Pular para o conteúdo principal

Comer ovos reduz risco de diabetes...



A aparentemente infindável novela sobre se comer ovos faz mal ou bem ganhou mais um capítulo.

A novidade mais recente é que a ingestão de ovos pode reduzir o risco de diabetes tipo 2.

Quem garante é o Dr. Jyrki Virtanen, que coordenou uma equipe da Universidade Leste da Finlândia na tentativa de esclarecer as consequências de comer ovos sobre a saúde humana.

Ovos e diabetes

Parece bem fundamentado o fato de que o aumento do número de casos de diabetes tipo 2 em todo o mundo está ligado aos hábitos e estilos de vida, com poucas atividades físicas e problemas de nutrição.

Em alguns estudos, são as dietas ricas em colesterol que têm sido associadas com distúrbios no metabolismo da glicose e, portanto, de um maior risco de diabetes tipo 2. Em contraste, em outros estudos experimentais, o consumo de ovos tem levado a um melhor equilíbrio da glicose, entre outros benefícios.

Quem tem razão?

Para tentar descobrir, a equipe finlandesa analisou os hábitos alimentares de 2.332 homens com idades entre 42 e 60 anos, durante um acompanhamento de 19,3 anos.

A conclusão é que o consumo de ovos está associado com um menor risco de diabetes tipo 2, bem como com níveis mais baixos de glicose no sangue.

Homens que comiam aproximadamente quatro ovos por semana apresentaram um risco 37% mais baixo de ter diabetes tipo 2 do que os homens que só comiam cerca de um ovo por semana.

A associação se manteve mesmo depois de serem eliminados possíveis fatores de confusão, como prática de atividade física, índice de massa corporal, tabagismo e consumo de frutas e verduras. O consumo de mais de quatro ovos por semana não trouxe benefícios adicionais significativos.

Valores nutricionais dos ovos

Além do colesterol, grande responsável por sua má fama, os ovos contêm muitos nutrientes benéficos que podem ter um efeito sobre o metabolismo da glicose, além de reduzir o grau de inflamação, o que pode ajudar a explicar a diminuição do risco de diabetes tipo 2.

A equipe também sugere que os efeitos globais dos alimentos sobre a saúde são difíceis de prever avaliando nutrientes individuais, tais como o colesterol, considerado isoladamente.

Por isso, recomendam, em vez de se concentrar em nutrientes individuais, as pesquisas de nutrição devem dar atenção aos efeitos sobre a saúde de práticas alimentares ao longo de um período de vários anos.

Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Ainda dá tempo!

Bom dia, segunda! ☀️

Mais uma oportunidade de fazermos uma semana diferente!
Mais uma chance de recomeçar!
Quem não recomeça depois do tropeço, nunca chega lá!

Não desista! O ano ainda não acabou!
Dá sim pra gerar mudanças!
Dá sim pra terminar o ano bem melhor!
Confie em você! Comece agora!

Bora?! 🌿💚🍃

Última chamada!!!! Projeto verão 2019....

Vai chegando esta época do ano, começam as preocupações com as festas de final de ano, as férias, praia, verão! Pois é, para àqueles que não estão no seu projeto Verão 2019 desde o começo do ano, ainda é possível modificar muita coisa, seja nos hábitos alimentares, seja no seu corpo.

Conte com nossos Programas Exclusivos para chegar no verão com hábitos alimentares mais saudáveis e com mudanças expressivas em seu organismo.

Como todos os anos, iniciamos estas chamadas semanalmente para lembrar que no final do ano entramos em recesso dia 15/12 e retomamos nossas atividades na segunda semana de janeiro. Então não perca tempo e não faça da melhoria de hábitos alimentares, mais uma promessa de ano novo! Aproveite para agendar sua consulta e garanta seu Plano Alimentar para finalizar bem o ano e iniciar o ano novo com o pé direito!

Mindfulness....

Nossa mente é cheia de distrações. Estamos trabalhando e do nada começamos a pensar na lista do supermercado, que amanhã vence o condomínio e não esquecemos de dar aquela conferida no celular para não perder nenhuma notificação.
Focar a atenção em apenas uma tarefa é um desafio e a meditação mindfulness pode ser a resposta para se manter presente. 
A meditação mindfulness (atenção plena) tem como objetivo aumentar a calma e o relaxamento, melhorar o equilíbrio psicológico, a saúde e o bem-estar geral.
A prática, através da atenção plena na respiração, no corpo e no momento imediato aumenta a percepção das experiências que ocorrem no presente. 
A prática da meditação, seja qual for a técnica, desenvolve a habilidade de nos adaptarmos ao estresse, chamada de resiliência. Ser resiliente não significa não experimentar dificuldades, mas desenvolver a sua própria capacidade para voltar ao estado de homeostase apesar das dificuldades.
Dê uma chance para a meditação! Crie consciência no prese…