20 de abril de 2008

CORTANDO CALORIAS DE FORMA SAUDÁVEL





A alimentação vai muito bem, mas quando a balança mostra um número maior do que queremos ou quando o espelho mostra a barriguinha saliente, todo mundo quer fechar a boca para recuperar a forma. O primeiro pensamento é cortar calorias! Ninguém quer passar perto de alimentos muito calóricos.

Essa pode não ser uma boa alternativa, pois existem alimentos com ZERO calorias que não tem nutrientes nenhum e que até contém substâncias que podem causar doenças se forem consumidos em excesso. E, ao contrário, existem alimentos calóricos que promovem a saúde e podem até ajudar na perda de peso.

Mas, afinal, o que caloria? É uma medida, assim como usamos litros, metros, quilos, usamos calorias para expressar o calor ou valor energético do alimento e da atividade física. Através do método de calorimetria direta descobriu-se que cada alimento libera um determinado calor ao ser queimado. O calor liberado pela queima é enunciado como o valor energético do alimento. Por exemplo: uma colher de margarina ao ser queimada libera 100 kcal, ou seja, no organismo esse alimento sofre o mesmo processo liberando a mesma quantidade de energia. Cada alimento tem seu valor calórico.

Temos que admitir que existem alimentos cheios de calorias que agradam o paladar de muita gente: chocolates, cremes, tortas, pavês, queijos amarelos, doces... E sabemos que o excesso desses alimentos pode provocar doenças como pressão alta, diabetes, colesterol alto e, é claro, o excesso de peso. É por isso que muita gente adotou o hábito de consumir tudo light, diet, desnatado e desengordurado. Um copo de refrigerante, por exemplo, tem cerca de 80 calorias, já um refrigerante diet tem menos de 1 caloria. Mas, nutricionalmente, esses alimentos não tem nada a nos oferecer. Pelo contrário estão cheios de substâncias artificiais, corantes, conservantes, adoçantes artificiais que podem intoxicar nosso organismo. Por isso, tem que ficar bem claro que nossa saúde não irá agradecer essa troca de um alimento gorduroso ou cheio de açúcar por um dietético. É preciso escolher um alimento saudável, rico em vitaminas e minerais para compensar.

Existem várias maneiras de reduzir as calorias comendo bem. A primeira dica é evitar alimentos que contém gorduras saturadas ou gorduras trans. Para saber, basta ler no rótulo do produto, os ingredientes que o compõe. Trocar os doces por frutas. Se quiser sentir aquele sabor doce após o almoço, asse frutas como maçã, banana ou abacaxi com um pouquinho de canela. Para quem não resiste ao chocolate, prefira o chocolate meio amargo e troque os achocolatados por cacau em pó. O creme de leite de pudins, tortas e pavês, podem ser substituídos por iogurte desnatado.

No almoço e jantar não deixe faltar saladas variadas e bem coloridas. Cozinhe os legumes apenas com temperos, evite a margarina ou manteiga e para temperar use um pouco de azeite que faz muito bem à saúde. As carnes sempre grelhadas e assadas. Tudo que for à milanesa pode ser feito no forno, nada de frituras! Os refrigerantes podem sair de cena e dar lugar aos sucos naturais que são muito mais saborosos e nutritivos. Os pães e massas, podem ser integrais, muito mais saudáveis pela quantidade de vitaminas e minerais e a grande quantidade de fibras que ajudam no emagrecimento e na prevenção de doenças.

Essas são dicas muito simples que nos ajudam a consumir menos calorias com muito mais qualidade e sabor! Experimente!


18 de abril de 2008

OS BENEFÍCIOS DA LINHAÇA




Nos últimos anos têm-se publicado inúmeras informações sobre os efeitos curativos da semente de linhaça moída. Os pesquisadores do Instituto Científico para Estudo da Linhaça do Canadá e dos Estados Unidos, têm enfocado sua atenção no rol desta semente na prevenção e cura de numerosas doenças degenerativas. As investigações e a experiência clínica têm demonstrado que o consumo em forma regular de semente de linhaça, previne ou ajuda na cura dos seguintes problemas:
- CÂNCER: de mama, de próstata, de colon, de pulmão, etc, etc. A semente de linhaça contém 27 componentes anti-cancerígenos, um deles é a LIGNINA. A semente de linhaça contém 100 vezes mais Lignina que os melhores grãos integrais. Nenhum outro vegetal conhecido até agora iguala essas propriedades. Protege e evita a formação de tumores. Só no câncer se recomenda combinar semente de linhaça moída com queijo cottage, que é baixo em calorias;
- REDUÇÃO DE PESO: A linhaça moída é excelente para reduzir o peso, pois elimina o colesterol em forma rápida. Ajuda a controlar a obesidade e a sensação desnecessária de apetite, por conter grandes quantidades de fibra dietética, pois tem cinco vezes mais fibra que a aveia. Se você deseja reduzir o peso, tome uma colher a mais pelas tardes;
- SISTEMA DIGESTIVO: Previnem o câncer de colon. Ideal para artrite, prisão de ventre, acidez estomacal. Lubrifica e regenera a flora intestinal. Expulsão de gases gástricos. É um laxante por excelência. Previne os divertículos nas paredes do intestino. Elimina toxinas e contaminadores. A linhaça contém em grandes quantidades dos dois tipos de fibras dietéticas solúvel e insolúvel. Contém mais fibra que a maioria dos grãos;
- SISTEMA NERVOSO: É uma boa opção de tratamento para a pressão. As pessoas que consomem linhaça sentem uma grande diminuição da tensão nervosa e uma sensação de calma. Ideal para pessoas que trabalham sob pressão. Melhora as funções mentais dos idosos, melhora os problemas de conduta (esquizofrenia). A linhaça também é uma dose de energia para o cérebro;
- SISTEMA IMUNOLÓGICO: A linhaça alivia alergias, é efetiva para o LUPUS. A semente de linhaça por conter os azeites essenciais Omega 3, 6, 9 e um grande conteúdo de nutrientes que requeremos constantemente, faz com que nosso organismo fique menos doente, por oferecer uma grande resistência às doenças. A linhaça é útil para o tratamento da anemia.
- SISTEMA CARDIOVASCULAR: É ideal para tratar a arteriosclerose, elimina o colesterol aderido nas artérias, esclerose múltipla, trombose coronária, alta pressão arterial , arritmia cardíaca, incrementa as plaquetas na prevenção da formação de coágulos sanguíneos. É excelente para regular o colesterol ruim (LDL). O uso regular de linhaça diminui o risco de padecer de doenças cardiovasculares. Uma das características únicas da linhaça é que contém uma substância chamada taglandina, a qual regula a pressão do sangue e a função arterial e exerce um importante papel no metabolismo de cálcio e energia. O Dr. J H. Vane, ganhou o prêmio Nobel de medicina em 1962 por descobrir o metabolismo dos azeites essenciais Omega 3 e 6 na prevenção de problemas cardíacos.
- DOENÇAS INFLAMATÓRIAS: O consumo de linhaça diminui as condições inflamatórias de todo tipo. Refere-se a todas aquelas doenças terminadas em "ITE", tais como: gastrite, hepatite, artrite, colite, amidalite, meningite, etc.
- RETENÇÃO DE LÍQÜIDOS: O consumo regular de linhaça, ajuda aos rins a excretar água e sódio. A retenção de água (Edema) acompanha sempre a inflamação de tornozelos, alguma forma de obesidade, síndrome pré-menstrual, todas as etapas do câncer e as doenças cardiovasculares.
- CONDIÇÕES DA PELE E CABELO: Com o consumo regular de sementes de linhaça você notará como sua pele ficará mais suave . É útil para a pele seca e pele sensível aos raios do sol. É ideal para problemas na pele, tais como: psoriase e eczema . Recomenda-se também como máscara facial para uma limpeza profunda da cútis. Ajuda na eliminação das manchas, acne e espinhas. É excelente para a calvície . Essa é uma boa notícia para quem sofre de calvície. Também é útil no tratamento da caspa . Use-a como geléia para fixar e nutrir teu cabelo. Não use vaselinas que danificam teu coro cabeludo e teu cabelo.
- DIABETES: O consumo regular de linhaça favorece o controle dos níveis de açúcar no sangre. Esta é uma excelente notícia para os insulino-dependentes.
- VITALIDADE FÍSICA: Um dos mais notáveis indicativos de melhora devido ao consumo de linhaça é o incremento progressivo na vitalidade e na energia. A linhaça aumenta o coeficiente metabólico e a eficácia na produção de energia celular . Os músculos se recuperam da fadiga do exercício;Benefícios, pelo visto, não faltam a essa planta de origem asiática, cujo cultivo é milenar. Isso mesmo. Sementes de linhaça foram achadas em tumbas egípcias. Na Idade Média, elas chegaram a ser usadas como amuleto contra a feitiçaria. Atualmente, seus poderes vêm sendo cada vez mais divulgados e - pode apostar - em breve se tornará um grão tão popular quanto a soja.
- MODO DE USAR: Duas colheres de sopa por dia, batidas no liquidificador. Pode ser misturada em um copo de suco de fruta, ou sobre a fruta, ou com a aveia, ou iogurte no café da manhã ou no almoço em saladas, arroz, feijão. Podem tomar pessoas de todas as idades (crianças, adolescentes e anciãos). Inclusive mulheres grávidas.

17 de abril de 2008

CUIDE DA SUA SAÚDE COM AS FRUTAS !!!!!!





O ideal é optar por alimentos e/ou preparações de fácil digestão e com pouca gordura, como é o caso da maioria das frutas. Além disso, os nutrientes são rapidamente absorvidos, evitando assim a sensação de moleza, comum após a ingestão de refeições gordurosas.
Tanto faz se as frutas são ingeridas no café da manhã, na sobremesa, após as refeições principais ou na hora do lanche, o importante é consumi-las. As frutas trazem diversos benefícios para a saúde, dentre eles a presença das Vitaminas contribuem para o bom funcionamento do organismo e ajudam na prevenção de doenças.
Abaixo segue algumas frutas selecionadas pela profissional, com suas respectivas vitaminas. Escolha as de sua preferência e aproveite para saboreá-las durante o ano todo!
LARANJA: Riquíssima em vitamina C, que tem como principais funções auxiliar o organismo na resistência às infecções, formação dos ossos e dentes, cicatrização das feridas e queimaduras. Dá vitalidade às gengivas, evita hemorragias e conserva a mocidade, enfim, reforça as defesas do organismo contra todas as agressões. Contém também quantidades consideráveis de Cálcio, Fósforo e Ferro. O Cálcio atua na formação dos ossos e dentes, coagulação do sangue e construção muscular. O Fósforo ajuda na formação dos ossos e dentes e na absorção da glicose (principalmente para nutrir o cérebro, evitando fadiga mental). O Ferro faz parte do sistema produtor de energia e leva às células o oxigênio que os pulmões respiram.
UVA: É uma fruta altamente energética por ser rica em carboidratos, apresentando também pequenas quantidades de vitaminas do Complexo B e vitamina C. Pela sua quantidade de água e sais minerais, ela ativa os rins aumentando a eliminação de urina. Além de suave laxante, essa fruta atua contra várias enfermidades do intestino, fígado, abdome, vômitos e amargo da boca, além de estimular as funções cardíacas. As uvas passas são eficazes contra a tosse crônica e disenterias. Zumbido dos ouvidos, insônia e outras afecções de caráter nervoso também desaparecem depois de se ingerir regularmente as uvas passas, devido ao seu poder calmante.
MORANGO: Contém grande quantidade de vitamina C, que evita a fragilidade dos ossos, má formação dos dentes, dá resistência aos tecidos, age contra infecções, ajuda a cicatrizar ferimentos e evita hemorragias. Possui também, em menor quantidade, vitamina B5 (Niacina) e Ferro. A Niacina tem como função evitar problemas de pele, aparelho digestivo, sistema nervoso e reumatismo; e o mineral Ferro é importante porque faz parte da formação do sangue.
MAÇÃ: Contém vitaminas B1, B2, Niacina e sais minerais como Fósforo e Ferro. As vitaminas do Complexo B em geral ajudam a regular o sistema nervoso, o crescimento, evitam problemas de pele, do aparelho digestivo e queda dos cabelos. O Fósforo previne a fadiga mental, além de contribuir para a formação de ossos e dentes. Já o Ferro é importante na formação do sangue. A maçã é rica em quercetina, substância que ajuda a evitar a formação dos coágulos sanguíneos capazes de provocar derrames. Para melhor aproveitamento das suas vitaminas, o ideal é consumi-la ao natural com casca, pois é junto dela que está a maioria das vitaminas e sais minerais.
MAMÃO: Maduro e ao natural, é rico em sais minerais como Cálcio, Fósforo, Ferro, Sódio e Potássio, que participam na formação de ossos, dentes e sangue, evitam a fadiga mental, produzem energia e ajudam a manter o equilíbrio interno do organismo; vitamina A, que protege a pele e a vista; e vitamina C, que fortalece os ossos e gengivas. Contém ainda Papaína, em maior quantidade no fruto verde, uma substância importante para o bom funcionamento do aparelho digestivo.

16 de abril de 2008

ALIMENTAÇÃO E HIPERTENSÃO



Menos remédios e mais alimentos saudáveis ajudam a combater e prevenir a Hipertensão Arterial.

A doença é silenciosa e muitas pessoas só descobrem quando os problemas causados por ela começam a aparecer, mas atinge cerca de 30% da população brasileira. A hipertensão arterial tem como principais motivos a origem genética, sedentarismo, alimentação desequilibrada e estresse. E apesar de parecer um bicho de sete cabeças, pequenas mudanças nos hábitos diários podem trazer maior qualidade de vida a quem tem a disfunção.
O que é?
A hipertensão é um desequilíbrio entre o volume de sangue em circulação e a capacidade dos nossos vasos sanguíneos. Quando a pressão está alta – igual ou maior do que 14 por 9 - significa que o sangue tem muita dificuldade para circular, isto é, o coração está faz muita força para mandar o sangue para todas as partes do corpo. Por isso, a hipertensão é um problema muito grave que, se não for controlado, pode ser fatal. Infelizmente, metade dos 30 milhões de brasileiros que têm a pressão alta, nem suspeita que é hipertenso. Quando a hipertensão arterial ainda está na fase leve ela pode ser tratada somente a base de alimentação, sem a necessidade de remédios, que muitas vezes trazem efeitos desagradáveis no início.
Como tratar?
O primeiro passo para controlar a pressão alta é controlar o volume de sal ingerido. Mas isso não significa que a alimentação do hipertenso deve ser sem sabor. Para manter o paladar é aconselhável substituir o sal por temperos como alho, cebola, noz moscada, orégano, manjericão, alecrim e gengibre.Outra mudança importante é manter o peso ideal. A obesidade é também um grande responsável pelo desenvolvimento da doença e manter uma alimentação saudável, incluindo, frutas, verduras e legumes, pode controlar a doença e ganhar muito mais saúde. O paciente com hipertensão apresenta retenção de líquidos. E a atividade física melhora a circulação, ajudando assim a diminuir a retenção hídrica e conseqüentemente diminuindo a pressão arterial. Mas o hipertenso deve sempre ter o acompanhamento médico para praticar qualquer esporte. O organismo de cada paciente é único, dessa forma, há pessoas que precisam de uma atividade moderada e outros que podem praticar algum esporte que exija mais.
Alguns alimentos indicados para a prevenção e controle da hipertensão arterial:
- Suco de Uva, Vinho Tinto Orgânico, Suco de Cranberry: contêm bioflavonóides que combatem os radicais livres e relaxam os vasos sanguíneos.
- Cereais Integrais (aveia, farelo de trigo, arroz integral): por serem ricos em fibras, auxiliam na redução das taxas de colesterol e pressão sanguínea.
- Quinua, Semente de Gergelim, Aveia, Soja e derivados: fontes de cálcio, ajudam a relaxar os vasos sanguíneos, reduzindo a pressão arterial.
- Feijão, Ervilha Seca e Banana Passa: importantes fontes de potássio, auxiliam a regular a quantidade de água nas células.
- Oleaginosas (Castanha de Cajú, Castanha do Pará, Nozes, Avelã, Pistache – Sem Sal): fontes de gorduras insaturadas e magnésio, auxiliam no combate à hipertensão.
- Linhaça, Óleo de linhaça e Cápsulas de óleo de peixe: ricos em ômega 3, têm efeito vasodilatador, importante na prevenção e controle de doenças cardiovasculares e hipertensão.
- Cápsulas de óleo de alho: aumentam a elasticidade dos vasos, com isso auxiliam a circulação e diminuição da pressão sanguínea.
- Gérmem de Trigo/ Óleo de Gérmem de Trigo: fontes de vitamina E, possuem efeito anticoagulante, com isso melhoram a circulação sanguínea.
- Leticina de Soja: previne danos nas artérias. Sal light: por ter menor valor de sódio, diminui a retenção de líquido, causador da hipertensão.

15 de abril de 2008

COMO COMBINAR EXERCÍCIO E ALIMENTAÇÃO





Quando você faz exercícios, seu corpo precisa produzir energia mais depressa. Os músculos começam a se contrair vigorosamente, o coração bate mais rápido para bombear o sangue para todo o corpo e os pulmões trabalham duro. Todos esses processos exigem combustível extra. Veja o que você precisa comer para terminar seu treino em bom estado?


Onde buscar essa energia?

Existem três componentes nos alimentos que nos fornecem energia: carboidratos, proteínas e gorduras. Os carboidratos são usados principalmente em curto prazo durante os exercícios enquanto que as gorduras representam estoque de mais longo prazo. Já as proteínas são fonte de energia só em casos de emergência.


Como os músculos decidem se vão usar carboidrato ou gordura durante o exercício aeróbico?

Isso depende da intensidade, duração, preparo físico e até do que você comeu antes do exercício. Quanto maior a intensidade, maior o uso de glicogênio (estoque de carboidrato que fica no fígado e nos músculos). A duração é importante porque em geral o glicogênio é suficiente para apenas 90 a 180 minutos de exercício moderado e daí em diante o corpo passa a queimar gordura. Se a atividade for anaeróbica (musculação, por exemplo) a reserva de glicogênio só dura de 30 a 40 minutos. E quanto melhor for seu preparo físico, mais eficiente se torna o organismo para queimar gorduras.


Quanto de carboidrato devo ingerir antes do exercício?

Em geral 1g de carboidrato por quilo de peso, ou seja, se você pesa 50 kg deveria consumir 50 g de carboidrato. Essa “pequena” refeição corresponde, por exemplo, a 1 barra de cereais ou 3 fatias de pão integral e deve ser consumida por volta de 1 hora antes do treino.


Devo consumir carboidrato durante o exercício?

Se a atividade durar mais de 60 minutos o carboidrato é fundamental para evitar fadiga e a quantidade ideal gira em torno de 30 a 60 g por hora -- 1 garrafinha de bebida isotônica, por exemplo.


Quanto carboidrato deve entrar na minha dieta por dia?

Se você pratica exercícios, aproximadamente 60 % das calorias totais do dia devem ser de carboidrato. Ou seja, se você consome 2000 calorias por dia, então 1200 calorias devem vir de carboidrato. Como 1 g de carboidrato corresponde a 4 calorias, isso significa 300 g de carboidrato.


E as proteínas?

São fundamentais para promover a construção dos músculos. Para quem faz exercícios de longa duração, é bom ingerir 1 a 2 g de proteína por quilo de peso por dia. Veja um exemplo: 1 peito de frango (130g) grelhado tem por volta de 39g de proteínas.

SEU INTESTINO MERECE CUIDADO



Há, no nosso intestino, cerca de 3 trilhões de bactérias. Algumas delas são “boas” e outras “más”. Quando os dois tipos de bactérias vivem em equilíbrio, o seu organismo fica saudável. Porém, em algumas situações, as bactérias “más” se proliferam mais e desencadeiam doenças, que são tratadas com antibióticos, dietas ou cirurgias. Para evitar esse tipo de problema, aqui vão algumas dicas: Os probióticos, organismos vivos, combatem a proliferação das bactérias “más” e proporcionam um equilíbrio intestinal. Eles estão presentes em produtos industrializados disponíveis no mercado, como iogurtes, leites fermentados com lactobacilos, suplementos de leveduras em tabletes, cápsulas ou em pó.
Os prebióticos, alimentos que nutrem as bactérias “boas”, se encontram na banana, cebola, alcachofra, aspargos, soja, cevada, alho, tomate, centeio, aveia, trigo e mel. Os probióticos e os prebióticos combatem a diarréia, aliviam sintomas relacionados a alergia alimentar, melhoram a digestão, reduzem o risco de câncer, previnem inflamações gastrointestinais e diminuem a absorção de colesterol.
A prática de exercícios físicos regulares, pelo menos três vezes por semana, e o consumo de fibras alimentares são hábitos que também colaboram com a saúde do seu intestino. Os alimentos mais ricos em fibras são: cereais integrais, frutas (com casca, quando possível), verduras, legumes e grãos. Não se esqueça de que as fibras só vão funcionar se você ingerir bastante líquido. Beba de 2 a 3 litros por dia!

RADICAIS LIVRES - SAIBA MAIS SOBRE ESTES VILÕES





Radicais livres são íons de oxigênio muito reativos que se combinam facilmente com estruturas celulares do corpo.

O acúmulo destas substâncias no organismo humano acelera o envelhecimento celular e pode até precipitar o aparecimento de certas enfermidades (câncer, lúpus, etc).

Outra dificuldade para a degradação dos radicais está no problema com a nutrição, pois os mecanismos de defesa anti-radical, tanto os enzimáticos quanto os não enzimáticos dependem do aporte adequado de nutrientes.

Os melhores alimentos para combatê-los são:

- brócolis;
- repolho;
- couve;
- couve flor;
- pepino;
- cenoura;
- agrião;
- espinafre;
- pimentão;
- tomate;
- acerola;
- laranja;
- abacaxi;
- frutas secas;
- mamão;
- uva;
- kiwi;
- caqui;
- damasco;
- manga;
- tamarindo;
- pequi.

CONSERVANDO AS VITAMINAS DURANTE A COCÇÃO





As vitaminas hidrossoluveis (vitaminaC, complexo B) são solúveis em água, ou seja, não são acumuladas no organismo, pois são eliminadas através da urina.

Por esse motivo necessitam ser repostas quase diariamente em nosso organismo.

Essas vitaminas são também muito sensíveis ao cozimento e se perdem facilmente na água em que as verduras e legumes são cozidos.

Para diminuir essa perda, ferva a água inicialmente e só depois coloque os alimentos. Dessa maneira, o cozimento será mais rápido e a perda de vitaminas será reduzida.

11 de abril de 2008

LADRÕES DE ENERGIA








Uma alimentação saudável e balanceada é essencial não só para manter a saúde em dia, mas também para deixar o
corpo em forma e a disposição a mil, certo? Pois assim como existem alimentos que fazem o nosso corpo funcionar melhor, existem os que só nos roubam energia.

É fácil de explicar: assim como alguns alimentos melhoram a circulação, evitam a retenção de líquidos e contêm vitaminas que proporcionam bem-estar, outros irritam o sistema nervoso, dificultam a circulação e a eliminação de toxinas e sobrecarregam o metabolismo.




Os principais vilões são:




1) Cafeína: esta substância presente no café e no chá preto pode causar irritabilidade quando ingerida em excesso;




2) Refrigerantes: além de conter sódio, o que dificulta a circulação, o gás dos refrigerantes também provoca dilatação do estômago;




3) Frituras: por serem ricas em
gordura saturada, podem provocar dores de cabeça pois atrapalham a digestão e sobrecarregam o fígado;




4) Alimentos embutidos: o sódio existente nestes alimentos ajuda na retenção de líquidos, por isso não é bom exagerar na ingestão de presunto, mortadela, peito de peru defumado, entre outros;




5) Bebida alcoólica: o álcool acelera a perda de nutrientes importantes para o corpo. Um agravante: nem todo álcool ingerido é metabolizado e eliminado pelo organismo, ou seja, mesmo que se urine muito, sempre restará álcool por um certo tempo na corrente sanguínea.




IMPORTANTE: Não é preciso abolir totalmente estes alimentos do cardápio, até porque em algumas situações pode ser inevitável ingeri-los. Por exemplo: beber até três xícaras de café por dia pode ser positivo para a memória. Mais uma vez, a moderação precisa ser a palavra de ordem.

ALIMENTOS AMIGOS DO BEM-ESTAR E DA SAÚDE


bem-estar. Das mais simples como conquistar um novo emprego ou começar um relacionamento até as mais marcantes como o nascimento de um filho ou a cura de um ente querido que estava doente, a vida é recheada destes momentos. No entanto, todos os dias pequenos acontecimentos podem nos tirar a paz sem que nem percebamos o porquê.



Muitas coisas nos trazem felicidade e
Que tal buscar alegria e bom humor nos alimentos? Se somos aquilo que comemos, a alimentação é a base para que nos sintamos mais fortalecidos. Comendo bem ficamos menos propensos a viroses e outras doenças comuns já que nosso organismo fica mais resistente. E alguns alimentos funcionam quase que como uma injeção de vitalidade no nosso corpo.


Quer saber quais são?
chocolate amargo, aveia e banana contém magnésio, que também ajudam a eliminar toxinas e aliviam as cólicas menstruais.


- Alimentos ricos em água e fibras ajudam a eliminar toxinas e evitam a retenção de líquidos que fazem a pressão arterial subir e causam inchaços. Melancia, melão e alface são bons exemplos.


- Os alimentos integrais possuem muitas fibras o que prolonga a sensação de saciedade e freia a compulsão por doces que atinge principalmente as mulheres. Arroz, pães, massas e biscoitos integrais são alimentos que têm este poder. Verduras verde-escuras, legumes e verduras em geral também são ricos em fibras.


- Leite e derivados como queijos e iogurtes são ricos em cálcio o que ameniza as cólicas menstruais, além de proporcionar sensação de bem-estar por possuírem tripofano, aminoácido precursor da serotonina.


- Alimentos como beterraba,

- A ingestão de alimentos que possuem gorduras boas ajudam a regularizar o organismo e a retomar o equilíbrio hormonal do corpo. Nozes, atum, sardinha, sementes de linhaça e castanha-do-pará são alguns destes alimentos, que são fontes de ácidos graxos ômegas 3 e 6.Então, que tal acrescentar ao menos um alimento de cada tipo na sua rotina diária? A diferença poderá ser sentida no corpo e na alma.



4 de abril de 2008

TOP 10 ALIMENTAÇÃO



Você já deve estar cansada de saber que um cardápio balanceado não é importante apenas para o controle do peso. Quando equilibrado, o menu é garantia de boa saúde. O contrário também acontece. Se você não debruça a devida atenção às suas garfadas, o organismo reclama das mais diversas formas.



Alimento: LEITE
Benefícios: na lista dos melhores fornecedores de cálcio, o leite é indispensável no cardápio feminino. O cálcio é fundamental para a coagulação sanguínea, contração e relaxamento muscular, além da formação de ossos e dentes , fala Karina sobre o papel do mineral. As mulheres, em especial, podem ter a saúde prejudicada quando há uma baixa de cálcio na dieta. Elas têm uma pré-disposição à deficiência de cálcio devido à queda de estrogênio na fase do climatério. Isso compromete a mineralização e a manutenção óssea, levando ao agravamento da osteoporose .
Recomendação diária: o consumo de cálcio deve estar entre 1.000 a 1.500 mg, sendo representado por quatro a seis porções entre as refeições do dia. A especialista ressalta que o leite e seus derivados desnatados ou com 0% de gordura são os mais indicados para a obtenção do mineral.
Opções de substituição: iogurtes, queijos, folhas verdes.


Alimento: SOJA
Benefícios: a soja se destaca como um dos alimentos mais completos e versáteis do cardápio atual. Considerada um alimento funcional, ela fornece diversos nutrientes benéficos ao organismo. A soja é uma excelente fonte de minerais, como ferro, potássio, fósforo, cálcio, e vitaminas do complexo B. Seu consumo é cada vez mais recomendado, principalmente para as mulheres. O grande trunfo para as mulheres vem das isoflavonas contidas na soja. Elas são substâncias antioxidantes e exercem uma forte atividade hormonal. As mulheres em fase de pré-menopausa e menopausa podem se beneficiar disso com uma dieta rica em soja , incentiva. Como as isoflavonas são estruturalmente semelhantes ao estrógeno, elas se ligam aos receptores estrogênicos das células e evitam assim, o surgimento dos sintomas indesejáveis da tensão pré-menstrual e do climatério fases em que as mulheres sofrem com a queda do hormônio.
Recomendação diária: para notar os benefícios, é preciso consumir, pelo menos, 30g de proteína de soja entre as refeições do dia.
Opções de substituição: leite de soja, queijo de soja (tofu), pasta de soja (missô), shoyu, soja torrada, carne de soja.



Alimento: NOZES
Benefícios: esse tipo de oleaginosa oferece boas doses de selênio, considerado um oligoelemento, já que o organismo precisa de pouca quantidade dele para suprir sua necessidade. O mineral é um antioxidante que atua juntamente com a vitamina E. Entre as funções desempenhadas pelo selênio, destacam-se a participação na síntese de hormônios tireoidianos, a ação antioxidante e o auxílio a enzimas que dependem dele para terem um bom funcionamento. Em outras palavras, ele é essencial para o controle da produção hormonal e para a saúde dos cabelos, pele e visão. A carência de substâncias antioxidantes no menu deixa as células muito mais suscetíveis à ação dos radicais livres, ocasionando a degeneração celular. É preciso combater a ação dos radicais livres, pois eles são responsáveis pelo declínio da produção de colágeno. Seu combate ajuda a diminuir o acúmulo de gordura e a aumentar o tônus muscular .
Recomendação diária: a quantidade de selênio indicada para pessoas adultas é de 55 mg. Para adicionar nozes à sua dieta sem fazer com que o valor calórico do menu cresça, coma-as no lugar de outros alimentos. Opte por um pequeno punhado delas em vez de consumir biscoitos ou salgadinhos.
Opções de substituição: castanhas, avelãs, amêndoas, macadâmias.

Alimento: CENOURA
Benefícios: por causa do betacaroteno, a cenoura une diversos benefícios à saúde: atua como antioxidante, beneficia a visão noturna, aumenta a imunidade, dá elasticidade à pele, brilho aos cabelos e fortalece as unhas, além de atuar no metabolismo de gorduras. O betacaroteno também é favorável para o bronzeamento da pele. Quando transformado em vitamina A no organismo, ele age ativamente na recuperação da pele e auxilia na formação de melanina (pigmento presente na pele responsável por protegê-la dos raios solares e conferir o bronzeado) . Além dessas vantagens, por conter boas doses de fibras, a cenoura ajuda no regulamento do intestino, sendo grande aliada das mulheres que sofrem com a prisão de ventre.
Recomendação diária: incluir no cardápio diário 700 mg de betacaroteno, encontrado na cenoura, no leite, no espinafre e no ovo, é suficiente para sentir os benefícios.
Opções de substituição: abóbora, mamão, manga.




Alimento: LARANJA
Benefícios: a fruta é grande fornecedora da famosa vitamina C. Entre as tarefas realizadas pela vitamina, estão o auxílio na cicatrização de feridas, na resistência a infecções, na formação e manutenção do colágeno. Podemos dizer que a vitamina C é multifuncional para a saúde feminina por causa da ação antioxidante, da ajuda na absorção do ferro presente em vegetais (quando ingerida ao mesmo tempo) e da atuação como co-fator de diversas enzimas participantes de reações metabólicas.
Recomendação diária: 60 mg são suficientes para desfrutar dos benefícios da vitamina C. A vitamina C, no entanto, é extremamente instável. Estima-se que, em uma hora, quase que a totalidade do conteúdo vitamínico já reagiu com o oxigênio do ar, a luz até mesmo a água, e desapareceu. É aconselhável consumir a fruta ou o suco fresco na hora.
Opções de substituição: morango, kiwi, couve, brócolis, limão, goiaba, abacaxi, acerola.



Alimento: AVEIA
Benefícios: Cálcio, ferro, proteínas, carboidratos, fibras e um time grande de vitaminas somam qualidades nutricionais exemplares para a aveia. Os benefícios que ganham a cena, porém, vêm das fibras solúveis presentes em sua composição. Este tipo de fibra está relacionado ao bom funcionamento intestinal e à diminuição das taxas de colesterol total e das frações de LDL, conhecido como colesterol ruim. O consumo de aveia também está associado ao controle de açúcar no sangue, controle da pressão arterial e eliminação das toxinas do organismo, ao regular o intestino.
Recomendação diária: o consumo recomendado de fibras totais (entre solúveis e insolúveis) é de 20 a 30 gramas. Essa recomendação pode ser alcançada com um cardápio que priorize os cereais integrais, como aveia, frutas, legumes e leguminosas.
Opções de substituição: farelo de aveia, flocos de aveia, farinha de aveia, soja cozida, feijão branco cozido, brócolis, manga e trigo para quibe.



Alimento: SARDINHA
Benefícios: Alguns estudos mostram que o consumo de sardinha previne alguns tipos de doenças cardiovasculares. Isso porque ela oferece ômega-3, ácido graxo poliinsaturado ou, em outras palavras, gordura boa. Dentre os efeitos benéficos do consumo de ômega-3, destacam-se a diminuição dos triglicérides e colesterol total no sangue, a redução da pressão arterial em indivíduos com hipertensão leve e alteração da estrutura da membrana das células sanguíneas, tornando o sangue mais fluído. Além de uma excelente fonte do nutriente, a sardinha ainda apresenta proteínas, ferro, fósforo, magnésio e vitaminas A, B, D, E e K. É um alimento de alta qualidade nutricional e de baixo custo.
Recomendação diária: como as gorduras devem representar 30% do valor calórico total da dieta, certifique-se que 20% delas sejam dos tipos poliinsaturadas e monoinsaturadas, benéficas para a saúde.
Opções de substituição: salmão, atum, bacalhau, truta, cavalinha, óleos de peixe.




Alimento: FEIJÃO
Benefícios: ótimo fornecedor de ferro, o feijão ganha destaque no menu feminino. É comum as mulheres apresentarem deficiência de ferro em alguma fase da vida. Isso pode acontecer por diversos motivos. Entre eles, um ciclo menstrual intenso e uma dieta pobre em alimentos que contenham ferro. O ferro tem participação especial na fabricação das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo. É por isso que o mineral é utilizado no combate à anemia. O ferro também ajuda a fortalecer o sistema imunológico e a fabricar colágeno. Além disso, diversas enzimas precisam de uma quantidade adequada de ferro para realizarem seus processos no organismo.
Recomendação diária: a indicação nutricional do mineral é de 18 mg para mulheres adultas. Opções de substituição: soja, lentilha, ervilha, carnes em geral, grão de bico, fígado, coração.






Alimento: CHÁ VERDE
Benefícios: a retenção hídrica e a conseqüente impressão de ganho de peso são comuns nas mulheres, principalmente no período pré-menstrual. Para amenizar tais incômodos, os chás são grandes aliados. Os alimentos diuréticos são aqueles que contêm um alto teor de água em sua composição, ajudando a acabar com a retenção de líquido e com a sensação de que você está acima do peso. Além de diurético, o chá verde é considerado um alimento funcional, já que oferece benefícios fisiológicos vindos de seus componentes ativos. As catequinas são os compostos mais ativos presentes no chá verde. Elas exibem atividade antioxidante, pois ajudam a neutralizar os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento celular precoce. O consumo diário da bebida leva a uma maior oxidação de gorduras e diminuição dos níveis de LDL, colesterol maléfico. Apesar de todas as características nutricionais vantajosas, vale lembrar que os diuréticos não são alimentos milagrosos e que, consumidos isoladamente, não garantem emagrecimento rápido e saudável. Para alcançar o resultado desejado, é preciso aliar esses alimentos a uma alimentação balanceada em nutrientes, vitaminas e sais minerais, além da prática de atividade física.
Recomendação diária: beba quatro xícaras da bebida para combater a retenção de líquidos e investir na luta contra os radicais livres.
Opções de substituição: chá de camomila, chá de boldo, chá de erva-doce.

SUPLEMENTAÇÃO COM CREATINA NÃO PREJUDICA FUNCIONAMENTO DOS RINS




A suplementação com creatina não causa comprometimento na função renal, como mostra uma pesquisa realizada na Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP. A substância, usada para aumentar o desempenho físico, é proibida no Brasil. O estudo, realizado em pessoas saudáveis com idade média de 24 anos, combinou suplementação e atividade física moderada (corrida e caminhada, sem constatar deterioração no funcionamento dos rins.
A utilização da creatina como
suplemento alimentar é proibida no País pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desde 1998. "Não havia estudos retrospectivos que mostrassem o comprometimento dos rins, apenas estudos de caso, que não são conclusivos para o banimento", aponta o pesquisador Bruno Gualano, formado em Educação Física, um dos participantes do estudo. "A creatina já é absorvida pelo organismo, principalmente na ingestão de carnes vermelhas, e a suplementação é um método consagrado para melhorar o rendimento físico, não sendo considerada doping".
A pesquisa utilizou dois marcadores da função renal para avaliar os efeitos da suplementação, sendo a creatinina o mais conhecido. "Porém, como o organismo já converte espontaneamente a creatina em creatinina, o suplemento poderia aumentar naturalmente as concentrações do marcador, tornando-o impreciso para o estudo", explica o pesquisador. "Por essa razão, foi adotado um marcador independente, a cistatina-C, pois a quantidade eliminada não sofre influência da suplementação".
O estudo foi feito com dois grupos de pessoas saudáveis, com hábitos sedentários, submetidos a atividade física moderada por três meses. "Nesse período, um dos grupos recebeu diariamente uma suplementação de cerca de 10 gramas de creatina, e o outro a mesma quantidade de glicose, como placebo", conta Gualano. "Os resultados mostram que a suplementação não interferiu na função renal", destaca.
Exercícios
Os dois grupos apresentaram queda nos níveis de cistatina-C, o que reforçou as evidências de melhora no funcionamento dos rins. "Quanto à melhora, a hipótese mais provável é que ela seja um reflexo da atividade física realizada pelos participantes durante o estudo", aponta o pesquisador.
Gualano ressalta que os resultados da pesquisa são válidos para pessoas saudáveis. "Novos estudos devem ser feitos para avaliar os efeitos da suplementação em pessoas com predisposição a problemas renais, como os portadores de diabetes do tipo 2", afirma. "Há muitas pesquisas sobre os efeitos terapêuticos da creatina em casos de distrofias musculares, Parkinson e Alzheimer, mas as referências sobre efeitos adversos são escassas na literatura científica".
Segundo o pesquisador, também é preciso estudar o impacto da suplementação em pessoas que usam a creatina para aumentar a massa muscular. "Normalmente, a substância é usada para fornecer energia em atividades atléticas de altíssima intensidade e curta duração, como provas de 100 metros rasos no atletismo", relata. "Mas como a creatina gera um grande acúmulo de água nos músculos, ela é usada em academias para ganho de peso, o que é conseguido com um consumo elevado de proteínas mais a suplementação, criando uma situação diferenciada".
O trabalho com a creatina foi realizado no Laboratório de
Nutrição e Metabolismo Aplicados à Atividade Motora da EEFE, com a coordenação do professor Antonio Herbert Lancha Junior. Os marcadores da função renal foram obtidos em parceria com o professor Antonio Carlos Seguro, do Departamento de Nefrologia da Faculdade de Medicina
(FM) da USP. Os resultados da pesquisa foram publicados em artigo no "European Journal of Applyed Physiology", uma das principais publicações internacionais da área de fisiologia.


Texto: Júlio Bernardes

Fonte: Agência USP

PESQUISA MOSTRA QUE 43,4% DOS BRASILEIROS ESTÃO ACIMA DO PESO




Pesquisa realizada pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (USP) aponta que 43,4% dos brasileiros estão acima do peso.
Entre as 54 mil pessoas
entrevistadas em todas as capitais brasileiras, sempre na faixa etária acima dos 18 anos, somente 17,7% dos participantes cumpre recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de comer cinco porções diárias de vegetais. Além disso, 29% dos adultos são sedentários e 16,4% são fumantes.
A capital com maior número de obesos é Cuiabá (49,7%) e a com menos obesos é em Palmas (33,4%). Normalmente, a ocorrência do excesso de peso é mais comum em homens do que em mulheres.
O levantamento, realizado anualmente desde 2006, mostra que o país contra com 13% de obesos (IMC igual ou maior que 30), sendo que a maior quantidade foi encontrada no Macapá (16%) e a menor em Palmas (8,8%).


Texto: Cassiano Sampaio

Fonte: Redação Saúde em Movimento

EXCESSO DE SÓDIO E GORDURAS EM PIZZAS CONGELADAS = MAIS ATENÇÃO NA HORA DA COMPRA !!!






Em recente pesquisa realizada pelo Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), resultados alarmantes mostraram que um único pedaço de pizza pode conter até 150% do sódio que um adulto deve consumir por dia, além de grande quantidade de gorduras trans.
Foram avaliados, no estudo, 20 rótulos de diferentes marcas de pizzas congeladas e resfriadas. A campeã em sódio foi a pizza Frescarini, com 769 mg de sódio, ou mais de 150% da quantidade recomendada, segundo Viviane Chaer Borges, nutricionista do Ganep Nutrição Humana.
“A necessidade diária de sódio para um adulto vai de 500 a 2400 mg. Caso a pessoa pratique atividade física, este número pode aumentar, pois o sódio é eliminado no suor”, avalia.
As marcas do Carrefour, CompreBem e Extra trazem, em média, 750 mg em cada fatia. A menor quantidade foi encontrada no produto do supermercado Dia%, que declara 340 mg por pedaço de mussarela e 337 mg no de calabresa.
O sódio, segundo a nutricionista, é um mineral presente em diversos alimentos por ser o constituinte principal do sal de cozinha. Ele participa de funções básicas no corpo, como equilíbrio ácido-base, equilíbrio de água no organismo, contração muscular, impulsos nervosos, ritmo cardíaco, entre outros, sendo então fundamental para a saúde física.
“Além de manter a pressão arterial, possui uma função muito importante na célula: a de manter o seu potencial elétrico. Para que o equilíbrio seja mantido, as células precisam manter em seu interior uma baixa concentração de íons de sódio e de elevada concentração de íons de potássio. Fora delas, existe uma alta concentração de sódio e uma baixa concentração de potássio. Para manter as concentrações ideais dos dois íons, a bomba de sódio bombeia o mineral para fora da célula e potássio para dentro dela”.
Encontrado, nos alimentos protéicos, como carnes, frango, leite, ovos e peixe, o sódio deve ser consumido com moderação. “O consumo excessivo de sódio pode levar ao aumento da pressão arterial e da função renal, além de causar retenção de líquidos”, alerta Viviane.
Excesso de gorduras
Não são apenas as grandes quantidades de sódio o problemas das pizzas congeladas. A pesquisa do Idec também encontrou quantidades excessivas de gorduras saturadas e trans em mais da metade das marcas avaliadas.
As pizzas de mussarela da Sadia e da Perdigão têm, respectivamente, 20 g e 11,4 g de gordura saturada, quando o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) são, no máximo 22 g por dia.
Para as gorduras trans, cujo limite segundo a OMS deveria ser de 2 g ao dia, encontrou-se 1,5 g em dois pedaços da pizza Dia%.
Segundo Viviane, o consumo de gorduras trans faz subir o LDL colesterol e, conseqüentemente, levar à deposição de placas de gordura nas artérias.
“Não é o local onde a pizza é fabricada que a torna mais ou menos saudável, o que importa são os ingredientes com os quais ela é preparada. Uma pizza de calabresa feita em casa pode ser bem menos saudável do que uma de rúcula com mussarela de búfala na pizzaria. A vantagem da pizza feita em casa é a possibilidade de manipulação dos ingredientes da forma que for conveniente. Se a preocupação é o sal, por exemplo, é possível reduzir sua concentração na preparação”.


Fonte: http://www.nutritotal.com.br/


2 de abril de 2008

DICA SAUDÁVEL DO MÊS

MIX DE FIBRAS PARA SALADA (FUNCIONAL)



- Linhaça
- Gergelim
- Semente de girassol



Misturar todos os ingredientes e acondicionar em um recipiente bem seco. Este mix pode ser utilizado em saladas, molhos, assados, pães, bolos,tortas, omeletes,etc. O gergelim pode ser torrado.

NUTRIÇÃO FUNCIONAL NA GESTAÇÃO






A gestação é um processo fisiológico normal associado a alterações que afetam os órgãos e os caminhos metabólicos do organismo da mulher. Neste período há uma maior necessidade de todos os nutrientes básicos para a manutenção da nutrição e saúde materna e garantia do adequado crescimento e desenvolvimento do feto, uma vez que sua única fonte de nutrientes é constituída pelas reservas nutricionais e pela ingestão alimentar da mãe, justificando a importância do estado nutricional adequado da mãe durante a gestação.


Diversos estudos mostram que o bebê recebe todas as influências alimentares da mãe durante a gestação através da placenta, portanto podemos ter uma noção se o bebê terá risco ou não de deficiências nutricionais e alergias alimentares na infância pela avaliação do comportamento alimentar da mãe. Qualquer intervenção nutricional nunca é tardia para um melhor estado nutricional da mãe e do bebê.


Tanto as gestantes com excesso de peso, quanto as de peso normal podem apresentar carências nutricionais, porém a gestante obesa apresenta maior risco de complicações clínicas como nascimento prematuro do bebê, partos cesarianas, riscos de hipertensão, diabetes gestacional, infecções urinária, eclampsia, toxemia, desordens tromboembólicas e problemas cardiorespiratórios e circulatórios. Já a gestante desnutrida apresenta maior risco de ter bebês com obesidade, hipertensão, hiperinsulinemia, hiperfagia, hiperliptenemia.


As adequações e orientações nutricionais baseadas na avaliação global da gestante tem como finalidade o controle de ganho de peso e a garantia de proporcionar o aporte necessário de nutrientes.


ORIENTAÇÃOES NUTRICIONAIS PARA A GESTANTE:


- A dieta da gestante deve ser variada, colorida, equilibrada e moderada.


- Uma desintoxificação suave no inicio da gestação pode ser necessária , dependendo do histórico , e é importante para diminuir os níveis de substâncias que podem ser nocivas à mãe e ao feto (medicamentos e metais tóxicos). Entretanto, o acompanhamento de uma nutricionista é essencial a fim de que seja feito de forma adequada.


- Manter a cloridria na gestante é importante para garantir a absorção de vitaminas e minerais, principalmente a de cálcio. Cloridria é quando as taxas de ácido clorídrico estão normais no estômago e isso facilita a absorção de nutrientes. Quando a gestante apresenta hipercloridria ou hipocloridria a digestão e absorção fica prejudicada e pode causar até o sintoma de náuseas e vômitos.


- Restringir os alimentos que são alergênicos para a gestante, faz com que a absorção de nutrientes melhorem e evita que a alergia da mãe passe para o filho.


- Um intestino saudável é importante para evitar constipação, alergias e auxiliar na absorção de vitaminas e minerais. O uso de probióticos é imprescindível.


- Durante a gestação recomenda-se a abstinência de bebidas alcoólicas, pois pode provocar retardo no crescimento e malformações na face e no coração.


- Evitar dietas hipocalóricas na gestação, pois as dietas com poucas calorias prejudicam o desenvolvimento e a produção de leite futura.


- Em relação à cafeína, se o consumo for moderado e se a gestante tiver já o hábito do consumo, não há riscos a predisposição de abortos ou partos prematuros.A recomendação máxima de cafeína é 225 mg/dia, o que equivale aproximadamente 3 xícaras de café ao dia. Os alimentos que apresentam cafeína na sua composição são café, chá verde, chá mate, chá preto, refrigerantes, achocolatados , e chocolates. É contra – indicado para gestantes hipertensas, cardíacas ou que apresentam sensibilidade à cafeína .


- As melhores opções de adoçantes para gestantes são sucralose e stévia, porém usar de forma moderada e com orientação nutricional.A seguir, um quadro mostra quais os alimentos funcionais que devem ser consumidos com regularidades, de acordo com as quantidades necessárias individualmente para garantir uma gestação saudável.

OS BENEFÍCIOS DO CHÁ VERDE


Recentes estudos das propriedades termogênicas do Chá verde demonstraram uma interação sinergística entre a cafeína e as catequinas polifenólicas que parecem prolongar a excitação simpatomimética da termogênese. A ação termogênica significa a propriedade de transformar nutrientes em energia, principalmente as calorias.
O chá verde possui substâncias que combatem os radicais livres (que estão ligados ao envelhecimento e doenças cardíacas) os chamados polifenóis, que aumentam as chances de combater estas substâncias causadoras de doenças.
O chá verde melhora a fluidez do sangue, favorecendo maior aporte de oxigênio ao corpo. Melhora a resistência física, elimina radicais livres, prevenindo o organismo do envelhecimento precoce.
O ideal é tomar 10 xícaras/dia o equivalente a litro de chá verde. Deve ser tomado meia hora antes ou duas horas depois das refeições, pode ser tomado quente, frio ou gelado. Se você tiver insônia, tome a última xícara no máximo até as 17 horas. Açúcar e adoçantes químicos prejudicam o poder do chá desintoxicar o organismo, prefira mel e estévia pra adoçar.
O chá se saquinho traz várias partes da planta, como folhas e talos. Isso diminui a concentração dos princípios ativos da erva e o efeito acaba sendo apenas aromático. Ao contrário do saquinho, as cápsulas de chá verde costumam ter uma dose altíssima do princípio ativo, o que pode interferir na qualidade do sono e na pressão arterial.
O chá verde não deve ser consumido por grávidas, pessoas hipertensas ou com gastrite.
O JEITO CERTO DE FAZER:
É muito fácil preparar o chá verde, mas há alguns segredinhos importantes para você preservar os princípios ativos da erva. Vamos lá: Coloque a água para ferver e assim que surgirem as primeiras bolhas de ar (antes de começar para valer o processo de ebulição), apague o fogo. Acrescente a erva (o ideal são 2 colheres de sopa para 1 litro de água, mas comece com apenas 1 colher, pelo menos até você se acostumar com o sabor do chá) e abafe por 2 ou 3 minutos. Depois é só coar e tomar.
GOSTINHO BOM
Dá, sim, para deixar o chá verde mais gostoso. Você pode combiná-lo com cidreira, hortelã, erva-doce, casca de frutas (abacaxi ou manga), maçã seca para suavizar o sabor amargo, sem interferir nos efeitos terapêuticos da Camellia sinensis. Faça assim: ferva 1 litro de água com 1 pedaço médio de casca de abacaxi ou 1 punhado de folhas de cidreira, por exemplo. Desligue o fogo e acrescente o chá verde. Abafe por 2 ou 3 minutos e coe. 

O PESO DA INFORMAÇÃO







Você já imaginou degustar um delicioso tablete de chocolate e ver estampado na embalagem que aquele prazer pode “engordar”, “causar cáries” ou, ainda pior, “matar”? Nada animador, hein! A obrigatoriedade de informar sobre os efeitos danosos ao organismo já aconteceu com a indústria do cigarro e especula-se que o mesmo pode ocorrer para os produtos alimentícios.


Segundo a Organização Mundial de Saúde, são quatro as substâncias que não fazem bem e que necessitam de maior controle: gordura trans, gordura saturada, açúcar e sódio. Os cientistas são unânimes em afirmar que causam doenças crônicas, como as cardiovasculares. Existem alimentos que irão sempre cumprir o papel de nos dar prazer e de tornar a nossa vida social mais divertida, sem proporcionar benefícios nutricionais. Mas calma, você não precisa cortá-los de vez da sua lista de supermercado.


O ponto-chave é a freqüência e a quantidade em que você irá consumi-los. Assim como em todos os aspectos da vida, na alimentação não é diferente, há também limite e hora para nossos prazeres e obrigações. É só ficar atenta ao rótulo, pois um pote de balinhas pode enganosamente ser devorado com menos culpa quando vier estampado “rico em fibras”. Mas a mesma sensação não vai durar quando souber que apesar das fibras, você colocou para dentro uma quantidade enorme de açúcar. Portanto, fique esperta e leia cuidadosamente as embalagens para se proteger de informações “maquiadas”.
Fonte: Revista Boa Forma

ONU: BRASIL É CAMPEÃO MUNDIAL NO CONSUMO DE REMÉDIOS PARA EMAGRECER






A Comissão Internacional de Controle de Narcóticos (CICN) da ONU afirmou, no fim de fevereiro, que o Brasil lidera o ranking mundial de consumo de moderadores de apetite.



Nas posições seguintes estão Argentina, Coréia do Sul e Estados Unidos. Todavia, a taxa por mil habitantes verificada no Brasil (12,5), é mais que o dobro da dos Estados Unidos (4,8).



"A CICN está preocupada que a disponibilidade crescente de estimulantes no Brasil e na Argentina possa levar ao abuso desses medicamentos", diz o relatório anual. É bom lembrar que essas drogas, derivadas de anfetaminas, podem causar dependência, doenças cardiovasculares, depressão e psicose.



Overdoses podem levar a ataques de pânico ou agressividade, além de alucinações, problemas respiratórios, convulsões, coma e até morte. De acordo com as convenções internacionais, existem 14 moderadores de apetite, que costumam ser receitados para tratar obesidade, narcolepsia e o Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA).



Texto: Cassiano Sampaio

Fonte: Redação Saúde em Movimento

ADOÇANTE OU AÇÚCAR COMUM ???





Pesquisadores norte-americanos concluíram recentemente que o consumo de adoçante no lugar do açúcar para redução da ingestão de calorias pode ser uma grande armadilha.
Segundo estudo realizado na Universidade de Purdue, em Indiana, a sacarina prepara o corpo para ingestão de grande quantidade de calorias estimulando o sistema digestivo. Mas se as calorias não vêm, o organismo fica desregulado e passa a exigir mais comida ou passa a queimar menos calorias, provocando aumento de peso maior do que o verificado na ingestão de açúcar.
O estudo está gerando polêmica desde que foi publicado, recentemente, na revista científica Behavioral Neuroscience. O principal argumento para não criar um alarde entre a população é o fato de ter sido feito exclusivamente com ratos, e não com seres humanos.
Segundo o dr. Marcio Mancini, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO) e chefe da Liga de Obesidade Infantil do Hospital das Clínicas da FMUSP, isso não significa que as pessoas devam interromper o uso de adoçantes.
“Os seres humanos têm outros estímulos sensoriais, emocionais e cognitivos que regulam o impulso em relação aos alimentos. Isso significa que, além da regulação imposta pelos nutrientes ingeridos, comemos por influência dos sentidos, das emoções, e escolhemos com inteligência, o que não acontece com os ratos. É por isso que os estudos não podem ser interpretados de forma simplista demais”.
De acordo com o especialista, o fato de os ratos terem consumido mais ração, e ganho mais peso quando comeram o iogurte com adoçante, se comparados aos que comeram o iogurte com açúcar, não deve ser motivo para substituir o adoçante pelo açúcar.
“Será um erro. O brasileiro, em média, já consome mais do que o dobro das calorias recomendadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) sob a forma de açúcar. Enquanto o máximo seria de 10%, consumimos em média 19%”.
Para a Fundação Britânica de Nutrição, o tema requer mais pesquisas, pois o resultado deste estudo ainda não prova que os adoçantes são prejudiciais às dietas dos humanos.
O estudo
Cientistas acompanharam a alimentação de 17 ratos divididos em dois grupos. O primeiro recebeu iogurte adoçado com sacarina, enquanto o segundo tinha o alimento acrescido de açúcar. Depois do iogurte, os animais receberam suas dietas normais.
Decorridas cinco semanas, o grupo que recebia iogurte com açúcar teve aumento de peso de 72g, ou mais de 20%. No outro, alimentado com sacarina, os ratos ganharam 88g, consumiram mais calorias e tiveram aumento de 5% na taxa de gordura do corpo.
Para Susan Swithers, uma das autoras da pesquisa, a experiência indica que outros adoçantes artificiais, como o aspartame ou o acessulfame K, podem ter o mesmo efeito da sacarina
.