26 de outubro de 2011

Mulheres não recebem vitamina D suficiente durante a menopausa, segundo estudo...


Uma dieta saudável é especialmente importante durante o período da menopausa onde o risco de sofrer de problemas de saúde aumenta. Vários estudos analisando a dieta de mulheres antes e após a menopausa na Espanha mostram os problemas que vêm com essa transição. Os resultados mostram que todos os grupos estudados têm uma ingestão deficiente de vitamina D.

Os pesquisadores dizem que mudanças biológicas e fisiológicas em mulheres causadas pela menopausa vêm com um maior risco de desenvolver problemas de saúde e a dieta desempenha um papel importante. Estes problemas incluem diabetes, osteoporose, doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer. 

Para estudar esses hábitos alimentares, os autores do estudo analisaram 3574 mulheres a partir de 45-68 anos de idade de outubro de 2007 a ​​julho de 2008. Cada programa continha um mínimo de 500 mulheres de sete cidades espanholas (LaCoruña, Barcelona, Burgos, Palma de Mallorca, Pamplona, Zaragoza e Valencia) e um questionário de freqüência alimentar envolvido validado pela população espanhola.

Os resultados mostram que a taxa de obesidade foi de 29%, enquanto 42% estão com sobrepeso. A média de ingestão calórica foi de 2.053 Kcal(com 43% do consumo de energia provenientes de carboidratos, 36% de gorduras e 20% de proteínas). Os pesquisadores destacam que praticamente todas as mulheres receberam a dose recomendada de todas as vitaminas, além da D e E.

O caso da vitamina D é surpreendente, dado que nenhum dos grupos chegou a 50% do seu RDA (Dose Diária Recomendada). O consumo médio total foi de 2:14 microgramas por dia, o que constitui apenas 39% da RDA para as mulheres dessa faixa etária.

"Uma dieta com menos gordura e proteína que é rica em vegetais, nozes ealimentos ricos em carboidratos vai mesmo para fora do balanço energético e corrige os níveis de vitamina D e E", de acordo com os pesquisadores. "Isto é especialmente importante em lugares que estão longe do Mar Mediterrâneo, ondeas mulheres têm uma maior tendência a ficar aquém das recomendações atuais."