31 de agosto de 2013

Suco betacaroteno...



Este suco além de gostoso é uma excelente fonte de vitamina C e betacaroteno. É só bater melão, laranja, cenoura, hortelã, água de coco. Saúde!

30 de agosto de 2013

Por que comer menos calorias faz viver mais?


Uma dieta com baixa ingestão calórica aumenta a expectativa de vida em muitas espécies, inclusive dos humanos.
Mas exatamente como a dieta prolonga a vida tem sido um mistério para a ciência.
Agora, pesquisadores do Instituto Max Planck (Alemanha) descobriram que um receptor hormonal faz uma das ligações entre a nutrição de baixas calorias e a expectativa de vida.
Proteína receptora
A proteína NHR-62 aumenta o tempo de vida dos animais de laboratório em 20% quando a sua ingestão de calorias é reduzida.
Além disso, outro estudo mostrou que o receptor hormonal NHR-8 afeta o desenvolvimento na idade adulta e leva os vermes estudados à sua longevidade máxima.
Como os seres humanos temos receptores similares, os cientistas afirmam que pode ser possível que eles também sejam responsáveis por regular nossa expectativa de vida.
O receptor NHR-62 deve estar ativo para que a dieta de baixas calorias prolongue ao máximo a vida dos vermes. Se o NHR-62 estiver ativo, osCaenorhabditis elegans vão viver 25% a mais sob restrição dietética do que se este receptor estiver inativo.
"Parece que há um hormônio ainda desconhecido que regula a expectativa de vida usando o NHR-62. Se pudermos identificar esse hormônio e administrá-lo para o verme, poderemos prolongar sua vida sem ter que mudar a sua ingestão de calorias", explica Adam Antebi, responsável pelos experimentos.
Você é um homem ou um verme?
Mas por que estudar a longevidade usando vermes?
A pequena lombriga Caenorhabditis elegans vive apenas cerca de 20 dias. Isto a torna um objeto de pesquisa ideal, já que o ciclo de vida do verme pode ser estudado em pouco tempo.
Além disso, o verme é composto por menos de mil células, e sua composição genética e bem conhecida.
Mais ainda, o C. elegans contém muitos genes semelhantes aos dos seres humanos - por exemplo, os humanos têm receptores semelhantes ao NHR-62, chamados HNF-4α.
Assim, os cientistas suspeitam que os receptores hormonais podem não só controlar o tempo de vida máximo dos vermes, mas também dos seres humanos.
Benefícios da restrição calórica
Os efeitos da dieta de restrição calórica estão bem comprovados, afetando a expressão de genes de forma dramática: dos aproximados 20 mil genes do verme, 3.000 mudam a sua atividade, e 600 mostram uma dependência do NHR-62.
Por outro lado, a alimentação afeta o tempo de vida de muitos outros modos, sendo o receptor agora descoberto apenas um dos fatores envolvidos.
Assim, em vez de esperar que os cientistas descubram um hormônio que permita viver mais sem ter que comer menos calorias, talvez seja mais sábio começar a obter os ganhos agora, simplesmente mudando os hábitos alimentares.
Fonte: Diário da Saúde

29 de agosto de 2013

Açafrão protege pulmões de bebês prematuros..


A cúrcuma, mais conhecida como açafrão, já é bem conhecida pelos seus valores medicinais.
Os estudos mais recentes comprovaram a eficácia do composto natural para reforçar o sistema imunológico, para tratar o câncer de pele e para evitar a metástase do câncer.
Agora, uma nova pesquisa descobriu que a curcumina- um componente do açafrão - pode fornecer proteção duradoura contra lesões pulmonares potencialmente fatais em bebês prematuros.
Oxigenoterapia
Bebês prematuros muitas vezes precisam da ajuda de ventiladores e oxigenoterapia forçada porque eles frequentemente nascem com a função pulmonar debilitada. Estas terapias podem salvar vidas, mas também podem causar danos duradouros nos pulmões, danos eventualmente fatais.
Os pesquisadores agora demonstraram que a curcumina pode oferecer proteção a longo prazo contra esses danos.
Esta é uma notícia particularmente entusiasmadora porque não existem terapias alternativas para tratar essas crianças.
Nos experimentos, a curcumina proporcionou proteção contra a displasia broncopulmonar, uma condição caracterizada por cicatrizes e inflamações nos pulmões, e contra a hiperoxia, em que o corpo recebe oxigênio demais pelos pulmões, até 21 dias após o nascimento.
"Este é o primeiro estudo a identificar benefícios a longo prazo do uso da curcumina para proteger a função pulmonar de bebês prematuros", disse Virender Rehan, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, um dos autores do estudo, publicado no American Journal of Physiology.
"A curcumina é conhecida por sua potente ação antioxidante, anti-inflamatória e antimicrobiana, o que a torna uma terapia promissora para bebês prematuros que necessitam de terapia de oxigênio após o nascimento," concluiu Rehan.
Fonte: Diário da Saúde

28 de agosto de 2013

Quem come frutas e vegetais vive por mais tempo...


Um dos segredos da longevidade pode estar em seguir uma conhecida recomendação dos médicos: comer pelo menos cinco porções de frutas e vegetais todos os dias. Um extenso estudo feito no Instituto Karolinska, na Suécia, observou que ingerir uma quantidade menor do que essa está ligado a uma menor expectativa de vida e maior taxa de mortalidade. Os resultados da pesquisa serão publicados na edição de agosto do periódico The American Journal of Clinical Nutrition.
De acordo com Alicja Wolk, professora de epidemiologia nutricional do instituto e coordenadora do estudo, embora os efeitos positivos à saúde provocados por esses alimentos sejam conhecidos, poucas pesquisas feitas até agora olharam para a relação entre expectativa de vida e o consumo de frutas e vegetais.
O estudo de Alicja envolveu 71.706 pessoas de 45 a 83 anos de idade que foram acompanhadas ao longo de 13 anos. Durante a pesquisa, os participantes completaram questionários sobre hábitos alimentares. Após analisar os dados dos participantes e a taxa de mortalidade entre eles ao longo desses anos, os pesquisadores descobriram que aqueles que nunca consumiam frutas e vegetais viviam, em média, três anos a menos do que os que ingeriam mais do que cinco porções desses alimentos por dia. Essas pessoas também foram 53% mais propensas a morrer durante a pesquisa.
Quando os autores olharam para o consumo de frutas e de vegetais separadamente, eles descobriram que as pessoas que nunca comiam frutas viveram, em média, 19 meses menos do que quem ingeria uma porção por dia. Além disso, os participantes que consumiam três porções de vegetais ao dia viveram, em média, 32 meses a mais do que aqueles que nunca comiam esse tipo de alimento.
A pesquisa encontrou, portanto, uma relação entre o consumo de alimentos saudáveis e uma maior longevidade, mas não explicou as causas da associação. Em entrevista à agência Reuters, Alicja disse que pessoas que comem poucas frutas e vegetais são mais propensas a fumar e a consumir muita carne vermelha e gordura, por exemplo. Por outro lado, as quem ingerem maiores quantidades de frutas e vegetais também tendem a consumir mais calorias. No entanto, os resultados do novo estudo não foram alterados após a equipe ajustar os dados levando em consideração fatores como tabagismo, peso e atividade física.
Fonte: Veja

27 de agosto de 2013

Três motivos pelos quais você deve comer chocolate...


1 - Protege o coração

Entre as pesquisas que apontam para efeitos positivos do consumo do chocolate, as mais numerosas são, de longe, aquelas que associam o alimento a benefícios ao coração. Segundo um estudo publicado no ano passado no British Medical Journal (BMJ), por exemplo, é possível diminuir o risco de eventos cardiovasculares comendo chocolate amargo (com pelo menos 60% de cacau) todos os dias. Outro trabalho, feito na Universidade de Cambridge e divulgado em 2011, mediu o quão benéfico o chocolate pode ser ao coração: segundo o estudo, o consumo sem excessos do alimento diminui em 37% o risco de doenças cardíacas e em 29% as chances de acidente vascular cerebral (AVC).
Parte da redução das chances de doenças cardíacas proporcionada pelo chocolate pode ser explicada pelo fato de ele, antes disso, evitar o surgimento de fatores de risco ao coração, como hipertensão ou colesterol alto. De acordo com pesquisa australiana publicada em 2010 no periódico BMC Medicine, por exemplo, o chocolate amargo ajuda a diminuir a pressão arterial de pessoas que sofrem de hipertensão.
2 - Ajuda a emagrecer
Em 2012, um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, quebrou o mito de que chocolate engorda e ainda concluiu, surpreendentemente, que o alimento pode, na verdade, ajudar uma pessoa a emagrecer. Isso porque, das 1.000 pessoas que participaram da pesquisa, aquelas que comiam chocolate com maior frequência, embora consumissem mais calorias em um dia, foram as que apresentaram, em média, um índice de massa corporal (IMC) menor. Essa relação aconteceu principalmente quando o indivíduo consumia chocolate amargo. Segundo os autores do estudo, pode ser que as calorias no chocolate sejam 'neutras' — ou seja, que pequenas quantidades do alimento beneficiem o metabolismo, reduzam o acúmulo de gordura no corpo e, assim, compensem as calorias consumidas. Além disso, os pesquisadores acreditam que as propriedades antioxidantes do chocolate estejam por trás dos efeitos positivos demonstrados pelo trabalho.
3 - Faz bem para a mente
Em uma pesquisa realizada em 2012 na Universidade de Áquila, na Itália, 90 idosos com mais de 70 anos que já apresentavam sinais de comprometimento cognitivo passaram dois meses consumindo diariamente uma bebida que misturava leite a um achocolatado com alto teor de cacau. A quantidade do achocolatado variava de acordo com o participante, podendo ser de 990, 520 ou 45 miligramas por dia. Ao final desse período, os pesquisadores avaliaram os idosos e descobriram que aqueles que consumiram quantidades alta e média do achocolatado, em comparação com o restante dos participantes, apresentaram uma melhora nos reflexos, na capacidade de realizar mais de uma atividade ao mesmo tempo, na memória verbal e na de trabalho (ou a curto prazo), além de melhores resultados em testes que avaliaram o raciocínio. Os autores do estudo atribuíram tais benefícios aos flavonoides, compostos presentes no cacau que, entre outros efeitos positivos, também são associados a benefícios ao coração — desde que aliados a uma dieta saudável.
Fonte: Veja 

26 de agosto de 2013

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL...

Mais uma semana que se incia e eu te pergunto: como anda a qualidade do seu sono? Pois é, se você não descansa, o organismo diminui sua quantidade de leptina, o hormônio da saciedade. E o que é pior, aumenta a produção de grelina, que aumenta o apetite, ou seja, mais fome e menos saciedade é uma equação que resulta em quilos extras.

Então, se você deseja emagrecer, come a cuidar melhor do seu sono e tenha resultados melhores.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável ! 

24 de agosto de 2013

Bolinho de microondas saudável...



Receita: 

2 ovos, 2 col. (Sopa) farelo de aveia, 2 col. (Sopa) farinha de coco, 1 col. (Sopa) cacau, 1 col.(Sopa) óleo de coco, 1 col. (Sopa) açúcar mascavo ou adoçante culinário, 2 col. (Sopa) nozes picadas. Levar ao micro por 3 minutos. 

Calda de cacau: 

Aquecer o cacau com um pouco de leite de coco light, foi no olho a quantidade, ferver e jogar por cima.

Espetáculo!

23 de agosto de 2013

Para ganhar mais energia, mastigue mais...


Amêndoas estão entre as fontes de alimentos mais energéticas de que dispomos.
Mas tirar proveito disso não é uma questão de quanto você come, e sim de quanto você mastiga.
"O tamanho das partículas aumenta a biodisponibilidade da energia do alimento que está sendo consumido," explica o Dr. Richard Mattes, professor de nutrição da Universidade de Purdue (EUA). "Quanto mais você mastigar, menos se perde e mais é retido no corpo."
Amêndoas inteiras ou granuladas?
Cada indivíduo tem seus próprios hábitos de mastigação, afirma o médico.
Mas, embora seja muitas vezes difícil de mudar esses hábitos, isso deve ser considerado se o interesse é aproveitar ao máximo o potencial dos alimentos.
Quando se mastiga pouco, as partículas maiores são eliminadas pelo organismo.
Quando se mastiga mais, as partículas menores são mais prontamente absorvidas - os testes envolveram voluntários mastigando amêndoas 10 vezes, 25 vezes e 40 vezes.
"Se o objetivo é ingerir um alimento gostoso e rico em proteínas, amêndoas inteiras são provavelmente tudo o que você quer," disse Mattes. "Se você está interessado em maximizar a ingestão de vitamina E, amêndoas granuladas, manteiga de amêndoa ou óleo de amêndoa podem ser uma escolha melhor."
Fibras e gorduras
As fibras diversificadas das frutas, legumes e grãos integrais também chegam no topo do ranking como grandes fontes de energia, acrescenta o professor.
"Quando sua dieta total é mais rica em fibras, há uma maior perda de gordura,", disse ele. "As fibras ligam-se aos ácidos graxos para criar fontes de energia no corpo," evitando o acúmulo da gordura não aproveitada.
Fonte: Diário da Saúde

22 de agosto de 2013

Nozes previnem desenvolvimento do câncer de próstata...


Ingerir diariamente uma pequena quantidade de nozes pode proteger contra o câncer de próstata.
E proteger fortemente, segundo estudos realizados em cobaias.
Os pesquisadores injetaram células humanas do câncer de próstata em camundongos tornados intencionalmente imunodeficientes. Normalmente, dentro de três a quatro semanas, os tumores começam a crescer em um alto porcentual dos animais.
Um estudo anterior havia descoberto que uma dieta enriquecida com nozes diminui a formação do câncer de mama.
Os pesquisadores queriam saber se o mesmo era válido para o câncer de próstata.
Além disso, já se sabia que as nozes melhoram a qualidade do esperma.
Menos e menores
Apenas três dos 16 camundongos (18%) que comeram uma dieta enriquecida com noz em pó desenvolveram tumores de próstata, em comparação com 14 dos 32 animais (44%) que ingeriram dietas de controle, sem nozes.
Além disso, o tamanho médio final do tumor nos três animais alimentados com nozes foi de aproximadamente um quarto da dimensão média dos tumores da próstata que se desenvolveram nas cobaias que não ingeriram nozes.
"Nós achamos os resultados impressionantes porque havia muito poucos tumores nos animais que consumiram as nozes, e estes tumores cresceram muito mais lentamente do que nos outros animais," disse Dr. Russel Reiter, coordenador do estudo. "Fomos absolutamente surpreendidos em como a dieta à base de nozes foi tão altamente eficaz na inibição do câncer de próstata humano."
"A porção de noz não era uma grande porcentagem da dieta," acrescenta Reiter. "Era o equivalente a um humano adulto comer cerca de 50 gramas, ou dois punhados por dia, o que não é um monte de nozes."
As nozes são as frutas oleaginosas mais saudáveis que se conhece.
Outros experimentos já demonstraram a eficácia das nozes na redução do risco de Alzheimer.
Fonte: Diário da Saúde

21 de agosto de 2013

Comer um ovo por dia não aumenta o colesterol...


Os cientistas do final do século 20 firmaram pé que a ingestão de mais de dois ovos por semana aumentaria o colesterol.
Os cientistas de hoje estão fazendo um experimento depois do outro para demonstrar que isso é um mito.
O mito nasceu quando, em 1973, a Associação Americana do Coração recomendou limitar a ingestão de ovos a um máximo de três por semana.
"Os profissionais de saúde tradicionalmente insistem que comer ovos aumenta os níveis de colesterol. Por isso, nas últimas décadas tem havido uma tendência para restringir a ingestão, algo defendido por diversas organizações de saúde pública," comenta o Dr. Alberto Soriano Maldonado, da Universidade de Granada, na Espanha.
No entanto, muitos alimentos ricos em colesterol geralmente também sejam ricos em gorduras saturadas, esse não é o caso dos ovos - um ovo de tamanho médio contém 200 miligramas de colesterol, mas tem mais gorduras insaturadas do que gorduras saturadas e tem apenas 70 calorias.
Ovos e colesterol
O estudo mais recente sobre o assunto revela que comer mais ovos não está associado com aumento no colesterol sérico em adolescentes, independentemente da quantidade de atividade física que eles fazem.
A equipe do Dr. Maldonado estudou adolescentes porque outros estudos já haviam sido feitos com adultos, dando os mesmos resultados.
Os pesquisadores analisaram a relação entre a ingestão de ovos e os principais fatores de risco para desenvolver doenças cardiovasculares, incluindo perfil lipídico, excesso de gordura corporal, resistência à insulina e pressão arterial elevada.
Os resultados, envolvendo participantes de nove países, demonstram que a ingestão de grandes quantidades de ovos não está ligada ao colesterol sérico maior nem à pior saúde cardiovascular, independentemente dos níveis de atividade física.
"As conclusões confirmam estudos recentes em adultos saudáveis que sugerem que a ingestão de até sete ovos por semana não está associado com aumento no risco de desenvolver doenças cardiovasculares", diz o Dr. Maldonado.
Carnes e comidas industrializadas
Os autores sugerem uma revisão nas recomendações dietéticas também para os adolescentes.
Eles acrescentem que seria útil realizar pesquisas semelhantes em um grupo que realmente goste de ovo, e decida sair do equilíbrio, indo para o lado do excesso, talvez comendo muito mais do que sete ovos por semana.
O estudo mostrou que o aumento do colesterol sérico é mais afetado pela ingestão de gorduras saturadas e gorduras trans - presentes em carnes vermelhas, assados, comidas industrializadas etc. - do que com a quantidade de colesterol na dieta.
Fonte: Diário da Saúde

20 de agosto de 2013

Seja alegre e fique saudável...


Adotar uma perspectiva positiva em relação à vida tem um efeito direto na redução de eventos potencialmente fatais, como ataques cardíacos.
O resultado é que pessoas com temperamento alegre são significativamente menos propensas a sofrer um evento coronariano, o que resulta diretamente em um aumento na longevidade.
Pesquisas anteriores já haviam mostrado que as pessoas deprimidas e ansiosas são mais propensas a terataques cardíacos - e morrer por causa deles - do que pessoas com disposição mais otimista.
Mas, como essas comparações são sempre feitas contra uma média, os pesquisadores queriam saber se uma sensação geral de bem-estar - sentir-se alegre, descontraído, cheio de energia e satisfeito com a vida - teria um efeito positivo real sobre a saúde cardíaca.
Foi o que o que eles confirmaram além de qualquer suspeita.
Alegria no coração
"Se você é, por natureza, uma pessoa alegre e olha para o lado positivo das coisas, você está mais protegido dos eventos cardíacos," conta a Dra. Lisa Yanek, da Universidade Johns Hopkins (EUA). "Um temperamento mais feliz tem um efeito real sobre a doença e, como resultado, você se torna mais saudável."
É claro que muitos podem argumentar que as pessoas que têm a sorte de ter características pessoais tão positivas também são mais propensas a cuidar melhor de si mesmas e ter mais energia para fazer isso.
Yanek diz que o trabalho levou esse argumento em consideração, mas sua pesquisa mostrou que as pessoas com níveis mais elevados de bem-estar também apresentam muitos fatores de risco para as doenças coronarianas - ainda assim, elas tiveram menos eventos cardíacos graves.
O bem-estar positivo dos participantes foi associado com uma redução de 33% dos eventos coronarianos. Entre aqueles considerados com maior risco para as doenças cardíacas, houve uma redução de quase 50% nos eventos graves.
Os resultados levaram em conta outros fatores de risco de doenças cardíacas, tais como idade, tabagismo, diabetes, níveis elevados de colesterol e pressão arterial elevada.
O acompanhamento dos voluntários foi feito durante 12 anos.
Mente e corpo
Apesar da constatação inquestionável, os pesquisadores admitem que os mecanismos por trás do efeito protetor do bem-estar positivo ainda terão que ser desvendados - quais moléculas são ativadas e como elas atuam no sistema circulatório etc.
Adiantando sua própria interpretação, a Dra Yanek observa que a pesquisa oferece insights sobre as interações entre mente e corpo, e pode fornecer pistas para estudar esses mecanismos.
Fonte: Diário da Saúde

19 de agosto de 2013

Healthy Monday...


SEGUNDA SAUDÁVEL...

Mais uma semana que se inicia com força total! E aí, como foi seu final de semana? Um desastre? Que tal pegar leve nesta semana? Faça refeições leves, coma mais frutas como o melão que é diurético, tome bastante água entre as refeições, faça pelo menos 5 refeições ao dia para ativar seu metabolismo e pratique alguma atividade física. Além disso inclua um chá diurético/desintoxicante como o hibisco, cavalinha ou chá verde.

São dicas simples, mas que conseguem reativar e desintoxicar seu organismo após alguns excessos.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

17 de agosto de 2013

Omelete de forno...


Simplesmente incrível! Bata os ovos com cenoura, peito de peru, cheiro verde e tomate. Coloque em forminhas de cerâmica e forno! Assim que o ovo estiver cozido e dourado está pronto!

15 de agosto de 2013

Você sabe o que são blends proteicos?


Os blends proteicos são uma mistura de tipos e frações de diversas proteínas para que sejam absorvidas de forma gradual visto que cada tipo de proteína tem uma estrutura molecular diferente, maior ou menor, o que influencia no processo digestivo. Novos estudos observaram que ao utilizar uma bebida contendo uma mistura de diferentes tipos de proteínas, os aminoácidos são liberados para a circulação sanguínea de maneira gradativa e a resposta da síntese proteica se prolonga, além da capacidade anticatabólica manter-se por mais tempo, comprovando a eficiência do uso de blends proteicos em refeições como café da manhã, intermediários e também na ceia, última refeição antes de dormir, garantindo que os músculos sejam “alimentados” durante o período do sono.
Os blends mais eficientes presentes no mercado atual são compostos a base de whey protein e suas diferentes filtrações e processamentos, caseína e outros tipos de proteína como a de soja e a albumina proveniente do ovo. O whey protein é rapidamente absorvido entre 30 e 60 minutos. A soja e a albumina  são proteínas de absorção intermediária, entre 60 e 120 minutos. E a caseína é uma proteína de absorção lenta, requerendo entre três e cinco horas. Existem produtos que tem na sua composição os 3 tipos de whey protein (Whey Concentrado, Isolado e Hidrolisado), outros produtos que além dos 3 tipos de whey, tem também a albumina ( proteína do ovo), a caseína (outro tipo de proteína do leite) e alguns tem, além das proteínas de origem animal citadas acima, proteínas de origem vegetal, que é o caso da soja.

14 de agosto de 2013

Peixes oleosos, como o salmão, podem reduzir risco de câncer de mama...


Comer duas porções de atum, salmão ou sardinha por semana pode ajudar a reduzir as chances de uma mulher desenvolver câncer de mama. Essa é a conclusão de uma revisão de estudos publicada no periódicoBritish Medical Journal (BMJ). A explicação deve-se ao fato de que esses peixes contêm gordura insaturada, que, ao contrário da gordura saturada, faz bem à saúde.
O trabalho, realizado por pesquisadores da Universidade de Zhejiang, na China, analisou os resultados de 26 estudos feitos nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia, envolvendo 883.585 participantes e 20.905 casos de câncer de mama. Após a análise, os cientistas concluíram que consumir de uma a duas porções de peixes oleosos (no Brasil, as opções mais comuns são atum, salmão ou sardinha) por semana leva a uma ingestão de gorduras poli-insaturadas marinhas que é suficiente para reduzir em 5% o risco de desenvolver a doença."A gordura desses peixes, ao contrário de uma gordura animal qualquer, é benéfica", explica o oncologista Ricardo Marques, do Centro de Oncologia do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. "Esse tipo de gordura poli-insaturada encontrada nos peixes marinhos substitui a gordura que leva a pessoa a engordar. Então, ao consumir peixes oleosos, é como se estivéssemos trocando uma gordura ruim por uma boa."
Os grupos que apresentaram as menores chances de desenvolver câncer de mama foram os de mulheres asiáticas. Segundo os autores do estudo, isso aconteceu porque nos países da Ásia o consumo de peixe é maior do que nos países ocidentais. 
Para Ricardo Marques, há duas razões que podem explicar por que a gordura insaturada dos peixes pode ajudar a evitar o câncer de mama. Uma está ligada ao fato de que esse tipo de gordura auxilia na perda de peso: "ao engordar, a mulher passa a produzir mais hormônios, e essa maior produção de hormônios aumenta sua chance de ter câncer. Logo, se a gordura encontrada nos peixes ajuda a não engordar, ela também diminui o risco de câncer", esclarece. A outra está relacionada à melhora do sistema imune, o que também favorece a prevenção do câncer. 
O câncer de mama foi responsável por 14% das mortes de mulheres por câncer no mundo inteiro durante o ano de 2008, segundo informações da Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC, sigla em inglês), da Organização Mundial da Saúde. Para se prevenir da doença por meio da ingestão dos peixes oleosos, porém, é preciso fazer desse consumo um hábito. "O estudo simplesmente analisou pessoas que comeram esse tipo de peixe ao longo da vida. A prevenção só vai funcionar se a pessoa criar o hábito de comer as duas porções semanais de peixe", afirma Marques.
Fonte: Veja

13 de agosto de 2013

Você sabia?


O alho auxilia no bom funcionamento do sistema imunológico, tem ação anti-inflamatória, é hipocolesterolêmico, anticâncer, auxilia no controle da glicemia, triglicérides e pressão arterial.

12 de agosto de 2013

Healthy Monday...

SEGUNDA SAUDÁVEL....

Segunda-feira não tem um ser na terra que não precise dar uma "sacudida" no metabolismo. Seja pelos excessos do final de semana, seja pelo simples fato de ser segunda e só de lembrar disso dá um preguiça, não é mesmo? Então nada melhor que 
 um super chá que além de turbinar o metabolismo, te deixando pronta para encarar a segundona, de quebra te ajuda a desintoxicar dos excessos do final de semana. 

Faça um chá verde com um toque de anis ou canela em pau para dar um gostinho especial, que tal? Uma semana turbinada para todos nós!

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

10 de agosto de 2013

Pastinha de atum para sanduíches e canapés...


Esta pastinha é curinga! Serve para recheio de sanduíches, tortas, canapés etc.

Atum light, cenoura ralada, tomate picado, cheiro verde e pimenta, é só misturar tudo e você tem uma recheio protéíco e saudável. Aproveite!

9 de agosto de 2013

A ciência de perder peso comendo com prazer...


É possível emagrecer sem fazer dieta. Das saladas aos chocolates, basta que se coma de maneira consciente — mastigando bastante, escolhendo produtos, de preferência, em feiras de rua e começando a refeição pelos itens do prato que lhe dão mais prazer. A nova proposta da neurocientista americana Darya Pino Rose é o que ela chama de uma "não-dieta". "O que precisa ser evitado é o exagero", diz. Darya não conta calorias, nem restringe carboidratos ou evita açúcar. Formada em neurociência pela Universidade da Califórnia, ela acredita que ao pensar a comida como algo prazeroso, que deve ser degustado, acaba-se ingerindo porções menores — e, assim, emagrecendo com saúde. As dicas dela foram lançadas no livro Foodist — Using real food and real science to lose weight without dieting (Foodist – Usando comida e ciência de verdade para emagrecer sem fazer dieta, em tradução livre), ainda sem previsão de lançamento para o Brasil.

Depois de tentar diversas dietas e não conseguir sucesso com nenhuma delas, Darya começou a estudar a ciência que existe por trás da nutrição. "Percebi que ser saudável é o melhor jeito para emagrecer", diz. Manter um hábito saudável, recomendação já há muito indicada por médicos, passou a fazer sentido apenas quando o cérebro entrou na jogada. São inúmeras as funções do sistema nervoso na alimentação. Um exemplo é o ato de mastigar. Quando a pessoa come com mais calma, mastigando o número suficiente de vezes, as chances dela prestar atenção naquilo que está comendo, e se controlar, são muito maiores.
Além disso, se alimentar mais lentamente também ajuda a entender melhor o que está acontecendo. Isso porque durante uma refeição o cérebro tem apenas um foco: preencher o estômago — o que, de imediato, não provoca a sensação de saciedade. Entre saciar o estômago e parar de sentir fome, há um processo que envolve liberação de hormônios e sinais visuais de que a refeição terminou. Esse processo demora cerca de 20 minutos, e só depois dele há a sensação de saciedade. "Se você come muito depressa, corre o risco de ingerir mais comida do que seu corpo precisa", diz Darya.
Entre as dicas para adotar o modo foodist (como Darya batizou seu método) de comer, uma das mais importantes é a de comer primeiro os alimentos mais saborosos do prato. Só o cheiro da comida já é o suficiente para que o metabolismo comece a agir. Segundo Darya, o pedaço de comida mais apreciado na hora da refeição é aquele que se come primeiro. "Se você começar pelo que mais gosta, fica muito mais fácil parar de comer. Você tem a certeza de que já comeu a melhor parte", explica. 
Esse truque, no entanto, precisa se tornar um hábito automático. De acordo com a neurocientista, para evitar um fenômeno conhecido como "fadiga de decisões", em que o cérebro precisa usar um grande estoque de energia para tomar muitas decisões em um dia, o órgão ativa um mecanismo por meio do qual 90% das decisões diárias ligadas à comida são resultantes de hábitos, e não de ações conscientes. 

A necessidade de se criar hábitos também explica a razão pela qual Darya acredita que só é possível emagrecer quando a pessoa come o que gosta. Mas isso não significa, no entanto, que aos apaixonados por fritura, o bacon deva ser uma constante no prato. Segundo Darya, é preciso que se encontre quais são os alimentos preferidos entre aqueles considerados saudáveis. Em seguida, reforçar o gosto por essa comida. Isso por que o cérebro tem um sistema de recompensa que usa um neurotransmissor chamado dopamina. Quando fazemos coisas que gostamos — e isso inclui comer alimentos que gostamos — nosso cérebro recebe uma descarga de dopamina. "Isso reforça nosso desejo de repetir aquela ação sempre que possível. É assim que nasce um hábito", explica.

As dicas mais valiosas de Darya estão também publicadas no blog Summer Tomato, criado em 2009. "Depois que comecei a comer melhor, me senti mais disposta. E eu nem estava fazendo dieta, aí pensei: todo mundo precisa saber disso". Nos textos publicados em seu blog, a neurocientista não compartilha regras de alimentação, mas tenta estimular as leitoras a terem uma rotina alimentar mais saudável. Darya ensina a fugir das dietas porque, diz, embarcar em um regime pode virar um tiro no pé, já que o sinal que a dieta manda ao cérebro é de que, obviamente, algo é proibido. "Fazer isso é praticamente se programar para, mais cedo ou mais tarde, ter uma overdose daquilo que era tão proibido."

Fonte: Veja

8 de agosto de 2013

Você sabia?


A cúrcuma, além de possuir propriedades cardioprotetoras, anti-inflamatórias, anticancerígenas, antioxidantes e fornece proteção contra o mal de Alzheimer.

7 de agosto de 2013

Dieta sólida pode ser indicada para bebês de 4 meses com propensão ao diabetes 1, indica pesquisa...


A melhor idade para introduzir alimentos sólidos na dieta de bebês com propensão genética ao diabetes tipo 1 é entre quatro e cinco meses de idade. É o que aponta um estudo publicado no periódico JAMA Pediatrics nesta semana. A indicação, no entanto, não segue a indicação da Organização Mundial de Saúde de que a amamentação seja exclusiva até os seis meses de idade. Para os pesquisadores, a amamentação concomitante (e necessária) nesse período ajuda a reduzir os riscos de desenvolver o diabetes tipo 1.

A incidência do diabetes tipo 1 vem crescendo pelo mundo, principalmente entre crianças com menos de cinco anos de idade. Por isso, a dieta na infância tem sido um foco de interesse particular entre os pesquisadores da doença. Para entender a relação, Brittni Frederiksen, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, e equipe analisaram a associação entre a exposição alimentar e o desenvolvimento do diabetes tipo 1.
Para o estudo, foram triados sangues do cordão umbilical de neonatais no Hospital St. Joseph, em Denver. Também participaram do levantamento, parentes de primeiro grau de pessoas com diabetes 1. Descobriu-se que, tanto a exposição precoce (menos de quatro meses de idade) quanto a tardia (com seis meses ou mais) a alimentos sólidos estavam associadas com a doença. “Nossos dados sugerem que múltiplos alimentos e antígenos têm um papel, e que é complexa a relação entre o tipo de alimento e quando ele é inserido na dieta do bebê com os riscos para o diabetes tipo 1”, afirmam os autores.
De acordo com os pesquisadores, os resultados apontam que o período mais seguro para a introdução dos alimentos sólidos na dieta de bebês é entre os quatro e cinco meses de idade. Esses alimentos, no entanto, devem ser inseridos junto à amamentação, para, assim, reduzir os riscos em crianças geneticamente suscetíveis à doença. “Os dados ainda precisam ser duplicados em um número maior de participantes para sua confirmação.”
Fonte: Veja

6 de agosto de 2013

Você sabia?



As ervilhas possuem cerca de 5% de proteínas. Essa propriedade é mantida no alimento fresco, congelado ou em conserva. A proteína contida, no entanto, não é do tipo completo, e por isso as ervilhas podem ser combinadas com outros alimentos fontes de proteína para fornecimento dos aminoácidos necessários ao corpo. As verdinhas também são ricas em vitaminas C e K e sais minerais

5 de agosto de 2013

Healthy Monday...

SEGUNDA SAUDÁVEL...

Mais uma semana iniciando e você já está se preparando para o verão? Falta muito tempo, eu sei, também sei que tem gente batendo queixo de frio neste momento, hehe. Mas será que para atingir a sua meta este tempo é suficiente? Não adianta 1 mês antes da praia, das férias achar que vai transformar o corpo de uma hora para outra. Isso não é saudável e não é duradouro.

Aproveite agora para iniciar um programa de emagrecimento ou ganho de massa muscular de forma saudável, transformando maus hábitos em bons hábitos. Não apenas excluindo, excluindo e se irritando com dietas mirabolantes que são imediatistas e num piscar de olhos te levam de volta ao seu peso inicial.

Lembre-se: Toda segunda-feira é uma nova chance para que um estilo de vida saudável se reinicie. Faça da segunda-feira o dia em que você renova seu compromisso de viver uma vida mais saudável !

3 de agosto de 2013

Guacamole...


Ingredientes:

  • - 2 abacates médios maduros
  • - 2 tomates pequenos sem sementes
  • - 1 dente de alho
  • - 1 cebola média
  • - 2 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem
  • - 1 unidade de limão
  • - Pimenta a gosto
  • - 1 colher (café) de sal



Modo de Preparo:

Abra os abacates, ao meio, e tire o caroço. Retire toda a polpa e, em seguida, corte-a em pedaços e coloque dentro de um pilão ou um recipiente parecido. Corte os tomates, a cebola, o dente de alho e a pimenta em pedaços bem pequenos. Junte ao abacate e amasse até formar uma pasta (quanto mais homogêneo melhor). Tempere com limão, azeite de oliva e sal.

Fonte: VP

2 de agosto de 2013

Alimentos que melhoram as defesas do organismo no inverno...



Com a chegada do inverno é comum o aparecimento de gripes e resfriados. Selecionei alguns alimentos e nutrientes que são capazes de melhorar as defesas do organismo durante a estação mais fria do ano. Saibam quais são os benefícios e não esqueçam de incluí-los na alimentação. 

Vegetais verdes escuros (brócolis, couve, espinafre) - são fontes de ácido fólico, nutriente que auxilia na formação dos glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo. 

Cogumelos – as betaglucanas, um tipo de fibra solúvel, possui efeito imunomodulador. A presença do nutriente lentinan também faz a fama dos cogumelos, pois aumenta a imunidade, estimula células de defesa do organismo e ainda eleva a produção de interleucina 1, substância que combate tumores. Além disso, esses componentes têm propriedades anti-inflamatórias que ajudam na prevenção do câncer e de outras doenças.

Carne, cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico) - ricos em zinco, nutriente que combate gripes, resfriados, além de outras doenças do sistema imunológico.  

Laticínios, abacate, beterraba, manga, pera, maçã, pêssego, frango, peixe e tomate -ricos em lisina, que suprime a multiplicação viral. Esses alimentos não só ajudam a prevenir gripes mas também amenizam seus sintomas.

Cenoura, abóbora, brócolis - são fonte de betacaroteno, essencial para a saúde das mucosas do trato respiratório. Sua deficiência reduz do número de células de defesa e aumenta a suscetibilidade de infecções bacterianas ou virais.


Ah, e não se esqueça de caprichar na hidratação no inverno!

1 de agosto de 2013

Conheça os tipos de Whey Protein...


Existem basicamente 3 tipos de whey protein presentes no mercado: isolado, hidrolisado e concentrado. O que determina o tipo dele é seu processo de filtração.  Você também pode encontrar os blend proteicos, que são uma mistura de tipos e frações de proteínas diversas. Entenda melhor cada um deles:

WHEY PROTEIN CONCENTRADO (WPC)
É uma proteína que passa por filtragens que não eliminam completamente a gordura e a lactose da fórmula e a estrutura da proteína se mantém intacta, passando normalmente pelo processo natural de digestão, que é relativamente lento. Algumas pessoas podem ter dificuldade em digerir este tipo de whey por conter a proteína íntegra e pela presença da lactose em sua composição, principalmente os alérgicos à proteína do leite e os intolerantes à lactose.
 WHEY PROTEIN ISOLADO (WPI)
Esse tipo de whey é praticamente livre de lactose (podendo ser utilizado por pessoas com intolerância a lactose), gordura e colesterol. O processo de filtração quebra a estrutura das proteínas. Esse tipo de Whey  é indicado principalmente no pós-treino imediato devido à sua rápida absorção e garantia do aporte imediato de aminoácidos estimulando a regeneração muscular.
Com o avanço dos processos tecnológicos, hoje temos dois tipos diferentes de wheys isolados que apresentam características e propriedades diferentes:
ISOLADO ION-CHANGE: Em português, whey isolado por troca-iônica. Neste processo o whey é aquecido e as proteínas passam por um processo químico para separá-las e quebrá-las. Este processo é o mais antigo e apresenta desvantagens, pois o aquecimento desnatura as proteínas e o processo químico aumenta demasiadamente a quantidade de sódio do produto.
 ISOLADO MICRO-FILTRADO A FRIO: É o processo mais moderno de filtração que garante a integridade e a pureza das proteínas. A filtragem das proteínas é mecânica, por vários tipos de filtros e ocorre em baixas temperaturas garantindo que as frações quebradas de proteína mantenham-se bioativas, ou seja, não sofram desnaturação garantindo a funcionalidade biológica das mesmas (imunológicas, moduladoras hormonais entre outras funções). Não passando por processamento químico, este whey é o que apresenta o mais baixo teor de sódio.
WHEY PROTEIN HIDROLIZADO (WPH)
O whey protein hidrolisado é aquele que passa por um processo em que as moléculas de proteína do soro do leite são quebradas em partículas menores através de hidrólise, processo similar ao digestivo, disponibilizando praticamente os aminoácidos livres, fazendo com que a digestão e a absorção se tornem ainda mais rápidas. É conhecido como whey protein pré-digerido. O whey  100% hidrolisado pode ser uma alternativa para as pessoas que tem intolerância a lactose e/ou alergia as proteínas de origem animal.