Pular para o conteúdo principal

Vitamina D demais na gravidez causa alergia alimentar no bebê...



As mulheres grávidas deveriam evitar tomar suplementos de vitamina D.
Esses suplementos parecem aumentar o risco de que as crianças desenvolvam alergias alimentares após o nascimento.
Esta foi a conclusão de um estudo realizado por cientistas do Centro Helmholtz para Pesquisa Ambiental e da Universidade Martin Luther, ambos na Alemanha.
Vitamina D e alergias
A vitamina D sempre teve uma boa reputação: ela fortalece os ossos, protege contra infecções, particularmente durante os meses frios do inverno, e ajuda os sistemas nervoso e muscular.
Especialmente na prevenção e tratamento do raquitismo, a vitamina D tem sido administrada a bebês e crianças pequenas em todo o mundo há mais de 50 anos.
No entanto, investigações científicas mais recentes estão cada vez mais questionando o aspecto positivo da chamada "vitamina dos ossos".
No final dos anos 1990, pela primeira vez a atenção dos pesquisadores foi atraída para uma ligação entre elevados níveis de vitamina D e o desenvolvimento de alergias.
Alergia alimentar na infância
Gabriele Stangl e Kristin Weibe incluíram 622 mães e suas 629 crianças no estudo de longo prazo intitulado "Estilo de vida e fatores ambientais e seu impacto sobre o risco de alergias nos recém-nascidos".
O nível de vitamina D foi medido no sangue das mulheres grávidas e também no sangue do cordão umbilical das crianças nascidas. Depois essas crianças foram acompanhadas durante os seus dois primeiros anos de vida.
O resultado foi claro: nos casos em que as gestantes tinham baixo nível de vitamina D no sangue, a ocorrência de alergias alimentares entre as crianças de dois anos de idade foi rara em comparação com os casos em que as gestantes apresentavam um alto nível de vitamina D no sangue.
Em sentido inverso, isto significa que um elevado nível de vitamina D nas mulheres grávidas está associado com um maior risco de que suas crianças desenvolvam uma alergia alimentar nos primeiros anos de vida.
Além disso, as crianças das mães com alto nível de vitamina D apresentaram um nível elevado de imunoglobulina E específica para alérgenos alimentares, tais como clara de ovo, proteína do leite, farinha de trigo, amendoins ou soja.
Com isto, os pesquisadores recomendam que as mulheres com saúde normal evitem tomar suplementos de vitamina D durante a gravidez.
Fonte: Diário da Saúde

Postagens mais visitadas deste blog

Protocolo de Limpeza Intestinal...

O Protocolo de Limpeza Intestinal, é um manejo nutricional para a Modulação Intestinal e seu objetivo é promover injúria bacteriana. Ou seja, morte das bactérias por falta de nutrientes. A falta de proteína durante os 3 dias iniciais gera injúria nas proteobactérias, que não conseguem se multiplicar, tratando a SIBO e disbiose. 
É uma estratégia para equilibrar a microbiota intestinal criada pelo professor Murilo Pereira que colocou um propósito em cada alimento e suplemento incluído, lindo demais! Aprendemos na formação em Modulação Intestinal. Ela promove uma limpeza de intestino delgado e grosso, ao contrário do uso de laxantes por exemplo que limpa apenas o intestino grosso.
O manejo nutricional dura 15 dias, sendo os 3 primeiros os mais importantes e com maior restrição. Nestes dias, além da alimentação, a suplementação para Modulação da microbiota vai variar de acordo com cada paciente, se ele tem Resistência á Insulina ou Síndrome do Ovário Policístico, Síndrome do Intestino I…

Sorbet de frutas congeladas....

Esse calor de matar pede um sorvete !
Que tal fazer em casa uma versão saudável pra matar a vontade? Claro que um sorvete cheio de açúcar tem seu lugar e hora! Kkk Mas é preciso também ter estratégias para ter este prazer com mais frequência, por que não? .
Tenha sempre frutas congeladas! Este aí fiz de banana  e morango  e nada mais! Congele a banana bem madura, assim vai estar mais adocicada! Bata no liquidificador ou processador até ficar homogêneo. Aproveite!

Segundo estudo, consumo de refrigerante aumenta o risco de mortalidade...

Um estudo de coorte conduzido com 450.000 pessoas de 10 países da Europa entre janeiro de 1992 e dezembro de 2000 acabou de ser publicado no JAMA e concluiu que o consumo de 2 copos de refrigerante 🥤 diariamente com açúcar ou adoçante artificial aumenta o risco de mortalidade por várias causas!
O estudo verificou que as principais causas de morte encontradas foram por problemas circulatórios e doenças do trato digestivo.