13 de maio de 2008

DIETA FUNCIONAL - PARTE IV



PIRÂMIDE FUNCIONAL
Na base, em que estão os carboidratos, a pessoa deve apostar em alimentos elaborados com grãos integrais como aveia, farelo de trigo, centeio, etc. Uma pizza cuja massa leva farelo de trigo é muito mais saudável. Em seguida, vêm as frutas e hortaliças. Frutas, o ideal é consumir de três a quatro porções diárias. Pode ser uma banana, meio mamão e cinco uvas, por exemplo. Já em relação às hortaliças, são recomendados dois pratos de salada, compostos por folhas, brócolis, repolho, couve-flor e ervas, como cebola e alho. Subindo um pouco mais, encontramos as carnes e as leguminosas. Nesse nível, é preferível apostar em peixes, de preferência os ricos em ômega-3, e em aves sem pele, cozidas ou grelhadas, e também em feijão, ervilha, lentilha etc. – a recomendação é duas porções ao dia. Nesse “andar”, também estão os laticínios, e a ordem é consumir leites desnatados ou fermentados e iogurtes com baixo teor de gordura. Os laticínios devem ser consumidos uma a duas vezes ao dia pelo menos. No topo da pirâmide, estão as gorduras, o açúcar e os doces, cujo consumo deve ser moderadíssimo.
PREBIÓTICOS
Considerados funcionais, possuem ingredientes vegetais não digeríveis pelo organismo. Traduzindo: têm configuração molecular que os torna resistentes à ação de enzimas na hora da digestão. O que eles fazem? Auxiliam na manutenção da flora intestinal; estimulam o trânsito intestinal, contribuindo para a consistência normal das fezes, prevenindo assim a diarréia e a constipação intestinal; colaboram para que o intestino absorva só as substâncias necessárias, eliminando o excesso de glicose (açúcar) e colesterol, favorecendo a diminuição do colesterol e dos triglicérides totais no sangue; e estimulam o crescimento das bifidobactérias, que inibem a ação de bactérias formadoras de substâncias tóxicas.
Exemplos de prebióticos são os frutooligossacarídeos (FOS) e a inulina, muito utilizados atualmente pela indústria de alimentos em seus produtos. Os frutooligossacarídeos estão presentes em alimentos de origem vegetal, como cebola, alho, tomate, banana, cevada, aveia, trigo e mel. A inulina é extraída principalmente da raiz da chicória e pode ser consumida por diabéticos como substituto do açúcar por conter de 1 a 2 kcal/g. Ela também está no alho, cebola, aspargos e na alcachofra.
PROBIÓTICOS
Os probióticos também são batizados de funcionais. Possuem microorganismos vivos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos no funcionamento do intestino – esses organismos são adicionados aos alimentos, como leites fermentados e iogurtes. As mais conhecidas bactérias que exercem essa função são a Bifidobacterium e o Lactobacillus, em especial o Lactobacillus acidophillus. Elas agem produzindo compostos como as citoquinas e o ácido butírico, que são antimicrobianos e antibacterianos, ou seja, favorecem a presença de bactérias benéficas no organismo e diminuem a concentração daquelas indesejáveis. Os probióticos aumentam de maneira significativa o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos porque permitem que o organismo absorva melhor, principalmente, as vitaminas do complexo B, os aminoácidos, o cálcio e o ferro. Também ajudam a fortalecer o sistema imunológico.
SIMBIÓTICOS
Um alimento simbiótico é aquele que combina substâncias prebióticas com microorganismos com ação probiótica. Seria o mesmo que adicionar inulina e bifidobactérias em um único alimento. Estudos mostram que essa combinação é mais eficaz do que o uso em separado de prebióicos e de probióticos. Na prática, as pessoas podem adotar um cardápio simbiótico, alternando itens prebióticos e probióticos diariamente.
É importante deixar claro que os alimentos funcionais não curam, mas, sim, reduzem o risco de doenças !!!!