28 de setembro de 2013

Muffin de batata doce...


Ingredientes:

1 batata doce média
2 xíc. de aveia em flocos
6 claras de ovo (ou 1 xícara de claras de ovo pasteurizadas)
1/2 chic. de adoçante
1 colher de chá de extrato de baunilha
1 colher de café de canela
1/4 colher de café de noz moscada

Modo de Preparo:




A primeira coisa a fazer é cozinhar a batata doce e transformá-la num purê. Juntar à batata as claras de ovo, o adoçantes, a baunilha, a canela e a noz moscada. Mexer tudo muito bem e por fim adicionar sem bater, a aveia. Apenas envolver a aveia na mistura.Colocar a massa em forminhas próprias e levar ao forno a 180/200º por 20 minutos ou até o palito sair limpo.

27 de setembro de 2013

Dê um upgrade na massa magra do seu corpo. Saiba como....

 
O desenvolvimento do corpo é um dos principais fatores buscados por atletas, profissionais ou não. Mas, o que é essa massa magra que tanto se fala por ai? Segundo Wanderson Houpillard, personal trainer de São Paulo, SP, ela é livre de gorduras e inclui a massa óssea, o sangue, a pele, os órgãos e a massa muscular. Esse último, de acordo com ele, é o que mais interessa aos que praticam atividades físicas em busca de mais músculos e da diminuição de gordura corporal. “Quando falamos em ganho de massa magra por meio do exercício, nos referimos, principalmente, ao aumento da massa muscular, da massa óssea e do volume sanguíneo. O fato é que massa magra inclui os músculos, mas não é sinônimo de massa muscular.”
E como aumentá-la?
Não basta apenas levantar peso. Um fator que deve ser seguido por quem deseja ter o aumento da massa magra no corpo é a alimentação. Segundo a nutricionista, Cristiane Spricigo de Lima, de Goiânia, GO, ela tem que ser específica para cada biótipo e tipo de treino. “De maneira geral, a dieta deve ser fracionada, aumentando o consumo de carboidratos complexos (batata doce, macarrão integral), ingerindo proteínas magras e de alto valor biológico (frango, clara de ovos), diminuindo o consumo de gorduras ruins e aumentando o consumo de gorduras boas (azeite, castanhas, óleo de coco). ”O consumo de água também deve ser maior conforme se aumenta a quantidade de proteínas na dieta”, afirma a nutricionista.
Ligado a isso, outro fator importante para o desenvolvimento, é o equilíbrio entre treinamento e descanso, pois, segundo Houpillard, para que ocorra o aumento da massa magra dos músculos é preciso que os membros que foramtreinados tenham tempo para se recuperar. “De forma didática, explico aos meus alunos que é como fazer um pão. Primeiro, mistura-se os ingredientes, que no nosso caso é uma alimentação equilibrada. Depois, amassa-se bem, para que ele fique com suas estruturas mais firmes, o que para nós é o treinamento. E, para finalizar, o descanso para crescer, o que não é diferente no corpo humano.”
Olho no treino!
De acordo com Cristiane, para a melhor resposta do corpo aos treinamentos, é importante que durante o dia alguns fatores sejam seguidos, entre eles a alimentação a cada duas ou três horas e o consumo regular de água. Além disso, a profissional dá algumas dicas para o antes, durante e depois do treino.
“Até uma hora antes, coma alimentos que possam fornecer açúcar aos músculos, como os arboidratos. As melhores fontes deste nutriente são pães torrados, frutas, leite, batata doce, arroz, macarrão e barras energéticas. Já durante o treino, dependendo da intensidade, além da hidratação pode ser necessário o consumo de carboidratos líquidos, como a maltodextrina. E no pós-treino é importante repor as energias gastas durante o exercício. O ideal é ingerir alimentos até no máximo duas horas após os exercícios, e que sejam fontes de proteína, como carnes e queijos magros, iogurte desnatado e clara de ovo.”

Aliada
O uso de suplementação alimentar é frequentemente questionado. “Não é obrigatória. Porém, acaba fazendo diferença quando falamos em praticidade e qualidade dos nutrientes”, afirma a nutricionista.
Quando se fala em suplementar, normalmente é por algo que está faltando e, de acordo com Houpillard, esse equilíbrio precisa ser bem feito. “O consumo de proteínas, gorduras e carboidratos deve ser muito balanceado. A recomendação é de 60% de carboidratos, de 10% a 15% de proteínas e o restante de gorduras. Além disso, esse complemento deve ser dirigido para o tipo de esporte praticado”, afirma o personal, ao comentar a importância da proteína ao corpo e o seu consumo em barras. “A proteína perfaz cerca de 12% a 15% da massa corporal e, apesar da crença que o consumo maior ajuda na hipertrofia, o excesso pode ser transformado em gordura. Portanto, a ingestão precisa ser bem administrada para que se tenha o objetivo esperado, que é a construção de massa magra.
Aqueles que possuem uma dieta protéica pobre, a ingestão de barras de proteínas acaba sendo um fator importante para o crescimento muscular.”
Segundo Cristiane, essas barras possuem todos os macronutrientes de uma forma prática e é uma boa opção para quando se está fora de casa no horário de um lanche intermediário. “Existem pessoas que não têm tempo de preparar e levar outros alimentos para o trabalho, e as barras de proteína podem ser
consumidas também como opção pré e pós-treino quando necessário”, completa.

26 de setembro de 2013

Alimentação equilibrada, exercícios e café podem reduzir o risco de câncer de útero...

 
 
Um estudo do Imperial College London, na Inglaterra, aponta que as mulheres podem derrubar o risco de câncer de útero combinando 30 minutos de exercícios físicos diários a uma dieta balanceada e a manutenção de um peso saudável. Segundo os cientistas, caso as britânicas se mantivessem em forma e ativas, ao menos 3 700 casos da doença poderiam ter sido evitados naquele país. E, vale reforçar, não há razão para crer que esse trio de atitudes traria resultados muito diferentes por aqui.

O Fundo Mundial para Pesquisa de Câncer ainda acrescenta outro elemento na luta contra o tumor de útero: o café. Tudo por causa da presença de antioxidantes, que impediriam a doença de se proliferar. No entanto, os especialistas acham que é cedo para recomendar o consumo da bebida com esse objetivo.
 
Fonte: Revista Saúde é Vital

25 de setembro de 2013

Você sabia?


Segundo especialistas, o consumo de 2 gramas de gengibre (2 colheres de chá) no pós-treino seria capaz de reduzir em até 25% a dor muscular.
 
O responsável por este efeito seria o gingerol, antioxidante que auxilia na redução das inflamações e tem propriedades semelhantes ao medicamento ibuprofeno.

24 de setembro de 2013

Isso faz bem pra quê?

Maca Peruana...
 
A maca possui alto valor nutricional, já que fornece macro e micro nutrientes, incluindo 31 minerais essenciais, que oferecem suporte na estruturação celular e funcionamento do organismo, aumentando o vigor físico, pois possui ação anti-fadiga
É rica em: cálcio, magnésio, fósforo, potássio e ferro. Contém ainda B1, B2, C e E.

É conhecida por auxiliar nas seguintes condições: anemia, desnutrição, fadiga crônica, sintomas da menopausa, entre outros.

23 de setembro de 2013

Healthy Monday....


SEGUNDA SAUDÁVEL...

E aí? Como foi seu final de semana? Com ou sem excessos? Se você exagerou, o melhor caminho é a desintoxicação. Uma boa opção seria ingerir clorifila, e a Chlorella seria uma boa opção por ser rica em clorofila.

Além disso, ela é rica em vitaminas, minerais, aminoácidos e ácidos graxos essenciais. Possui ação antiinflamatória, atua nas funções cerebrais, fígado e sistema imunológico, auxilia na digestão e redução de sintomas do diabetes,hipoglicemia, artrite, entre outros.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

21 de setembro de 2013

Bolinhos crocantes de batata doce com frango...

Ingredientes:

100 g de peito de frango desfiado.
50 g de batata doce ou mandioca, cozida.

Modo de Preparo:

No mixer ou no liquidificador, bater 50 g de mandioca ou batata doce cozida, acrescentando água aos poucos até que a mistura vire uma massa com consistência um pouco mais rala que um purê. Misturar essa massa ao frango desfiado. O frango pode ser feito da maneira que preferir. 

A mistura do frango com a mandioca ou batata doce terá uma consistência suficiente para você fazer bolinhos com uma colher de sopa. Distribuí-los em uma forma antiaderente, e levar ao forno baixo / médio por cerca de 30 a 40 min.

Ele fica crocante por fora e macio por dentro, e é muito fácil carregar para qualquer lugar!
Dica: o bolinho de mandioca fica mais crocante e consistente do que o feito com batata doce.

Bom apetite!


Fonte: Rodolfo Peres

20 de setembro de 2013

Você conhece a Goji Berry?



Ela vem estampando muitas revistas e Instagrams por aí. Mas afinal, você conhece os benefícios desta frutinha? Ela é rica em fibras, vitamina C, fito-nutrientes, antioxidantes, vitaminas do complexo B, zinco, cálcio, potássio, selênio e ácidos graxos essenciais.
A Goji Berry é uma fruta que chama atenção pela sua rica composição e, principalmente, pelo seu altíssimo teor de vitamina C. Em 100g dessa fruta, podemos encontrar quase 50 vezes mais vitamina C do que em uma laranja.
 
Outros benefícios são seus efeitos anti-inflamatórios e propriedades antioxidantes, que auxiliam no rejuvenescimento celular, na prevenção de doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer, distúrbios do sistema neurológico e imunológico.
 
A Goji Berry é considerada uma excelente fonte de proteína, pois nela encontramos 18 tipos de aminoácidos diferentes, sendo 8 deles essenciais

19 de setembro de 2013

Parcela de brasileiros obesos cresce 54% nos últimos seis anos...

 
A parcela de pessoas obesas no Brasil aumentou 54% nos últimos seis anos. Hoje, a obesidade atinge 17% da população. Em 2006, 11% dos brasileiros eram obesos.
 
Os dados são da pesquisa Vigitel 2012 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), realizada pelo Ministério da Saúde.
 
A pesquisa é feita anualmente desde 2006 e ouve, por telefone, maiores de 18 anos. Nessa edição, foram entrevistadas 45,4 mil pessoas.
 
O estudo mostrou também que mais da metade da população adulta brasileira está acima do peso. O excesso de peso atinge 54,5% dos homens e 48% das mulheres.
 
Na média, a parcela de brasileiros com sobrepeso passou de 43% em 2006 para 51% em 2012.
 
A classificação de excesso de peso ou obesidade é feita pelo IMC (Índice de Massa Corporal), obtido dividindo o peso, em quilos, pela altura, em metros, ao quadrado. Para o excesso de peso, o IMC deve ser de 25 ou mais e, para a obesidade, o índice é igual ou maior que 30.
 
Comparando com países próximos, o número de obesos no Brasil é menor.
 
No Uruguai, 19,9% da população faz parte desse quadro. Na Argentina são 20,5%; no Paraguai, 22,8%; no Chile, 25,1% e nos EUA, 27,7%.
 
"O excesso de peso e a obesidade continuam crescendo. Ainda somos mais magros que nossos vizinhos, mas temos de fazer um esforço conjunto, com governo, sociedade e iniciativa privada", disse Jarbas Barbosa, secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde.
 
A obesidade é uma das causas de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e doenças cardíacas.
 
PREOCUPAÇÕES
 
Apenas 22,7% dos brasileiros consomem a quantidade ideal de frutas e legumes recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde).
 
E, segundo Barbosa, é alta a frequência de consumo abusivo de bebidas alcoólicas. Entre a população de 18 a 24 anos, 21,8% bebem álcool dessa maneira. De 25 a 35 anos, esse uso foi feito por 24,7% dos brasileiros. O percentual começa a cair na faixa de 35 a 44 anos, para 20%.
 
A pesquisa identificou ainda, nas principais capitais do país, a quantidade de adultos que bebem e dirigem em seguida. Maior quantidade de casos ocorre em Florianópolis, Palmas, Teresina, Campo Grande, Goiânia e Aracaju.
 
Fonte: Folha

18 de setembro de 2013

Saiba como deixar seu café da manhã mais verde e saudável...

Adicionar alimentos verdes à alimentação é uma maneira de trazer mais nutrientes para o corpo. Mas o que muita gente não sabe é que até mesmo no café da manhã estes itens têm seu lugar.
O site HuffingtonPost listou algumas dicas para quem quer começar o dia com uma refeição poderosa usando ingredientes como couve, acelga, espinafre e rúcula. Confira 8 dicas.
Smoothies verdes
Um smoothie pode ser uma excelente maneira de ingerir algo nutritivo sem ter que lançar mão de algo muito pesado. Você pode usar ingredientes como aipo, pepino, espinafre, abacaxi e gengibre – basta usar a criatividade.
Fritada
A fritada, que é muito parecida com uma omelete, é uma forma saborosa de acrescentar verde à sua alimentação logo cedo: escarola, couve ou espinafre são algumas das combinações que dão certo.
Panqueca vegetariana
Às panquecas feitas com batata e cebola, acrescente legumes de baixo carboidrato como abobrinha, pimentão e cenoura.
Ovos ‘verdes’
Sobraram legumes ou verduras salteados? Esquente-os e, no topo, acrescente ovos pochê. Se quiser incrementar o prato, coloque também presunto, peito de peru ou até mesmo polenta.
Pizza gelada
Muita gente gosta de comer a sobra da pizza pela manhã. Embora não seja a opção mais saudável, você pode adicionar uma dose de vitaminas A, C e D acrescentando à fatia um punhado de rúcula, couve ou seu ‘verde’ favorito.
Mingau salgado
Mingau de aveia não precisa necessariamente vir acompanhado de frutas e açúcar - ele também pode servir como base para um prato salgado. Em muitas culturas asiáticas o mingau é preparado com sal. Isso significa que você pode criar a sua própria receita usando vegetais, ovos e até mesmo peixe.
Quiche
Este alimento de origem francesa é uma ótima maneira de utilizar ingredientes como espinafre, couve ou qualquer outro alimento que você desejar. Deixe a receita ainda mais nutritiva adicionando grãos, como a quinoa, por exemplo.
Muffin
Um muffin salgado é uma ótima opção para o café da manhã ou para o almoço: experimente adicionar os seus vegetais favoritos à massa.
Fonte: Terra

17 de setembro de 2013

Você sabia?



A cúrcuma, além de possuir propriedades cardioprotetoras, anti-inflamatórias, anticancerígenas, antioxidantes e fornece proteção contra o mal de Alzheimer.

16 de setembro de 2013

Healthy Monday...

 
SEGUNDA SAUDÁVEL...

Mais uma semana que se inicia e eu te pergunto: Você tem o hábito de consumir sementes? Isso mesmo, as sementes são uma importante fonte de nutrientes, que tal incluí-las na sua rotina?
 
Ricas em antioxidantes, auxiliam na regeneração celular e possuem efeito anti-inflamatório. Por ser fonte de cálcio de fácil absorção, são importantes para a saúde dos ossos e dentes.
Algumas opções de sementes: semente de abóbora, gergelim, semente de girassol, entre outras.
Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável ! 

14 de setembro de 2013

Brownie Proteico...


Ingredientes: 

1 ovo
1 colher de sopa de aveia em flocos finos
1 colher de sobremesa de óleo de coco
2 castanhas do Brasil
1 colher de sobremesa (rasa) de cacau em pó puro 
15g de Whey Protein de sabor baunilha
50ml de água

Modo de Preparo:

Bata todos os itens no liquidificador, depois leve ao microondas por 1 minuto.

13 de setembro de 2013

Probiótico reduz inflamação pulmonar da asma...

 
Você acha que alimentos probióticos só fazem bem para o estômago ou para o intestino? Então é melhor ver o resultado, e os esclarecimentos, de um grupo de pesquisadores brasileiros.
Na verdade, as pesquisas comprovaram que o consumo do probióticoBifidobacterium longum pode trazer benefícios para quem sofre de asma.
Em experimentos feitos em animais, o tratamento com a bactéria diminuiu a quantidade de muco no pulmão e a presença de mediadores inflamatórios típicos de doença alérgica das vias aéreas.
Além disso, foi observada diminuição na hiper-reatividade brônquica, a contração exagerada da musculatura lisa dos brônquios característica da asma.
"Nossa hipótese é que o acetato, um ácido graxo de cadeia curta produzido em grandes quantidades por bactérias da espécie B. longum (BL), seja o responsável pela diminuição da inflamação alérgica", disse Caroline Marcantonio Ferreira, pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e coordenadora da pesquisa.
Benefícios dos probióticos
Segundo Caroline, são considerados probióticos os microrganismos que, quando ingeridos vivos e em quantidades adequadas, promovem benefícios à saúde.
"Dados da literatura científica indicam que devem existir entre 107 e 109 unidades formadoras de colônia por grama ou por mililitro do alimento para entrar na definição de probiótico. Em quantidades muito pequenas, os microrganismos não conseguem colonizar o intestino e promover benefícios", afirmou.
Caroline conta que o uso de probióticos tem sido recomendado desde o século 19. Até pouco tempo atrás, no entanto, o objetivo era apenas promover benefícios locais, como a regularização do intestino e o combate a doenças inflamatórias intestinais crônicas.
"Nos últimos cinco anos, porém, estudos começaram a apontar efeitos benéficos dos probióticos em órgãos distantes, como pulmão e cérebro. Há trabalhos mostrando até que a microbiota intestinal influencia o comportamento. Mas ainda há muitas lacunas e essas relações precisam ser mais bem estudadas. Nós estamos tentando desvendar o efeito dos probióticos sobre a asma", explicou.
Probióticos contra a asma
No caso da asma, os animais que ingeriram o microrganismo BL tiveram uma redução pela metade de um tipo de célula chamada eosinófilo, um indicador da asma, em comparação com animais não tratados.
Outro probiótico usado no experimento, o Bifidobacterium adolescentis (BA), também apresentou ganhos, reduzindo os eosinófilos para 45%, contra 70% dos animais com asma sem tratamento.
Por último, no teste de função pulmonar, os pesquisadores observaram que o tratamento com BL reduziu em 35% a hiper-reatividade brônquica. O tratamento com BA não alterou esse parâmetro.
O próximo passo, de acordo com Caroline, é tratar os camundongos asmáticos com a bactéria B. longum já morta. O objetivo é verificar se o benefício do probiótico está de fato relacionado a uma substância produzida pelo microrganismo ou se a simples presença da membrana bacteriana é capaz de modular o sistema imunológico.
Fonte: Diário da Saúde

12 de setembro de 2013

Você sabia?




O alho auxilia no bom funcionamento do sistema imunológico, tem ação anti-inflamatória, é hipocolesterolêmico, anticâncer, auxilia no controle da glicemia, triglicérides e pressão arterial.

11 de setembro de 2013

Brócolis pode prevenir e evitar avanço da artrose...

 
Já se sabia que o brócolis protege contra a artrite.
Agora, novos estudos indicam que comer uma grande quantidade de brócolis pode diminuir, e até mesmo prevenir, a artrose.
Depois do sucesso dos testes iniciais feitos em laboratórios, uma equipe da Universidade de East Anglia, no leste da Inglaterra, está iniciando os testes em humanos.
Testes feitos em células e em ratos mostraram que um composto encontrado no brócolis - que os seres humanos também podem obter a partir da couve-de-bruxelas e do repolho - bloquearam uma enzima fundamental destrutiva, que causa danos à cartilagem.
Super brócolis
Os pesquisadores estão pedindo a 20 pacientes para comer uma dose diária de um brócolis "super-carregado" de nutrientes, conhecido como Beneforte - criado a partir do cruzamento entre o brócolis padrão e um parente selvagem da Sicília.
Os voluntários farão a dieta por duas semanas antes de se submeterem a cirurgia para ter seus joelhos artríticos reparados.
Rose Davidson e sua equipe vão examinar o tecido que for removido para ver o impacto, se houver, que o brócolis teve.
"Nós estamos pedindo aos pacientes para comer uma dose diária de 100g do brócolis durante duas semanas. Essa é uma dose normal, de bom tamanho, e é uma quantidade que a maioria das pessoas ficaria feliz em comer todos os dias," disse a pesquisadora.
Embora seja altamente improvável que essa quantidade seja o suficiente para causar qualquer grande mudança em duas semanas, Davidson espera que seja o suficiente para oferecer algum indício de como o "super" brócolis pode beneficiar os seres humanos.
"Eu não acredito que vá reparar ou reverter a artrose ... mas pode ser uma maneira de preveni-la", disse ela.
Visão de conjunto
Os cientistas estão suspeitando da ação de um composto presente no brócolis, a glucorafanina, que o corpo humano transforma em outro composto, chamado sulforafano, que parece proteger as articulações.
O sulforafano tem sido apontado também como o responsável pelos efeitos protetores do brócolis contra asma, rinite e outros problemas respiratórios.
Mas, partindo da experiência com o resveratrol, um dos compostos apontados como responsáveis pelos benefícios do vinho tinto, talvez seja melhor mesmo ingerir o brócolis todo, como será feito no experimento, do que se basear em apenas um de seus compostos.
Artrite e artrose
A artrose também é chamada de osteoartrite ou artrite degenerativa.
Trata-se de uma doença degenerativa das articulações, crônica, caracterizada pela degeneração da cartilagem e do osso subcondral, que pode causar dor articular, rigidez e redução da funcionalidade articular.
Já a artrite é a inflamação das articulações, em sentido amplo - existem mais de 100 subdivisões de artrites.
Trata-se de um conjunto de sintomas e sinais resultantes de lesões articulares produzidas por diversos motivos e causas.
As artrites são um tipo de reumatismo, e raramente tem uma origem determinada. Hoje, a condição é atribuída a uma variedade de causas, incluindo fatores genéticos, orgânicos, ocupacionais e ambientais.
Fonte: Diário da Saúde

7 de setembro de 2013

Peixe ao forno....



Peixe além de ser gostoso é levinho e vai bem em qualquer refeição.

Nesta sugestão eu temperei o filé de Saint Peter (ou o peixe da sua preferência) com limão siciliano, sal, pimenta, Lemon pepper e alho. Coloque numa assadeira e finalize com pimentão e alecrim fresco para perfumar! Delicioso!

6 de setembro de 2013

Pela manhã, frutas inteiras são melhores que suco de fruta...

 
Comer mais frutas, particularmente mirtilo (as blueberries), maçãs e uvas tende a reduzir o risco de desenvolvimento do tipo 2 de diabetes, segundo mais um estudo, desta vez publicado no British Medical Journal.
 
No entanto, a ingestão de sucos de frutas pelo amanhecer - e não frutas inteiras - pode aumentar ligeiramente os riscos da doença.
 
Os pesquisadores suspeitam que a diferença é devida à maior quantidade de açúcar do suco, já que o suco leva mais frutas do que as regularmente ingeridas sólidas em e à rápida absorção do suco pelo corpo.
 
A pesquisa acompanhou a dieta de 187 mil pessoas nos Estados Unidos. Destas, 6,5% desenvolveram diabetes tipo 2.
 
As frutas pesquisadas foram uvas ou passas, pêssego, ameixa, damascos, pera, maçã, laranjas, toranja (grapefruit), morangos e mirtilos.
 
De acordo com o estudo, "frutas têm componentes altamente variáveis de fibra, antioxidantes, outros nutrientes e fitoquímicos que, juntos, influenciam o risco [do diabetes tipo 2]".
 
O mirtilo corta o risco de diabetes tipo 2 em 26%, enquanto outras frutas, servidas em três porções diárias, reduzem em 2%.
 
No entanto, quando observado o impacto do consumo de sucos de frutas pela manhã, os pesquisadores chegaram a um leve aumento do risco de diabetes tipo 2, contra a redução provocada pela ingestão de frutas sólidas.
 
Substituindo-se sucos de frutas por mirtilos inteiros corta-se o risco em até 33%; com uvas e passas, em até 19%; por peras e maçãs, em até 13% - e por uma combinação de frutas, em até 7%.
 
A substituição de sucos por laranjas, pêssegos, ameixas e damascos leva a resultado similar.
 
"Ao fazermos um suco, separamos a (polpa) fruta de seus fluidos, que são absorvidos mais rapidamente, aumentando os níveis de açúcar e insulina no sangue para conter os açúcares", explica Qi Sun, autor do estudo e professor na Harvard School of Public Health. "Para diminuir o risco de diabetes tipo 2, o ideal seria diminuir o consumo de sucos e aumentar o de frutas", aconselha.
 
O estudo envolveu apenas o consumo de suco pela manhã, e não durante outros momentos do dia.
 
Fonte: Diário da Saúde

5 de setembro de 2013

Estudo mostra que açúcar, mesmo em doses consideradas normais, pode fazer mal à saúde...


Diversos estudos já mostraram que açúcar em excesso é prejudicial à saúde, mas uma nova pesquisa fornece evidências que ele pode ser tóxico também em quantidades consideradas normais por organizações de saúde. Pesquisadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, analisaram os efeitos do consumo de açúcar equivalente a três latinhas de refrigerante por dia, acompanhadas de uma dieta saudável e balanceada, em um grupo de camundongos.

Apesar de não poderem ser diretamente transpostos para os seres humanos, os resultados são preocupantes: as fêmeas que receberam a dieta açucarada apresentaram uma taxa de mortalidade duas vezes maior do que o normal. Entre os machos, não houve mudança na expectativa de vida, mas sua capacidade de manter territórios e se reproduzir foi afetada. Os resultados foram descritos em um estudo publicado nessa terça-feira no periódico Nature Communications.
Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores dividiram 158 camundongos em dois grupos. Os dois foram alimentados de forma balanceada e saudável, mas um dos grupos recebeu 25% das calorias em forma de açúcar – metade glicose e metade frutose.
Wayne Potts, professor de biologia da Universidade de Utah e um dos autores do estudo, explica que o Conselho Nacional de Pesquisa dos Estados Unidos recomenda que não mais do que um quarto das calorias consumidas deve vir de açúcar adicionado – aquele que é acrescentado aos alimentos durante o processo de fabricação. Não entram nessa conta os açúcares naturais, presentes em frutas e outros alimentos não processados. De acordo com o pesquisador, de 13% a 25% dos americanos consomem a dose de açúcar utilizada no estudo, que equivale, por dia, ao açúcar presente em três latas de refrigerante.
Instinto natural – Um detalhe importante deste estudo é o fato de que ele não foi feito com animais de laboratório. Como muitos ratos vivem dentro de casas, eles acabam compartilhando de certa forma os hábitos alimentares dos humanos, o que os torna um bom modelo para estudos relacionados à alimentação. "Eles têm vivido com o mesmo tipo de alimentação que nós desde a revolução agrícola, 10 000 anos atrás", diz Potts.
Os camundongos de laboratório em geral vêm de longas linhagens de animais criados em cativeiro, o que faz com que eles não tenham a mesma necessidade de explorar territórios como a encontrada em camundongos que vivem em liberdade. Por esse motivo, os pesquisadores utilizaram no estudo camundongos descendentes de animais "selvagens", e não animais de laboratório, como acontece na maior parte das pesquisas.
O instinto de explorar território era uma característica necessária devido à configuração do estudo. Os ratos foram colocados em uma sala apelidada de "estábulo de camundongos", contendo diversas caixas que serviam como ninhos. A ideia era criar um ambiente mais próximo da realidade do que as pequenas gaiolas em que eles costumam viver durante experimentos científicos. Dessa forma, os animais puderam competir naturalmente por parceiros e territórios, revelando então os efeitos da dieta em seu desempenho.
"Eles são muito competitivos no que se refere a comida, ninhos e território", afirma Potts. "E essa competição demanda um grande esforço físico, então, se existe um defeito em algum sistema fisiológico, eles tendem a se sair pior na competição", explica o pesquisador.
Antes de serem colocados no "estábulo" para o experimento, os animais foram mantidos em gaiolas por 26 semanas, durante as quais receberam a alimentação designada para o grupo ao qual pertenciam – com ou sem o açúcar adicionado. Quando foram colocados no ambiente de teste, todos passaram a receber a alimentação açucarada, de forma que o estudo avaliasse apenas as diferenças causadas pelas dietas diferentes durante aquelas 26 semanas anteriores.
Resultados – Após 32 semanas no "estábulo", 35% das fêmeas que estavam no grupo da dieta com açúcar morreram – quase o dobro do número de mortes entre fêmeas do grupo que recebeu a dieta saudável, que foi de 17%. Já entre os machos, não houve diferença no número de mortes entre aqueles que receberam ou não o açúcar extra.
Em compensação, os machos que foram alimentados com mais açúcar conseguiram 26% menos territórios do que os demais e se reproduziram 25% menos.
Os pesquisadores não encontraram diferenças entre os dois grupos no que se refere a obesidade e níveis de insulina, glicose e triglicérides em jejum. "Nosso estudo mostra que os efeitos negativos de uma dieta rica em açúcar adicionado não poderiam ser detectados por testes convencionais", afirma Potts.
Fonte: Veja