27 de setembro de 2009

Hoje é o Dia Mundial do Coração !.....



De acordo com a Organização Mundial da Saúde e a Organização Pan-americana da Saúde, ao menos 60% das mortes em todo o mundo poderiam ser evitadas ou adiadas se houvesse um consumo mínimo diário de cinco porções - ou 400 gramas – de legumes, folhas e frutas.
Uma dieta sem gorduras, rica em fibras, como frutas e vegetais, ajudam, por exemplo, a reduzir a pressão arterial e melhorar os fatores de risco de diversas doenças crônicas e de cardiopatias. Além disso, carnes magras e pequenas porções diárias de arroz com feijão contemplam uma dieta ideal para a saúde cardiovascular.
O ácido graxo ômega 3, por exemplo, um tipo de gordura poliinsaturada, pode diminuir o risco de ataque cardíaco, proteger contra batimentos cardíacos irregulares e regular a pressão arterial. Uma das fontes naturais para este ácido graxo é o peixe, óleo de linhaça, óleo de noz, óleo de soja e óleo de canola.

Em pacientes hipertensos, por exemplo, a atenção com o sal deve ser redobrada, assim como os portadores de dislipidemias devem evitar o consumo de gorduras saturadas e trans, responsáveis pela gordura abdominal, que é fator para evolução do diabetes, insuficiência cardíaca, angina e dor no peito.
O resultado positivo da associação de dieta, exercícios e controle do colesterol, da pressão alta e da obesidade são essenciais para diminuição dos riscos para o coração. É de consenso geral que a atividade física promove diversos benefícios à saúde como, por exemplo, reduz os níveis de insulina no sangue e de triglicérides, aumenta o HDL (lipoproteína de alta densidade, o bom colesterol), melhora a circulação sanguínea nas pernas, além de ser coadjuvante no tratamento da insuficiência cardíaca.