5 de dezembro de 2013

Pipoca tem 5 vezes mais fibras que alface; veja benefícios...


Não há dúvidas de que o petisco é uma companhia deliciosa para uma sessão de cinema ou um filminho em casa. Mas muita gente acaba abrindo mão da porção de milho estourado por acreditar que ela engorda muito e prejudica o organismo, pois costuma ser rica em gordura e sal. Mas já está mais do que na hora dela deixar de ser a vilã dessa história e assumir de vez o seu papel de mocinha. Isso porque não param de pipocar estudos pelo mundo afora mostrando que a guloseima é recheada de nutrientes.
Um deles foi publicado no periódico científico Journal of the American Dietetic Associaton e mostrou que os seus fãs têm mais chance de ingerir a quantidade diária recomendada de grãos integrais, que é de três porções por dia. Outro trabalho realizado na Universidade de Scranton, nos Estados Unidos, descobriu que ela reúne uma quantidade maior de certos antioxidantes do que algumas frutas e verduras, fazendo dela uma grande inimiga dos radicais livres. Essas substâncias ainda fortalecem o sistema imunológico, protegem a visão e previnem contra alguns tipos de câncer.
Mas não é de hoje que os especialistas sabem que a pipoca oferece muitos ganhos à saúde. “Ela conta com o amido resistente que é um ótimo tipo de carboidrato, pois não provoca elevações repentinas das taxas de açúcar no sangue”, conta a nutricionista Priscila Rosa, sócia da Fit Saúde e Nutrição, em São Paulo. Com isso, ele previne o diabetes e ainda garante saciedade por mais tempo. Pesquisas também já demonstraram que esse nutriente, que está presente na parte branquinha, ajuda a reduzir os riscos de câncer no aparelho digestivo.
O ácido fólico é outra personagem que deixa esse enredo mais interessante. “Ele é muito importante para as mulheres em idade fértil e desponta em muitos estudos como protetora do coração”, conta a nutricionista Joice Amaro, do Rio de Janeiro, que é mestre pela Deakin University, na Austrália. “Ele também favorece a manutenção das células de defesa do organismo, evita a anemia e melhora a absorção dos nutrientes”, acrescenta Priscila.
As fibras também têm uma participação relevante nessa história. A pipoca tem uma quantidade cinco vezes maior dessa substância do que a mesma porção de alface. Com isso, ela dá um empurrão e tanto no funcionamento do intestino. “Mas esse efeito só acontece se a pessoa ingerir líquidos junto”, afirma Joice. Nesse caso, prefira a água e os sucos. Os refrigerantes devem ser deixados de lado, pois são ricos em sódio e, por isso, não fazem uma dobradinha muito saudável com o sal que é colocado sobre o milho estourado.
As fibras ainda tornam a digestão mais lenta, fazendo com que a pessoa se sinta satisfeita por mais tempo. O prêmio de melhores nutrientes coadjuvantes vai para o fósforo e o potássio, que estão presentes em pequenas quantidades, mas, mesmo assim, dão uma força para o sistema nervoso, na formação dos ossos e na manutenção dos músculos.
A melhor forma de preparo 
A pipoca vendida nos cinemas não é nem de longe a melhor opção para quem quer se manter saudável e em forma. “Segundo um estudo americano do Center for Science in the Public Interest, os baldes grandes têm três quartos das calorias necessárias para um dia inteiro”, conta Joice Amaro. Mas de vez em quando ela está liberada. “O ideal é pedir a sua porção sem sal e dividi-la com vários amigos.” A versão de micro-ondas também não é uma boa escolha. Isso porque, o que faz com que ela estoure tão rápido é uma grande porção de gordura, na maioria das vezes do tipo trans, que pode entupir as artérias.
Por todas essas razões, o melhor é lançar mão da velha e boa panela com um fiozinho de óleo, um fiozinho mesmo, e uma pitada de sal, o correspondente a ½ sachê. “Feita dessa forma, a pipoca é um alimento saudável”, afirma Priscila Rosa. “Uma xícara de chá cheia (30 gramas) fornece apenas 100 calorias”, conta. “Essa quantidade tem calorias equivalentes a uma fatia de pão de forma ou ½ pão francês”, conta Joice. “Portanto, uma pessoa pode consumir, sem preocupação, duas xícaras de chá por semana, em média”, diz. “Outra boa forma para preparar a guloseima é acondicioná-los os milhos dentro de um saco de pão bem vedado dentro do micro-ondas”, ensina Priscila. “Usar pimentas, como a do reino, a branca e a rosa ou um mix delas para temperar o petisco também é uma boa ideia, pois dá um gostinho diferente e diminui a necessidade de sal”, ensina Joice. 
Fonte: Terra