28 de maio de 2008

CUIDADO COM AS INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS !!!


Armadilhas nas páginas das revistas: Estudo revela que maioria de artigos sobre nutrição são precários.
Os artigos sobre nutrição encontrados em revistas femininas são fonte de interesse de muita gente. E a preocupação gira exatamente neste ponto, afinal de contas, em grande parte das publicações, faltam dados e há erros nas informações sobre o tema.
Quem afirma esta questão é um estudo feito na USP (Universidade de São Paulo) por uma nutricionista. A pesquisa mostra que este tipo de revista, mesmo baseada em depoimentos de especialistas e autoridades da ciência, focam principalmente em valores calóricos. As matérias são, de fato, baseadas em aspectos estéticos.
O resultado desta falha são leitoras mal informadas que compram soja porque está na moda, mas não sabem prepará-la; que deixam de comer ou consomem em excesso determinado alimento, porque a revista citou que não se deve comer em exagero ou listou uma série de benefícios respectivamente. É importante ficar atento às armadilhas e, se a dúvida persistir, consultar um especialista.

27 de maio de 2008

DIETAS COM ALTO ÍNDICE GLICÊMICO ESTÃO ASSOCIADAS COM MAIOR RISCO DE DOENÇAS CRÔNICAS


Uma metanálise que avaliou 37 estudos prospectivos concluiu que dietas contendo alimentos com alto índice glicêmico (IG) ou alta carga glicêmica (CG) aumentaram independentemente o risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2, câncer de mama, doença cardíaca e de vesícula biliar.
Foram utilizados questionários de freqüência alimentar na maior parte dos estudos. Os participantes tinham entre 24 a 76 anos de idade e IMC entre 23,5 a 29 kg/m2, atingindo a faixa de normalidade do peso corpóreo e o sobrepeso. A limitação desse estudo, os próprios autores já indicam: “é que quase a totalidade (90%) dos indivíduos em estudo era de mulheres, por isso os resultados não podem ser extrapolados para os homens”.
Os autores acreditam que a hiperglicemia pós-prandial em indivíduos sem diabetes é o mecanismo universal que contribui para o desenvolvimento de doenças crônicas. O consumo de alimentos com baixo IG e CG pode evitar esse quadro clínico por meio dos efeitos metabólicos causados na função das células beta do pâncreas, na concentração de triacilgliceróis e ácidos graxos livres, além de ter influência na saciedade.
Apesar de ambos os índices, quando elevados, terem tido associação com o aumento das doenças crônicas, houve um efeito mais potente na inter-relação entre o IG e as doenças do que entre a CG e as mesmas enfermidades. “Isso significa que independente do nível de consumo de carboidrato, a contribuição do IG é importante”.
Fonte: Nutritotal

DIVULGADO RESULTADO DO MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS


O Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), coordenado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em parceria com as Secretarias Estaduais de Saúde, avaliou durante o ano de 2007 cerca de 1200 amostras de alface, batata, morango, tomate, maçã, banana, mamão, cenoura e laranja. Do total, 207 foram classificadas como insatisfatórias, ou 17,28%.
Os resultados serão encaminhados pela Anvisa ao Ministério da Agricultura (Mapa), que é o órgão responsável pela fiscalização das lavouras, para que tome as providências junto dos produtores.
Para 2009, o Para passará a acompanhar oito novas culturas. Os produtos selecionados são abacaxi, arroz, cebola, feijão, manga, pimentão, repolho e uva.
De olho no tomate
Os principais problemas detectados na análise das amostras foram teores de resíduos acima do permitido e o uso de agrotóxicos não autorizados para estas culturas. No caso da batata e da maçã, houve redução no número de amostras com resíduos de agrotóxicos.
O tomate foi o produto que mais chamou a atenção em todo o estudo. Quase 45% das 123 amostras analisadas apresentaram resultados insatisfatórios. Nas 55 culturas reprovadas, foi encontrada pelos técnicos a substância monocrotofós, que teve seu uso proibido em novembro de 2006, em razão de sua alta toxicidade. O uso da substância já foi denunciado à Polícia Federal e ao Ministério da Agricultura, para que procedam a investigação.
Nos tomates de mesa, assim como no morango e na alface, foram encontrados metamidofós. Ainda que os resíduos não tenham ultrapassado os limites tolerados para a alimentação diária da população, o agrotóxico é autorizado apenas para a cultura de tomate industrial, aplicado por via aérea, trator ou pivô central, para evitar que o trabalhador rural seja intoxicado.
A boa notícia veio da análise da batata, que passou a ser monitorada em 2002. Naquela época, apresentou índice de 22,2% de uso indevido de agrotóxicos. Este nível encontra-se hoje bem abaixo, tendo sido reduzido para 1,36%. A maçã também teve melhora. Da reprovação anterior de 5,33%, apresentou, em 2007, irregularidades em 2,9% das amostras.
Fonte: Nutritotal

CHICLETE ACELERA RECUPERAÇÃO APÓS CIRURGIA DE INTESTINO

Tese de mestrado da enfermeira britânica Harriet Wright demonstra que mascar chiclete acelera a recuperação de pacientes que passaram por cirurgias no intestino.

A pesquisa foi realizada no Dorset County Hospital, na cidade de Dorchester (Inglaterra), durante seis meses. Os pacientes que mascaram chiclete três vezes por dia após cirurgia no intestino se recuperaram mais rapidamente do que os demais e se mostraram mais tolerantes a fluidos orais e comida sólida.

As funções intestinais também voltaram ao normal, em média, um dia e meio antes dos pacientes que não mascaram chicletes. "Espero que isso se torne prática comum agora, pois certamente não faz mal", afirmou Wright, que apresentará os resultados da pesquisa em uma conferência na cidade de Birmingham, no mês de junho.

Fonte: Redação Saúde em Movimento

24 de maio de 2008

ALIMENTAÇÃO FUNCIONAL E SUPLEMENTOS VITAMÍNICOS AJUDAM A AMENIZAR CRISES DE TPM





Dor de cabeça, retenção de líquidos, cansaço, crises de raiva e ansiedade, vontade de chorar… Sorte da mulher que nunca sofreu com os efeitos da tensão pré-menstrual (TPM). E, para quem já tentou desde as receitas da vovó até os antidepressivos e as pílulas anticoncepcionais mais modernas para amenizar os sintomas e não obteve sucesso, talvez a solução seja fazer mudanças drásticas na alimentação.
O fenômeno da TPM é causado pela flutuação das concentrações cerebrais de serotonina, cálcio, magnésio e vitamina B6. A alimentação adequada é a grande fonte desses minerais e uma boa dieta ajuda quem tem crises leves e moderadas a amenizar os incômodos em até 60%.
Mas, para perceber os efeitos, não basta incluir ou retirar alguns alimentos do cardápio. Para o médico, quem sofre muito com a TPM deve fazer testes para verificar se existem carências de vitaminas e minerais ou se existe alguma sensibilidade a certas comidas.
Além do teste de intolerância alimentar, recomendo, para os casos mais graves, a eliminação total de leite e derivados, a redução da carne vermelha e da cafeína, e o aumento da ingestão de frutas, verduras cruas, água e suco de maracujá.
Uma dieta rica em açúcar, gordura, sal e bebidas alcoólicas costuma piorar todos os sintomas da TPM. Para ela, as mulheres devem eliminar esses alimentos da dieta e incluir as principais fontes de vitamina B6 e magnésio na alimentação diária.
Nozes, lentilha, couve, soja, azeite de oliva, arroz integral, peixe assado e banana são os melhores amigos da mulher. Mas não adianta ingerir esses alimentos uma vez ou outra. O certo é manter a alimentação equilibrada durante todo o mês. Por mais difícil que seja a medida, os refrigerantes, as frituras e o chocolate também sejam banidos do cardápio.
Esses alimentos têm a capacidade de ampliar os sintomas da TPM, e a mulher vai acabar se sentindo mal, mesmo achando que aquele chocolatinho ou aquele refrigerante com gelo vão fazê-la se sentir melhor. Uma dica é trocar o chocolate comum pelo de soja. Além de mais saudável, a soja contém fito-estrogênios, que ajudam a regular essas oscilações hormonais. As mulheres que sofrem com a TPM devem dar atenção redobrada ao intestino.
A alimentação vai influenciar diretamente o funcionamento do intestino, que é onde está a maior produção de serotonina do corpo. Quando a mulher está com o intestino preso, ela sofre duas vezes. Vai ter uma baixa de serotonina e ficar de mau humor, irritada, chorosa, impaciente e emocionalmente descontrolada, e vai sofrer com cólicas, dores, gases e desconforto na região abdominal. Suplementos ajudam regular compulsão por doces É melhor evitar o chocolate, o corpo feminino é programado para procurar alimentos que suprem a carência de vitaminas e minerais nessa fase. É por isso que quem sofre com a TPM geralmente cai de boca em um chocolatinho.
O cérebro tem memória química e sabe perfeitamente que tipo de alimento ele precisa para fazer o corpo se sentir melhor. O chocolate é uma fonte de minerais que geralmente estão em falta na mulher e ainda ajuda a descarregar grandes quantidades de serotonina e endorfina.
Mas como o chocolate é recheado de açúcar e gordura, seu efeito geralmente dura pouco e o mal-estar pode voltar em dobro. Por isso, o ideal é buscar suplementos que suprem as carências do organismo. Entre os mais indicados para a TPM estão o hipericum perfuratum, os complexos de vitamina B6, triptofano, taurina e cálcio e magnésio quelados, a passiflora e o óleo de prímula.
Em 90% dos casos, as compulsões podem ser resolvidas com a associação de medicamentos e boa alimentação. Geralmente quem tem compulsões fortes deve procurar o médico para investigar a causa, que pode ser física ou psicológica. Quando ela é descoberta, a boa alimentação e os suplementos vão ser os aliados para manter a paciente estável.

22 de maio de 2008

CUIDADO COM O LANCHE ESCOLAR



Fundamental em todas as fases da vida, uma alimentação balanceada é ainda mais importante durante o período de desenvolvimento escolar. O papel da escola é fundamental para a formação dos hábitos alimentares e da personalidade infantil. A criança passa um terço da vida ativa na escola e, portanto, é durante este período que devem ocorrer as orientações em direção aos bons hábitos. Uma alimentação inadequada durante esse período de formação resultará em complicações na vida adulta.
Carências nutricionais específicas, com alterações sensíveis no peso, para baixo ou para cima, mais comumente levando ao sobrepeso, podem ser sinais de que existe algo errado com o lanche que as crianças comem na escola. As refeições e lanches servidos no recreio têm relação direta com a obesidade. É importante que as crianças comam um lanche balanceado. Salgadinhos, hambúrgueres e refrigerantes são os principais causadores da obesidade infantil.
A obesidade na infância tornou-se comum e é uma preocupação constante. A reeducação dos hábitos alimentares deve partir primeiramente da família da criança e, além disso, é necessária a implantação de momentos de educação alimentar nas escolas. Crianças acima do peso vivem em constante sofrimento psicológico, pois também sofrem com a discriminação. Se não tratados corretamente, o lado psicológico influenciará no rendimento escolar e no convívio social.
Para brincar, fazer exercícios e estudar é necessário uma reposição de energia freqüente e, por isso, os alunos não devem permanecer longos períodos em jejum. Um lanche saudável durante o recreio ajuda a criança a aprender melhor, a assimilar as informações e a desenvolver a capacidade de interação pedagógica. Para a reposição de líquido, sucos, chás ou água de coco são boas opções. Já os refrigerantes devem ser evitados.
Fonte de carboidratos, pães, bolachas e bolos são nutritivos em relação à energia, mas devem ser consumidos em quantidades controladas, segundo ele. No caso das proteínas, responsáveis pela manutenção dos tecidos do corpo e pelo bom funcionamento do sistema imunológico, os lácteos, como os queijos, iogurtes e frios, também são indicados. As frutas sempre devem estar presentes. Ricas em vitaminas, sais minerais e fibras, elas exercem diferentes funções orgânicas e ajudam no funcionamento intestinal. Banana, maçã, pêra, uva e mexerica são práticas porque podem ter a casca retirada com facilidade ou mesmo ser consumidas com ela.
O cardápio deve ser balanceado, assim como o valor nutricional da alimentação escolar. De acordo com o cálculo recomendado pela Organização Mundial da Saúde cada criança tem uma necessidade nutricional diferente. A alimentação durante o recreio é fundamental para 15% das crianças com permanência de 4 horas/dia e para 66% das crianças com permanência de 8horas/dia na escola. O segredo está nas combinações feitas entre as variedades dos alimentos.
O ideal é equilibrar toda a alimentação ao longo do dia. Os lanches consumidos na escola devem ser estrategicamente pensados para não influenciar negativamente nas principais refeições. Cardápios coloridos, variados e atraentes estimulam a criança. O mais importante é cortar os salgadinhos e refrigerantes. Além de não fazer bem à saúde, ocasionam distúrbios metabólicos, como o colesterol e a glicemia, e favorecem a obesidade.

ALIMENTAÇÃO CORRETA AUXILIA NA REDUÇÃO DA CELULITE




Substâncias antiinflamatórias presentes nos alimentos combatem os furinhos. Enquanto alguns alimentos ajudam a melhorar o aspecto da celulite, outros são um veneno para o organismo. Isso porque, durante o processo de digestão, eles liberam substâncias que sobrecarregam e inflamam as células do corpo.

Confira abaixo as dicas para diminuir a retenção de líquidos, perder alguns quilinhos e amenizar a celulite:

Dicas para diminuir a celulite

>> Procure comer diariamente leguminosas como feijões (vermelho, preto e carioca), lentilhas ou grão de bico, que são bons substitutos para o arroz, a batata e a massa e ajudam a manter os níveis de insulina equilibrados, evitando que as células fiquem inflamadas e virem celulite. As leguminosas são ricas em fibras que ajudam a regular o intestino.

>> Prefira vegetais como brócolis, couve flor, couve, couve de bruxelas, repolho, rúcula, folhas de mostarda e rabanete. Eles têm propriedades que estimulam a circulação sangüínea e linfática. Mas atenção, o ideal é que eles sejam cozidos no vapor por até três minutos, senão perdem o poder curativo.

>> Tempere seus pratos com canela, açafrão, cravo, noz moscada, louro, pimenta chilli ou vermelha, orégano, salsa, alecrim, hortelã, alho e limão. Diferentemente do sal, do açúcar e dos adoçantes, eles possuem ação antiinflamatória e antioxidante.

>> Beba no mínimo dois litros de água por dia, de preferência fora das refeições. Quando o corpo está desidratado, nosso metabolismo cai em cerca de 3%. Evite os refrigerantes, sucos de caixinha ou lata, mate, mesmo nas versões dietéticas, já que contêm aditivos químicos, que sobrecarregam nosso organismo gerando mais inflamação.

>> No lugar das bebidas industrializadas, aumente o consumo de suco de lima da pérsia, melão e melancia, assim como de chá de cavalinha (uma xícara por dia) e chá verde (duas xícaras por dia) para melhorar a circulação linfática e reduzir o acúmulo de líquidos no corpo.

>> Frutas vermelhas como cereja, amora, uva preta, açaí, framboesa e morango contém protoantocianidina, uma substância que ajuda a fortalecer os vasos sangüíneos e linfáticos. Consuma proteínas magras de boa qualidade. O salmão é um aliado pois é rico em DMAE, substância que melhora o tônus muscular.

>> As gorduras "do bem" também ajudam a desinflamar o organismo. Elas estão presentes no óleo e na farinha de linhaça, no azeite extra virgem, nas amêndoas, castanhas, abacate, azeitona e gergelim. Além disso, as gorduras boas fortalecem as membranas celulares (impedindo que elas fiquem no formato irregular que leva à celulite) e estimulam a produção de colágeno, essencial para manter a pele firme.

>> Risque do cardápio os doces, macarrão e pães feitos com farinha branca, frituras, queijos amarelos, embutidos e produtos industrializados com gordura hidrogenada ou trans e adoçantes artificiais ou xarope de milho.


20 de maio de 2008

COMO PREPARAR 10 ALIMENTOS E PRESERVAR SEUS NUTRIENTES - PARTE I





Cenoura

À primeira vista, a cenoura crua parece mais saudável. Mas, se a idéia é aproveitar o betacaroteno (pró-vitamina A, de ação antioxidante), o ideal é servir o vegetal cozido e regado com azeite. Isso porque as moléculas de betacaroteno estão envolvidas por fibras e por moléculas de água. O cozimento amolece essas fibras e diminui a quantidade de água, abrindo espaço para o betacaroteno e deixando-o mais acessível ao organismo. No cozimento em água, só uma pequena parte da pró-vitamina A se perde -aquela que é hidrossolúvel (solúvel em água). Como a maioria dessas moléculas são lipossolúveis (solúveis em gordura), elas se conservam. É por isso também que regar a cenoura com azeite aumenta sua biodisponibilidade. O vegetal pode ser cozido no vapor, o que conserva melhor as substâncias hidrossolúveis e não deixa o alimento amolecer demais. Quando a cenoura for consumida crua, o ideal é ralá-la em ralo fino, misturá-la bem com azeite e deixá-la descansar por cerca de meia hora.


Brócolis

A hortaliça é da família das crucíferas, ricas em fibras e em glucosinolato, com potencial efeito contra o câncer. Para ser digerível, precisa ser cozida, mas, nesse caso, a idéia é submeter ao mínimo de calor para maior preservação das fibras. Uma forma de fazer isso é, após cozer no vapor, branquear o vegetal (submetê-lo a choque térmico para interromper o cozimento). O mais comum é mergulhá-lo na água fria ou deixá-lo sob água corrente. Porém, para preservar melhor os nutrientes, passe o brócolis para um saco plástico e coloque-o em uma bacia com pedras de gelo -assim, não entra em contato com a água e as substâncias presentes no alimento não migram para ela. Saltear o brócolis (fritá-lo rapidamente, com pouco óleo, sacudindo a panela) também é bom para a saúde. Assim, o tempo de contato com o calor é pequeno, diminuindo a perda de nutrientes.


Tomate

Embora o tomate tenha algumas vitaminas hidrossolúveis, hoje a sua substância mais valorizada é o licopeno, por atuar contra alguns tipos de câncer, como o de próstata e o de mama. Como a água está presente em grande quantidade no tomate e o licopeno não se dilui nela, a substância é menos disponível no alimento cru. Já o calor faz com que parte dessa água evapore, facilitando a absorção do antioxidante. E, por este ser solúvel em gordura, acrescentar óleo vegetal aumenta a sua biodisponibilidade. Nesse caso, a cocção prolongada é bem-vinda. A melhor forma de aproveitar o licopeno é preparar um molho de tomates usando azeite. O tomate deve estar maduro. Quando verde, é rico em fitatos, que dificultam a absorção de outros nutrientes. Para afastar preocupações com os agrotóxicos, deve ser lavado e escovado. Outra dica é comprar o tomate não totalmente maduro (mas não verde) e usá-lo após uma semana. Como a meia-vida dos agrotóxicos usados não dura mais do que isso, eles tendem a se dissipar. Para diminuir a acidez, tire a pele e as sementes, que contêm ácido cítrico, antes de fazer o molho. Uma forma de consumir o tomate cru e aumentar a disponibilidade do licopeno, embora não tanto como no molho, é o gaspacho, sopa fria típica da Espanha. Ao bater o tomate no liquidificador, quebram-se algumas moléculas de água que prendem as de licopeno, e o azeite melhora a sua condução.
Leite

A fervura do leite mata microorganismos prejudiciais à saúde. Mas, no leite pasteurizado, esse processo já foi feito. Além de ser dispensável fervê-lo de novo nesse caso, isso pode fazer com que algumas proteínas se percam. Na fervura, a lactoalbumina, principal proteína do leite, passa de líquida para sólida. Com o calor, ela incorpora moléculas de oxigênio, formando a espuma que sobe. Se o leite transbordar, é proteína que se perde. Quando o leite esfria, a lactoalbumina solidificada vira uma película na parte de cima. Embaixo, grudada nas paredes da leiteira, fica outra proteína, a caseína. Não descarte essas películas: com elas, vão-se parte das vitaminas e dos minerais.


Ovo
A proteína do ovo, considerada excelente, não se altera se o alimento é cozido ou frito. Mas, se a cocção for excessiva, ele pode perder aminoácidos importantes e outros nutrientes. E a digestibilidade da proteína é menor se ela for aquecida por muito tempo. Para não haver quase nenhuma perda nutricional, o ideal é cozinhar o ovo por três a quatro minutos. Quem gosta de ovo duro pode cozinhá-lo por até sete minutos, para que a perda seja pequena. O que não se recomenda é esquecer o ovo na panela por mais de dez minutos. Nesse caso, surge ao redor da gema um anel escuro. É o ferro que migrou do centro da gema e se ligou aos aminoácidos sulfurados do ovo. Essa ligação não faz mal, mas torna o mineral menos disponível.

COMO PREPARAR 10 ALIMENTOS E PRESERVAR SEUS NUTRIENTES - PARTE II

Arroz integral
Fonte importante de fibras e vitaminas, esse alimento só se torna digerível após ser cozido e hidratado. Para conservar seus nutrientes, não lave o arroz. Possíveis resíduos podem ser retirados manualmente. No caso do arroz integral, não se recomenda refogar os grãos antes, como é feito com arroz polido. Isso porque a casca do arroz integral, além de manter os nutrientes do cereal, dificulta a entrada da água que hidrata o amido para que ele possa ser digerido. O processo de refogar deixa mais dura a parte externa e, assim, faz com que o cozimento demore mais.
Feijão

Rico em minerais, em fibras e em proteínas, o feijão precisa ser hidratado não só para melhorar a digestibilidade mas também para diminuir a concentração de fitatos, que dificultam a absorção de minerais. Porém, como parte dos nutrientes é hidrossolúvel, se essa água for descartada, eles serão perdidos. Uma alternativa é usar a água em que o feijão ficou de molho para o cozimento. Outra, que conserva ainda mais os nutrientes e acelera o tempo de preparo, é colocar o feijão na panela de pressão, cobrir com água e levar, sem a tampa, ao fogo. Quando a água começar a ferver, retire a panela do fogo e tampe-a. Deixe descansar por uma hora. Depois, complete com água quente (a fria fará o feijão endurecer) e um pouco de óleo (para evitar a formação de espuma) e leve ao fogo, na pressão, por 20 minutos.

Ervas e especiarias

As ervas aromáticas e as especiarias têm propriedades antimicrobianas -matam microorganismos que deterioram os alimentos (principalmente proteínas). Por isso, é interessante usá-las em marinadas para carnes, aves e peixes. Uma dica para uma erva comum na culinária brasileira, a salsinha: ela é uma ótima fonte de vitamina C. Porém, essa vitamina se perde facilmente com o calor. Para aproveitá-la, adicione a salsinha, picada na hora, depois que a receita estiver pronta. Misturada ao alimento, mesmo após ele ser retirado do fogo, ela acrescenta aroma e sabor.
Frutas Vermelhas

Essas frutas são ricas em flavonóides, especialmente as antocianinas, fitoquímicos muito estudados por sua ação protetora contra vários tipos de câncer. Nesses alimentos, o consumo sem processamento é o melhor. Em alguns casos, o álcool ajuda a preservar e a extrair alguns componentes antioxidantes. É o que acontece no vinho tinto. Pesquisas apontam que misturar as frutas com uma pequena quantidade de álcool, como em um coquetel, também tem esse efeito. Se não puder consumir o alimento fresco, as formas mais vantajosas nutricionalmente são a fruta congelada inteira ou a polpa feita em casa. Para isso, bata as frutas no liquidificador, com o mínimo de água (se for necessário) e guarde a pasta obtida no congelador em potes com tampa.

Peixes
Fonte de proteínas de qualidade e de ótima digestibilidade, o peixe é rico em ômega 3, ácido graxo que contribui para o aumento do colesterol "bom" (HDL). Para aproveitar melhor a gordura do peixe, o ideal é prepará-lo com a pele -boa parte da gordura fica entre a pele e a carne e, com o calor, parte dessa camada oleosa se entranha no peixe. Ganha-se no aspecto nutricional e a carne fica mais macia e úmida. Quando o peixe é frito, a absorção de ômega 3 diminui, porque o peixe absorve ômega 6, presente no óleo. Este também tem sua importância nutricional, mas, na fritura, compete com o ômega 3. Portanto, é melhor preparar o peixe assado, embrulhado em papel-alumínio ou papel-manteiga. Assim, o calor se propaga homogeneamente e o tempo de cozimento não é muito longo.

15 de maio de 2008

A IMPORTÂNCIA DOS ANTIOXIDANTES




Embora a ciência da alimentação/nutrição não seja uma ciência exata, há princípios baseados em estudos, experiências e evidências que vão servindo como guias orientadores para uma melhor alimentação com vista a uma melhor saúde.
À luz dos conhecimentos atuais, e até que se prove o contrário, os antioxidantes de que tanto se ouve falar são, efectivamente, elementos indispensáveis na nossa alimentação diária.
O que são, afinal?
São substâncias que ajudam a combater os radicais livres que se formam durante os processos celulares e que são responsáveis pelo envelhecimento precoce, por doenças cardiovasculares ou certos tipos de cancro. Quando se tem hábitos de vida saudáveis e se faz uma alimentação que inclui uma variedade de alimentos frescos, sobretudo hortícolas e frutos, há maior probabilidade de o organismo estar protegido contra esses elementos nocivos. Nesta situação, as substâncias antioxidantes que ingerimos juntamente com as que o organismo produz poderão ser suficientes para minimizar o seu efeito nefasto. Mas, com a quantidade de poluentes a que estamos sujeitos, com a alimentação desequilibrada e excessiva a que nos sujeitamos, a que muitas vezes se junta o consumo de tabaco, bebidas alcoólicas e gorduras, a quantidade de radicais livres que se forma é muito superior aos antioxidantes que o organismo consegue produzir, conduzindo ao seu excesso. No fundo, quanto maior for o número e prevalência destes factores de oxidação, maior deverá ser a ingestão de alimentos ricos em antioxidantes.
Onde existem?
Embora os possamos encontrar na forma de suplementos, o ideal será ingeri-los através dos alimentos para obviar algum risco de sobredosagem com riscos para a saúde. No grupo dos antioxidantes encontramos as vitaminas A, C e E, selénio, zinco e polifenóis.
O vinho tinto, as uvas, o chá verde, o cacau, o azeite e as azeitonas são alguns exemplos de alimentos ricos em polifenóis. As vitaminas encontram-se sobretudos em produtos hortícolas e frutos, a vitamina A encontra-se predominantemente em frutos ou alimentos de cor amarela ou laranja e nalguns peixes e a C predomina em frutos e hortícolas vermelhos ou verde-escuros. Podemos encontrar a vitamina E no azeite e óleos vegetais e em frutos oleaginosos como as nozes, amêndoas, etc. O zinco encontra-se nos frutos secos bem como em cereais integrais e marisco, e o selénio no ovo e cereais pouco refinados.
Quantas porções devemos ingerir?
Para que a alimentação seja equilibrada, o que significa consumir nas quantidades recomendadas todos os nutrientes indispensáveis à manutenção da vida e da saúde, não devemos privilegiar um grupo específico de alimentos. A recomendação, no que toca ao consumo de antioxidantes, diz que, do grupo das frutas e legumes, devemos consumir, no mínimo, cinco porções por dia, o que equivale a três frutas e 200 g de legumes ou 300 g de legumes e duas frutas.
O grande segredo está em variar! Não devemos cair no erro de privilegiar um ou dois alimentos em detrimento dos outros, sob pena de podermos vir a ter, em simultâneo, excesso de uns nutrientes e carência de outros.

13 de maio de 2008

DIETA FUNCIONAL - PARTE I



Cada vez mais, inúmeros itens que estão à disposição nas prateleiras do supermercado e na feira podem ser grandes aliados de sua saúde. Uns são velhos conhecidos, outros acabaram de chegar. Saiba como eles agem para que seu organismo funcione da melhor forma, garantindo, assim, um dia-a-dia saudável e cheio de energia.
Sabe aquela propaganda que lhe promete devolver o dinheiro caso o iogurte não faça seu intestino funcionar como um relógio? Pois esse é um exemplo de alimento funcional, batizado de probiótico. Há ainda o prebiótico e o simbiótico. E não se pode esquecer dos itens enriquecidos com vitaminas e minerais, como os achocolatados infantis. Fora os famosos light, diet e zero, dentre outros. Alguns desses termos são desconhecidos para você? Pois a NUTRICORPO traduz o “nutricionês” para que, na hora de comprar e montar o cardápio para sua família, você saiba por que determinado alimento deve ser mais ou menos consumido e descubra os benefícios que ele traz para a saúde de todos. Vamos lá?
Para prevenir doenças Alimentos funcionais são aqueles que possuem um ou mais ingredientes ou componentes ativos que desempenham determinados efeitos metabólicos, fisiológicos ou benéficos na saúde, prevenindo ou reduzindo o risco de doenças crônico-degenerativas, como as cardiovasculares, o câncer, o diabetes e a hipertensão, dentre outras.
A aveia, a soja e o azeite de oliva, por exemplo, ajudam a reduzir o colesterol ruim, o chamado LDL. Mas é preciso consumi-los em certa quantidade, aquela que comprovadamente vai beneficiar a saúde e o bem-estar físico. No caso da aveia, são necessárias quatro colheres de sopa de farelo de aveia por dia. Quanto à soja, o ideal é o consumo diário de pelo menos uma xícara do grão cozido. Em relação ao azeite, basta uma colher de sopa.
É importante deixar claro que os alimentos funcionais não curam, mas reduzem o risco de doenças. Isto é, esses alimentos são excelentes armas para prevenir doenças e manter a saúde. E mais: para consumi-los, não há necessidade de supervisão médica.
Porém, o consumidor deve tomar cuidado na hora de comprar esses alimentos, ficando atento ao rótulo. Muitos produtos não contêm o componente funcional na quantidade adequada. As bebidas de soja aromatizadas, por exemplo, geralmente possuem apenas 1 ou 2 gramas de proteína de soja por porção. Mas, para ajudar a diminuir o colesterol, o ideal seria que a porção apresentasse pelo menos 6,25 gramas dessa proteína. Conclusão: para o alimento realmente ‘funcionar’, deve conter a quantidade mínima para favorecer a saúde do consumidor.
Dieta funcional Cada vez mais, inúmeros itens que estão à disposição nas prateleiras do supermercado e na feira podem ser grandes aliados de sua saúde. Uns são velhos conhecidos, outros acabaram de chegar. Saiba como eles agem para que seu organismo funcione da melhor forma, garantindo, assim, um dia-a-dia saudável e cheio de energia.

DIETA FUNCIONAL - PARTE II




FUNCIONAIS

Aveia

Ajuda a diminuir o colesterol ruim, o LDL, e melhora a prisão de ventre (fator de risco para o câncer de intestino). O consumo diário recomendado é de três colheres (sopa) de farelo de aveia ou quatro colheres (sopa) de aveia.

Soja

Cerca de uma xícara (chá) de grãos cozidos por dia ajuda a diminuir o nível do LDL, a reduzir o risco de doenças cardíacas, a regular o bom funcionamento do intestino, a amenizar incômodos da menopausa e a prevenir o câncer de mama e de próstata.

Tomate

Assim como a melancia, o tomate é rico em licopeno, poderoso antioxidante que contribui para o fortalecimento do sistema imunológico e ajuda reparar os danos às células causados pelos radicais livres. É recomendável consumir 1/2 xícara de molho de tomate por dia.

Alho

Reduz a pressão arterial e protege o coração, ao diminuir a taxa do colesterol ruim, o LDL, e aumentar a do colesterol bom, o HDL. Pesquisas indicam que pode ajudar na prevenção do câncer gástrico ao inibir a ação da Helicobacter pylori, uma bactéria precursora desse tipo de câncer. Dois dentes por dia é o ideal.

Chá verde

Retarda o envelhecimento, ajuda na prevenção de tumores malignos e de doenças coronárias, além de prevenir pedras nos rins. Auxilia também no emagrecimento, pois possui polifenóis, substâncias que, combinadas com a cafeína presente no chá, aceleram o metabolismo. Tome de três a quatro xícaras por dia.

Uva vermelha

Portadora da substância resveratrol, também presente no vinho tinto seco ou no suco de uva vermelha puro, auxilia a aumentar o colesterol bom e evita o acúmulo de gordura nas artérias, prevenindo as doenças do coração. Podem-se beber dois copos de suco de uva puro ou uma taça de vinho tinto seco por dia.

Azeite de oliva

Basta uma colher (sopa) por dia para usufruir dos seus benefícios. São eles: redução do colesterol ruim e do risco de doenças do coração. Mas atenção: prefira o azeite extra-virgem.

Castanha-do-Pará

Assim com a noz, o pistache e a amêndoa, auxilia na prevenção de problemas cardíacos. É rica em selênio, mineral antioxidante que ajuda também a combater a ação dos radicais livres, reduzindo o risco de câncer. A quantidade ideal é duas a três castanhas por dia.

Peixes

Sardinha, salmão, atum e bacalhau contêm ômega-3, que previne infartos e protege o coração ao reduzir o colesterol ruim, o LDL, e aumentar o bom, o HDL. Esses peixes diminuem dores de artrite e atenuam depressão. Devem ser consumidos de duas a três vezes por semana.


DIETA FUNCIONAL - PARTE III



DIET, LIGHT E ZERO

É preciso prestar muita atenção na hora de comprar um item diet, light ou zero. A pessoa precisa ler o rótulo com atenção. Light e zero não são a mesma coisa. Os produtos light contêm baixos teores de calorias, apresentando 25% a menos de açúcar, gordura ou outro nutriente em sua composição, enquanto nos itens zero, um ingrediente foi retirado 100%, como é o caso das gorduras trans em margarinas ou açúcar em refrigerantes.
Também no caso dos alimentos diets, próprios para pessoas com restrições alimentares como os diabéticos e hipertensos, determinado ingrediente é removido por completo. Em produtos para hipertensos, elimina-se o sódio. Para diabéticos, todo o açúcar. Em alguns alimentos em que o açúcar é retirado, aumenta-se a quantidade de gordura para compensar o sabor – caso do chocolate. Por isso, muitos itens dietéticos não são adequados para quem está fazendo regime, por exemplo.

ENRIQUECIDOS OU FORTIFICADOS

Também conhecidos como “adicionados de nutrientes essenciais”, são alimentos industrializados que recebem adição de certos minerais, vitaminas ou aminoácidos como cálcio, ferro, vitamina C, arginina, leucina, dentre outros. É um recurso muito utilizado em itens como a farinha de trigo (adição de ferro e ácido fólico) e o sal (adição de iodo). Também enriquecidos são os itens próprios para o público infantil, como os achocolatados e os sucos com vitamina C. Em todos esses casos, segundo a especialista, o objetivo é reforçar o valor nutritivo e prevenir ou corrigir deficiências na alimentação da população. Esses alimentos não são considerados funcionais.
NA HORA DE COMPRAR, FIQUE ATENTO AO RÓTULO. MUITOS PRODUTOS NÃO CONTÊM O COMPONENTE FUNCIONAL NA QUANTIDADE ADEQUADA PARA REALMENTE “FUNCIONAR” E FAVORECER SUA SAÚDE



DIETA FUNCIONAL - PARTE IV



PIRÂMIDE FUNCIONAL
Na base, em que estão os carboidratos, a pessoa deve apostar em alimentos elaborados com grãos integrais como aveia, farelo de trigo, centeio, etc. Uma pizza cuja massa leva farelo de trigo é muito mais saudável. Em seguida, vêm as frutas e hortaliças. Frutas, o ideal é consumir de três a quatro porções diárias. Pode ser uma banana, meio mamão e cinco uvas, por exemplo. Já em relação às hortaliças, são recomendados dois pratos de salada, compostos por folhas, brócolis, repolho, couve-flor e ervas, como cebola e alho. Subindo um pouco mais, encontramos as carnes e as leguminosas. Nesse nível, é preferível apostar em peixes, de preferência os ricos em ômega-3, e em aves sem pele, cozidas ou grelhadas, e também em feijão, ervilha, lentilha etc. – a recomendação é duas porções ao dia. Nesse “andar”, também estão os laticínios, e a ordem é consumir leites desnatados ou fermentados e iogurtes com baixo teor de gordura. Os laticínios devem ser consumidos uma a duas vezes ao dia pelo menos. No topo da pirâmide, estão as gorduras, o açúcar e os doces, cujo consumo deve ser moderadíssimo.
PREBIÓTICOS
Considerados funcionais, possuem ingredientes vegetais não digeríveis pelo organismo. Traduzindo: têm configuração molecular que os torna resistentes à ação de enzimas na hora da digestão. O que eles fazem? Auxiliam na manutenção da flora intestinal; estimulam o trânsito intestinal, contribuindo para a consistência normal das fezes, prevenindo assim a diarréia e a constipação intestinal; colaboram para que o intestino absorva só as substâncias necessárias, eliminando o excesso de glicose (açúcar) e colesterol, favorecendo a diminuição do colesterol e dos triglicérides totais no sangue; e estimulam o crescimento das bifidobactérias, que inibem a ação de bactérias formadoras de substâncias tóxicas.
Exemplos de prebióticos são os frutooligossacarídeos (FOS) e a inulina, muito utilizados atualmente pela indústria de alimentos em seus produtos. Os frutooligossacarídeos estão presentes em alimentos de origem vegetal, como cebola, alho, tomate, banana, cevada, aveia, trigo e mel. A inulina é extraída principalmente da raiz da chicória e pode ser consumida por diabéticos como substituto do açúcar por conter de 1 a 2 kcal/g. Ela também está no alho, cebola, aspargos e na alcachofra.
PROBIÓTICOS
Os probióticos também são batizados de funcionais. Possuem microorganismos vivos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos no funcionamento do intestino – esses organismos são adicionados aos alimentos, como leites fermentados e iogurtes. As mais conhecidas bactérias que exercem essa função são a Bifidobacterium e o Lactobacillus, em especial o Lactobacillus acidophillus. Elas agem produzindo compostos como as citoquinas e o ácido butírico, que são antimicrobianos e antibacterianos, ou seja, favorecem a presença de bactérias benéficas no organismo e diminuem a concentração daquelas indesejáveis. Os probióticos aumentam de maneira significativa o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos porque permitem que o organismo absorva melhor, principalmente, as vitaminas do complexo B, os aminoácidos, o cálcio e o ferro. Também ajudam a fortalecer o sistema imunológico.
SIMBIÓTICOS
Um alimento simbiótico é aquele que combina substâncias prebióticas com microorganismos com ação probiótica. Seria o mesmo que adicionar inulina e bifidobactérias em um único alimento. Estudos mostram que essa combinação é mais eficaz do que o uso em separado de prebióicos e de probióticos. Na prática, as pessoas podem adotar um cardápio simbiótico, alternando itens prebióticos e probióticos diariamente.
É importante deixar claro que os alimentos funcionais não curam, mas, sim, reduzem o risco de doenças !!!!

DIETA FUNCIONAL - PARTE V



Sem adição de açúcar: atenção, aos rótulos que divulgam essa informação. Pode ser que o produto realmente não tenha açúcar na lista de ingredientes, mas outras vezes ele aparece com outros nomes como xarope de milho, sacarose, mel, frutose, xarope de glicose ou alguns tipos de adoçantes como sorbitol e manitol. Se o objetivo é cortar calorias, antes de comprar confira se o alimento contém estes componentes.

Fonte de vitaminas: a portaria 31 da Anvisa, de 1998, diz que alimentos enriquecidos são aqueles incrementados de nutrientes essenciais. Mas antes de consumir um leite que afirma ser enriquecido com cálcio, confira se ele possui a proporção correta desse componente por porção. O valor mínimo obrigatório para uma bebida ser considerada enriquecida é 15% da substância para cada 100 ml. Se o alimento for sólido, o número sobe para 30% em cada 100g.

Livre de gordura trans: mesmo com a obrigatoriedade que a portaria 370 da Anvisa impôs para que todo produto industrializado declare a quantidade de gordura trans no rótulo, muitos fabricantes ainda não explicitam essa informação aos consumidores. Uma forma de resolver isso é verificar a quantidade de gordura vegetal hidrogenada presente no alimento, ela é a gordura trans.

DESVENDE O RÓTULO


Tamanho das porções: desde 2003 o órgão que define a medida das porções é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por meio da portaria 360. Os valores de referências são baseados em uma dieta de 2.000 calorias por dia, a quantidade normal para uma pessoa. Sucos e outras bebidas utilizam a medição de 200 ml (ou 1 copo), já pães e doces, 30 gramas. Mas não se assuste se você comprar duas caixinhas com a mesma quantidade de suco, e elas tiverem valores calóricos diferentes. Um fabricante pode estar usando as calorias da porção individual, enquanto outro usa o valor da embalagem inteira. Faça as contas para saber qual marca é mais benéfica para você.

Não contém glúten: você já deve ter percebido que muitos alimentos destacam essa frase em seus rótulos. Isso porque uma lei federal (n° 8.543) de 23/12/1992 exige que todo produto industrializado indique se há a substância (presente em alimentos como aveia, cevada, centeio e/ou seus derivados) ou não. A resolução visa alertar os consumidores com doença celíaca, que não podem consumir glúten.

Cuidado com as pegadinhas!

SEM COLESTEROL: Alguns óleos vegetais estampam frases como esta na embalagem. “Isso é uma pegadinha, pois qualquer alimento de origem vegetal não tem colesterol. O fabricante não pode usar essa informação como um diferencial na venda”, declara Ana Beatriz.

NÃO CONTÉM CONSERVANTES: muitos produtos realmente não trazem nenhum tipo de conservante em sua composição, mas outros usam diferentes aditivos químicos em sua composição – como acidulantes, antioxidantes e corantes – para intensificar gostos e aromas. Por isso, fique de olho no rótulo!

100% NATURAL: produtos industrializados dificilmente conseguem ser 100% natural. Isso porque eles normalmente usam conservantes e corantes em sua composição. Antes de comprar, certifique-se de que o produto não tenha nenhum componente químico.


12 de maio de 2008

INDICAÇÕES DE USO DA QUINUA



CRIANÇAS E ADOLESCENTE EM FASE DE CRESCIMENTO

A porcentagem de energia liberada pelo ácido linoléico nas sementes de Quinua é 10%, maior, que é mais alta recomenda pela Academia Americana de Pediatria , para alimentos infantis, onde o conteúdo mínimo é 2,7% de energia na forma de ácido linoléico
Lisina (Contém 1,4 vezes mais que a soja, de 2,5 a 5,0 mais que o milho, 20,6 mais que o trigo e 14,0 mais que o leite.) está relacionada ao desenvolvimento da inteligência, rapidez de reflexos e outras funções como a memória e aprendizagem

CELÍACOS

(Intolerantes ao glúten) A doença celíaca é a intolerância total e permanente a proteínas contidas no Glúten e presente nos seguintes cereais:Trigo,Aveia, Cevada e Centeio. Essas proteínas afetam diretamente o intestino delgado, encarregado da absorção dos nutrientes que como conseqüência não cumpre com essa função.

ATLETAS

Os aminoácidos são precursores das proteínas necessárias para um melhor rendimento e elasticidade das fibras musculares. Ideal para quem quer ganhar ou cultivar músculos. Na recuperação de tecidos e células e na produção de hormônios e enzimas.

MULHERES

Por conter fitoestrógenos substâncias que previnem enfermidades crônicas como osteoporose, câncer de mama, enfermidades do coração e outras alterações femininas ocasionadas pela falta de estrógenos durante a menopausa.

ATUA

Na redução de danos gastrointestinais, na integridade do sistema imunológico, na regulação das funções cardiovasculares, nos processos de cicatrização e como normalizador da próstata e órgãos reprodutores masculinos.

COMBATE


Anemias,Problemas urinários, Tuberculose, problemas de fígado, Desnutrição crônica, Osteoporose, etc...

INDICADA

Vegetarianos,Diabéticos,Grávidas e Lactantes.

DIETA AJUDA NA RECUPERAÇÃO DO PACIENTE COM DENGUE


A cada dia que passa aumenta o número de pessoas contaminadas pelo Aedes aegypti, o mosquito da dengue. A doença provoca febre alta, dores de cabeça, principalmente na região ocular, nas articulações, músculos e muito cansaço.

Também são comuns sintomas como náuseas, falta de apetite e dores abdominais, podendo ocorrer até diarréia e vermelhidão na pele. Quando esses sintomas aparecem é preciso procurar um médico imediatamente. Em alguns casos, a dengue clássica pode evoluir para o tipo hemorrágico que, se ocorrer, se manifesta de três a cinco dias após a clássica, com reaparecimento da febre. A pele da pessoa fica esbranquiçada e suas extremidades frias.

Podem surgir dores de garganta, no estômago e abaixo das costelas, além de queda de pressão e iniciam-se hemorragias, inicialmente em pequena quantidade.

Para que o doente se recupere o mais rápido possível é fundamental, além do acompanhamento médico, uma dieta adequada, que deve ser de fácil digestão e absorção. O paciente deve fazer uma alimentação à base de frutas e hortaliças variadas e carnes magras são imprescindíveis para aumentar a resistência imunológica e manter o organismo nutrido. Carnes vermelhas magras e frango sem pele são as mais recomendados. Elas devem ser utilizadas em caldos e sopas, batidos ou desfiados com legumes e hortaliças em geral. O consumo de alimentos ricos em ferro como as carnes, frutas e sucos ricos em vitamina C (acerola, laranja, limão) são importantes para aumentar a absorção de ferro pelo o organismo, caso o doente esteja com anemia.

Hidratação

A hidratação também é de extrema importância para quem está com dengue. Além do soro hospitalar e caseiro, o paciente deve tomar muita água e fazer repouso. Chás e até os picolés de frutas também ajudam bastante nesse processo.

É importante, que seja mantida uma rotina alimentar, para que o organismo tenha forças para enfrentar a doença e ficar totalmente recuperado. Mesmo sem apetite, os pacientes devem ser encorajados a consumir pequenas porções de alimentos a cada três horas. Para os muito debilitados existem complementos alimentares enriquecidos com vitaminas e minerais que podem ajudar na recuperação do estado nutricional. Esses complementos podem ser dissolvidos em leite, caldos e sucos. E geralmente são muito bem aceitos pelas pessoas sem apetite.

Na maioria dos casos, segundo o Ministério da Saúde, demora uma semana para o doente ficar bom. O cansaço e a falta de apetite podem desaparecer somente após 15 dias. Mas a recuperação costuma ser total.

ESPINAFRE - BOM PARA AUMENTAR OS MÚSCULOS




Cientistas da Universidade de Rutgers, em Nova Jersey (EUA), afirmam que comprovaram a "tese do marinheiro Popeye" de que comer espinafre ajuda a aumentar os músculos.

Os pesquisadores retiraram esteróides presentes nas folhas do espinafre e analisaram sua ação quando em contato com amostras de tecido muscular humano. A conclusão é que os esteróides da verdura ampliaram a velocidade do crescimento dos músculos em até 20%.

Os cientistas dizem na pesquisa publicada pela revista científica New Scientist que o esteróide atua diretamente sobre proteínas, transformando-as em massa muscular.
Porém, quem desejar contar com a ajuda do espinafre para ficar mais forte deve comer pelo menos 1 quilo da verdura por dia.

11 de maio de 2008

A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA




Quem não quer ficar magro e saudável ??? Infelizmente isso não vem de graça.
Uma regrinha básica é beber água, muita, mas muita água. É obrigatório para quem quer secar o corpinho ou simplesmente para quem está atrás de bem-estar.

A água é um santo remédio....ajuda tudo a funcionar bem da cabeça ao dedão do pé.....e até segura a fome!!!!!!!!!!

É simples ..... cerca de 70% do nosso organismo é formado por água e ela é essencial para tudo, absolutamente tudo no nosso organismo. É ela que ajuda a eliminar toxinas, melhora o funcionamento intestinal, hidrata a pele e até emagrece !!.......porque corpo hidratado queima mais calorias !!!!!!!! Já está gostando da idéia, aposto !!!!!!

Você acha a água ruim, não tem gosto de nada ??? Pra tudo tem um jeito, apele para chás, sucos sem açúcar....

Beba mais água e até sua pele, cabelo e o humor vão melhorar, porque corpinho desintoxicado é mais feliz e a água faz uma faxina e tanto !!!

Para se convencer de vez, pense na diferença entre uma uva e uma uva passa, qual delas você quer ser ???? Então quando for fazer cara feia para ela lembre-se disso !!!!!

Com o tempo você vai aprender a amar um copão de água.


10 de maio de 2008

MELANCIA É FONTE DE UM IMPORTANTE AMINOÁCIDO



Os cientistas do serviço de pesquisa da agricultura (ARS) constataram que a melancia além a conter quantidades abundantes do antioxidante licopeno, é uma fonte excelente do aminoácido citrulina.
Os pesquisadores do ARS de Lane - Oklahoma, e seus colaboradores descobriram que a melancia além de ser fonte de citrulina, é também prontamente biodisponível no organismo. (The Journal of Nutrition (Vol. 23, nº 03, p.261-266, March, 2007)
O corpo humano usa citrulina para fazer um outro importante aminoácido, a arginina, que possui papel chave na divisão celular, em recuperação de feridas e na remoção da amônia do corpo. A fisiologista de plantas, Penelope Perkins-Veazie, de ARS e a nutricionista Julie Collins dizem que a citrulina da melancia pode ser aproveitada biologicamente e a fruta é um dos poucos alimentos que contém níveis elevados desse aminoácido.
Após ter analisado os níveis do aminoácido arginina em voluntários que haviam consumido quantidades diferentes de suco concentrado de melancia, os cientistas observaram que a ingestão aumentou os níveis de arginina do plasma sanguíneo, provavelmente arginina proveniente da conversão da citrulina. Pesquisas médicas estão avaliando atualmente o emprego do aminoácido arginina como possível tratamento para a hipertensão, diabetes e complicações vasculares associadas a essas doenças. Se tais estudos trouxerem resultados positivos, sucos concentrados de melancia poderiam representar uma fonte natural do aminoácido. O licopeno da fruta passa a ser um bônus adicional. Perkins-Veazie está focada agora em encontrar uma maneira de extrair e concentrar o aminoácido citrulina da melancia.

BRÓCOLIS REDUZ RISCO DE CÂNCER AGRESSIVO NA PRÓSTATA, DIZ ESTUDO



Comer brócolis e couve-flor regularmente reduz o risco do homem desenvolver formas agressivas de câncer de próstata, sugere uma pesquisa feita nos Estados Unidos e publicada no Journal of the National Cancer Institute.

A equipe do National Cancer Institute dos Estados Unidos e do Cancer Care de Ontário, no Canadá, questionou sobre os hábitos alimentares de pacientes diagnosticados com a doença. De forma geral, eles observaram que não havia associação entre a ingestão de frutas e verduras e um decréscimo no risco de um homem ter câncer de próstata.

Uma porção semanal de couve-flor foi associada a uma queda de 52% no risco de desenvolver uma forma agressiva da doença; a mesma quantidade de brócolis levaria a uma queda de 45% nesse risco.

A ligação entre o consumo de verduras e a redução no risco de desenvolver câncer de próstata já havia sido demonstrada em outros estudos, mas ainda não haviam sido constatados resultados consistentes. Segundo os cientistas americanos e canadenses, o consumo de espinafre também pareceu estar associado à redução no risco de desenvolvimento de câncer de próstata, mas a melhora não parece ter sido significativa para outros tipos de cânceres "O câncer agressivo de próstata é biologicamente virulento e está associado com prognósticos ruins. Se a associação que nós observamos se revelar causal, uma possível forma de reduzir o impacto dessa doença pode ser a prevenção primária por meio do aumento do consumo de brócolis, couve-flor e possivelmente espinafre", disse a responsável pelo estudo, Victoria Kirsch, do Câncer Care Ontario.

Kirsch ressaltou, no entanto, que os homens que queiram prevenir o câncer não devem apenas comer brócolis e couve-flor, mas devem ter um estilo de vida mais saudável de forma geral.

9 de maio de 2008

ALIMENTOS ESTIMULAM O CÉREBRO


A principal fonte de energia do cérebro é a glicose, obtida dos alimentos ricos em carboidratos. Quem quiser começar o dia com o cérebro em pleno funcionamento deve, então, incluir esse nutriente no café da manhã.

Mas, com tantas fontes de carboidratos disponíveis, qual escolher? É o que mostra uma revisão científica publicada em 2007 pela British Nutrition Foundation, que buscou as relações entre o tipo de carboidrato ingerido nessa refeição e a atividade que é feita logo depois.

Apesar de ressalvar que a evidência dos efeitos de determinados alimentos para atividades específicas não é totalmente clara, o psicólogo responsável pelo estudo, Leigh Gibson, diz que é possível dar algumas sugestões.

"Se a pessoa precisará usar a memória de curto prazo em seguida, sugiro um café da manhã com carboidratos de baixo índice glicêmico, como mingau de aveia, granola ou cereais do tipo "bran" [como o "All-bran" e o "Fibre 1"]", diz o especialista, da Universidade Roe-hampton, em Londres.

Se a previsão for de uma manhã estressante, Gibson aconselha evitar até duas horas antes alimentos com alto índice glicêmico, como pão branco, bebidas açucaradas e flocos de milho -eles podem aumentar a produção do cortisol (o hormônio do estresse), que, em altos níveis, pode prejudicar a memória.

Café, chá ou chocolate estimulam o sistema nervoso central e podem melhorar a concentração, desde que ingeridos sem exagero. "Por serem estimulantes do sistema nervoso, despertam a atenção", afirma a neurologista Maria José Silva Fernandes.

A especialista ainda afirma que cereais enriquecidos com nozes (ou outra fruta seca) --potentes antioxidantes-- são coadjuvantes da boa memória a longo prazo. "A combinação, acrescida de uma fruta rica em betacaroteno, que também tem antioxidantes, traz nutrientes importantes para a memória." Isto é, mamão polvilhado de nozes (60 g semanais) e de granola é uma ótima alternativa para manter a saúde cerebral.

ALIMENTOS PODEM SER ANTIINFLAMATÓRIOS NATURAIS




Adeus medicamentos! Os alimentos vão além da nutrição e tornam-se aliados na batalha contra doenças inflamatórias. O controle da inflamação é feito pelo corpo através de hormônios que a intensificam ou a diminuem a fim de permitir que o processo inflamatório ocorra quando realmente seja necessário, tanto para reparar uma lesão como proteger contra uma infecção. Os alimentos têm efeito importante nos níveis dos hormônios, podendo ativar ou inibir a ação inflamatória.

A dieta rica em alimentos antiinflamatórios pode prevenir e bloquear a inflamação, fortalecendo o sistema imunológico e o equilíbrio de todas as funções básicas do organismo. Entre os alimentos com maior ação antiinflamatória se destacam os ácidos graxos ômega-3, encontrados no azeite de oliva extravirgem e peixes de águas frias (salmão, atum, bacalhau, arenque, cavalinha, sardinha e truta). No organismo, estes ácidos são convertidos em substâncias semelhantes aos hormônios, que reduzem inflamações.

Chá verde, alho, aveia, cebola, crucíferas (brócolis, couve-flor e repolho), semente de linhaça, soja, tomate e uva são alimentos com substâncias bioativas que tem ação na modulação do processo inflamatório e são antioxidantes. Algumas inflamações podem oxidar as células que constituem as paredes do vaso sanguíneo. No entanto, os alimentos antioxidantes podem ajudar a evitar estas lesões.
A inflamação, muitas vezes, pode aumentar o risco de desencadear certas doenças, como: câncer, diabetes, doenças cardiovasculares, obesidade, Alzheimer, alergias e artrite. Para se alcançar o efeito de anular alterações no sistema imunológico, o cardápio de alimentos antiinflamatório deve ser composto de cereais integrais com baixo ou moderado Índice glicêmico (IG) e, conseqüentemente, baixa carga glicêmica.
Batata assada, batata frita, bolos, biscoitos, trigo branco, farinha integral e cream cracker são alguns dos alimentos que apresentam alto índice glicêmico que em vez de inibir a inflamação estimula.

A inflamação não pode ser vista só como ponto negativo. Considerada uma resposta do organismo, ocorre tanto para melhorar um ferimento como proteger contra uma infecção. O processo inflamatório serve como barreira para os microorganismos não penetrarem nas mucosas e feridas de tal forma a comprometer o organismo. Além disso, a inflamação resulta na cicatrização de lesões.

Os hormônios que estimulam a inflamação são sintetizados a partir dos ácidos graxos ômega-6, encontrados em óleo de milho ou girassol, soja, sementes de girassol, gergelim, castanhas e nozes. Os ácidos graxos ômega-6 estimulam a inflamação e os ácidos graxos ômega-3 diminuem o processo inflamatório. Por isso a necessidade de consumi-los em equilíbrio.


CONSUMO DE CAFEÍNA PODE PREJUDICAR DIABÉTICOS




A cafeína pode aumentar o nível de glicose no sangue.

Um estudo realizado por cientistas americanos sugere que o consumo de cafeína entre pacientes de diabetes tipo 2 pode aumentar o nível de açúcar no sangue. Publicada na revista científica Diabetes Care, a pesquisa, realizada na Duke University, nos Estados Unidos, monitorou o nível de açúcar em 14 pacientes diabéticos e sugere que o estimulante pode aumentar o nível de glicose diário em até 8%.

Para realizar o estudo, os cientistas deram dois tipos de comprimidos para os participantes: um placebo e uma cápsula de cafeína, equivalente a quatro xícaras de café. Os participantes alternaram a ingestão das pílulas diariamente e tiveram os níveis de açúcar monitorados através de um sensor de glicose subcutâneo capaz de monitorar os níveis de glicose por um período de até 72 horas.

Impacto da cafeína.
Segundo James Lane, que liderou o estudo, o próximo passo será analisar se uma dieta sem cafeína pode ajudar a controlar o nível de açúcar em pacientes de diabetes 2. Segundo ele, uma das causas do aumento no nível de glicose pode ser a interferência da cafeína no processo que transporta a glicose do sangue para o músculo e outras células do corpo. Além disso, a cafeína pode também ativar a liberação de adrenalina, o que contribui para o aumento no nível de açúcar.

"Meu conselho para os pacientes que estão tentando controlar o nível de glicose e tomam café com freqüência, é tentar parar para ver se alguma diferença é observada", disse. Lane suspeita que a sensibilidade dos pacientes pode influenciar nos resultados da redução no nível de glicose.
De acordo com Cathy Moulton, da ONG Diabetes UK, que trabalha com pacientes diabéticos, o estudo ainda é limitado. "A pesquisa é interessante. No entanto, o estudo examinou apenas uma amostra de dez pessoas em um período de 72 horas, o que é muito pouco", afirmou. "É preciso realizar mais pesquisas antes de pedir aos diabéticos pararem de tomar café", explicou Moulton. "A melhor maneira de controlar o nível de glicose é com uma alimentação saudável e a prática de exercícios", concluiu.

6 de maio de 2008

ALIMENTAÇÃO ADEQUADA REDUZ PROBLEMAS DE ALCOÓLATRAS



As hepatopatias, decorrentes do uso contínuo de álcool, vão desde o "fígado gorduroso alcoólico" até hepatite aguda e cirrose. Para o tratamento desses males é preciso que, além da interrupção do consumo alcóolico, se realize uma dieta específica.


É o que comprova um artigo científico de revisão, publicado na última edição da revista Nutrition in Clinical Practice (Volume 21, número 3). Os pesquisadores afirmam que uma melhoria do suporte nutricional pode contribuir para o restabelecimento das funções hepáticas.

Os benefícios são sentidos nas respostas ao tratamento, no alívio dos sintomas e, por consequência, na qualidade de vida dessas pessoas, já que a doença alcoólica do fígado tem um efeito profundo na ingestão de nutrientes, no status nutricional e no metabolismo, contribuindo para uma maior ocorrência de má-nutrição desses indivíduos.

As últimas estimativas sobre o alcoolismo no Brasil, foram feitas em 2001 pelo Centro Brasileiro de
Informações sobre Drogas (CEBRID) e indicam que 11,2% da população brasileira é dependente do álcool, o que corresponde a aproximadamente 21 milhões de pessoas.

Fonte: Redação Saúde em Movimento

"EFEITO SANFONA" DAS DIETAS REDUZ EXPECTATIVA DE VIDA




Emagrecer e engordar. Emagrecer e engordar. A eterna luta de muitas pessoas contra a obesidade pode reduzir substancialmente suas expectativas de vidas, de acordo com pesquisa da Universidade de Glasgow (Escócia) publicada na revista científica Proceedings of the Royal Society B.
O experimento foi realizado com peixes que eram alimentados com grandes quantidades de comida e, posteriormente, eram submetidos a uma dieta rigorosa. Este desequilíbrio alimentar chegou a reduzir a expectativa de vida em até 25%.
O estudo aponta que a redução na expectativa de vida não foi uma conseqüência do processo de envelhecimento acelerado dos peixes provocado pela alimentação irregular, mas do aumento do risco de morte súbita. As chances de morte súbita, explicaram os especialistas, foram conseqüência do "crescimento anormal" dos animais, provocado pela irregularidade em suas dietas.
Os pesquisadores afirmam que os resultados podem ser aplicados a adolescentes e crianças que fazem o mesmo tipo de regime, por estarem em fase de crescimento.


Fonte: Redação Saúde em Movimento

4 de maio de 2008

HOMEM ATUAL - CUIDADO COM A ALIMENTAÇÃO É FUNDAMENTAL





Os homens, geralmente, não têm preocupação com o que comem. Mas devem ficar atentos.Além de comer mais do que as mulheres, os homens, de maneira geral, não ficam muito preocupados em saber quais os nutrientes e quantas calorias têm nos alimentos que estão consumindo.


O resultado é uma preferência maior por alimentos gordurosos, isso sem falar da “cervejinha” ou do “chopinho” de fim de tarde, muitas vezes acompanhado de uma porção de lingüiça.


O que se vem observando é que a mulher com um maior nível econômico e cultural está mais consciente e a obesidade nesse grupo vem caindo, o que não acontece ainda entre os homens. Esse aumento da vaidade masculina ainda não refletiu nessa preocupação em hábitos mais saudáveis. Dificilmente se encontra num restaurante por quilo um homem com um prato cheio de alface.


Uma série de estudos realizados pelo Laboratório de Nutrição e Comportamento da USP de Ribeirão Preto mostou que as mulheres se vêem sempre acima do peso real e já os homens sempre acham que estão mais magros do que são. Essa percepção no homem mostra que ele quer ganhar massa muscular. Outra diferença entre os dois gêneros é que, nos homens, a gordura se concentra na região na barriga e nas mulheres há uma maior divisão entre a região abdominal e a do quadril. O homem de maneira geral tem uma alimentação rica em gordura e com muito sal, junto com um padrão sedentário muitas vezes ligado ao álcool e ao cigarro. Com isso ele fica mais exposto a doenças como hipertensão e diabetes.


Para controlar o peso com saúde, recomenda-se que os homens mudem os hábitos alimentares, reduzindo o consumo de carne vermelha. Outra dica é o consumo diário de frutas, verduras e legumes, que são alimentos ricos em fibras, vitaminas e sais minerais. Se for num barzinho, além de controlar o consumo de bebidas alcóolicas, substitua, por exemplo, uma porção de frango com bacon frito por um frango grelhado acebolado,



DICAS:


- Cuidados com a alimentação


- Reduza o consumo de alimentos gordurosos

- Diminua a ingestão de carne vermelha


- Controle o peso com uma alimentação balanceada


- Inclua no cardápio diário frutas, verduras e legumes


- Evite bebidas alcóolicas e cigarro


- Pratique atividade física com freqüência

2 de maio de 2008

RECEITAS COM QUINUA




SALADA DE QUINUA COM FRANGO


Ingredientes:

1 xíc. (chá) de quinua crua em grão; 2 xíc. (chá) de peito de frango cozido cortado em cubos, 1/2 xíc. (chá) de nozes pecan picadas, 1/2 xíc. (chá) de uva passa preta ou branca (mergulhe por 20 minutos em um pouco de água), 2 col. (sopa) de shoyu light, 1 pitada de páprica (opcional), 4 folhas de alface americana e salsa para decorar.


Modo de fazer:

Cozinhe a quinua por 15 minutos em 2 xíc. (chá) de água. Deixe esfriar. À parte, misture o frango, as nozes, a uva passa e o shoyu. Por último, junte a quinua e a páprica. Sirva dentro da alface e decore com a salsa.


RISOTO DE QUINUA

Ingredientes:


1/2 cebola cortada em fatias finas, 1 col. (sopa) de azeite de oliva, 1 xíc. (chá) de quinua crua em grão, 2 tomates sem pele e picados, 1/2 copo (100 ml) de vinho branco, 1 copo grande (300 ml) de caldo de vegetais (pode ser em pó, sem gordura), 2 xíc. (chá) de folhas de espinafre, 1 dente de alho, sal, pimenta vermelha e noz-moscada a gosto, 1 fatia grossa de queijo branco em cubos


Modo de fazer:

Refogue a cebola no azeite em fogo baixo até ficar transparente. Junte a quinua e os tomates e mexa bem. Acrescente o vinho e cozinhe em fogo médio até que a quinua absorva todo o liquido. Junte o caldo de vegetais aos poucos e cozinhe em fogo baixo. Em outra panela, adicione o espinafre e o alho e refogue até evaporar o líquido. Pique o espinafre e misture à quinua. Tempere com o sal, a pimenta e a noz-moscada. Salpique com o queijo e sirva.


GRÃO PURO

Em uma panela, coloque duas medidas de água para cada medida de quinua. Adicione sal a gosto e leve ao fogo por 10 ou 15 minutos, até que dobre ou triplique o seu volume. Desligue e regue com um fio de azeite. O grão cozido pode ser guardado na geladeira por até três dias. Sirva com o molho ou tempero de sua preferência.







DICA SAUDÁVEL DO MÊS

PÃO DE QUINUA






Ingredientes :


-1 colher de sopa de fermento biológico seco

-1 1/2 xícara de água

-2 xícaras de farinha de trigo branca

-1 xícara de flocos de quínua

-1 xícara de farinha de quínua

-1 colher de sobremesa de sal

-2 fôrmas de 18x8x5 cm ou 1 tabuleiro grande

-2 colheres de sopa de farinha de rosca ou milho
-1 clara-1 colher de sopa de água


Modo de Preparo:


Aqueça ½ xícara de água (a 40ºC) e coloque o fermento de molho por 10 minutos, até ficar cremoso e espumante. Enquanto aguarda o ponto do fermento, misture as farinhas com o sal e a erva (se for utilizar). Reserve. Aqueça o restante da água (1 xícara) a 40ºC e junte ao fermento, misturando bem. Acrescente lentamente a mistura das farinhas ao fermento, uma xícara de cada vez, mexendo bem com uma colher de pau, até que a massa fique homogênea. Quando a massa ficar pesada para bater na mão, vire-a sobre uma superfície polvilhada com farinha e amasse bem, polvilhando com mais farinha, até que a mesma solte das mãos e fique bem lisa e elástica. Forme uma bola com a massa e coloque-a em um recipiente untado com óleo vegetal, cobrindo-a com um plástico, para que não forme crosta nem resseque. Deixe-a crescer até dobrar de tamanho ou até que, ao fazer uma pressão sobre a mesma, esta permaneça. Vire-a sobre uma superfície polvilhada e amasse-a mais algumas vezes. Desta forma, as bolhas de ar maiores serão expelidas e o pão terá uma textura mais uniforme. Acenda o forno e mantenha-o aquecido à 200ºC.Coloque a massa nas fôrmas ou no tabuleiro polvilhado com a farinha de rosca. Pincele com a clara ligeiramente batida com a água e polvilhe ervas se desejar. Asse-os por cerca de 40 minutos no forno pré- aquecido. Quando retirá-los do forno deixe-os esfriar antes de cortá-los.


BOM APETITE !!