam cada classe de alimentos. O My Plate, porém, não é o único guia alimentar norte-americano — há um ano, a Universidade de Harvard lançou um guia visual com a finalidade de substituir a tradicional pirâmide alimentar.

26 de novembro de 2012

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL....

Mais uma semana que começa e aí, como anda sua alimentação? Final de ano se aproxima, suas metas para este ano estão sendo todas cumpridas ou vão ser emendadas com as do próximo ano? Ainda dá tempo pelo menos de cuidar da parte alimentação na sua vida.

Reavalie seus hábitos, excesso de gorduras, doces, porções exageradas dos alimentos, refrigrerantes diariamente, etc. Comece hoje anotando tudo o que comer e analise seus excessos ou aproveite estas anotações e marque uma consulta com um Nutricionista para lhe ajudar a cuidar de sua alimentação. De qualquer forma repense sua alimentação, seus hábitos alimentares tem influência direta sobre sua saúde, isso jamais deve ser descuidado. Pense bem!

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

24 de novembro de 2012

Vitaminas ajudam a prevenir câncer, diz estudo...


A ingestão de suplementos vitamínicos, geralmente associada à prevenção de deficiências nutricionais, pode reduzir o aparecimento de câncer. É o que mostra um estudo americano que acompanhou cerca de 15.000 homens durante mais de dez anos, publicado nessa quarta-feira no periódico Journal of the American Medical Association (JAMA).

Os participantes, acima dos 50 anos de idade, foram divididos em dois grupos: um deles ingeriu um comprimido multivitamínico por dia, enquanto o outro tomou placebos. Após o período analisado, o grupo que ingeriu os suplementos vitamínicos apresentou uma quantidade de casos de câncer 8% menor do que outro. O câncer de próstata, porém, foi a única variação da doença que não teve a incidência reduzida pelo estudo.

De acordo com a pesquisa, a redução da incidência da doença apresentada no estudo mostra que uma combinação de vitaminas e sais minerais, como a contida no multivitamínico, pode ser de grande importância para a prevenção do câncer. "O papel de uma estratégia de prevenção de câncer focada na alimentação, como consumo de frutas e verduras, continua sendo promissor, mas ainda não é comprovado, dada a inconsistência das evidências", disseram os autores.
Para Artur Katz, chefe do serviço de oncologia clinica do Hospital Sírio Libanês, o estudo pode dar pistas para uma possível prevenção, mas apresenta alguns problemas. "É muito difícil em um estudo com 15.000 homens monitorar os efeitos de um único fator. Cada um tem um tipo de hábito, um peso, podem fumar ou não, é difícil anular tudo e avaliar apenas os efeitos das vitaminas", afirma.
Além disso, ele explica que uma pessoa bem nutrida extrai todas as vitaminas de que precisa de sua dieta, não existindo necessidade de ingerir suplementos vitamínicos. Kartz receia que, ao ingerir vitaminas, as pessoas deixem de prestar atenção a outros fatores essenciais para a prevenção do câncer. "Se alguém tiver que escolher uma única coisa para fazer,a mais importante é parar de fumar. Se já não fuma,  ela deve controlar o peso e fazer exercícios, que que é mais importante do que tomar vitaminas", diz o médico.
Fonte: Revista VEJA

23 de novembro de 2012

Para acelerar o metabolismo, aposte no gengibre!


Estudos chineses e ingleses constataram que um pedaço diário de gengibre (cerca de 5 cm) acelera em 20% o metabolismo.

O responsável por este benefício é o gingerol, um dos seus princípios ativos, que aumenta a temperatura corporal e aumenta demanda de calorias.

22 de novembro de 2012

Obesidade pode afetar tomada de decisões...



Para uma pessoa obesa é mais difícil decidir parar de comer em uma festa, por exemplo, do que para pessoas com Índice de Massa Corporal mais baixo. É o que conclui um estudo, ainda não publicado, apresentado nesta semana no Neuroscience 2012, encontro anual da Society for Neuroscience, entidade internacional que congrega médicos e cientistas que estudam o cérebro. Isso aconteceria porque, segundo a pesquisa, a obesidade estaria ligada ao pior desempenho das funções cognitivas, apontando para  a existência de uma ligação direta entre a alimentação e a saúde do cérebro.
Participaram do estudo 29 adultos considerados saudáveis do ponto de vista neurológico, e com índice de massa corporal (IMC) variando do nível normal até a obesidade. Foram feitas imagens de ressonância magnética da atividade cerebral dessas pessoas em repouso, com objetivo de analisar a comunicação entre diferentes regiões do cérebro.
 partir das imagens, os pesquisadores observaram, nos indivíduos obesos, alterações na conexão entre o córtex orbital frontal, área do cérebro ligada à tomada de decisões e à recompensa, e o núcleo caudado, que participa do sistema de aprendizado e memória. Foi desenvolvido um algoritmo de computador capaz de descobrir se uma pessoa fazia parte do grupo que estava acima do peso ou do grupo de controle apenas analisando suas conexões cerebrais – e ele acertou em 75% dos casos.
Durante a sessão de ressonância magnética, as pessoas também passaram por um teste cognitivo. Em uma tela, apareciam diversas palavras, escritas em azul, vermelho ou verde. A tarefa era responder a cor em que a palavra estava escrita e ignorar o seu significado. O exercício ficou mais complicado quando apareceram nomes de cores escritos em outra cor, como a palavra “vermelho” escrita em azul, por exemplo. "Nesses testes a pessoa tem um conflito. Então o cérebro para e tenta resolvê-lo antes de permitir que você responda o exercício", disse Timothy Verstynen, professor da Universidade de Carnegie Mellon e integrante da equipe de pesquisadores, ao site de VEJA.
Os pesquisadores analisaram o grau de ativação do cérebro dos indivíduos ao realizar essa tarefa e perceberam que ele era maior no grupo obeso. "Isso significa que a pessoa está usando mais energia neuronal para chegar aos mesmos resultados, ou seja, suas conexões cerebrais são menos eficientes", afirma Timothy. "Nós achamos isso pode fazer com que a pessoa se torne menos eficiente para tomar decisões, o que pode levá-la a escolhas pouco saudáveis."
Fonte: Revista VEJA

21 de novembro de 2012

Temperos termogênicos...


Os benefícios dos temperos são em dobro, já que além de acelerarem o metabolismo eles substituem o sal, que promove retenção de líquidos.

Temperos termogênicos: açafrão, manjericão, alecrim e orégano.

20 de novembro de 2012

Melancia melhora o coração e controla ganho de peso...



A inclusão de suco de melancia na alimentação normal reduz o peso, os níveis de colesterol e a placa arterial.
Em linhas gerais, a melancia melhora a saúde do coração e ajuda a controlar o ganho de peso.
A pesquisa atribui os efeitos à citrulina, um composto encontrado na melancia, que desempenha um papel ativo na manutenção da saúde cardiovascular.
O estudo foi publicado no Journal of Nutritional Biochemistry.
Estudos anteriores indicaram que a melancia é eficaz contra a pressão alta.
"Nós estávamos interessados na citrulina porque estudos anteriores mostraram que ela pode reduzir a pressão arterial," disse Shubin Saha, da Universidade Purdue (EUA). "Nós não constatamos redução da pressão arterial, mas as outras mudanças são promissoras."
Os pesquisadores alimentaram dois grupos de camundongos com dietas ricas em gordura saturada e colesterol.
Metade das cobaias recebeu água contendo 2% de suco de melancia, enquanto as outras receberam a mesma quantidade de água suplementada com uma solução que corresponde ao conteúdo de hidratos de carbono do suco de melancia.
Os animais que consumiram suco de melancia ganharam 30% menos peso do que o grupo de controle, e apresentou 50% menos colesterol LDL, o chamado mau colesterol.
O grupo que consumiu melancia apresentou ainda uma redução de 50% nas placas em suas artérias, bem como níveis elevados de citrulina.
"Nós sabemos que a melancia é boa para a saúde, pois contém citrulina," disse Sibu Saha, professor da Universidade de Kentucky. "Nós não conhecemos ainda seu funcionamento em nível molecular, e este será o próximo passo [da pesquisa]."
Os cientistas estão interessados em encontrar um mercado secundário para as melancias nos nutracêuticos, que são alimentos ou ingredientes alimentares que oferecem benefícios para a saúde além dos seus efeitos nutricionais.
Fonte: Diário da Saúde

19 de novembro de 2012

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL...

Falta quase 1 mês para o verão, as férias estão chegando, e você está contente com seu corpo? Está precisando enxugar uns quilinhos? Ainda dá tempo de mudar seus hábitos e emagrecer de forma saudável e definitiva.
Aproveite esta segunda-feira para estabelecer uma das suas metas de final de ano, modificar seus hábitos alimentares, ganhar mais disposição e emagrecer de forma saudável. 
Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

17 de novembro de 2012

Quase 50% das frutas e vegetais produzidos não são consumidos...



Quase 50% das frutas e vegetais produzidos são desperdiçados ao longo da cadeia que vai do produtor ao consumidor.
A conclusão é do projeto europeu "Veg-i-Trade", que tem a participação de pesquisadores brasileiros da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Estas perdas ocorrem do campo à mesa: durante a produção agrícola, processamento, distribuição, nos supermercados e nas casas dos consumidores.
O objetivo dos pesquisadores é tentar reduzir as perdas na cadeia de produção das frutas e vegetais.
E os consumidores também têm um papel a desempenhar.
De acordo com um relatório da Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), as principais perdas estão ligados à produção dos produtos frescos.
Cerca de 20% dos alimentos frescos são perdidos, entre outros, devido a:
  • danos acidentais durante a colheita
  • danos por insetos
  • danos mecânicos e/ou vazamentos durante a operação de colheita
  • não atendimento a requisitos de qualidade dos supermercados e outras empresas.
Mas os pesquisadores constataram que as perdas continuam depois que as frutas e vegetais foram para comercialização.
A falta de sintonia entre a oferta e a demanda é outra razão importante para as perdas.
Durante o manejo pós-colheita e o processamento, 5,5% das verduras e vegetais se perde, por exemplo, por más condições de armazenagem, na produção de suco, ou durante as interrupções de processo e acidentes.
Na cadeia de distribuição e supermercados, outros 7,5% são perdidos devido à degradação e superação do prazo de validade.
Finalmente, 13% do que é produzido se perde devido ao comportamento dos consumidores, que jogam fora frutas e vegetais ainda comestíveis.
Um dos elementos importantes, responsável pelo desperdício nas residências, é a perda devido ao armazenamento em temperatura inadequada, ou simplesmente por deixar passar o prazo de validade.
Nem todas as perdas são irreversíveis, porque um grande esforço tem sido feito na valorização destes produtos.
Em instalações de fermentação, produtos frescos não negociáveis podem ser transformados em energia.
Produtos frescos ligeiramente danificados também podem ser aproveitados para fazer produtos derivados como doces, sopas etc.
Talvez por estar sendo feito na Europa, o estudo não levanta como possibilidade de aproveitamento a doação dos alimentos não comercializados para pessoas carentes ou instituições que atendem a essas pessoas.
Fonte: Diário da Saúde

16 de novembro de 2012

Vitamina C pode ajudar a prevenir osteoporose...



Pela primeira vez, um estudo mostrou que a vitamina C pode proteger uma pessoa contra a osteoporose, uma doença progressiva que diminui a densidade dos ossos e aumenta o risco de fraturas. Até agora, somente o consumo de cálcio e vitamina D são recomendados para a prevenção do problema. A pesquisa, feita com camundongos, foi publicada nesta semana no periódico PLoS One.

De acordo com Mone Zaidi, diretor do Programa para os Ossos da Faculdade de Medicina Monte Sinai, nos Estados Unidos, e coordenador do estudo, os especialistas já sabiam que baixos níveis de vitamina C estão associados, entre outros problemas de saúde, à fragilidade dos ossos. "O que essa pesquisa mostrou de novo é que a vitamina C, quando ingerida em grandes quantidades por camundongos, estimula o aumento da densidade óssea nos animais e protege o esqueleto", diz o pesquisador. Ele explica que isso ocorre pois o nutriente induz os osteoblastos, células que estimulam a formação óssea, a amadurecerem.
Comparação — Na pesquisa, os camundongos tiveram seus ovários retirados — procedimento conhecido por provocar a redução da densidade óssea. Parte dos animais recebeu doses altas da vitamina C via oral e o restante não ingeriu o nutriente. Após oito semanas, a equipe observou que os camundongos sem ovários que não receberam a vitamina apresentaram uma densidade óssea "muito baixa" em comparação com os animais sem ovários que ingeriram o nutriente. Por outro lado, os camundongos que receberam vitamina C apresentaram a mesma densidade óssea do que animais que não haviam passado pela cirurgia.
De acordo com os autores, esses resultados sugerem que a vitamina C foi a responsável por impedir a perda de densidade dos ossos em animais propensos a apresentar o problema. "Mais pesquisas são necessárias para determinar se esses suplementos alimentares são capazes de prevenir a osteoporose em humanos. Se os estudos futuros confirmarem os nossos achados, a descoberta poderá ser útil em países em desenvolvimento onde a doença é prevalente e os tratamentos são, muitas vezes, caros", afirma Zaidi.
Fonte: Revista Veja

15 de novembro de 2012

Legumes ajudam diabéticos a controlar glicose no sangue...



dieta de baixa carga glicêmica — que evita o consumo de alimentos que aumentam rapidamente os níveis de açúcar no sangue, como carboidratos processados, batatas e pão branco — é frequentemente recomendada a pacientes que sofrem de diabetes tipo 2 como forma de ajudá-los a controlar a taxa de glicose no sangue. Um novo estudo da Universidade de Toronto, no Canadá, mostrou que aumentar o consumo de legumes pode promover um benefício ainda maior em relação ao controle do açúcar no sangue e também na redução do risco de doença coronariana.

Essas conclusões, publicadas nesta terça-feira na revista Archieves of Internal Medicine, basearam-se nos dados de 121 pacientes com diabetes tipo 2. Parte deles seguiu uma alimentação com baixa carga glicêmica e com um alto consumo de legumes — os participantes foram orientados a ingerir ao menos 190 gramas, ou uma xícara de chá, desses alimentos ao dia. O restante dos pacientes também seguiu uma dieta com baixa carga glicêmica, mas eles foram incentivados a aumentar a ingestão diária de fibras por meio de ingredientes integrais.
Durante três meses, a equipe de pesquisadores observou que, em comparação com o grupo dos alimentos ricos em fibra, os pacientes que ingeriram mais legumes apresentaram um melhor controle da glicose no sangue e uma maior redução da pressão arterial, embora todos os participantes tenham demonstrado uma melhora nesses quadros.
“Em conclusão, a dieta com baixa carga glicêmica aliada a um maior consumo de legumes é melhor para reduzir fatores de risco que podem levar a uma doença coronariana”, escreveram os autores no artigo. Para os pesquisadores, esses resultados podem incentivar autoridades de saúde a promover campanhas que mostrem os benefícios do consumo de legumes. 
Fonte: Revista VEJA

14 de novembro de 2012

Vamos deixar seu intestino em ordem?



Não existe nada mais desconfortável do que estar com prisão de ventre. Siga estas dicas que podem te ajudar a reverter este quadro:

- Invista em alimentos ricos em fibras - frutas com bagaço e casca, verduras, sementes e grãos.
- Beba bastante água para manter a mucosa intestinal bem hidratada.
- Evite jejuns prolongados. ao fracionar a alimentação você estimula o funcionamento do intestino.
- Pratique atividades físicas sempre que possível, isso fortalece os músculos da região abdominal facilitando o trabalho digestivo.

13 de novembro de 2012

Estudo aumenta compreensão sobre funcionamento de proteínas...


Para que a proteína possa desempenhar sua função dentro do organismo – seja ela estrutural, enzimática, hormonal, energética, de defesa ou de transporte de nutrientes –, a cadeia de aminoácidos que a compõe precisa se moldar de modo a atingir uma forma tridimensional específica.
Há décadas cientistas tentam descobrir como esse processo tão complexo, conhecido como enovelamento de proteína, ocorre em questão de segundos ou até de milésimos de segundo. Uma pesquisa apoiada pela FAPESP e publicada na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) acrescentou algumas peças ao quebra-cabeça.
“Estudos feitos nos anos 1960 mostraram que, se as proteínas fossem explorar aleatoriamente todas as configurações possíveis até atingir a estrutura nativa, o processo de enovelamento levaria um tempo equivalente à idade do Universo”, disse Vitor Barbanti Pereira Leite, orientador do estudo de doutorado de Ronaldo J. Oliveira, que deu origem ao artigo.
Já se sabia que toda a informação necessária para que o enovelamento ocorresse estava contida na própria sequência de aminoácidos, uma vez que o processo foi passível de ser reproduzido em tubo de ensaio, sem a influência de fatores biológicos. Surgiu então a hipótese de que haveria uma rota que facilitasse a chegada a esse estado funcional
“Passaram-se mais de 20 anos tentando desvendar essas possíveis rotas e identificar os estágios intermediários, até que se percebeu que esse não era o mecanismo”, disse Leite.
Na década de 1990, o brasileiro José Nelson Onuchic – professor da Universidade Rice, em Houston, Estados Unidos, e um dos coautores do artigo recém-publicado na PNAS – introduziu a ideia de que não haveria um caminho único, mas sim um mecanismo em que todos os estágios intermediários levariam à estrutura nativa.
Considerando que em cada uma das configurações alternativas a proteína teria uma determinada energia, Onuchic propôs que, se a energia de todos os estágios intermediários fosse mapeada, esse relevo – conhecido como superfície de energia (energy landscape) – teria um formato afunilado. No fundo do funil estaria a estrutura nativa, que representa o estado mais estável de energia.
“Imagine um cego tentando acertar aleatoriamente a bola no buraco de um campo de golfe. Se o campo fosse plano, ele levaria a vida inteira para acertar. Mas, se o campo tivesse um relevo afunilado, a bola seria direcionada para o centro independentemente do lugar em que fosse lançada”, comparou Leite.
Com a ajuda de modelos computacionais simplificados, Leite e sua equipe conseguiram, pela primeira vez, medir as dimensões do funil de energia – reforçando a teoria proposta por Onuchic. Além disso, com base nas medidas do funil, desenvolveram um parâmetro – batizado de descritor de superfície (Λ) – capaz de indicar a eficiência do processo de enovelamento de cada proteína.
“Para calcular Λ, usamos três diferentes medidas: a rugosidade do relevo de energia, a largura e a profundidade do funil”, contou Leite.
A rugosidade é calculada pela variação de energia que ocorre quando a proteína pula de uma configuração para outra. “Quanto mais rugoso for o relevo, maior será a dificuldade para chegar ao fundo do funil”, disse.
Já a largura varia de acordo com o número de configurações possíveis de serem acessadas pela proteína. “Quanto maior for a entropia do estado desenovelado, ou seja, o número de combinações possíveis quando a proteína está aberta, maior será a área da boca do funil”, explicou Leite.
Por último, a profundidade representa a distância em energia entre a estrutura nativa e o estado totalmente desenovelado. “Medimos o quanto a energia diminui quando a proteína passa do estado desnaturado para o funcional”, contou.
As proteínas foram selecionadas durante o processo evolutivo para funcionar em temperaturas fisiológicas – no caso dos humanos, em torno de 36º C.
“A temperatura tem influência direta sobre todo o sistema. Se aquecermos certas proteínas um pouco acima da temperatura fisiológica, elas começam a se abrir. O relevo de energia continua o mesmo, mas a forma enovelada deixa de ser a mais estável”, explicou Leite.
Os pesquisadores estudaram um grupo de 21 proteínas de diferentes formas e tamanhos e mostraram que o parâmetro Λ tem grande correlação com a estabilidade e com o tempo que a proteína demora para se enovelar.
“A estabilidade e o tempo de enovelamento foram calculados por simulação, mas estão correlacionados com dados experimentais da literatura científica”, disse Leite.
Fonte: Agência FAPESP

12 de novembro de 2012

Healthy Monday...



SEGUNDA SAUDÁVEL...

Pessoal, mais uma semana se inicia e como foi seu final de semana? Alguma festa, churrasco com os amigos? Ingeriu bebida alcoólica e hoje está super inchado (a)? Pois é, aproveite esta segunda para desintoxicar seu organismo não só do álcool mas de outras substâncias.

Tome pelo menos 2 litros de água entre as refeições, abuse de frutas ricas em água como melão e melancia que são diuréticas e desintoxicantes, faça um almoço leve com salada de folhas verdes e legumes crus e 1 tipo de carne magra grelhada. No jantar vá de sopa para encerrar o dia finalizando sua desintoxicação.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

10 de novembro de 2012

Segundo estudo, curcumina inibe metástases do câncer de próstata...



A curcumina, um ingrediente do açafrão, especiaria indiana, mostrou impedir a formação de metástases em pacientes com câncer de próstata, os pesquisadores da Ludwig-Maximilians-Universität (LMU) em Munique, na Alemanha, publicaram o estudo na revista Carcinogênese.

O açafrão em pó, tem sido usado há centenas de anos para o tratamento de várias doenças, como a osteoartrite. Curcumina, seu ingrediente ativo, bloqueia reações inflamatórias.

Como a curcumina, é bem tolerada, pode ser usada tanto como terapia preventiva (profilático), bem como no tratamento de pacientes com câncer de próstata.

9 de novembro de 2012

Nutrientes importantes no controle do colesterol....



Você já deve estar cansado de ouvir as recomendações básicas para controle do colesterol, não é mesmo? Reduzir gorduras, frituras, praticar atividades físicas, aumentar o consumo de fibras etc.

Mas existem alguns nutrientes que tem relação estreita com a diminuição do temível colesterol e são eles:

Magnésio

Existe uma correlação importante entre a diminuição do magnésio no organismo e o aumento das patologias cardíacas como infarto e arritmias. A deficiência de magnésio provoca aumento da agregação plaquetária, aumento do colesterol e dos triglicérides. 

Fontes de magnésio: grãos integrais, folhas verdes, banana, mel, nozes, frutos do mar, espinafre, amendoim torrado, atum.

Vanádio

Ele inibe a síntese de colesterol, evitando a deposição de gorduras nas paredes das artérias, portanto, previne os ataques cardíacos e isquemia cerebral. 

Fontes de vanádio: frutos do mar, levedo de cerveja, cogumelos, salsinha, alho, arroz integral.

Niacina

A niacina ou vitamina B3 reduz triglicérides, LDL e aumenta HDL.

Fontes de niacina: Carnes magras, carnes de aves, peixes, levedo de cerveja, amendoim, aveia, leguminosas, cereais integrais.

8 de novembro de 2012

Mix de castanhas com chocolate amargo


Há tempos estou querendo fazer estas castanhas com chocolate, na verdade a intenção aqui não é nem que seja uma receita e mais uma dica para as chocólatras e amigas de TPM.

Eu comprei uma forminha de bombom, mas você pode fazer em forminhas gelo, ou em uma travessa, vasilha como na alternativa que coloquei já que sobrou um pouco de chocolate.

Para esta receita eu usei de castanhas: castanha do Brasil, castanha de caju sem sal, macadâmia, avelã e amêndoa. Derreti em banho-Maria meia barra de chocolate amargo, que também vai do gosto do freguês, se preferir meio amargo etc. 

A ideia é que o chocolate funcione como uma cola entre as castanhas por isso não coloquei muito chocolate já que não é um bombom. Fica muito bom e mata aquela vontade de doce com uma ínfima quantidade de chocolate e as castanhas que são fontes de gorduras do bem e muito minerais, ou seja, uma maravilha.

Mas claro, o ideal é que esteja inserido dentro de uma dieta equilibrada e seja consumido apenas 1 ao dia, ok?

7 de novembro de 2012

Novembro é tempo de...



Novembro já começou, então vamos conferir os alimentos que estão em safra neste mês:


- Abacaxi pérola
- Abóbora e abóbora japonesa
- Abobrinha brasileira
- Acerola
- Alho nacional
- Alho-poró
- Almeirão
- Aspargo
- Banana nanica
- Banana Prata
- Berinjela comum
- Brócolis
- Caju
- Cebola nacional
- Cebolinha
- Cenoura
- Coco verde
- Erva doce
- Espinafre
- Framboesa
- Inhame
- Jaca
- Laranja pera
- Maçã nacional fuji e estrangeira
- Mamão papaia
- Manga
- Maracujá
- Melancia
- Melão amarelo
- Nabo
- Nectarina nacional
- Nozes
- Pepino comum e japonês
- Pimentão amarelo
- Pêssego nacional
- Tangerina murcote



6 de novembro de 2012

Frutas e verduras melhoram a saúde mental...


Uma pesquisa da Universidade de Warwick, na Inglaterra, relacionou o consumo de frutas e verduras ao bem-estar e à saúde mental. Os resultados sugerem que a quantidade recomendada desse tipo de alimento é de sete porções por dia para que o benefício seja alcançado. O artigo será publicado no periódico Social Indicators Research.

Participaram do estudo cerca de 80 mil britânicos, que responderam questões sobre seus hábitos alimentares e como se sentiam. Sarah Stewart-Brown, integrante do grupo de pesquisadores, explicou que o artigo reúne diversos estudos realizados, e todos tornaram possível a mesma conclusão: a quantidade de frutas e verduras que uma pessoa ingere tem impacto em sua saúde mental, além dos efeitos já conhecidos sobre bem-estar físico. O ápice do bem-estar foi encontrado em torno das sete porções diárias. 
“Atualmente se recomenda na Grã-Bretanha o consumo de cinco porções diárias, que é a quantidade adequada para prevenir doenças cardíacas ou câncer, por exemplo, mas poucas pessoas têm pesquisado os efeitos de quantidades maiores”, disse Stewart-Brown ao site de VEJA.
A porção, para fins do estudo, é definida como uma quantidade de 80 gramas. Não foram estudados os efeitos individuais de algum tipo de fruta ou verdura, nem os períodos do dia em que o consumo é mais indicado. Sarah Stewart-Brown ressalta que esse tipo de pesquisa ainda não é realizada com frequência e que seria interessante desenvolvê-la em outros países. “Se você puder dizer às pessoas que além de fazer bem para a saúde, frutas e verduras farão com que elas se sintam melhor, é um incentivo a mais para que elas tenham hábitos saudáveis”, afirma  a pesquisadora.

Fonte: Revista Veja

5 de novembro de 2012

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL.....

Mais uma semana se inicia, então vamos começar com o pé direito? Seu final de semana foi de comilança ou não? De qualquer forma, que tal iniciar a semana desintoxicando o organismo? Então vamos fazer um suco desintoxicante. Os sucos além de práticos podem ser feitos a qualquer hora, você pode tomar este nas segundas ou em qualquer dia que sentir necessidades de desintoxicar.

Para o suco você vai precisar de 1 maçã (Rica em pectina - Quela metais pesados) + 3 folhas de couve (Clorofila - Desintoxicante) + 1 rodela de gengibre (Anti-inflamatório, Antifúngico, Antibacteriano natural) + 1 copo de água. Bater tudo no liquidificador, não coar. De preferência tomar em jejum. 

Lembre-seToda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

3 de novembro de 2012

Segundo estudo, consumo de uvas está relacionado com hábitos alimentares mais saudáveis...


Consumo de uva está relacionado com hábitos alimentares mais saudáveis ​​e maior ingestão de nutrientes, de acordo com um estudo apresentado na Academia de Nutrição e Dietética na Conferência de Alimentação e Nutrição em Exposição na Filadélfia, PA.


Os resultados do novo estudo foram obtidos após os pesquisadores analisarem a relação entre a qualidade da dieta em uma amostra nacionalmente representativa de crianças e adultos dos Estados Unidos e sua ingestão de uva.

As dietas de mais de 21.800 crianças e adultos foram examinadas.

Eles descobriram que os indivíduos que consomem produtos feitos com uvas também têm maior ingestão de:


- fibra dietética
- potássio
- cálcio
- magnésio
- vitamina A
- vitamina C
- vitamina B6

O consumo de uvas em adultos foi associado a um maior consumo de vegetais, grãos inteiros, sementes,  assim como uma diminuição da ingestão de colesterol, gordura saturada e gordura total em comparação com os adultos que não consomem produtos de uvas.

Um estudo publicado em agosto deste ano, disse que as uvas podem auxiliar na redução da pressão arterial, fortalecer o fluxo de sangue e menor inflamação entre os homens que sofrem de síndrome metabólica. Além disso, um relatório de 2010 afirmou que as uvas também podem reduzir fatores de risco para diabetes e doenças cardíacas.


2 de novembro de 2012

Dicas de alimentação para a menopausa...


    

     A menopausa é um processo biológico natural do organismo das mulheres, mas muito temido pelos sintomas. Ela pode apresentar diversos efeitos no dia-a-dia da mulher. Ondas de calor, suor noturno, irritabilidade, ansiedade, insônia, cansaço e diminuição da atenção e memória são alguns dos incômodos dessa fase em que a mulher deixa de produzir hormônios, entre os 45 e 55 anos. 


Existe um aliado natural que pode ser bastante benéfico, os alimentos. Os grãos, os cereais integrais, as frutas e as hortaliças são excelentes fontes de nutrientes que podem auxiliar no tratamento da menopausa.

Algumas dicas básicas:

-  Aumentar o consumo de cálcio, porque a diminuição do estrogênio circulante, torna o processo natural de dinâmica óssea mais lento em resposta à diminuição do estrogênio.

-  A diminuição do estrogênio circulante também afetam os lipídeos sanguíneos, resultando em um aumento nos níveis de colesterol total e colesterol LDL e uma diminuição no HDL. Não consuma gorduras em excesso e aposte na aveia.

-  Os fitoestrógenos (estrógenos à base de vegetais), são utilizados como terapia adicional para aliviar os sintomas da menopausa, principalmente os calores.

Os fitoestrógenos incluem:

ISOFLAVONAS : encontradas na soja
- LIGNANAS: mais concentradas na semente de linhaça
COUMESTANOS: encontradas na alfafa, broto de feijão e broto de soja

1 de novembro de 2012

Segundo estudo, comprometimento cognitivo leve pode melhorar com cafeína...


Estudos recentes relacionaram o consumo de cafeína a um menor risco de doença de Alzheimer, e uma nova  pesquisa da Universidade de Illinóis pode ser capaz de explicar como isso acontece.

Os pesquisadores descobriram um sinal que ativa a inflamação do cérebro e que está associada às doenças neurodegenerativas, e a cafeína parece bloquear sua atividade. Esta descoberta pode levar à drogas que poderiam reverter ou inibir comprometimento cognitivo leve. 

Os ratos tratados com cafeína recuperaram a sua capacidade para formar uma memória 33 % mais rápida do que os ratinhos não tratados com a cafeína. 

A capacidade da cafeína de bloquear os receptores de adenosina tem sido associada a melhora cognitiva em determinadas doenças neurodegenerativas e como um protetor contra a doença de Alzheimer.